História X-Men: The Chosen One (A Escolhida) - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias James McAvoy, X-Men
Personagens Elizabeth "Betsy" Braddock (Psylocke), James McAvoy, Personagens Originais, Professor Charles Xavier
Tags A Escolhida, James Mcavoy, Mutantes, Scarlett, Um Romance, Uma Nova Guerra, X-men
Visualizações 65
Palavras 1.813
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hoje o capítulo será outro lado dessa história, veram a versão de Scarlett. Beijos e boa leitura, não esqueçam de favoritar e comentar.

Capítulo 3 - Capítulo 3: Scarlett


Fanfic / Fanfiction X-Men: The Chosen One (A Escolhida) - Capítulo 3 - Capítulo 3: Scarlett

Que reviravolta foi essa na minha vida em? Já estava até acostumada a viver naquela jaula, quer dizer, ninguém se acostuma com aquilo.

Todos aqui no Instituto Xavier parecem ser boas pessoas, mutantes igual a mim. Mas é preciso ter cuidado, eu também achava que os agentes secretos eram boas pessoas mas eles só queriam usufruir do meu poder me transformando numa arma na mãos deles mas eu nunca me rendi.

Eles me bateram, me torturaram de todas as possibilidades mas eu nunca cedi e não vai ser por que me jogaram aqui que eu vou mudar. A verdade é que eu tenho medo de acreditar e acabar mau, os agentes mataram todos da minha família. Eu não tenho mais nada a perder, estou sozinha mesmo.

Professor Charles Xavier parecer ser legal, sei lá, eu me senti tranquila perto dele. Porém, isso pode ser uma técnica feita por ele afinal é um grande telepata, não posso ceder assim tão fácil mas acho que agora eu posso tentar e caso algo aconteça isso vai ser a última coisa que farei nesse mundo. Estou decidia!

Eu estou confortável aqui acho que terei que me acostumar novamente a um quarto normal. Na jaula onde eu estava eu consegui escapar algumas vezes mas eles sempre me pegavam e me torturavam mais como castigo. Nesses minhas fulgas eu sempre ia para um lugar diferente, foi até onde fiz minhas tatuagens.

Nesse momento já era de manhã, meu primeiro dia aqui nesse meu céu/inferno, acredito que já seja tarde da manhã mas não faço questão de levantar. Na jaula eu não tinha uma rotina, eles me chamavam quando achavam necessário, me davam aulas de lutas e musculação, e quando eu não os obedecia, o que aconteciam quase sempre, então eles torturavam.

Eu estava de olhos fechados esparramada de barriga para baixo na cama ouvindo música no fone de ouvido do meu mp3 que eu havia comprado durante uma das minhas fugas. Então escuto um barulho forte e a porta se abrindo, Charles e um outro cara lá que eu ainda não tinha decorado o nome entraram no meu quarto de uma vez.

- O que tá acontecendo? Vocês não conhecem algo chamado privacidade? - Falei me sentando na cama tirando os fones de ouvido.

Balance a cabeça tentando expulsar o sono.

- Sabemos e respeitamos o espaço de cada um aqui, mas nós quase derrubamos a porta do seu quarto e você não atendeu. Achamos que poderia ter acontecido algo. - Explicou Charles.

Ele tinha um tom sério e educado que eu achava interessante.

- Eu tava escutando música no fone de ouvido. - Expliquei. - Mas o que vocês querem a essa hora do meu quarto? - Perguntei revirando os olhos.

Eu tenho a personalidade forte e isso é a minha arma de proteção, não vou facilitar a eles.

- Aqui nós temos um cronograma, já são 09:20 da manhã e você precisa começar seu treinamento. - Disse o cara que eu não sei o nome.

- Qual seu nome meu filho? - Perguntei a ele.

- Dr. Henry McCoy mas todos me chamam apenas de Hank. - Disse ele meio tímido arrumando os óculos.

- Tudo bem, vou só me trocar e já encontro vocês. - Falei.

Me levantei da cama sem ligar por ficar na frente deles apenas de uma calcinha box branca rendada e minha velha camisa de manga curta para dormir. Eles ficaram totalmente parados sem falar nada apenas boquiaberta com seus olhos vasculhando meu corpo.

Não sei o por que mas senti aquele olhar vindo de Charles me deixava com as bochechas coradas.

- Acho que vocês devem saber o que é privacidade, então vazem daqui que eu vou me arrumar. - Falei cruzando os braços erguendo uma sobrancelha.

- Ahh... sim... estamos na sala lhe esperando para tomar seu café. - Falou Charles tirando seu olhar de mim parecendo estar nervoso.

- Café da manhã é a única refeição que eu não faço. - Expliquei e vi eles me olharem confusos. - Vazem! - Falei mais alto quase como um grito.

Com isso eles saíram do quarto e eu sorri igual uma boba, fui ao banheiro do quarto e tomei um banho relaxante e demorado como a muito tempo não tomava. Na jaula meus banhos eram monitorados por apenas 2 minutos, eu sofri muito lá.

Enquanto me ensabuava olhei para cada cicatriz que havia em meu corpo, ainda bem que são poucas e consegui desfarçar algumas com as tatuagens por cima mas há aquela que toda vez que a vejo lembro de como a ganhei. Passo a mão na cicatriz em meu pescoço um pouco coberta por tatuagens de borboletas, eu ganhei ela quando um dos agentes me deu uma facada do pescoço enquanto eu assistia os outros agentes matarem todos da minha família na minha frente.

Lágrimas brotam em meus olhos mas rapidamente me recomponho e saiu do banheiro. Pego na minha mala as roupas e visto minha calça de couro marrom, um inseparável cuturno preto, uma blusa bem cavada na lateral preta também mostrando um pouco do sutiã vermelho rendado e prendi meu cabelo em um alto rabo de cavalo.

Saio do quarto e fico meio perdida em meio a tantos corredores e crianças indo e vindo, nem me lembro a última vez que vi uma criança e agora convivo com dezenas delas. Após alguns minutos encontrei uma escada e vi Professor em baixo na sala, suspirei tranquila e deci a mesma.

- Tem certeza que não quer tomar café? - Perguntou Hank.

- Absoluta, então vamos logo para o que interessa. - Falei meio impaciente.

- Sim, nós vamos vamos para a sala de treinamento dos mutantes. Me acompanhe. - Falou Professor saindo em sua cadeira.

Apesar dele ser um pouco mais velho que eu e usar cadeira de rodas nada o impede de ser tão charmoso.

- Você também é muito linda. - Escutei a voz dele em meu pensamento.

Merda! Esqueci de bloquear meus pensamentos.

- Chegamos! - Disse ele com um pequeno sorriso.

Paramos em frente à uma enorme porta de aço onde um Professor se identificou usando o rosto e a porta se abriu. Eu fiquei boquiaberta com aquilo tudo, era enorme e redondo como se estivesse dentro de uma enorme bola de aço.

- Aqui é onde treinamos nossos mutantes, hoje testaremos seus poderes para ver a intensidade de cada um deles. - Explicou Hank enquanto digitava em um teclado virtual flutuante.

- Mas você não pode treinar assim, tem que ter sua roupa de combate. Se quiser podemos mandar fazer uma para você. - Disse Xavier.

As vezes essa cordialidade dele me irrita.

- Não precisa, acho James não contou outra habilidade minha. Eu posso materializar objetos a qual eu necessito no momento e isso incluí roupas. - Expliquei e vi eles ficarem surpresos.

- O fogo! Ontem na hora em que você derreteu a algemas e correntes, você projetou fogo. - Falou Xavier meio sem acreditar.

- Sim, o meu poder da natureza também ajudou um pouco. - Expliquei. - Eu já tenho a minha roupa, costumava usar nos treinamentos que a agência secreta fazia. - Continuei.

- Então nos mostre. - Disse Hank.

Seus olhares estavam fixos em mim mas eu não intimidei, comecei a movimentar minhas mãos usando minha mente para me trocar. Levitei do chão, um vento forte e uma luz branca se formaram ao meu redor, demorou poucos minutos e eu já estava com as roupas que queria.

Eu usava uma saia longa preta com aberturas nas duas pernas o que dava assim um melhor movimento das minhas pernas e deixava sensual, usava um sinto marrom folgado cheio de espinhos de ferro, uma blusa vinho sem mangas com um decote bem aperto na parte da frente e um capuz sobre minha cabeça, amo capuz, luvas pretas mostrando apenas meus dedos, estava descalço, e um colar enorme e pesado que tinha uma arma secreta onde eu sempre usava sobre inimigos.

- Uau! Isso que é roupa de uma super mutante. - Disse Hank impressionando.

Xavier estava tão impressionado que não tinha palavras para dizer.

- Vamos logo com isso. - Revirei os olhos.

- Nós vamos lançar a você diversos robôs para testar todos seus tipos de poder, caso precise de ajuda é só nos falar. - Xavier finalmente conseguiu falar.

- Cara eu sou Scarlett, aquela que botou medo em toda a Agência Secreta Internacional, isso é para mim é moleza. - Dei de ombros.

Me posicionei no centro da sala e então surgiu das paredes enormes robôs, de início me assustei com o tamanho dos bichos mas logo que vi que seria moleza.

Todos me atacaram de uma vez mas eu fui mais rápida. Cada um deles tinha um elemento diferente, força bruta, fogo, gelo, super velocidade e etc. Por serem robôs eu não podia entrar em suas mentes, então tive que partir para o esforço mesmo. Fui atacando um por um, coloquei com minha mente o robô fogo de frente para do robô gelo assim eles mesmos se mataram, fui atacando um por um usando meu poder de mover as coisas com o poder da mente usando o metal que havia na sala de treinamento.

Os robôs viraram pó e eu estava um pouco cansada e suada mas não demosntraria.

- Uau! Você foi impressionante, não durou nem 20 minutos e derrotou todos. - Falou Hank.

Ele me entregou uma toalha branca para enxugar o rosto, rapidamente voltei as minhas roupas normais.

- Tem mais alguma coisa que vocês querem testar? - Perguntei.

- Não, já já é a hora do almoço. Descance e depois vá almoçar com os outros. - Falou Xavier enquanto saímos da sala e Hank trancava tudo.

- Vou almoçar no meu quarto. - Falei.

Não quero esse contato tão rápido com tanta gente, prefiro ficar sozinha.

- Mas vão estar todos lá, sempre comemos todos... - Dizia Professor mas eu logo o interrompe.

- Assim que estiver pronto, leve ao meu quarto. - Ordenei a Hank que concordou com a cabeça.

Vi Xavier bufar com minha teimosia, estava andando quando escuto uma música alta e gargalhadas do lado de fora. Me aproximo da janela e observo um garoto de cabelo loiro grisalho dançando com outros adolescentes, aquele garoto foi quem me chamou de gata ontem quando cheguei.

Ele dançava com seus amigos a música Eurythmics - Sweet Dreams (Are Made Of This). Eu amo dançar, era a única coisa que me distraía e alegrava quando eu estava na jaula, já dancei muito essa música. Percebi que eles erravam alguns passos mas dançavam bem, meus olhos brilhavam e um sorriso encantado se formou em meu rosto com meu corpo pedindo para que eu dançasse.

- Gosta de música? Ou de dançar? - Perguntou Xavier curioso percebendo meu interesse.

- Um pouco, apenas percebi que eles estavam fazendo tudo errado. - Menti.

E eu vi nos olhos de Charles que ele sabia que eu havia mentido.

- Já colocaram o aparelho de Som em seu quarto enquanto estava treinando. - Disse Hank e meus olhos brilharam.

- Que seja! - Fingi desinteresse.

Então subi as escadas praticamente correndo para chegar logo ao quarto e dançar sozinha escutando som.

[...]



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...