História Xeque Mate - Capítulo 11


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Ação, Agente, Assassinos, Brigas, Katy, Londres, Romance
Visualizações 7
Palavras 1.115
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Mistério, Policial, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 11 - Balada, elevador e beijos


Fanfic / Fanfiction Xeque Mate - Capítulo 11 - Balada, elevador e beijos

Sexta-feira
Resolvemos sair e ir para uma balada já que as baladas daqui são consideradas uma das melhores do mundo na minha humilde opinião. Lucas ficou meio assustado quando eu falei que queria ir em uma balada. Visto um dos meus típicos looks pretos.

Chegamos então na tal balada, Lucas arranjou uma garota para ficar e os outros dois, Nicholas e Ryan, saiu de perto da gente. Eu e a Cassie fomos para o bar, a Laura e a Chris foram para pista de dança. Depois que bebemos resolvemos ir para a pista de dança, eu não sou a melhor dançarina, mas também não sou a pior.

Depois que dançamos bastante fomos sentar em alguns sofás que tem ali.
- Se eu soubesse não tinha vindo com saltos tão altos.- Laura
- Nem eu, mas não da para vir a uma balada de chinelo.- Chris
- Tênis até que funciona.- Katy
- Você usa tênis o dia inteiro, ainda não cansa?- Cassie
- Ás vezes uso bota, e de vez em quando uso saltos. Por exemplo no dia daquele evento, onde descobri que eles não são mortos de fome.- Katy
- Quem é morto de fome?- Laura
- A Katy e o Lucas acreditavam que o Nicholas e Ryan eram pobres.- Cassie
- Mas no final das quantas tem tanto dinheiro como os Taylor.- Katy
- Como você, quis dizer.- Chris
- Você sabe que sou adotada? E que eu e o Lucas não somos esse mar de rosas?- Katy
- Eu sabia que você é adotada, mas não imaginava que seu relacionamento com o Lucas fosse difícil.- Chris
- Difícil é apelido... mas vamos curtir, afinal eu não gastei dinheiro para mim ficar aqui sentada.- Cassie
- É assim que se fala.- Laura

Levantamos e fomos novamente para o bar, peço um copo de whisky puro, porque hoje eu estou para o crime. Depois de mais algumas doses de bebida fomos dançar de novo, mas dessa vez os meninos vem nos acompanhar.

Ficamos ali até as três da manhã curtindo a vida como se não existisse o amanhã, mas ele existe.

Sábado
Como ontem fui dormir muito tarde, hoje levantei meio dia, ou seja, na hora do almoço. Tomo uma aspirina para a dor de cabeça, tomo banho e visto uma roupa confortável.
Desço para o almoço e encontro todos la, inclusive a Cassie. Cumprimento eles e logo começo a comer ja que estou com muita fome. Depois que nos meninas terminamos resolvemos dar uma volta de carro até encontrar algo legal para fazer. Andamos para lá e para ca, até que paramos em frente a uma daquelas casas de camas elásticas.

Resolvemos entrar e logo depois estávamos parecendo crianças, passa alguns minutos e os meninos aparecem. Eles ficam assustados com nossa presença e a gente com a deles, mas rapidamente tudo se torna uma enorme brincadeira.

Voltamos para o hotel ja era de noite, todos morrendo de dor na perna. Alguns minutos depois sigo para o jantar e de la continuamos a conversa.
- Minhas pernas estão doendo.- Lucas
- As de todos, para de ser fresco.- Katy
- Fresca é você, não estava aguentando nem dirigir.- Lucas
- Isso é verdade.- Nicholas
- Quem é que te chamou na conversa? Foi você Lucas? Porque eu não chamei.- Katy
- Toma priminho.- Chris
- Cala a boca!- Nicholas
- Eu calo se eu quiser, a boca é minha.- Chris
- Deixa ele em paz!- Ryan
- Não fale assim com ela!- Laura
- Tem razão, se não ela vai chorar.- Lucas
- Quem vai chorar aqui vai ser você com o soco que eu vou te dar.- Cassie
- Se quiser eu ajudo.- Katy
- Não se esqueça do resto.- Laura

A discussão continuou quente até nossos pais chegar,  e piorou depois que eles sairam. Continuamos naquilo até meia-noite, depois os outros foram dormir, eu fiquei porque tinha que falar com o Olk. Depois de ter falado com ele peguei o elevador e nele entrei distraída. Nisso acabo esbarrando em alguém e percebo que derrubei algum líquido.
- Katherine Elizabeth! Tá cega?
- Nicholas quem você pensa que é para falar meu nome nessa altura?
- Pare de se achar tanto!
- Eu não me acho! Ja me viu esfregando o tanto de dinheiro que tenho por aí?
- Você ou os seus pais?
- Eu vou quebrar a sua cara! Espera... o elevador tá parado.
- Droga!

Nicholas então liga para a recepção do hotel, enquanto ele fala no telefone que tem no elevador tento me acalmar.
- Está bem... Acho bom vocês arrumarem essa merda logo... Tá.
- O que aconteceu?
- A luz acabou e voltou, por isso parou, mas em vez de ter voltado a funcionar, o elevador parou. Vamos ficar aqui meia hora.
- So pode que eu joguei pedra na cruz. La fora está tão frio e aqui um forno.

Eu poderia tirar minha blusa de frio, mas não tenho outra por baixo, levanto as mangas e tiro meus tênis. Nicholas tira a sua blusa e fica olhando para mim.
- Por que você não tira a blusa?
- Não estou com outra por baixo, estou apenas de sutiã.
- Eu não me importo.
- Mas eu me importo e desde quando você é tão saidinho?
- Sempre fui, você que não me conhece.
- Isso é verdade.

Viro meu rosto para a porta do elevador e começo a tremer, não de frio é óbvio.
- Katy você vai passar mal, tira a blusa.

Por um tempo eu resisto, mas quando vejo que as coisas estão feias eu tiro.

Mas logo sinto que estou sendo observada, então viro para trás com a intenção de mandar o Nicholas para a put* que pariu. Mas ele está muito perto.
- Quer sair de perto de mim?
- Não.
Então ele me beija e caral**! Que beijo é esse, so nos separamos para buscar mais ar.
- Nich, não conte isso a ninguém.
- Você me chamou de Nich...
- Tanto faz, so não conte.
- Está bem Katy.

E nos beijamos de novo, ficamos daquele jeito até o elevador voltar a funcionar.

Domingo
Acordo sem um pingo de disposição para levantar, ainda mais depois de ontem. Não sei como vou olhar para a cara dele, Deus por que eu fiz isso? Porque ele começou, mas eu poderia ter parado, mas o demônio beija bem.
Levanto e arrumo minhas coisas, ja que vamos voltar para Londres a noite.

Desço para o café e graças a Deus o Nicholas não está, assim tomo meu café mais tranquila. Eu e as meninas decidimos que vamos ao shopping e depois dar uma última volta pela cidade...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...