História Xeque Mate - Capítulo 15


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Ação, Agente, Assassinos, Brigas, Katy, Londres, Romance
Visualizações 4
Palavras 1.303
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Mistério, Policial, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 15 - A verdade


Fanfic / Fanfiction Xeque Mate - Capítulo 15 - A verdade

Alguns meses depois...

As nossas amadas férias de verão chegou, a melhor notícia que ja recebi. Depois de mais um longo dia na faculdade, depois na biblioteca e uma vítima tomo um banho para relaxar. Enquanto estou tomando banho penso em tudo o que aconteceu nesses últimos meses. Não estou vestindo mais moletons, não visto nada extravagante, mas não tenho mais a aparência de uma nerd. Eu, Cassie, Laura e Chris nos tornamos inseparáveis, exceto quando eu e a Cassie vamos matar alguém. Ryan, Nicholas e o Lucas também viraram amigos, sabe aquele trio que ninguém separa, então. A relação com meus pais continuam a mesma, mas o que me intriga é que eles ainda preferem o Lucas do que a mim, porém eu deixo para la. Eu e o Nicholas? Estamos na mesa, nossos amigos sabem sobre a gente, mas não assumimos nada. A gente so se pega, é um acordo: ele não pode ficar com outra garota, e vice versa.

Eu e a Cassie vamos ter que ir para uma cidade vizinha para executar uma vítima. E hoje é o dia em que todos vão para St Ives, Cornwall, então demos a desculpa de que temos que visitar uma tia da Cassie. Para que todos acreditassem os pais dela também vão vir com a gente.

A coisa mais difícil em que estou enfrentando é esconder esse segredo de todos. Não é nada fácil e o meu maior medo é que descubram.

Quebra de tempo
Chegamos na cidade por volta de 19:00, mas temos que esperar ficar mais tarde. Quando da onze horas saimos da casa em que estamos, vamos matar Malvino Gisd na sua casa.

Alguns minutos depois chegamos, tudo está escuro, então eu, Mia, Peter, John e Cassie entramos pela porta dos fundos que da acesso para a cozinha. Fomos então para a sala e la tivemos uma surpresa nada agradável.
- TODO MUNDO COM A MÃO NA CABEÇA!
Várias e várias armas são apontadas para nós, são todos da agência secreta SEP. Eles tiram as nossas armas e outras coisas que tem em nossos uniformes. Algemas são colocadas em nossas pernas e braços. Eles nos levam até as viaturas e nos encontramos com a Cátia e o Richard, pais da Cassie e o Olk. Sento no banco e encosto a cabeça no ombro do Olk.

Chegamos então na sede da Secret Espionage Police, que fica um pouco afastada da cidade. Cada um então vai para uma cela, onde trocamos de roupa e colocamos os uniformes.

Na pequena cela a um mini banheiro, uma mesa e cadeira, e o importante a cama. Deito na cama e fico pensando nos meus pais, nunca fui motivo para tanto orgulho. Mesmo que a gente se desse bem, que eu fosse visitar eles, eu não era orgulho. E agora é que eu também não seria.

Dia seguinte
Estou de boas aqui dormindo, pensei que a cama fosse desconfortável, dai alguma agente vai e me acorda.
- Me acompanha.
- Não tenho outra opção, certo?
- Não. Me de seus braços.
- Ah? Sim, me perdoe. É geralmente eu que dou ordens.

Estico meus braços e ela coloca a algema, encontro com os outros em uma pequena sala.
- Dormiram bem?- Katy
- Minha cama é mais confortável, mas até que não foi tão ruim.- Peter
- Essa gente não toma café não?- Mia
- Será que vamos nos encontrar com a rainha?- John
- Vocês estão presos, mas continuam falando igual a loucos.- Olk
- Eles não mandaram a gente calar a boca até agora. Eu não sei vocês, mas estou me sentido em Orange is the new Black.- Katy

Então os agentes abram uma porta e manda a gente entrar, sou a última da fila. Estamos em uma sala, onde tem uma enorme mesa e la estão sentadas, imagino eu, os chefes, porém a muitos lugares sobrando.
- Orange... me parece ser mais divertido.- Cassie
- Minhas pernas estão doendo.- Catia

Então escutamos passos, pessoas estão chegando e muitas. Eu vou e volto, várias vezes... As pessoas que chegaram são os Carter, os Oliver e... os Taylor. Todos estão, meus amigos, meu irmão e meus pais. So que os mais louco é que eles estão com uniformes de agentes, eles são agentes secretos.
- Vocês são lentos.- Katy
- Sonsos.- Cassie
- Depois de todo esse tempo, agora é que somos pegos, impressionante.- Richard
- Vamos ter que ficar em pé?- Olk
- Vocês não falam demais não?- Tiago Oliver
- Podemos ter a cabeça cortada daqui uns dias, aproveitar enquanto pode.- Mia
- Cassie, eu não falava que os primos escondiam alguma coisa.- Katy
- Realmente você acertou. Demos brecha em algum momento.- Cassie
- Então eles começaram a desconfiar, mas a K é filha do Max e Juliane. E ela foi embora de casa, ja que tem uma relação difícil com o Lucas.- Peter
- Não seria fácil nem um deles se aproximar muito, mesmo que os Myles conhecem os Taylor, seria difícil.- Mia
- Mandaram o Nicholas e o Ryan, mas esqueceram que eu sou a nerd.- Katy
- Então tiveram que recorrer a uma viagem, incluíram a família inteira.- John
- A investigação começou quando eu fiquei para trás, e o Nicholas também.- Katy
- So que eles são lentos, demoraram a descobrir.- Cassie

O silêncio então predomina, estão com certeza se perguntando como descobrimos o plano deles tão rápido. Porque enquanto íamos falando a cara deles era de espanto.
- Queremos que contem tudo. Agora! Rubi Carter
- Querer, não é poder.- Katy
- Verdade, contar algo que com certeza ja sabem.- Mia
- Vocês querem educação, então daremos. Mas vocês tem que dar a gente também.- Laura
- Nossa convivência, imagino eu.- Cassie
- Quem é o principal assassino?- Max
- Pai, que machismo todo é esse? O artigo certo é a, eu sou a principal assassina.- Katy
- Quando ela falava que ia me matar, ela realmente estava falando sério.- Lucas
- Não, mesmo você sendo chato, insuportável, implicante, etc. Você não traficava, não era mafioso, ladrão, esse tipo de coisa. Se não perceberam eu matava so pessoas que não faziam bem para a sociedade.- Katy
- Por que você começou a fazer isso?- Juliane
- Falta de atenção, por que me adotaram? O Lucas tem a minha idade, e não é fácil virar um agente. Ele está ai, porque vocês são chefes, tanto ai, como aqui funciona assim: se você é parente você se torna, como posso dizer, poderoso mais fácil.- Katy
- Está me chamando de incompetente?- Lucas
- Não, quando eu entrei para o grupo não foi fácil, afinal eu sou a única que não é da família. Vocês são inteligentes, então use.- Katy
- Querida não fique assim.- Richard

Então a tia Cassie e o tio Richard, se aproximam, sim eu chamo eles de tios. E me abraçam, pelo menos tentam, quando eles se separam, os outros fazem a mesma coisa.
- A gente sempre vai estar aqui.- Mia
- Até mesmo no inferno.- Cassie

Fomos então levados para uma espécie de pátio, cercado por grades e agentes armados. Lá eles tiraram as nossas algemas e ficamos soltos, ali íamos fazer a primeira refeição do dia. Como estou muito nervosa sento em uma mesa mais afastada, e a Cassie vem me fazer companhia.
- Descobrimos o mundo hoje, né?
- Com certeza Cassie e eu sou uma tonta.
- Por que?
- Eu me apaixonei...
- Seus olhos dizem, quem diria que um dia ia pegar a gente.
- Verdade, mas temos que ter a ideia de que fizemos algo contra esses bandidos mequetrefes.

Conversamos até que terminamos o café e depois fomos para perto dos outros. Se não estivéssemos em uma prisão, qualquer um que nos visse diria que somos as pessoas mais felizes do mundo.







Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...