1. Spirit Fanfics >
  2. Yakuza no Hime >
  3. Beat It

História Yakuza no Hime - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Bem, eu não me aguentei e tive que postar.

leiam o capítulo ouvindo a música Beat It do Michael Jackson para melhor experiência <3


Capa pela maravilhosa @_Mawarii_Kawaii 💓


Espero que gostem.

Capítulo 1 - Beat It


Fanfic / Fanfiction Yakuza no Hime - Capítulo 1 - Beat It


Eles lhe disseram
Nunca mais volte aqui
Não querem a ver sua cara
É melhor você desaparecer
Há fogo em seus olhos
E suas palavras são bem claras
Então caia fora, apenas caia fora.

Beat It  -Michael Jackson


Vestiu sua jaqueta de couro negra com o brasão de sua gangue estampado, saiu de casa indo em direção a sua Harley Davidson V Rod vermelha.
-É hoje. -Cuspiu na terra irritada.
Montou na moto e deu partida.
Iria se reunir com suas irmãs, e aquilo não era bom, muito menos naquele dia específico.
Rodando pelas ruas de Florença ela ouvia sua costumeira playlist de rock enquanto murmurava a canção.


~P~


Entrou na velha mansão abandonada dando de cara com uma rodinha de mulheres que erguiam seus braços freneticamente e gritavam: "Briga, briga, briga".
A mesma abriu caminho forçadamente pelas mulheres, chegando a frente de tudo aquilo e dando de cara com sua braço direito e sua irmã rodeando uma de frente a outra com os braços esquerdo e direito amarrados e nas mãos livres haviam facas.
-Eu vou matar você cara Mebuki. -Rosnou a mulher de cabelos azuis escuros.
-Quero ver você tentar, arrancarei sua cabeça antes disso. -A loira ameaça.
As duas partem para cima uma da outra, mas antes que Mebuki possa acertar a garganta da inimiga é interrompida com um grito:
-Smettila! -Ordena.
Todas as mulheres recuam em respeito a líder.
E as duas se abaixam, apoiando-se em um joelho.
-Idioti! O que acham que estavam fazendo? -Grita com as duas.
Mebuki levanta a cabeça e encara a irmã.
-Essa slut me insultou! Fiz como regem nossas leis e pedi uma lotta d'onore irmã! -Seu olhar era firme. -Ela tem que pagar!
-Imperdonabile! Nossas leis dizem que uma lotta d'onore deve ser realizada e concedida na frente da líder! -Fechou os olhos e respirou fundo. -Você desonraram ela!
Dessa vez foi a vez de Guren se manifestar, ela sabia que o temperamento forte de sua líder poderia resultar em algo trágico e nada bom, a ruiva não pouparia nem mesmo a irmã mais nova.
-Líder nos perdoe, foi um erro irreparável, dou minha palavra que isso nunca mais irá acontecer. -Abaixa a cabeça novamente.
Draíra arregala os olhos nervosa.
-Vocês se arrependem? -Trinca os dentes.
Mebuki e Guren assentem de cabeça baixa, pois sabem que encarar a líder nesse momento era falta de respeito.
A ruiva Haruno era líder da mais famosa gangue de motoqueiras mulheres de toda a Florença, chamada Incubo oscuro, ou Pesadelo sombrio. A líder era conhecida como Lady of Nightmares, pois habitava muitos sonhos, ou melhor, pesadelos de sua vítimas.
-Como hoje é um dia desprezível, quer dizer "importante". -Faz aspas com seus dedos. -A punição de vocês será decretada amanhã. Agora Guren me siga e você também Mebuki.
Ela se virou dando as costas para as demais mulheres e subiu as escadas para o segundo andar, o maior quarto era a sua sala, elas arrumaram tudo naquele lugar para terem um lugar bom para sua base.
Foi andando até sua mesa, retirou sua jaqueta e colocou-a apoiada na cadeira, e logo em seguida sentou-se.
As duas mulheres entraram na sala e se sentaram nos sofás.
-Agora vamos resolver sobre o assunto de hoje. -Cruzou os braços. -Temos uma reunião com os líderes da Yakuza japonesa e Italiana, preciso que reúnam as garotas pois iremos a noite nos encontra-los.
-Líder vai mesmo se encontrar com esses idioti? -Mebuki questiona.
-Vou, fomos convidadas pelos temidos mafiosos. -Bufou irritada.
-Deixe tudo comigo líder, reunirei todas antes do sol começar a se por. -Guren se levanta, junta as mãos e faz uma leve reverência.
-Claro, reúna-as e as instrua Guren, precisamos estar vestidas adequadamente. -Sorri de canto.
A azulada sai da sala, deixando as duas irmãs sozinhas.
-Minha irmã por que aceitou esse dannato invito? -Se aproxima da mesa da irmã furiosa.
-Não fique assim mia cara sorella, fiz isso pois nosso querido papà nos convidou. -Diz irônica.
Mebuki cerra os punhos ainda mais irritada.
-Não era ele que nos deserdou dizendo que não éramos dignas sorella maggiore? -Seus olhos enchem d'água.
Draíra se levanta contornado a mesa e indo em direção da irmã, ela abre os braços envolvendo a mais nova em um abraço.
-Não se preocupe mia cara sorella, eu não prometi que cuidaria de você? -Sorri. -Pois bem, cuidarei de todas até meu último suspiro.
Olha para a janela, aquele dia seria cheio.


~P~


Várias motos eram vistas rodando pelas ruas até a grande mansão Haruno, todas as mulheres estavam vestidas de um modo "adequado", e com suas costumeiras jaquetas de couro.
Estacionaram uma ao lado da outra, a líder caminhou pelo portões seguida de suas irmãs, elas atravessaram todo o jardim chegando a porta onde um mordomo a esperava.
-Boa noite senhorita Haruno, os patrões a esperam na sala de jantar. -Jeffery o mordomo faz uma breve reverência.
-Muito obrigado Jeffery, não precisa nos acompanhar, sabemos o caminho. -Maneia com a cabeça.
Ela entra com algumas moças, deixando a maioria lá fora prontas para qualquer imprevisto.
O mordomo sorri ao ver sua senhorita ali, bem cuidada e resolvida.
As mulheres entram na enorme sala vendo os anfitriões sentados ao fundo.
-Que bom que vieram mie care figlie. -A mulher mais velha se levanta.
Cerise Haruno era a matriarca da família, sempre fora contra a expulsão de suas adoradas filhas, mas tinha medo de ir contra seu temido marido.
O homem coloca o braço a frente da mulher impedindo-a de ir adiante.
-Tratteniti donna! -Kizashi ordena.
O homem de cabelos ruivos vira seu rosto em direção as mulheres motoqueiras ali presentes, seu olhar frio não era nada.
Nesse momento um jovem loiro entra na sala acompanhado de sua namorada ruiva escarlate.
-Sorella maggiore, é você mesma? -Pergunta confuso.
-Sou eu sim, meu querido irmão. -Sorri.
A moça ruiva que acompanhava-o encarava aquela cena confusa, ela puxa a barra do terno chamando a atenção do namorado.
-Quem são elas Minato? -Pergunta curiosa.
-Me desculpe querida, deixe me apresentá-las. -Sorri. -Essas aqui são as integrantes da Incubo oscuro, a maior e mais temida gangue de motoqueiras de toda a Itália.
-Nossa, isso é incrível querido! -Exclama com os olhos brilhando.
A ruiva e a loira se aproximam do casal.
-Está é a líder, conhecida como Lady of Nightmares. Seu nome real é Draíra Haruno, minha irmã mais velha.
A mulher estende a mão a namorada do irmão.
-Muito prazer em conhece-la...
-Kushina, Kushina Uzumaki. -Aperta a mão da cunhada.
Logo em seguida a loira mais nova se aproxima do jovem casal.
-Esta aqui é conhecida como Golden flower, ela é minha irmã mais nova, Mebuki Haruno.
-Muito prazer cunhada. -Mebuki abraça Kushina.
Desfocando daquela cena, Kizashi Haruno encara Draíra com um olhar ameaçador, e a mesma o encarava com o mesmo olhar obscuro.
-E então querido papà por que nos chamou aqui, por que chamou suas figlie disonorate até sua casa? -Cruzou os braços.
-Olha como fala comigo menina! -Rosna. -Eu queria que participassem do banquete de noivado de meu querido herdeiro e sua noiva, seria falta de respeito com nossos ilustres convidados. -Se levanta indo em direção a sala.
Nesse momento Jeffery se apresenta a família.
-Os convidados chegaram meu senhor.
-Isso é ótimo, traga-os aqui Jeffery. -Ordena.
-É claro patrão. -Ele se retira.
Draíra se vira para suas irmãs e faz um sinal com a cabeça, as mulheres então se retiram dali.
Os convidados surfem ali, Um homem de cabelos brancos espetados entra de braços dados com sua esposa, uma jovem mulher de cabelos loiros. Seguido de seu filho com os mesmos cabelos brancos do pai.
-Senhor Senju, que bom que aceitou nosso convite. -Kizashi cumprimenta o homem.
-Eu nunca diria não a um velho amigo. -Jiraya sorri. -Aliás deixe-me apresenta-lo, essa é minha esposa Tsunade Senju, herdeira do clã Senju.
A mulher se aproxima cumprimentando-o.
-E esse é meu filho Tobirama Senju, é ele de quem lhe falei.
O ruivo encara o garoto e logo em seguida estende sua mão para cumprimenta-lo.
"Já não fui com a cara desse homem", O jovem Tobirama pensa.
-É o prodígio de nosso clã, meu ogro diz que ele se equipara ao grande Tobirama a qual homenageamos com seu nome. -Tsunade comenta sorrindo para o filho.
Depois de toda a conversa e apresentações, todos decidiram se sentar a mesa, pois o jantar seria servido.
Eles conversavam tranquilamente, e isso irritava Draíra, ela lançava olhares cada vez mais raivosos a aquele que costumava chamar de pai, e olhares cúmplices a sua irmã.
-Agora vamos falar de nossa família. -Kizashi começa. -Creio que nossa família se unira em breve, nosso acordo ainda está de pé meu querido amigo?
Jiraya olha para sua esposa por um instante, a mulher transmite em seu olhar desaprovação, assim como seu filho.
-É-É claro meu amigo, uma Chi no yakusoku deve ser cumprida. -Gagueja.
O homem albino morria de medo de sua esposa, ela o ameaçara que não podia fazer aquilo com seu filho, e que se fizesse terríveis consequências viriam.
Mas nada podia ser feito, era uma lei em qualquer yakuza, uma promessa de sangue não deveria ser desfeita nem quebrada, pois resultaria em algo trágico.
-Meu marido, o que seria isso ? -Cerise questiona confusa.
Não era para menos, ela não conhecia a língua natal do convidado.
-Querida um Chi no yakusoku nada mais é que uma Promessa di sangue. -Responde calmamente.
-E qual seria essa Promessa di sangue, meu pai? -Minato pergunta um tanto receoso.
Tsunade revira os olhos e bufa irritada, ela leva sua mão a do filho que repousa sob a mesa.
Jiraya apenas toma seu vinho em silêncio.
-É simples meu filho, quando eu e Jiraya eramos mais novos eu fiz a promessa com ele, e la consistia em dar a mão de Mebuki em casamento ao filho mais velho dele. -Disse sem nenhum remorso.
-O QUÊ! -Draíra se levanta repentinamente.
Mebuki que estava chocada, encara sua mãe que estava de cabeça baixa.
Os convidados se assustam com a garota.
-Sente-se menina! -O ruivo manda.
-O que o senhor fez? -Arregala os olhos. -O senhor prometeu minha irmã para um desconhecido?
-Fique quieta menina, isso não é da sua conta.
-É claro que é da minha conta, como não poderia ser? -Cerra os punhos, se contendo para não dar um soco no mesmo. -É da minha conta tudo que se refere a minha irmã desde que o senhor nos expulsou daqui! -Praticamente grita.
O homem se levanta furioso, e desfere um tapa na cara da filha mais velha.
-Ora como fala com seu pai sei ingrato! 
A moça leva a mão a onde agora uma marca vermelha maculava a pele de seu rosto.
-Você não é meu pai desde o dia que nos escurraçou para fora, gritando conosco e nos chamando de Troie inutili. -Rosnou.
Todos encaravam aquilo pasmos e sem reações, Tsunade estava impressionada com aquela garota, ela era corajosa e muito digna, se algo acontecesse ali a mesma estava determinada a dar proteção aquelas garotas.
Cerise tremia, seus olhos estavam marejados, ela não podia mais conter as lágrimas.
-Draíra querida, não podemos quebrar a Promessa di sangue, todos podem ser  mortos, a questão vai mais além do clã, estamos falando de um confronto entre yakuzas. -Suspira já com as lágrimas escorrendo por seus olhos.
Aquilo era uma verdade inegável, quando os membros do clã soubessem haveria um enorme derramamento de sangue.
-Não podemos evitar isso? -Mebuki sussurra assustada.
A ruiva encara a irmã que a olha suplicante.
-Não permitirei que faça isso com minha irmã, não permitirei que estrague o futuro dela! -Bate na mesa.


Notas Finais


Desculpem pelos erros e qualquer coisa :)

Todas as palavras em itálico estão em Italiano, graças ao Google-senpai 😀

Comentem aqui se gostaram <3

Se for bem recebida continuarei a fic


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...