1. Spirit Fanfics >
  2. Yandere (Imagine Levi) >
  3. Drinks

História Yandere (Imagine Levi) - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Olá cenouras e cenoures!

Lhes apresento a nossa nova estória a qual tive a ideia do plot a uns... dois dias?
Enfim, não vou me enrolar aqui mores, essa fic será curtinha e é provável que tenha só mais um capítulo, contendo potaria que eu sei que vocês adoram. 😏

Nos vemos lá embaixo. *_*

Capítulo 1 - Drinks


Fanfic / Fanfiction Yandere (Imagine Levi) - Capítulo 1 - Drinks

 

0.1 

 

O líquido vermelho que cintilava no copo lhe chamava a atenção. Não por se tratar de vinho ou tão pouco por se tratar de algo alcoólico, mas sim porque quando tomava grandes doses daquela bebida, ela lhe fazia refletir sobre sua vida. 

Era só uma mulher normal, como qualquer outra.

Não saiu de nenhum conto de fadas e nem era do tipo que parava o trânsito.

Mas era apenas mais uma no meio de bilhões de pessoas pelo mundo, que tentava encontrar seu lugar e levar sua vida. Mas às vezes era difícil raciocinar sobre o futuro sem chorar. 

Estava em um bar em plena noite de segunda-feira. O bar era até que tranquilo e por isso sempre ia até lá para beber de vez em quando e esquecer um pouco das responsabilidades diárias. 

Nem percebeu quando o barmen serviu outra pessoa ao seu lado, mas quando olhou para o lado, até que se surpreendeu. 

O homem era bonito, parecia ter quase a mesma idade que você e estava bem vestido. 

— Dia difícil? — Acordou do torpor assim que percebeu que o tal homem dirigia aquela pergunta a você. 

Um sorriso amargo surgiu em seus lábios enquanto um certo rubor surgiu em suas bochechas. Apesar de adulta, tais reações do corpo ao ouvir uma voz tão firme como a daquela homem não mudava. 

— Talvez. — Deu uma resposta limitada, tentando não cair tão facilmente nos encantos do rapaz ao lado que sorriu ladino com a resposta, e pelo amor dos deuses, aquilo foi muito sexy. 

— Posso saber seu nome? — Perguntou, bebendo de uma só vez a dose de whisky. Seus olhos acizentados cintilavam em um tom de azul devido à fraca iluminação do “pequeno” bar. 

Respondeu a pergunta, suspirando disfarçadamente ao ver o homem abrir um sorriso um pouco maior que antes, porém, sem dentes a mostra. Era como se ele estivesse satisfeito com algo. 

— Me chamo Levi Ackerman, e é um imenso prazer conhecê-la. — Se apresentou galanteador.

Um sorriso descontraído brincava em seus lábios, fazia tempo que não se sentia assim. 

Sentiu borboletas no estômago apenas por conhecer um homem bonito, que clichê. 

— Qual a sua idade, senhor Ackerman? — Perguntou virando mais o corpo para o lado do moreno, apoiando o braço direito no balcão, usando-o como apoio para sua cabeça logo em seguida.

— Apenas Levi, e... — Ele arrastava o copo com a ponta do dedo de um lado para o outro no balcão, em um gesto ansioso — Se você acertar, te dou um doce. 

Você sorriu cada vez mais interessada pelo homem a sua frente.

— Bom... suponho que vinte e seis talvez? — Supôs levando o polegar ao queixo, fingindo um pensamento.

— Hm... — Ele murmurou arqueando uma sobrancelha — Errado, mas lhe darei um doce mesmo assim. 

Ele fez um pedido ao barmen e pediu que você escolhesse um dos limitados doces que tinham na vitrine do bar. 

Um cupcake de morango foi a sua escolha, agradeceu admirando o pequeno bolinho e sua cereja decorativa em cima do glacê. Quando você ia fazer o gesto de estender a mão para alcançar o doce que estava em cima do balcão, sua bolsa, que estava ao pé do banco alto em que você estava sentada, caiu espalhando inúmeros papéis pelo chão do bar.

— Droga! — Resmungou aborrecida se agachando para recolher os papéis.

— Vou te ajudar. — Falou Levi se juntando a você segundos depois e recolhendo os papéis, enquanto tu os guardava na bolsa novamente.

Agradeceu logo comendo o cupcake que Levi comprou para você e assim, voltaram a conversar se conhecendo melhor e a cada minuto que passava, você não podia negar que se sentia cada vez mais atraída por Levi. 

Além de ser um galã, ele revelou ser professor de matemática e se mostrou muito inteligente, além de confessar ser um viciado em arroz e chá preto, e também em colecionar xícaras de porcelana. 

As horas foram passando e a conversa ia ficando cada vez mais fluida, mas infelizmente o bar teria de fechar e por isso, vocês foram obrigados a deixar o mesmo. 

Já do lado de fora do bar, você observou as ruas movimentadas de Tóquio enquanto se encolhia minimamente pelo frio.

Levi permaneceu ao seu lado com as mãos no bolso de sua calça e se surpreendeu ao ver que o mesmo observava as pessoas aleatórias passarem na rua com um sorriso mínimo nos lábios.

— Gosta de observar as ruas? — Perguntou intrigada, e também porque queria conversar mais um pouco com Levi, ele era interessante e misterioso. 

O moreno lhe olhou de canto e depois virou o corpo para você, se aproximando um pouco de você, o que fez seu coração palpitar e novamente a sensação de borboletas brincar em seu estômago, lhe fazendo pensar se estaria gostando do homem que acabou de conhecer.

Pensou não ser um problema, visto que Levi parecia ser uma boa pessoa, apesar de não ser de “muitas” palavras e não falar sobre sua família. Mas também sua mente lhe alertava constantemente que as aparências poderiam enganar, mas seu coração “sussurrava” que talvez, mergulhar em um novo amor seria sábio para sua saúde mental, afinal, um amor de verdade pode fazer um coração partido voltar a bater novamente.

— Sim. Acho interessante observar as pessoas, algumas demonstram ser interessantes. — Seu tom de voz era rouco e baixo, como se quisesse fazer você perder a sanidade e ao mesmo tempo lhe passar autoridade. 

— Entendo. — Murmurou em resposta extasiada, mas de repente, seu raciocínio pareceu ficar lento e sua cabeça girar. 

Como instinto, apoiou-se na porta de vidro do bar que já se encontrava fechado, respirando fundo e mentalizando que aquilo deveria ser apenas cansaço ou um mal estar momentâneo. 

— Uh, o que foi? Se sente mal? — Levi questionou franzindo o cenho e se aproximando mais de você.

— Um pouco... — Respondeu em um sussurro apertando os olhos, sentindo novamente a onda de mal estar lhe atingir, fazendo tudo meio que fugir de sua mente. 

Estava piorando.

— L-Levi, me ajude a ir ‘pra casa, por favor. — Pediu, cambaleando até o moreno que segurou seu braços, fazendo você o olhar com os olhos entreabertos. Suas forças iam se esvaindo de si de tal maneira que mal conseguia manter os olhos abertos. 

— Mas é claro! Irei levá-la a um lugar que poderá descansar. 

Ao ouvir a resposta do moreno, você o encarou confusa tentando se manter em pé.

Ao perceber sua expressão confusa e preocupada, Levi permitiu-se rir sadicamente e depois pega-lá no colo em estilo noiva. 

A única coisa que pode ouvir da boca dele antes de desmaiar foi:

— Agora ficará tudo bem, meu amor. Demorei para te buscar, mas agora que consegui, ninguém irá tirá-la de mim. — Os olhos cinzas brilharam em malícia, e a medida que seu coração acelerava, sua visão ia se escurecendo até que desmaiou nos braços do moreno. 


Notas Finais


Gostaram?
Já leram alguma fic yandere do Levi? Se sim, me mandem o link pelo amor de Kami, nunca li nenhuma desse tipo. ÇuÇ

Beijos e nos vemos em breve! 🙈💖


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...