História Yanderu Or Deredere? - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 6
Palavras 1.704
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Romance e Novela, Violência
Avisos: Linguagem Imprópria, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Desculpa pelo capítulo curto ;-;
Amanhã talvez ele seja maior.

Capítulo 3 - Loop do tédio - uma surpresa que mudará tudo


Fanfic / Fanfiction Yanderu Or Deredere? - Capítulo 3 - Loop do tédio - uma surpresa que mudará tudo

(...)

O LOOP

Alguns dias se passaram e o meu aniversário estava chegando. Estava muito ansiosa para que esse dia chegasse, porém um pouco triste, pois todo ano é a mesma coisa: presentes caros dados apenas pelos pais, festa de 4 pessoas numa mansão gigante, nenhum amigo, a família nem vem...ah, esqueçam essa última parte, eu nem tenho família.                                                  Sempre sobrava comida para um mês inteiro. Não entendia o porquê do buffet gigante já que 4 ou 5 pessoas vão participar da festa. 

(...)

- Mana, feliz aniversário adiantado!

- Porque adiantado? - não vai me dizer que...

- É que eu não vou poder estar presente na sua festa. Ia comprar um presente, mas eu gastei todo o dinheiro que tinha pra fazer um projeto na escola...me desculpa.

- N-não...T-tudo bem...

- Eu queria estar na sua festa, sério mesmo...mas quando começar, eu estarei na escola. - me olhou triste - se eu soubesse, eu não aceitaria participar do projeto.

- Você não tem culpa, afinal, você nem sabia...

(...)

- Ah, foi mal...eu vou viajar essa semana...

(...)

Foi isso que ouvi o dia inteiro, a semana toda. Todos falavam um "não posso ir" por um motivo qualquer. O loop de mesmas perguntas e respostas chega todo ano, e novamente chegam os gastos sem motivo que meu pai faz questão de fazer.

Quinta-feira (10:00 AM)

- Relaxa, eu vou comprar um presente pra você. Não precisa fazer essa cara de cão-pidão. - Lia colocou suas mãos em minha cabeça e fazia cafuné na mesma.

- Não é a questão de presente, mas sim pelos amigos.

- E o que isso quer dizer? - Jared disse me olhando estranho com a cara: "sim, eu não entendi por que eu sou burro".

- Dãh...eu apenas quero vocês lá.

- Ah, mas vamos estar lá... - sorri com os olhos brilhando. - ... conversando via web-cam... - ativei a cara-de-bunda no instantâneo.

- M-mas...

- É melhor você aceitar, por que nem tudo é do jeito que queremos.

Jared está certo. Acho melhor eu parar um pouco com isso.

Finalmente desencanei daquela ideia estúpida de amigos na minha festa de aniversário. Mesmo que não tenha absolutamente ninguém na minha "festa" de 15 anos, pelo menos eu vou completar 15 anos, (o que já é muito bom).

Mais tarde...

- Mel, o que eu posso usar no projeto semana que vem? - disse jogando uma pilha enorme de vestidos e mais algumas peças de roupa. - estou indecisa entre esse vestido e esse. - levantou um vestido verde com babados e um roxo com um laço na cintura.

- Hum...eu acho o verde mais bonito, mas tem certeza de que você não quer o azul? Ele é tão lindo!

- Hum... não, ele não tem nada, nenhum detalhe ou desenho! Ele é horrível...pra uma ocasião dessas...!

- Ok, você já sabe com qual sandália vai ir? 

- ...ainda não...hehehe... - coçou a nuca. - mas eu já separei todos que combinavam pra podermos escolher.

- Ótimo. Vamos ver as opções. - comecei a analisar as sandálias e ver se elas combinavam, e ao mesmo tempo se ficavam confortáveis.

- Essa! Essa ficou incrível! - ela se olhou no espelho. Estava toda feliz como quem tivesse acabado de ganhar um presente.

- Cuidado! Essa plataforma não é muito alta pra você não?

- Não, está perfeita! Eu quero estar linda pro projeto.

- Afinal, o que é esse projeto? 

- Nós vamos apresentar peças, cantar e dançar, apresentar trabalhos...vai ser aberto ao público! Nunca estive tão animada.

- Entendi...com certeza vou marcar presença. Te ver atuando deve ser maravilhoso.

- Treinei muito para atuar tão bem como das minhas últimas vezes.

Os dias foram se passando com a velocidade da luz, e finalmente o tão esperado dia da peça chegou.

- Mana, vamos logo! Não quero chegar atrasada. - ela saiu correndo

POV'S POLIANA

A PEÇA

- Ei! Me espera! - se você conseguiria me acompanhar se não fosse tão lerda!

- Esperar?! Estamos quase atrasadas! 

Acabamos chegando bem mais cedo, o meu relógio estava muito atrasado.

- Mas que culpa eu tenho?! Eu não sei arrumar o relógio. - cruzei os braços

- Maravilha! Agora temos que ficar esperando todos chegarem!

- ...olha, eu só queria chegar cedo e me preparar bem para a peça. Esse era o seu presente do seu aniversário estúpido! Mas já que você não presta atenção mesmo... - virei o rosto ao dizer aquilo. Prefiro olhar outra coisa do que a linda face da minha "maninha".

- Hein? E porque você disse que não ia fazer nada pra mim?

- Por que eu achei que você ia participar da sua "grande festa"!

- O que? Eu nem ligo mais! O que importa mesmo é que eu estou bem. Não ligo mais pra uma festa inútil, com amigos inúteis! - ela cruza os braços e vira seu rosto para outra direção, evitando me olhar.

- E pelo visto nem liga pra essa peça Idiota!

- Não mesmo.

- ...pode ir embora agora! Eu não quero mais te ver aqui!

- Tudo bem, mas ligue para sua mamãezinha vir te buscar...ah, é, você não pode ligar pra ela...ela morreu... você a matou..  - ela nem se preocupa em olhar para trás.

- VOCÊ é a assassina da minha mãe! Você deve pagar por tudo o que fez! - gritei, mas ela nem quis me ouvir. Pareci uma Idiota gritando sozinha e, pior ainda: tive que ficar esperando os outros chegarem para poder iniciar as coisas.

- E então...onde está a sua família?

- E-eles não vai poder vir, estão... ocupados.

- É realmente uma pena eles não estarem presentes...ou melhor, ainda bem! Eles iriam passar tanta vergonha. Você não sabe fazer as coisas como eu sei fazer... - Samantha ria de mim, mas não é uma novidade...ela sempre faz isso. - Então, até mais tarde...e boa sorte, por que você vai precisar. - ela sai desfilando. Mostrando aquelas pernas de galinha seca e num salto ridiculamente gigantesco. Não sei como os garotos babam por ela.

- Ei, Poly! - ouço uma voz um tanto familiar...era Maribel, a minha amiga da sala ao lado. - Aqui! - acena.

- Bel! - eu a abraço. - Ansiosa para a peça?

- Nervoso. É isso o que eu sinto.

- Haha...eu também. Espero que dê tudo certo, por que Romeu e Julieta não deve ser fácil. Mas então, você vai ficar com que papel? - perguntei me afastando um pouco dela.

- A mãe da Julieta. E você?

- A Julieta! Eu estou nervosa, é uma grande responsabilidade! Eu sou uma personagem principal.

- Ah ah...com certeza é. Mas não se preocupe, você vai conseguir.

- Eu espero...

- Crianças, vamos! A peça começa daqui a meia hora. - nossa professora nos apressa.

(...)

- Ok, vocês estão prontos? Daqui a cinco minutos.

- Sim, estou pronta. - me olho no espelho. Quando saio de frente do  mesmo, alguém me empurra e faz com que eu torça o pé. - AHH!! TÁ DOENDO! TÁ DOENDO MUITO! 

- Poly! O que houve?! - Maribel tenta me levantar, mas não consegue. 

- A-alguém me empurrou... AI!...TÁ DOENDO! 

- Calma,eu vou chamar as professoras para ajudar! - ela corre, e em poucos minutos eu já estou com gelo em meu pé e sentada em uma cadeira.

- Você não pode subir no palco assim. Precisamos achar uma substituta! Samantha, você sabe o texto inteiro, não? Pode substituí-la agora.

- Sim senho-...

- N-não! Eu vou c-conseguir...não se preocupem.

- Não tem como, seu pé está roxo. E você nem consegue ficar em pé. - Maribel disse.

- N-não importa, eu treinei muito pra chegar aqui, não vou deixar que tomem meu lugar!

- Pare de ser teimosa, menina! Olha só o seu estado! - Samantha estava ficando nervosa. Ela vai fazer de tudo pra ficar com o meu papel?

- Eu sei que você quer estar no meu lugar! Foi você quem me empurrou! Eu não vou parar por uma dorzinha.

- Você nem sabe se foi eu quem te derrubei. Talvez você tenha tropeçado no próprio pé!

- Eu senti alguém me empurrando, garota. Eu sei que...AI!...eu sei que foi você!

Continuamos brigando até ela admitir que me empurrou de propósito. Ela acabou ficando fora da peça.

- M-mas eu também tenho um papel importante na peça!

- O papel da "árvore"? Não faz diferença. 

Ainda senti umas dores enquanto andava para apresentar, mas graças a Deus deu tudo certo.

POV'S Melissa

- SURPRISE! - todos gritaram. Qual foi a parte que vocês não entenderam que eu não quero uma festa?

(...)

Eles me deram vários presentes. Só hoje já ganhei mais três caixas da edição completa de livros do Harry Potter! - ...obrigada?...

- Hehehe...não sabíamos se você tinha ou não...a maioria dos presentes são os livros... - Lia sorriu

A festa não foi lá grande coisa, aliás, eu nem queria uma festa. O sótão se encheu de caixas com presentes dentro. Tinha muita gente e a música fazia com que todos dançavam.

- Mel...eu quero te dizer uma coisa... - Patrick olhou em meus olhos.

- Diga...

- Eu não sei se eu vou ter coragem de dizer tudo, mas vou direto ao ponto.

- Hum...? O que houve?

- ... você...quer namorar comigo?

- Como é que é? - oi? Ele perguntou isso mesmo?

- N-não precisa aceitar se você não quiser... - a música parou, e todos olhavam pra nós. 

- ...E-eu...eu quero! Eu aceito! - todos gritavam de alegria, e eu fiquei vermelha de vergonha.

- Vai... Beija! - Lindsay fez aquela cara típica dela. Não resisti e comecei a rir, mas logo depois beijei o Path-man.

Então, agora é oficial, estamos namorando.

Após ter ficado que nem uma boba, fui organizar os presentes que estavam chegando. Fui ao sótão e vi um pacote dourado, com um envelope ao lado:  - "para nossa querida. Meus parabéns." Sr e Sra Ho...lley... Holley?! Os Holley estão aqui? Não é possível! - desci correndo. Olhei para todos os lados, mas não vi ninguém semelhante á pintura que eu vi um ano atrás. - Mãe! 

- O que houve?

- Mãe, esse presente! Os Holley... Eu não quero eles aqui! Não quero nada deles!

- Oras...porque?

- Elas te fizeram o mal...me fizeram o mal. Você não se lembra disso?! Eu quase morri nas mãos desses desgraçados!

- Eles são minha família! Você goste ou não. 

- Sua família?! Como você aceita uma coisa dessas, mãe?! Se eles tiverem aqui, que saiam!

- Melissa...por favor... Não comece.

- Ok, deixem eles aqui, de qualquer forma eles também fazem parte da família.

- Isso...agora, venha aqui...- ela me levou até uma sala onde 4 pessoas estavam.

- Olá Melissa...quanto tempo!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...