História Year of Excange - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Star vs. as Forças do Mal
Personagens Afonso, Angie Diaz, Cabeça Pônei, Diretor Skeeves, Dojo Sensei, Ferguson, Glossaryck, Hekapoo, Jackie Lynn Tomas, Janna Ordonia, Lua Butterfly, Marco Diaz, Margaret Skullnick, Oskar Greason, Personagens Originais, Rafael Diaz, River Butterfly, Star Borboleta, Thomas "Tom" Lucitor, Toffee
Tags Alternative Universe, Aurora Diaz, Intercâmbio, Janna Ordiana, Lilácia Petersson, Marco Diaz, Normal, Oskar Greason, Romance, Sem Magia, Star Vs As Forças Do Mal, Starco, Stella Butterfly, Svafdm, Svtfoe, Svtfoeau, Thomas Lucitor
Visualizações 80
Palavras 2.017
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Drabs, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, Mistério, Musical (Songfic), Poesias, Romance e Novela, Saga, Suspense, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


O nome do capítulo é " Memórias Perdidas"

A autora foge de um monte de leitores enfurecidos. Ela vira para trás e vê todos longe, então dá língua para eles, mas não percebe alguém a sua frente até bater [email protected] Uma menina de cabelos escuros, olhos negros, capa preta e espada da mesma cor
- Larissa - Cumprimenta a amiga, mas percebe seus trajes e fúria - Kirigaya Kazuto é você?
A colega, em resposta pega a katana e levanta contra a autora.
- Últimas palavras... - Falou pronta para o golpe final.
- CAPÍTULO NOVO!!! - Gritou, a fazendo parar o ato - Podem ler, eu deixo <3
Pelo o susto a menina de cabelos castanhos de óculos roxos (eu!) desmaia.

Capítulo 7 - Chapter VI - Lost Memories


A loira acordou com o som irritante do despertador, por que havia colocado alarme para um sábado? Droga, era um sábado! Depois de sentar na cama, sentiu uma forte dor de cabeça, tentou lembrar-se da noite anterior, mas apenas possuía alguns borrões, pequenos flashs de... Pony! Provavelmente a amiga sabia de algo, precisava perguntar para ela! Sempre invejou a força de Lilácia em relação a bebida, ela sempre conseguia se lembrar das coisas, já Star, apenas tinha um lapso e a certeza que perdera uma noite inesquecível.

Finalmente sentiu a visão se acostumar com a claridade do quarto – como odiava a ressaca –, percebeu uma cabeleira castanha na porta de seu quarto. Aurora estava totalmente boquiaberta, como se lá houvesse a coisa mais incrível do mundo, com o celular em mãos, bateu foto daquilo. Depois de conferir se a foto havia ficado boa – aquilo com certeza iria para o Twitter!

A loira continuou confusa, será que havia algo em seu rosto? Provavelmente havia, pegou o seu celular no criado-mudo e tentou ver o seu reflexo, tudo normal, quer dizer... Quase tudo...

O que mais assustou a intercambista não foi a sua cara de ressaca – profundas olheiras cercavam seus olhos –, mas sim a cabeleira curta e castanha, dormindo tranquilamente... Ao seu lado...

DESENCALHOU!!! – A Diaz mais nova gritou, finalmente tendo uma reação pela cena. O grito fez Star derrubar o celular e o outro acordar bruscamente, tendo, afinal, uma visão da situação que estava. Aurora começou a rodopiar pelo quarto, enquanto cantarolava “We are the Champions” – Milagres existem! Parabéns Onii-chan! Você venceu na vida!

– Mas o quê...? – O mais velho tentou processar o comentário da irmã. Estava tentando sair do sonho com Jackie que acabara de ter e de ser expulso tão bruscamente, e ainda ter que acordar para ouvir da não-querida Aurora. Ainda estava com a cabeça doendo, podia não ter bebido nada, mas os fatos da noite anterior continuavam meio embaralhados em sua cabeça. Ao notar que estava na mesma cama que Star, que apenas o encarava surpreso, sentiu seu rosto queimar por completo. Ambos estavam com as mesmas roupas de antes, e com rostos totalmente corados.

– Essa vai para todas redes sociais! – Sorriu mostrando para Marco a foto que tirara minutos antes. – Sabe... Dizem que uma foto vale mais do que mil palavras!

Os olhos do mesmo esbugalharam, se ela realmente postasse... Sua chance com Jackie estaria eternamente arruinada, assim como a sua vida social e... Sabe se lá mais o que.

– Apaga essa foto! – Ordenou com autoridade e com o rosto vermelho de, agora, raiva.

– Deixa eu pensar... – Colocou a mão no queixo como se fosse formular uma resposta, mesmo que já tivesse com uma na ponta da língua – N Ã O! – Sorriu e logo saiu meio correndo e meio saltitando do aposento da intercambista.

VOLTA AQUI! – O moreno praticamente pulou da cama para alcançar a irmã, antes que ela destruísse a sua vida. – AURORA DIAZ!!!

Quando Marco saiu do quarto – fechando a porta bruscamente – Star não conseguiu se segurar, apenas riu. Ela era uma das envolvidas, claro, mas a cara do amigo ao ver a foto... Impagável. Levantou-se da cama para finalmente trocar a roupa que usava desde a noite anterior. Não conseguiu deixar de agradecer aos céus por ainda estar com suas vestes, se não estivesse, quer saber... Melhor nem pensar nisso... Olhou as horas, 9:20, o cinema era às 13:15, era melhor indo se arrumando, e foi o que ela fez. Não via hora de se encontrar com a amiga para perguntar com a festa havia sido.

 

– Você quis dar uma de mim para todo o homem! – Pony lhe falou quando finalmente se encontraram no shopping da cidade – Agradeça ao Marco, ele foi a sua babá ontem à noite!

 O clima entre eles já estava melhor, depois de Marco convencer a irmã de não contar a ninguém sobre mais cedo eles só conseguiam rir da situação.

– Você estava realmente mal ontem – Explicou quando a loira o perguntou sobre aquilo – Depois de chegarmos em casa, você estava esgotada, assim como eu, mas quando chegamos em casa, tive que te carregar por que você mal conseguia ficar de pé! – A mesma corou ao ouvir aquilo – Enfim, depois de te colocar no seu quarto, eu ia finalmente para o meu, no entanto, você puxou a minha mão e me pediu para ficar. Eu tentei me soltar, mas não dava! Aí eu vi que a minha única solução era... Dormir com você... – Suas bochechas morenas arderam ao falar aquilo em voz alta.

– Então, nós não...? – Perguntou, totalmente envergonhada, mas querendo ter a certeza absoluta da resposta.

– NÃO! – Respondeu rápido – Isso nunca aconteceu, pode ficar tranquila.

Saiu de suas lembranças ao ver Aurora puxar a sua mão.

– Eu te juro que se perder o filme por sua causa, eu te destruo molécula por molécula, átomo por átomo... – Ameaçou, fazendo-a sentir um arrepio, mas se uniu a Janna, Josh, Marco, Pony e ela, entrando no cinema.

No fim, chegaram na sessão dez minutos antes do início. Durante esse meio tempo, Josh Marco e Aurora tentavam teorizar o filme – na verdade, era só uma disputa para quem sabia mais do universo Marvel –  e as outras apenas conversavam sobre a sexta anterior.

 

Durante todas as quase três horas que o longa durou, nenhum deles desgrudou os olhos da tela, alguns gritaram, outros – quase todos – choraram pela morte dos heróis. Ao final, todos estavam impactados com o final do filme.

– Mataram tudo o mundo! – Aurora choramingava/reclamava enquanto os seis iam para a saída – Se eu quisesse ver morte, ligava a Netflix!

– Tecnicamente... – Janna recolocava seu gorro cor chocolate na cabeça – Deixaram os originais.

– Mataram os poderosos e deixaram os fracos vivos!

– Ei! – Marco repreendeu a mais nova – Não mataram todos os “bons”.

– Ao menos, né?

Depois de todo o bate-boca sobre o longa, todos foram para o carro do irmão de Janna, assim, outra briga começou, para onde iriam agora?

– Comer! – Janna e Pony diziam.

– Boliche! – Marco e Aurora concordavam pelo ou menos uma vez na vida.

– Tanto faz para mim. – A loira respondia caso a olhassem.

– Já sei para onde eu levo vocês então. – Disse Josh, por fim e dando fim a discussão.

O Aincrad não era um lugar tão popular na cidade, apenas alguns adolescentes o conheciam, o Ordiana mais velho era um desses jovens. Quando ainda fazia o Ensino-Médio, toda a sexta e sábado iam para o lugar, às vezes matavam aula para ficar lá. Aincrad era nada mais nada menos que um enorme estabelecimento apenas para jogos e possuía um rodizio de massa. Quando Janna, Marco e Aurora entraram no estabelecimento, seus olhos brilharam, lá havia tantos jogos, desde de boliche a pingue-pongue e muitos, muitos, jogos online.

– Por que você nunca me trouxe aqui antes? – A Ordiana mais nova perguntou ao mais velho.

– Você nunca pediu, Jan... – Deu de ombros – Vocês não queriam comer e jogar? Por que ainda estão parados aqui?

Não foi preciso dizer outra vez, em menos de minuto, todos já estavam separados em variados jogos. Josh jogava pingue-pongue com um jovem que estava lá, Janna jogava GGO tentando quebrar alguns recordes. Stella e Marco estavam em um jogo qualquer de dança, enquanto esperavam o boliche, Aurora olhava o celular, admirando a foto de mais cedo. Lilácia era a única que não jogava, e sim procurava algo satisfatório no cardápio daquela, em suas palavras, “espelunca”. Depois de mais ou menos 15 minutos, o jogo foi liberado, os Diaz, a Butterfly e a Ordiana se uniram para jogar. Quando a rosada viu a amiga pegar bola – Star seria a primeira a jogar – correu até a máquina.

– Acaba com eles! – Mandou para a loira, que no primeiro lance conseguiu um Strike. As duas melhores amigas comemoraram.

– Sorte de principiante! – O Diaz falou sorrindo convencido, jogando e, também fazendo a pontuação máxima.

– Eu acho que não... – Pony sussurrou para colega que riu.

O placar final foi como a rosada planejava, Star havia ganhado por dezenas de pontos de diferença. A loira sorriu ao ver que vencera de Marco, o olhou sorrindo convencida.

– Quem é a principiante agora, Diaz?

– Eí! Eu não sabia que você jogava bem! – Marco falou dando uma desculpa – Como você aprendeu a jogar assim? Você tem que me ensinar!

A loira de olhos azuis riu, mas logo seu sorriso se desmanchou, lembranças invadiram a sua mente, começou a se lembrar de cada noite que eles haviam jogado juntos.

– E você tem que jogar desse jeito, assim tem mais chance de acertar – Ele terminava o seu tutorial para a loira – Agora tenta.

Ela jogou, do jeito que ele pedira e havia assistiu a bola deslizar sobre a pista de madeira, acertando todos os pinos. Ela sorriu e logo sentiu sua cintura ser segurada e seus pés acima do chão, abriu ainda mais seu sorriso ao encarar os olhos castanho-avermelhados, cor que só ele tinha.

– Parabéns, Princesa! – Ele começou a rodopia-la no ar, como se ela realmente fosse da realeza e, bem, para ele, ela era... Delicadamente, como se a sua Estrela fosse a coisa mais frágil do mundo, a trouxe para mais perto, unindo os seus lábios com a namorada, que retribuiu da mesma forma.

– Star...? Você está bem? – O moreno lhe perguntou preocupado e, usando o polegar para limpar uma lágrima solitária que rolava pelo seu rosto.

– Estou... – Falou tentando destruir aquelas lembranças idiotas. Olhou para Pony, que a olhava com tristeza, ela sabia o porquê – Bem... Só meio cansada...

– Vamos para casa, então... – Disse olhando no fundo de seus olhos e sorrindo delicadamente e, da mesma forma tomou a sua mão – Josh, pode me explicar como chegar em casa?

Enquanto o mais velho explicava para o moreno, a loira tentava lutar contra aquelas lágrimas estúpidas que queriam vir. Já bastavam as ligações, agora... Aquilo? Será que ele estava enfeitiçando-a para pensar nele? Olhou para o amigo, que lhe deu outro sorriso, em esperança de confortá-la, mas o efeito dentro da Butterfly foi o oposto. Agora tudo o que ela havia a faziam se lembrar dele, Deus... Isso era possível? Aquele sorriso de conforto, ele sempre dava a ela, as partidas de boliche, as noites em claro estudando para alguma prova ou assistindo alguma série, aquilo tudo veio à tona e tudo aquilo tinha o nome dele. Conseguiu desviar-se dos pensamentos ao sentir sua mão ser puxada pelo garoto de casaco vermelho. Aurora discutia com ele sobre terem saído muito cedo do Aincrad.

Enquanto andavam para casa, passaram ao lado de um parque, acabara entrando nele para cortar caminho. Ele era lindo, principalmente no fim de tarde, com o céu meio alaranjado. A luz do sol refletia em um pequeno lago de lá. Por alguns segundos, os três pararam admirar. Como se fosse a realidade e uma facada no coração, Stella conseguia ouvir e ver nitidamente a sua versão de alguns meses atrás, abraçada aquele que um dia tanto foi apaixonada, quer dizer... O verbo no passado estaria certo? Realmente ele era o seu passado? Aquelas memorias perdidas e especiais rondaram a sua mente de uma forma que nem no tempo de namoro se mostravam tão presentes. Ela tinha que aprender que ele já não estava mais ali, e principalmente o motivo da viagem. Intercâmbio significava mudança/recomeço. Uma vida sem ele estava bem ali a sua disposição, não precisava chorar pelos cantos por algo que já passou.

Quando voltaram a caminhar, ela olhou para os Diaz sorrindo, aqueles eram as duas pessoas mais especiais para ela. Em menos de uma semana, haviam se tornando tão essenciais que, chegava a doer pensar que era temporário.  No fim do ano, ela iria embora, voltar para a sua antiga vida, mas enquanto estivesse nos EUA iria aproveitar. Sentiu uma brisa fria, indicando a noite, puxou a mão do moreno, que parou ao sentir, ele a encarou.

– O que foi, Star... –  Foi interrompido por um abraço dela, no início ficou meio perdido. Aurora encarou a cena sorrindo.

– Obrigado... – Falou apenas para ele.

– Pelo o quê? – Perguntou de volta.

– Por ser você... – Sorriu e ele a abraçou de volta também sorrindo e afagando o seu cabelo.


Notas Finais


Aincard... GGO... Cara... Tem tanta referência... Quem pegou, pegou, quem não pegou e viu SAO, decepcionei;-;
Enfim, TENTAREI postar ainda mais um capítulo essa semana, mas não é garantido.
Enfim, tenho que ir antes que a minha mãe me mate por não estudar;-;
Byeee<3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...