História Yin Yang - Capítulo 2


Escrita por: ~

Visualizações 145
Palavras 720
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Escolar, Famí­lia, Lírica, Mistério, Poesias, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Suspense, Visual Novel
Avisos: Adultério, Linguagem Imprópria, Suicídio, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


"Mal você sabe
Eu ainda estou assombrada pelas memórias."

[...]

Capítulo 2 - 2007


Fanfic / Fanfiction Yin Yang - Capítulo 2 - 2007

 

 [Nível 1 – Turma da tarde - 4 anos]

Mal me quer...

 

- Primeiro dia! Primeiro dia! – pulava aos gritos.

Era como uma bolinha branca naquele uniforme, cabelos medianos lisinhos, quase na coloração negra. Estavam presos em um rabo de cavalo com um elástico azul, combinando com a calça azul escura do uniforme que contrastava o branco da camiseta, em decote “V” também contornado de azul com o emblema do colégio no peito direito.

Eu diria que eu era amável.

- Pelo amor de Deus... – minha vó aproximava-se de mim após arrumar minha cama, carregando-me pelo braço até a mesa do almoço já servido – Se essa menina me suja essa roupa no primeiro dia...

Colocara um avental azul de galinhas nas pontas enquanto me auxiliava na comida.

- Sua mãe me mata. – completou a velha.

- Sua mãe o que? – indagou uma mulher. Cabelos loiros, em uma roupa simples.

Estava de folga para o meu primeiro dia de aula.

- Nada. – revirou os olhos a senhora de cabelos grisalhos.

Não demorou muito, não comia muito. Na verdade, era chata de comida. Difícil de colocarem algo em minha boca.

Muito ansiosa, o transporte escolar finalmente chegou enquanto pulava aos pés do portão de minha casa.

Sinto que decepcionei minha mãe.

Nada que não faça muito nos dias atuais.

Ela esperava uma saída dramática. Até tentou. Segurou-me pelos ombros, dando-me um beijo na testa, dizendo que seria legal, que eu iria gostar, coisas do tipo.

O mais rápido possível, me soltei dela, dando saltos para o transporte e nele entrando esperando uma nova aventura.

A verdade é que com o tempo, nossos corações diminuem. Nessa época, meu coração era maior que meu mísero pouco menos que meio metro de altura.

- Ela nem sequer se despediu... – comentou mamãe, pé na calçada, suspirando forte.

- É, eu já esperava. – deu de ombros minha vó, voltando para dentro de casa, pegando a chave e indo embora para a outra casa, frente a nossa, a casa que pertencia realmente à ela – Vou cuidar do meu cachorro.

 

 

Lembro-me do dia que fui conhecer aquela escola. Mais certamente, apenas recordo de estar saindo da escola, perto da portaria, naquele corredor aberto ao céu azul, agarrada na mão de minha mãe, saltitando, dizendo para ela o quanto eu queria estudar naquele lugar e ela tentando me acalmar de todas as maneiras possíveis dizendo que logo chegaria o dia.

Não era menos de se esperar o quanto eu estava eufórica quando esse dia finalmente chegou.

Entretanto... Não tenho muitas memórias do meu primeiro dia. É tudo como um borrão.

Um garoto, amigo meu, dizia que eu estava de braços cruzados, como se estivesse irritada, no canto da sala. Ele diz rindo que essa foi a primeira impressão que teve minha.

Nunca acreditei nessa versão dele, afinal eu estava muito alucinada com a ideia de que eu estava no lugar que por meses, desde que o visitei da ultima vez para fazer a matricula, estava louca para retornar.

Mas infelizmente esse é o único relato que tenho do dia.

Muitos rostos novos, rostos que eu não teria mais que aturar depois de um tempo, e rostos que choraria por não ter mais que aturar depois de um tempo, como por exemplo, esse meu amigos, Chen.

Entre outros... Bing Qing, uma garota que me daria muitos problemas; Victoria, uma amiga que hoje torço para que tenha se esquecido de mim, acho que fui uma péssima influencia para ela; Natalia, essa foi uma péssima influencia para mim; Huang, esse... Logo digo mais sobre ele; Kumiko, a primeira garota que considerei melhor amiga; e mais uma lista de crianças que não faço ideia do nome ou dos rostos, mas sei que existiam.

Não sei como, mas sei que me socializei bem, muitas pessoas que hoje me conhecem duvidariam dessa minha antiga capacidade.

 

Metade do ano passou.

Tudo está dentro de um borrão, eu não me lembro de mais absolutamente nada.

Mas depois das férias lembro bem.

Um garoto novo na nossa sala.

Era da nossa idade, um garoto baixo também. Ele tinha olhos verdes, cabelo castanho, não tão escuro quanto o meu, pele mais morena que a minha, mas não muito, magrinho ao ponto do uniforme pequeno ficar largo nele.

E naquele momento eu o conheci.

- Oi! Meu nome é Yin!

- Yang!


Notas Finais


Instagram: heyanyone__
Twitter: @SaadSmille
Tumblr: dangerouslittlebear

Bjinn! <33


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...