História Yolo - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias VIXX
Personagens Hongbin, Hyuk, Ken, Leo, N, Ravi
Tags Hyukbin, Leobin, Navi
Visualizações 130
Palavras 1.064
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Lemon, Romance e Novela, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Meu deus, o que temos aqui? A metade de lemonzinho Navi no primeiro capítulo? ~ ☆
Resolvi postar essa fic que ainda está em desenvolvimento, nem eu sei o que esperar dela. Espero que gostem. Tenham uma ótima leitura e perdoem os erros.

Capítulo 1 - First contact


Fanfic / Fanfiction Yolo - Capítulo 1 - First contact

Um tapa.

ㅡ Ah!

Outro tapa.

ㅡ Ravi!

Os lençóis sedosos do motel caro em que os dois coreanos estavam hospedados parecia facilitar os movimentos frenéticos do mais alto. O torso do menor deitado no colchão deslizava com facilidade, tal como o membro úmido encaixado nele, que no momento não fazia mais nada além de ir e vir de seu interior com força e rapidez. A baixa iluminação do quarto era proporcional ao momento íntimo em que realizavam naquela noite. Muito embora não fossem um casal, amigos ou sequer conhecidos, o clima romântico era palpável.

E era do romantismo que as coisas estavam mais interessantes que o imaginado para Cha Hakyeon.

Quando o mais velho topara ir para a cama com o rapper que acabara de conhecer em uma das baladas conceituais da capital, não imaginava que ele faria o seu tipo ideal de homem dentro e fora da cama. Pelo menos na cabeça de Hakyeon, aquela noite seria apenas para fazerem um sexo e nada mais.

ㅡ Tá gostoso? ㅡ Ravi insistiu na pergunta.

A voz rouca entrou em contato com a audição alheia e o fez assustar-se mais uma vez com a gravidade peculiar encontrada no timbre, já que não era todo dia que ouvia um rapper gemer no pé de seu ouvido. E, bem diferente dele, Hakyeon não conseguia ser tão vocal durante o sexo. Não tinha fôlego, não tinha coragem, muito menos autoestima o suficiente para lidar com aquele homem dominador. Porém, o Kim não fez a pergunta para receber apenas gemidos manhosos como resposta.

Estava indignado. A voz melodiosa do moreno precisava ser ouvida com mais frequência.

Seus movimentos foram parando devagar, tudo em troca de reações mais concretas vindo do parceiro momentâneo.

ㅡ Não... não para. ㅡ Suplicou.

ㅡ Então me responda, gatinho.

Voltou a aumentar a velocidade por pura pena, e Hakyeon, indefeso, abraçou o corpo definido de Kim e arranhou a extensão da costa com uma das mãos, enquanto a outra ia em direção aos fios da nuca dele e direcionava a cabeça em uma posição que a orelha dele ficasse encostada em sua boca, para então proferir, manhoso e entre gemidos, o que o mais alto queria ouvir.

ㅡ Tá... tá bom. ㅡ Mordiscou o ombro ao fim da fala.

Ficou envergonhado com uma frase consideravelmente boba.

O rapper havia empolgado-se um pouco com as palavras proferidas pelo moreno, tanto que desferiu uma série de estocadas certeiras contra ele, capazes de encontrar o ponto mais sensível e tocá-lo diversas vezes. Cha podia não ser falante como o Kim, mas gemia alto, muito alto. A voz carregada de manha e os grunhidos finos ecoava pelo quarto durante as mordidas feitas nos ombros e braços de Wonsik.

O abdômen do moreno já estava molhado de sêmen, culpando o oral que Ravi nome artístico do outro homem - havia feito-lhe no início da noite. Não reprovava o ato, mas sentia que estava prestes a gozar outra vez e não queria repassar uma imagem de "fraco" para aquele músico incrível.

Hakyeon riu de repente. Sentiu um misto de cócegas e tesão assim que seu pescoço recebeu um caminho vertical de lambida com a língua de Wonsik vindo em direção ao seu ouvido. Já sabia o que viria, já estava ciente que ele falaria algo. Almejou aquilo mais do que tudo, porque bem diferente de muitos outros homens, as palavras sujas que Ravi lhe falara ao decorrer de toda a noite não eram nojentas como as que já tinha ouvido em outras noites. Eram excitantes, eram bem selecionadas.

ㅡ Rebola, Hakyeon... rebola pra mim. ㅡ Tinha ordem no tom. ㅡ Deixa eu gozar dentro de você.

E quem Cha Hakyeon era naquela noite para se recusar a fazer o contrário do desejado pelo rapper? Afinal de contas, eles queriam a mesma coisa.

O moreno sorriu de soslaio e mexeu, devagar, a cintura curvilínea, seguido do quadril farto, que ficava responsável pela movimentação das nádegas contra o pênis penetrado por entre elas. Ravi apertou as pálpebras e rosnou, estapeando de novo as coxas grossas do menor, indicando que deveria fazer mais e bem rápido. Estava mais do que visível a vulnerabilidade dele diante os espasmos que dava prestes a gozar.

ㅡ Tá gostoso? ㅡ Repetiu as palavras do rapper.

ㅡ Porra. ㅡ Riu. ㅡ Você que é gostoso, Hakyeon.

Agora Cha estava começando entender o porquê de Wonsik gostar tanto lhe ouvir dizer aquelas coisas. Era bom, era gratificante.

ㅡ Então me fode mais.

Meu Deus.

A partir de que momento ele começou a saber como se comunicar na língua do maior?

Ravi segurou a cintura alheia com rigidez e apertou os dedos nela, retornando seu corpo para trás até estar de joelhos, posição perfeita para terminar de foder o moreno com vontade, querendo que ele visse o quão podia tirar proveito do rapper se soubesse como falar com ele naqueles momentos. O mais baixo começou a sofrer tanto com os novos espasmos tomando conta do corpo que as suas mãos agararram o lençol macio da cama e puxaram para cima, sem cessar a ondulação que fazia com o quadril.

Não soube dizer o que fora possível identificar primeiro, se foram os rosnados altos e graves de Ravi ou o líquido quente dele despejado em abundância dentro de si. Ele não parava de estocar nem após o ápice, aproveitou o líquido servido de lubrificação para se despedir dos movimentos antes de retirar o pênis inchado do interior molhado e sentir a sensação de realização lhe preencher por inteiro.

Todavia, antes de deitar no colchão para descansar, Wonsik conseguiu fôlego para abaixar o corpo e capturar a ereção de Hakyeon pela última vez com a boca e fazer outra oral nele, agora tendo como meta engolir o sêmen dele. Cha sorriu. Sentia-se tão desejado, sentia que tinha o corpo ideal para agradar mais pessoas do que somente o rapper.

A boca ágil conseguiu fazer Hakyeon gozar de novo, e além de engolir tudo, lambeu o abdômen e peitoral dele, sugando os mamilos pela última vez, parando o percurso só ao encontrar o rosto corado. Ravi riu ao visualizar o semblante extremamente cansado dele, os pequenos olhos estavam fechados e a respiração ofegante fazia o peito subir e descer mais rápido que o comum.

Wonsik demorou cerca de inúmeros segundos observando o mais baixo na cama antes de tirar as conclusões. Como de costume, já deveria ter agradecido pela noite e saído da cama para rumar caminho pelo banheiro...

Mas parecia errado. Alguma coisa dizia ser muito errado deixar Hakyeon naquela cama somente com um agradecimento.


Notas Finais


E aí? sdfjylrcngckdudnc


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...