História Yonikon no sekkusu - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Ação, Comedia, Ecchi, Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Novela, Romance
Visualizações 4
Palavras 1.360
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Ecchi, Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 5 - A grande fuga, ou não


Fanfic / Fanfiction Yonikon no sekkusu - Capítulo 5 - A grande fuga, ou não

Após o julgamento, Petter foi levado até o aeroporto espacial para pegar um transporte que o levaria até uma mina qualquer.

Guarda- Hei chegamos, anda! O seu transporte já vai partir...

Petter estava em silêncio, apenas obedecia a qualquer ordem, ele estava algemado com algemas de cristais que o impediam de usar sua magia, não podia fazer nada além de aceitar seu destino. 

Será que seria esse o seu fim? Morrer após seis meses de trabalho forçado? Não! Ele não estava disposto a morrer, não dessa maneira.

Um pouco antes de chegar ao aeroporto espacial ele avistou uma x778 infinity manobrando na pista, uma nave cargueira não muito grande, capaz de saltar alguns anos luz. -Ali está minha saída- pensou ele-, mas como sair dessas algemas?

Enquanto caminhava em direção da saida do caminhão blindado ele "acidentalmente " esbarra no guarda, tirando as chaves que estavam na sua cintura sem que ele percebesse, finalmente todos esses anos em bares finalmente serviram para alguma coisa- pensou após ter pego as chaves.


Petter- Ele não percebeu, ótimo agora só preciso pegar a nave e dar o fora daqui. Como se isso fosse ser fácil, né Petter?...

(pensou ele enquanto se destrancava das algemas sem chamar a atenção do guarda, que estava caído no chao)

Quando Petter pensou em abrir a porta do caminhão e sair correndo, dois policiais  abriram a porta e miraram as armas nele, que agora fingia estar algemado...

Policial- O QUE ACONTECEU AQUI?

Guarda- Ahh nada, foi só esse panaca que tropeçou e me fez cair

Policial- hmmm ok mas tenha mais cuidado da proxima. Vamos seu vôo pra longe daqui já vai sair.

Petter estava a caminho da nave que o levaria para as minas e, a alguns metros dali, estava sua fuga daquele lugar. Mas Petter teria que ser ligeiro,atrás dele estavam os dois policiais bem armados e a sua frente o guarda usando um casetete de choque.

Não havia muito tempo a perder pensando em uma boa estratégia de fuga. Petter rapidamente soltou as algemas, virou-se e segurou o fuzil de cano duplo do policial, que ficou sem reação, rapidamente bateu com a coronha na cabeça do outro policial fazendo ele desmaiar na hora, o guarda veio pra cima com o casetete elétrico, Petter apenas desviou, segurou o braço do guarda e o fez atingir a sí mesmo, foi uma cena chocante (perdão pelo trocadilho).

Mais policiais estavam vindo, Petter foi correndo para a nave cargueira tentando desviar do máximo de balas possíveis, ao chegar na nave, rendeu o piloto e o colocou para fora, fechou a escotilha de entrada. Ele não tinha muito tempo...

Petter- Vamos,vamos...

Voz computadorizada- Por favor, ligue o console de navegação 

Petter- Ok, ligando...

O painel da nave liga e junto com ele várias funções aparecem...

Petter- ok Petter sem pânico, você só não está cheio de buracos agora por causa do vidro blindado, AH DROGA SEM PÂNICO!.

Os policiais não paravam de atirar na escotilha blindada da nave que já começava a rachar ...

Petter- Lembre-se das aulas de pilotagem. Ok acionar propulsores inferiores na potência media


Voz computadorizada- propulsores inferiores ativados, espaçonave decolando... 

Petter- ok, recolher trem de pouso, ligar propulsores traseiros...

Voz computadorizada- trem de pouso recolhido, propulsores traseiros em 30%

Os policiais já haviam solicitado apoio aéreo, logo espaçonaves de combate chegariam e matariam Petter, isso se ele não conseguisse sair dali...

Petter- vamos,VAMOS...

Voz computadorizada- propulsores traseiros em 60% 

Em um breve momento que Petter olhou através da escotilha da nave, ele viu naves inimigas vindo em sua direção...


Petter- espera o que é aquilo? NAVES? NAVES DE ATAQUE, SÉRIO? PRECISAVA DISSO... (Petter já estava em pânico...)

Petter- ATIVAR DEFESAS...


Voz computadorizada- nenhum meio de defesa esta acomplado, por favor faça atualizações 

Petter- AHHH MERDA, COMEÇA A ACELERAR, DROGA!

Voz computadorizada- propulsores traseiros em 100%

Petter- ISSO! AGORA É SÓ SAIR DAQUI

Petter começou a acelerar a nave, apesar de ser uma nave cargueira, ela até  que era bem rapida. 

As navez de ataque finalmente chegaram e começaram a disparar contra a nave de Petter. A blindagem no casco da nave era boa, iria aguentar um pouco. Mas para onde ir? Se ele ficasse no planeta usariam magia para encontra-lo, achá-lo seria questão de horas, minas? Nem a pau.

Petter- acho que eu não tenho muitas opções ...

( pensou ele enquanto manobrava a nave para evitar os tiros)


Petter inclionou o bico da nave cargueira para cima e foi subindo direto para o espaço, uma rajada acerta em cheio a asa da nave...

Voz computadorizada- Asas danificadas, perdendo estabilidade de vôo...

A nave começa a girar no ar por causa da asa danificada, ele teria dificuldades para aterrisar...

Petter- AHHH PARA DE GIRAR, MAS QUE DROGA...

Petter sai da atmosfera do planeta, já poderia usar o motor de saltos da nave para sair dali.

Petter- PREPARAR MOTOR DE DOBRA ESPACIAL...

Voz computadorizada- casco muito danificado, calculando chances de sobrevivência... cerca de 32%

Petter- seu eu não fizer nada essas chances vão aumentar para 100% então que se dane, ativar motor de dobra espacial, destino TERRA...

Voz computadorizada- motor de dobra espacial... pronto, calculando rota mais proxima de Terra... cerca de 3 saltos até o destino.

Petter- ativando escotilha de emergência, desligando propulsores traseiros, ativando motor de dobra espacial em 3...2...1...

A nave derrepente parou no meio do espaço, suas escotilhas de emergência foram ativadas, o motor de dobra espacial havia sido ativado também, uma forte luz azul saiu dos propulsores trazeiros, isso significava que a nave iria saltar em pouco tempo e tudo o que estivesse perto séria levado junto. Sabendo disso os pilotos das naves de Ataque rapidamente abortaram a missão. 

Piloto- o motor de dobra espacial foi ativado, recuar eu repito,recuar!

Piloto 2- afirmativo!

Piloto- Aqui Delta Fox 1, o fugitivo ativou o motor de dobra espacial estamos nos retirando imediatamente...

Comando- Positivo Delta Fox 1, aborte a missão. 


Voz computadorizada- salto em 3...2...1...

A nave saltou tão rapidamente que foi como se tivesse sumido. Qualquer coisa que estivesse perto dela nessa hora ficaria em milhares de pedaços.

Logo no primeiro salto, a nave havia quebrado o resto da asa que fora atingida mais cedo.


Voz computadorizada- primeiro salto concluido, ajustando rota... 3...2...1..

E lá se vai mais um salto, nave já estava em pedaços. O interior da nave já estava superaquecido...

Voz computadorizada- se-se-se-segundo salt-salto- con-conclui-ido, ajustandoooo rota, 3...2.....2...1

Os sistemas da nave já estavam falhando, ela não resistiria a entrada na atmosfera...

Voz computadorizada-Terceiro sallllll-salto concluido, adentradoooooo atmosfera terestrreeeee em cercaaa de 30 segundos

Finalmente Petter consegue chegar à Terra vivo, mas não permaneceria assim por muito tempo se não conseguisse dar um jeito de adentrar a atmosfera terrestre com aquela nave toda quebrada.

Petter- abrir trem de pouso, suspender motor de dobra,ativar motores de propulsão traseira, abrir asas

Voz computadorizada- trem de pouso comprometido, motor de dobr-brrr-a supens-so-so-so, motores- res de propulsão falhando-o-o-o, asas danificadas

Petter- AH DROGA, DROGA, DROGA E AGORA? VAMOS PETTER, PENSA, PENSA, PENSA... JÁ SEI!

Petter- preparar cápsula de saida de emergência- Estou à salvo- pensou ele com certa alegria.

Voz computadorizada- Cápsula de emerge-ge-gencia desacopla-pla-plada-a-a.

Petter- O QUEEEE???

A nave adentra a atmosfera terrestre em chamas, se não fosse pelo seu casco extremamente resistente Petter já teria morrido...


AHHHH DROGA, DROGA, DROGA EU SOU JOVEN DEMAIS PRA MORRER

Voz computadorizada- impacto iminente a 1300 metros...

Petter tenta levantar o bico da nave que esta caindo a noventa graus.

Petter- POR QUE VOCÊ NÃO SOBE DROGA???

voz computadorizada- asas extremamente danificadas, recomendavel reparo urgente

Petter- VAI, SOBE SÓ UM POUCO (Disse ele mordendo os dentes)

Petter consegue fazer a nave ficar em sentido horizontal, os freios haviam quebrado, tudo o que ele podia fazer era se segurar e esperar a colisão.

Voz computadorizada- impacto iminente em 400 metros...

Petter- AHHHHHHHH 

Voz computadorizada- impacto iminente em 100 metros...

A nave cai e vai deslizando pela rua deixando pedaços por todo o canto. Por sorte a nave parou antes que atingisse a casa da May. O impacto da colisão foi muito forte e Petter acabou batendo a cabeça no painel da nave ficando inconsiente.

Agora ele estava inconsiente mas seguro, pelo menos até o momento em que o governo chegasse...














Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...