História YoonSeok -Nunca Esquecerei De Você. - Capítulo 10


Escrita por:


Notas do Autor


Gente gente, cheguei pra vir depositar emoções! Segura que lá vaiヽ(・∀・)ノ

Capítulo 10 - Ten.


Hoseok estava melhor comparado a semana passada. Jeongguk vinha ensinando a como tocar piano em um de brinquedo, tinha umas belas notas e dava até pra se divertir enquanto mantinha a mente do garoto ocupada.


Yoongi vinha trazendo o Jimin com mais frequência para a clínica.


Depois do dia em que o Namjoon fora conversar com a mãe de Hoseok, ele vinha se empenhando mais quanto ao tratamento do Jung, tratou pouco sobre o assunto com Hee, mas se mantinha forte. Hoje era terça, quase perto do meio dia, Hee estava em sua sala trantando sobre seu outro paciente, Joongyon, um garoto de apenas nove anos que nasceu com problema na fala.


Ela também vinha se empenhando muito no trabalho, quase nunca deixava Namjoon sozinho com os problemas e ficava sempre que podia perto do Kim e do Jung. Agora, escrevia em uma espécie de prancheta algumas de suas observações nas quais dizia que o pequeno teria que ter aulas de sinais, não só aqui, como em casa por parte dos familiares.


Quanto a Namjoon, ele observava a tela de seu computador um pouco longe do mundo real e tentava pensar em uma forma para ajudar mais o Jung. Os remédios que menino tomava não era tão bataro assim, o mesmo vale para alguns exames e moradia no lugar, pois Song pagava como uma espécie de aluguel.


E tava devendo dois meses não só do "aluguel" como também os remédios precisos do Hoseok. Namjoon bufou indignado, apoiou os cotovelos na mesa organizada deixando suas mãos cobrir o rosto inchado pelo cansaço matinal. Caso Yeong-in não pagasse o Hope teria que sair dali, não pelo Namjoon óbvio, mas, pelos os superiores e causas do departamento de saúde onde é obrigado a cumprir com as ordens.


— Ela nem ao menos se esforça em ajudar o filho.. – Ele murmurou abafado. — Quem dirá em pagar as despesas.


Tava sozinho na sala, mas, como de costume falava sozinho como se aquilo o ajudasse de certa forma. De repente, o Kim sentiu alguém tocar gentilmente seus fios arrumados o fazendo levantar a cabeça rapidamente, vendo assim o rosto redondo e branco de Yoongi o observar sério.


— Eu bati na porta e chamei, mas, o Hyung pareceu não ouvir então entrei. – Explicou.


— Tudo bem, Yoon, eu só estava pensando.


Yoongi deu de ombros ficando ao lado do pc para conversar melhor com o Kim, este que ficou direito na cadeira pousando a mão direita no mouse. 


— Tem alguma coisa a ver com o Hobie?


— Talvez, mas você não pode ajudar dessa vez.


Yoongi soltou um riso debochado para surpresa do Namjoon que arqueou a sobrancelha, os dois sabiam que podiam ajudar o Jung, mas só que de maneiras diferentes. Yoongi olhou para tela ligada do computador vendo uma tabela cheia de números, um lado mostrava alguma coisa do tipo "Depósitos transferido" e valores altos em grana, semicerrou os olhos quando viu o nome da mãe do Hoseok logo a cima.


— Se você me explicar Hyung, talvez, eu consiga pensar em algo.


Namjoon respirou pesado, afinal, o que tinha a perder quando se tem uma pequena mente brilhante ao seu lado? Tentar achar uma saída sobre como não permitir que o Jung seja expulso dali era sua, digamos assim, meta.


— Isso aqui são pagamentos feitos pela mãe do Hoseok, nessa parte são os meses nos quais ela faz a transferência e pagou algumas coisas. 


Namjoon dizia tudo devagar para que Yoon compreendesse certo, o menor que endireitou os olhos para o mais velho e balbuciou algo baixo somente pra si, antes de falar com o Kim.


— É tão caro assim os remédios do Hope?


— Infelizmente, ele não pode deixar de tomar uma sequer cápsula se não haverá riscos para a saúde mental do Jung.


— Mas, por que que ela não paga?


Namjoon meneou a cabeça para o lado surpreso, não lembrava de ter falado que a Yeong-in não pagou os derivados.


— Você entende de contas? Não falo de matemática.


— Eu sempre estou presente quando meus pais vão falar sobre qualquer tipo de pagamento. Vejo as contas e eles me ensina bastante coisa pra futuramente fazer certo.


— Tudo bem, vou ser modesto com o melhor amigo do nosso paciente.


Não era o fim do mundo, mas, Namjoon apenas queria fazer com que tudo dê certo para que Hoseok não saísse dali. Então passou a olhar somente o Yoongi, reprimia os lábios grossos e pensava que seria uma boa ideia até, digo, o Min é bastante inteligente e por sorte diria algo que o ajudasse.


Yoongi bufou em ansiedade.


— Não vou enrolar muito, vou pular para parte em que se a mãe do Hoseok não pagar os dois meses em que deve a hospedagem do Jung aqui, ele terá que ir embora.


— Achei que ela trabalhasse justamente pra pagar as coisinhas do meu amigo. – Yoongi alcançou a cadeira de rodinhas e puxou para se sentar.


— Eu também achei, pensei que ela pudesse estar com problemas pessoais e não tava dando de conta sobre os custo do Hoseok. Realmente não é nada barato, clínica particular é um pé no saco.


— E no quê o Hyung pensou para ajudar?


— Talvez, em nada. Preciso mandar essa tabela junto com as demais para o superiores, mas, eu estou num beco sem saída.


— Já falou com Hee sobre isso? Acho que sei o que fazer.


— Primeiro, por que Hee precisa saber? Ela também vai ajudar nesse sua ideia?


— Exatamente, antes você precisa falar com a mãe do meu amiguinho.


Namjoon sentiu ânsia e uma forte dor de cabeça.


— É realmente necessário?


— Você também não gosta da tia rabugenta? Tudo bem, eu também não gosto, Hyung.


— Você não pode dizer essas coisas, garoto. – O Kim riu em resposta abanando o ar. — Ela é mais velha que nós dois juntos, então mesmo não, hm, concordando com certas coisas, nós devemos respeita-la.


— Se o Hyung diz, tá falado. – Yoon sorriu pouca coisa. — Agora, eu vou na sala da tia Hee pra falar sobre o que tenho em mente.


— E eu? O que faço?


— Eu sei que a rabu-, digo, a mãe do Hoseok não pode vir direto pra cá e nem você pode ficar saindo. Então, ligue pra ela e...



Yoongi começou a explicar gesticulando as mãos em frente ao rosto, claro que Namjoon não gostou da ideia de ter que falar com a Song, mas, se era pro bem do Hoseok ele faria o que fosse necessário. Então, ouviu atento e viu que dava pra fazer aquilo sem problema nenhum.




Afinal, ele ganhava bem.




                 ~×~




— Eu posso tocar junto com você? 


— Oi, anh, como você se chama?


Tinha que ser paciente, claro que o Hoseok vinha melhorando conforme os dias se passavam, mas, ainda sim, não era o suficiente para que ele conseguisse lembrar das coisas com facilidade. Todos estavam fazendo o que podia, principalmente Yoongi que nem sentia raiva pelo fato de não ser lembrado em constância, mas, se sentia deprimido pelo o amigo.


Era quase duas da tarde quando resolveu ir para o quarto do menino, depois de claro conversar com Namjoon e Bong, ele estava enjoado e só queria ficar perto do de cabelo róseo. 


— Me chamo Sugar, prazer.


— Somos amigos, certo?


— Claro, venho te visitar sempre que posso.


— Por que?


Yoongi sorriu triste dando a volta na cama alheia e sentando ao seu lado. Hoseok tinha o piano sobre o colo enquanto apertava as teclas com um pouco de força, mas, assim que o Min sentou ao seu lado, o Jung passou o brinquedo pra ele.


— Porque gosto de ser seu amigo.


— Eu me chamo Jung Hoseok e sofro com perda de memória recente. 


— Infelizmente, mas, tudo bem eu vou sempre ser sei amigo.


— Você sabe tocar? Esse brinquedo é seu?


— O brinquedo é seu Hope, vou tocar uma melódia que aprendi na escola.


— Ò, pode tocar..


Era devastante até, embora não fosse por mal a droga que é esquecer a cada segundo do que falava. Hoseok sentia algo muito bom dentro de si quando olhava e sentia o calor do Yoon, ficava melhor na presença do moreno, em vista que não soubesse de quem se tratava. Outrora, Yoongi pensou que no final tudo ficaria bem, a cada tocar delicado no brinquedo ele sentia os pelinhos do braço se eriçarem, Hoseok ficou de repente mais próximo para prestar bastante atenção.


Tecla por tecla, ele tinha um sorriso sugestivo apagado no rosto, as maçãs rubras da pele fina e macia, seus lábios cor pêssego estavam grudado um no outro. Tava tão concentrado que nem lembrava qual foi a última vez que tocou em um de verdade, apesar de ser uma altura considerável também ouvia os ruídos de surpresa do amigo ao seu lado, surpreso.


Duas crianças em um quarto grande, ambos tinham as pernas para fora da cama balançando como se estivessem num balanço calmos, é inevitavelmente difícil não sentir frustração na cena. Hoseok parecia viajar muito nas ondas sonoras do brinquedo, tinha o braço esticado perto das costas do Min para poder se apoiar no colchão, sentia o cheiro de creme para cabelos e ficou quentinho por isso.


— Eu não consigo entender isso que você faz com os dedos. – Ele falou muito próximo da bochecha alheia.


— É difícil no começo, mas, com a prática eu aprendi. Você quer tentar? Eu ajud-


Yoongi virou o rosto em direção ao Jung, onde consequentemente esbarrou a ponta do seu nariz no do outro que se manteu na mesma posição, sem nem ao menos se afastar do toque. Os dois ficaram olhando nos olhos do outro, ambos tão ingênuos e adoráveis que nem imaginariam que aquilo que se fazia era quase um inicio de um beijo naqueles Doramas. Mas não se moveram, bem, foi pouca coisa quando o próprio Hoseok afastou a cabeça para trás só pra ver melhor os olhos amendoados do seu amigo.


— Você é o meu Hyung? – Perguntou baixinho.


— Sim, e você o meu Hope. 


— Por que eu senti uma pontada no peito? Seu coração passa choque?


Yoongi sorriu brevemente desviando o olhar de Hoseok para poder recuperar o fôlego que tinha perdido, e nem tinha percebido. Ficou em silêncio, viu que o Jung ainda se mantinha parado na mesma posição antes de alcançar a mão do Min que descansava sobre o brinquedo, levando junto com atenção do mesmo para o peito do de cabelo tingidos.


— Você sente, certo? Então isso significa que gosto muito de você?


— Eu adoraria que fosse assim, ou, talvez, ficou assustado por ter encostado em você.


— Hyung, você vai ficar aqui comigo?



Yoongi sentia o peito do amigo agitado, a mão morena segurando a sua para sentir os ritmos desfreado do Jung, tão quentinha e até soada. Tinha voltado a olhar para o mesmo, contente e tímido pelo o que pensava sobre isso, tipo, ele ia acabar esquecendo daquilo, certo? Então, por que diabos ficava nervoso com o que o Jung segredou? Talvez, medo de que fique sem ele.


Mas, hoje exclusivamente o Hoseok estava questionador, parecia mais esperto e atento a qualquer coisa e ficou ali, parado olhando para o rosto branquinho do Min. Yoongi, por outro lado, não estava diferente, e com olhar faiscando em direção do Jung sentiu todo o estômago embrulhar em resposta, ainda mais quando usou a mão livre pra segurar o rosto fofinho e gorduchinho do amigo.


Tratou de, aos poucos, se aproximar da bochecha livre do Jung para depositar um selar molhado cheio de sentimentos, foi um "breve demorado" que fez o coração de ambos querer sair pela boca. Logo depois, ao se afastar e ver os olhos carregados de amor do Jung, Yoongi inspirou e buscou sorrir contento quaisquer tipo de emoção.





Eu nunca deixaria você.




               ~×~


Notas Finais


kk lindos.

Okay, eu pensei em dividir essa terça na qual passa a fic em dois cap, então significa que vcs vão ficar curiosos embora esse tenha ficado curto e fluffy.

Eu queria dizer que acima de tudo leiam com bastante atenção esse cap, pq passou coisas bem importantes aí que serão motivos para coisas futuramente.

Por enquanto só, agradeço quem me acompanha e interage. E pros fantasminhas também (^・ω・^✿)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...