1. Spirit Fanfics >
  2. You - meanie >
  3. Você é especial

História You - meanie - Capítulo 11


Escrita por:


Notas do Autor


oi meus anjinhos, aaaaaa tudo bem? espero que esteja sim

enton, o que acharam do comeback do seventinho? eu tô simplesmente apaixonadoooo, fazia tanto tempo que não me empolgava assim com o kpop, meus bebês nunca decepcionam mesmo, amo meus filhos demais.

Capítulo 11 - Você é especial


Fanfic / Fanfiction You - meanie - Capítulo 11 - Você é especial

@you_are: Nesse dia, tínhamos feito uma semana de namoro e eu me sentia a pessoa mais feliz do mundo, tudo bem que ninguém fazia festa por uma semana de namoro, mas eu me sentia tão preso a você que achei que estávamos noivos. Tudo aquilo era tão especial pra mim, você era mais.

°°° Curtido por art_cunos e outras pessoas...



[•••]



— Ficou boa? – perguntou quando ouviu o "click" da câmera cessar.


Sorri olhando para o visor onde continha lá a fotografia de Mingyu, tão lindo quanto o céu que acompanhava a cor da sua blusa.


— Está perfeito – falei encarando o outro, que nesse instante sorria pra mim agradecido, ele estava perfeitamente alinhado com o sol e o vento que batia em seus cabelos como rajadas.


O mais alto olhou a foto e perdeu um pouco do seu sorriso, me encarando logo em seguida.


— Ah não Kim Mingyu, se você falar que está feio na foto eu vou-


— Não, não é isso bebê... – me interrompeu com um abraço forte e me fazendo retribuir de bom grado – por quê você não tira fotos comigo? Você é tão mais bonito do que eu, amor – sem soltar do abraço, o mais alto beijou meu pescoço e minha bochecha enquanto falava.


— De onde você tirou isso, gyu? Você é a pessoa mais bonita do planeta – desviei do assunto me sentindo já um pouco desconfortável, era um assunto delicado, e mesmo que eu quisesse muito, mais muito contar para ele, sabia que iria começar a chorar a qualquer minuto, e tudo o que menos Mingyu precisa agora é de alguém para choramingar em seu ombro. Ele já tá cheio de problemas.


— E mentiu – falou dando uma gargalhada e me encarando nos olhos – porquê você é a pessoa mais bonita que eu já vi na minha vida, Wonu.


Senti meu rosto inteiro esquentar e desviei o olhar se queria manter minha face normal e não com a coloração de um tomate. Eu sabia que no fundo Mingyu não se achava tão atraente assim e que as vezes chegava a se comparar com um ogro. Mas eu o enxergava como príncipe que ele é, e quando um príncipe te elogia assim, significa que você é tudo e muito mais do que ele falou.


Eu só queria que Mingyu me visse como o príncipe dele, para ele poder enxergar da mesma maneira que eu. 


— Vamos logo – eu dizia o arrastando um pouco mais distante da porta do terraço.


A gente estava praticamente na faculdade, ou em cima dela, na minha opinião o terraço é muito lindo e muito pouco utilizado, já estive aqui milhões de vezes só para tirar fotos, mas agora eu tinha um propósito, um pequeno piquenique com Kim Mingyu com certeza alegraria meu dia cheio de dores de cabeça.


— Ainda vamos ser pegos, danadinho – o outro disse rindo enquanto andávamos rapidamente até a toalha de mesa quadriculada e cheia de frutas.


Sorri mordendo o lábio inferior, como se não estivesse realmente ligando se nos pegassem no terraço.


Logo, nos sentamos no tecido um pouco quente pelo sol, mas logo o costume se fez presente quando o vento passava, era quase como reversível, sol não chegava a esquentar tanto graças aos ventos que bagunçavam nossos cabelos. 


Mingyu ficou curioso com o que continha na cesta e apenas se inclinou para olhar enquanto eu tirava de lá alguns potes de morango e um outro com chocolate.


— Morango!


— Seu favorito certo? – sorri sugestivo e o mesmo me olhou de cima a baixo.


— Você está me provocando? – perguntou enquanto tirava um morango do pote e mergulhando no doce antes de levar a boca.


— Eu? – fingi inocência, tirando um dos kiwis cortados que estavam espalhados sobre o pano – Jamais, gyu.


O outro riu fraco enquanto limpava os dedos. Encarei ele de volta sentindo toda aquela tensão de seus olhos mirada em mim, era como se ele estivesse me passando várias mensagens subliminares só com simples gestos, gestos esses que me fizeram suspirar.


— Então, falou com sua mãe? – mudei de assunto, estava começando a fazer calor.


— Por quê frutas? Quer dizer, eu gosto mas é tão diferente piquenique sem sanduíche.


— Não são só frutas, tem chocolate e sanduíche também, sem falar no suco de caixinha que você tanto gosta – falei incrédulo mais pela facilidade que ele tinha de desviar do assunto – e não mude de assunto, Kim Mingyu. Vamos, eu te conheço.


Ele desviou o olhar um pouco apreensivo, como impulso e insentivo de mim mesmo. Toquei em sua mão, tentando transmitir todo o meu apoio.


— Eu... fui expulso de casa.


Ouvi aquilo e minha boca acompanhou o tamanho da minha surpresa com aquilo, ele realmente havia sido expulso? Digo, expulso mesmo de casa? No mesmo momento em que ele me contava aquilo eu me sentia estranho por não saber lhe dar uma resposta plausível, um ombro amigo ou o mesmo apoio que havia transmitido no toque das minhas mãos. Eu estava simplesmente perplexo, sem reação alguma. 


— Wonwoo? – o outro chamou tocando sua outra mão por cima da minha.


— C-como assim, gyu?


— Ela me expulsou de casa, eu tô morando atualmente com o Vernon a alguns dias.


— Por quê não me contou nada, Mingyu?


— Eu não queria que pensasse que foi tudo sua culpa – ele disse e eu me peguei pensando em como não tinha idéia de que fosse minha culpa – mas não foi, você nunca teve culpa de nada. Sou só eu, eu tô sendo um incômodo por ser quem sou. 


— E porquê você não fez nada pra-


— Jeon Wonwoo! Acabou, ela não me ama como eu achei que me amasse – ele me interrompeu soltando minha mão e eu ouvi seu coração quebrando de longe.


— Ela é sua mãe, Mingyu.


— Não é mais, tá legal? Esse é o preço que a gente faz pelas pessoas que são especiais pra gente, que a gente...


Eu sorri esperançoso e ele se calou por um instante, se levantando e caminhando devagar até a mureta. Eu me vi na obrigação de levantar junto e caçar uma resposta de sua boca, eu queria tanto que ele falasse.


— Que a gente...? – perguntei abraçando o corpo do outro por trás enquanto sorria olhando nos olhos fixos no horizonte.


— Que... – ele agora me encarava, virando seu corpo em minha direção. 


Levei meus braços até seus ombros, esperando que ele falasse de uma vez e simplesmente tomasse a ansiedade do meu corpo, eu só queria que ele dissesse aquilo, ah eu preciso responder com a maior sinceridade que tenho no coração. Mingyu, fale agora!


— Que... a gente ama. Q-que eu amo – ele se apoiou e com as duas mãos me aproximou aos poucos de si mesmo, colando nossas temperaturas e as transformando em uma só.


— Você me ama? – sorri em expectativa.


— Eu te amo – ouvi a voz sair mais como um sussurro unicamente pra mim, era tão meu que nem o universo era capaz de escutar – e você? Você me ama?


— Eu te amo, te amo muito Mingyu.


Notas Finais


MEUDEUS QUE TUDOOOOOOO, AI MEU MEANIE QUE LINDOS AAAAAAAA VO ME MATAR.

GENTE PLMDDS TO GOSTANDO TANTO DE ESCREVER ISSO QUE TA DOENO NA ALMA.

até depois meu povo, obrigado pelo apoio de smp❣️😭


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...