História You and I. - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Justin Bieber
Tags Elysandra Quinones, Hot, Jelysandra, Justin Bieber, Purpose Tour, Romance
Visualizações 72
Palavras 2.364
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Festa, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 9 - No sense.


Acordei com o toque alto do despertador de meu celular, erguendo a cabeça, — Sonolenta — vendo-o distante, sob a mesa.

Revirei os olhos e deixei que minha cabeça batesse no travesseiro, sem poder me mexer direito, já que Justin Bieber tinha uma de suas pernas em cima de mim e um de seus braços.

Empurrei sua perna — Com certa dificuldade, ela pesava mais do que aparentava — e tirei seu braço de mim, caminhando até meu telefone, desligando o alarme e suspirando aliviada, ao ter de volta silêncio naquele lugar.

— Justin! — Chamei alto, tendo nula resposta — Bieber!  — Caminhei até ele — Amor! — Falei, próximo a seu ouvido — Justin! — Chacoalhei seu corpo e bufei, ele se mantinha imóvel.

Me vesti — A mesma roupa de ontem, exceto a blusa, que agora, usava uma camiseta de Justin — e fiz minhas higienes matinais, — Usando sua escova de dentes — prendendo minhas tranças num coque, voltando para o quarto.

— Magrelo! — Gritei, guardando celular, brincos e pulseiras — Que usara na noite anterior — na bolsa — Estou indo embora. — Falei, sentada ao seu lado — Justin. — Soei irritada e o chacoalhei, desta vez, demorando mais para parar.

— Hum! — Resmungou, franzindo o cenho.

— Tchau. — Beijei sua bochecha, me levantando depois, sentindo sua mão segurar meu pulso, impedindo que me afastasse.

— Onde você vai? — Abriu os olhos, piscando algumas vezes ao me olhar, parecendo incomodado com a claridade.

— Trabalhar? — Falei o óbvio — Seu balé tem compromissos logo cedo. Ensaio na arena do show de hoje a noite. — Ele fez bico.

— Que horas são? — Perguntou, sentando-se.

— Quase 08:00 AM.

— Porra, é muito cedo. — Falou, numa careta — Que tal apertarmos o foda-se e não sair dessa cama hoje? — Bieber tinha um sorriso maldoso, ao sugerir isso.

— Tentador. Mas, graças à Deus, sou ajuizada. — Ele revirou os olhos — Preciso ir... — Levei uma mão a seu rosto, lhe fazendo um carinho.

— Vou te levar. — Disse e depositou um beijo em minha mão, puxando-me para junto dele.

— Estou atrasada, Justin. — Ele beijou meu pescoço, descendo com as mãos por minha cintura, deixando um apertão na mesma — Bieber! — Meu tom de voz era repreensivo, comigo encarando-o séria.

— Tudo bem. — Revirou os olhos, ficando de pé — Vou me trocar e vamos. — Falou, pegando sua calça jeans, vestindo-a.

— Mentira, que você não vai tomar banho?! — Falei, fingindo surpresa.

— Tomei banho antes de dormir, estou limpo.

— E fodeu ao menos três vezes antes de dormir. — Apontei.

— Isso não me torna menos limpo. — Rebateu, já quase pronto, colocando os tênis.

Peguei minha bolsa, com ele pegando boné, celular e chave do carro, com nós dois saindo.

Justin fez uma parada, antes de me deixar no hotel. Ele pegou dois cafés do Starsbucks e alguns biscoitos, com nós dois comendo no carro mesmo, sendo clicados por alguns paparazzis.

— Tenha um bom dia, — Falei, selando nossos lábios, com seu carro estacionado em frente ao hotel — te vejo mais tarde.

— Ely. — Falou, comigo parando, já que estava prestes a abrir a porta — Te quero como namorada. — Franzi o cenho para essa, surpresa, por ter ouvido isso dele, assim, do nada — Falo sério. — Um sorriso no canto de minha boca surgiu.

— Vou pensar... — Falei brincalhona, com ele soltando uma risada pelo nariz, balançando a cabeça em negação.

— Eu decoro todo um quarto de hotel, me declaro, digo que quero namorar e você me diz que vai pensar?! — Falou forçando indignação, ele sabia que eu estava brincando.

Assenti, descendo do carro, batendo a porta, me abaixando um pouco, para vê-lo melhor.

— Prometo lhe dar uma resposta em breve. — Pisquei um olho, com ele levando uma mão ao peito, fingindo estar magoado.

Acenei, vendo-o arrancar.

Subi em disparada, encontrando Devan e Chris quase prontas, já que dividíamos o quarto.

— Estou muito atrasada? — Perguntei, jogando a bolsa na cama, indo em direção ao banheiro, com Devan se posicionando em minha frente, fechando a passagem.

Ela me analisou dos pés a cabeça e cruzou os braços, com Chris se aproximando.

— Primeiramente, bom dia. — A loira falou, num sorriso.

— Bom dia. Devan me deixe passar... Preciso tomar banho e me arrumar também.

— Que cara é essa? — Foi sua pergunta.

— Estou com olheiras? — Disse, levando as mãos ao rosto.

— Não, mas está com cara de quem transou a noite toda. — Jogou um verde, comigo sorrindo, ao balançar a cabeça em negação.

— Saindo do show com ele, chegando de manhã, com a blusa dele. Eu já vi esse filme?! — Chris perguntou, irônica — Reataram? — Apertei os lábios.

— Mais ou menos. — E então, Devan me deixou passar, boquiaberta.

— Conta! — Disseram em coro, comigo começando a me despir.

— Ele se declarou. — Falei num suspiro, relaxando os ombros.

— O que?! — Falaram em uníssono, com os olhos arregalados.

— Justin está apaixonado por mim e... Quer algo sério. Digo... Relacionamento sério.

Ambas gargalharam, animadas, levando as mãos a boca, num sorriso.

— Estão namorando, então? — Perguntou Chris.

— O que você disse a ele? — Falou Devan.

— Não. Falei que ia pensar. — Respondi uma de cada vez.

— Ficou maluca?! — D, falou, num gritinho.

— Eu vou aceitar. — Disse, entrando no box — Já aceitei. Na verdade, ele sabe que eu disse, que vou disser sim. Só quis lhe dar o benefício da dúvida.

— Estou feliz por vocês, Ely. — Chris falou, por cima do som da água.

— Estamos. — Devan completou, comigo sorrindo.

— Obrigada.

— Agora se apresse, ou vamos nos atrasar.

***

Cabelo, maquiagem, figurino. Mais uma noite de shows.

A equipe inteira estava pronta para subir ao palco, faltava apenas o astro principal. E lá vinha ele.

Abri um sorriso bobo ao vê-lo, com Nick chamando todos, formando um círculo, para que fizéssemos uma oração, antes de performar.

— E aí, morena. — Bieber se aproximou e disse isso atrás de mim, com um sorriso malicioso nos lábios, os olhos em minhas pernas e bunda, não duvido nada, comigo ficando de frente para ele, levando as mãos a minha cintura — Tem minha resposta? — Repuxei a boca e assenti, com ele erguendo as sobrancelhas, me instigando a falar.

Me aproximei, ficando na ponta dos pés, para que nossos rostos ficassem na mesma altura, com ele voltando a atenção a minha boca, comigo segurando sua nuca, antes de sussurrar.

— Sim. Eu quero te namorar. — E então, o vi sorrir abertamente e segurar meu rosto, me dando um beijo meio desengonçado e afobado, comigo segurando sua cintura.

Balancei a cabeça em negação, mesmo o beijando, não me segurando e gargalhando, vendo-o se afastar, sorridente.

— Uhul! — Gritou, fazendo com que todos o olhassem — Uhul! — Ele andava em círculos, dando pulinhos. 

Levei as mãos a boca, sentindo minhas bochechas queimarem.

— Que alegria é essa, Biebs? — Jblaze perguntou, sendo abraçado fortemente pelo Bieber.

— Ela aceitou, amigo. — Jay falou empolgado, com Blaze olhando para mim, com o cenho levemente franzido, um sorriso começando a surgir no canto de sua boca.

Encolhi os ombros, piscando algumas vezes, fazendo uma carinha fofa.

 — Aí, pessoal... JB está namorando. — Nosso amigo gritou, com o restante do balé gritando de volta, voltando a atenção a mim.

Como eles sabiam que era comigo? Eles olharam diretamente para mim. Eu queria cavar um buraco no chão e me esconder.

As meninas me abraçaram, comigo ouvindo alguns "Aleluia, Até que fim esses dois se entenderam, Quero ser convidado para o casamento", etc.

A galera começou a gritar em coro, para que nos beijássemos, com Justin caminhando até mim, comigo tapando o rosto com uma mão, sentindo-o já próximo, um de seus braços me envolvendo e então, ele beijou meu rosto.

Vi flashes e lhe dei um breve selinho. Ouvindo mais gritos, afundando minha cabeça em seu peito, completamente envergonhada.

***

Justin me roubou um selinho em meio uma das coreografias, no show daquela noite e os gritos de suas fãs, no momento do breve beijo, foram ensurdecedores. 

Vídeos e fotos foram registrados, não demorando mundo para estarem na internet, fazendo com que minhas redes sociais congestionassem.

Passamos juntos aquela noite, comigo ficando um pouco com ele, na manhã seguinte, já que eu teria aquele dia livre.

Nas semanas seguintes, Justin se dedicou a entrevistas em rádios e divulgação de seu novo álbum, sendo acompanhado apenas por parte da equipe. Nós, o balé, tivemos folga, a alguns dias de se iniciar a turnê mundial, com o tempo inicial — Certo e confirmado — de seis meses direto, centenas de shows, em pelo menos sessenta cidades diferentes.

Aproveitei para visitar minha mãe Ana e alguns amigos em Porto Rico, mantendo contato com Justin — Sempre que possível — por telefone.

Ele já havia sido questionado sobre nós, confirmando não estar mais solteiro e eu ser a garota responsável, dizendo estar feliz e apaixonado. Mas, foi numa entrevista de rádio, em LA, que ele deu maiores detalhes. 

Eu lia o conteúdo retratado numa revista, já no avião, voltando a Los Angeles.

"Justin Bieber não faz mais parte do time dos solteiros.
O gato do hit Boyfriend, confirmou a algumas semanas, seu namoro com uma de suas bailarinas mais antigas, Elysandra Quinones, de 21 anos.

Eles são amigos de longa data e já vimos por aí, várias demonstrações de afeto, nas redes sociais de ambos. Mas, parece que as coisas ficaram mais sérias entre eles, quando se reencontraram, para trabalhar nas apresentações  do novo álbum de Justin, o Purpose.

Ele e todo seu balé, sairão em turnê, a partir da próxima semana.

Bieber esteve em uma emissora de rádio, em LA, informando tudo sobre seu novo projeto e viagens para shows. E é claro que foi questionado sobre a morena de Porto Rico, que roubou o coração do astro.

"Apesar de conhecer Ely a anos, nosso namoro ainda é tudo muito recente. Sempre fomos amigos, eu sempre gostei dela, mas nunca havíamos nos dado uma chance real. Ela é uma garota incrível, com princípios e qualidades que admiro. É alguém que me instiga a ser melhor, como pessoa, como profissional." — Falou.

"Quero ir com calma, viver um dia de cada vez ao seu lado, sendo acima de tudo seu amigo e cúmplice. Não quero que nossa relação seja tóxica, por conta da vida que levamos, por sermos quem somos. E em muito tempo, não me sinto congestionado, ou pressionado por gostar de uma garota. Estou em paz e feliz, em todos os setores da minha vida. Acredito que quando você começa um relacionamento, quer que a pessoa some, contigo. Não subtraia. Com ela vem sendo assim, desde sempre. É alguém como ela, que quero comigo." 

Dá para perceber aí, o quão caidinho o loiro está, não é mesmo?”

Algumas horas depois, decolava no aeroporto de Los Angeles, sendo pega de surpresa, ao ver Mod, um dos seguranças de Justin.

— Mod! — Falei sorridente, lhe dando um abraço.

— Oi, Ely. Fez boa viagem? — Perguntou, carinhoso.

— Sim, obrigada. Esperando alguém?

— Estou. A senhorita. — Ergui as sobrancelhas para essa. Bieber não mencionou que mandaria alguém — Justin está no carro. Não desceu, porque se tornaria uma loucura. — Assenti, com nós dois seguindo ao estacionamento.

Algumas pessoas perceberam que Jay estava no carro e vi alguns celulares apontados em minha direção, quando me aproximei.

— Oi. — Falei num sorriso, ao meu namorado, me sentando ao seu lado, no banco de trás, lhe dando um breve beijo.

— Oi. — Jay sorriu — Saudade. — Fez bico, comigo assentindo.

— Oi, Scooter. — Scot, estava no banco da frente, levei uma mão ao seu ombro, quando o cumprimentei.

— Oi, Ely. 

— Não me avisou que vinha ou que mandaria alguém... — Falei.

— Nem eu mesmo sabia que chegaria a tempo. Sai agora da rádio. — Me abraçou, comigo descansando a cabeça sob seu ombro — Vamos ficar em casa, Mod. — Seu segurança assentiu — Temos o rosto do dia livre... — Falou, conosco já nas avenidas — Quer fazer o que?

— Não sei... — Soei manhosa — O que quiser.

— Hum. — Disse malicioso — Resposta errada. — E então, senti uma de suas mãos descerem por minha cintura, a caminho de meu quadril e bunda.

Apertei o joelho de Justin, num gesto de repreensão, encarando seu rosto, vendo-o sorrir malicioso.

— Quero transar a tarde toda. — Falou, com Mod e Scooter soltando uma gargalhada.

— Justin! — Me afastei, lhe lançando um olhar furioso, apontando com a sobrancelha para nossos amigos.

— Até parece que eles não sabem que a gente f... — Tapei sua boca, ouvindo mais risos.

Bieber me puxou, beijando meu rosto.

— Que bonitinho. Ela tem vergonha... — Falou, sorrindo abertamente, recebendo um murro — De leve — no estômago.

Eu não conhecia sua nova casa. Tinha visto apenas por fotos e em alguns vídeos. Ela era gigantesca, da maneira mais ignorante possível e bem cara do Bieber.

— O que quer fazer primeiro? — Justin perguntou a mim, apontando para o andar de cima, indicando que um de seus empregados, subisse minhas bagagens — No meu quarto, por favor.

— Primeiro... — O puxei pela camiseta — Lhe dar um beijo de verdade. — Jay sorriu e levou uma de suas mãos a minha nuca, selando nossos lábios.

O abracei, sentindo em sua boca um leve sabor de menta. 
Ele me deu vários selinhos antes de se afastar, sorrindo.
— Que saudade eu senti disso. — E então, me abraçou, me dando mais um beijo, me tirando do chão.

— Sua casa é linda. Que tal me levar para conhecer seu quarto? — Sugeri, num sorriso maldoso.

— Só se for agora. — Rimos, subindo as escadas abraçados.

Analisei o enorme cômodo por alguns minutos, andando para lá e para cá, com Bieber me seguindo com o olhar.
Soltei um suspiro, encarando o enorme jardim pela vasta janela, dando um leve sorriso, então tirando a blusa de frio, deitando-a sob uma poltrona.
Vendo-o me observar, seriamente, de braços cruzados, um brilho em seu olhar.
Franzi o cenho, abrindo e fechando a boca, antes de lhe perguntar.
— Por que está me olhando assim, magrelo? — Comecei a caminhar lentamente, em sua direção.
 

— Estava me perguntando... Como você pode ser tão gata?! — Sorri abertamente e balancei a cabeça em negação, sentindo uma ponta de vergonha — Eu não durmo da mesma forma, se sei que não irá acordar do meu lado. — Falou sério, se aproximando — Meu coração é uma casa vazia, se você se vai e o amor não faz sentido quando é vazio. — Levou uma mão a meu rosto, comigo fechando os olhos, sentindo seus dedos acariciarem minha bochecha, comigo segurando seus braços e então, olhei para ele.

— O que você disse? — Franzi o cenho, vendo-o sorrir.

Aquelas palavras...

— Que muitas coisas não fazem sentido, a não ser que você esteja comigo.


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...