História You And I (G!P) - Capítulo 19


Escrita por: ~

Postado
Categorias Camila Cabello, Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Camila Cabello, Camilacabello, Camilacabellogip, Camilag!p, Camren, Camreng!p, Dinahjane, Infantilismo, Lauren Jauregui, Laurenjauregui
Visualizações 423
Palavras 2.651
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Orange, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hey!! Voltei rápido dessa vez?
O capitulo como sempre está bem frufru.
Enjoy!

Capítulo 19 - Reveillon


Fanfic / Fanfiction You And I (G!P) - Capítulo 19 - Reveillon

Pov. Camila

 

Acordei e gemi de dor assim que fiz o mínimo esforço para me mover. Ainda de olhos fechados pude sentir a claridade que entrava pela fresta da cortina e soube que já era de manhã. Meu corpo inteiro doía e sorri ao lembrar o porquê, eu não sabia o que tinha acontecido com Lauren para ter ficado insaciável, mas confesso que adorei.

Não consigo lembrar em que momento da madrugada nós dormimos, mas nesse momento, eu estava com meus braços para fora da cama encostando no chão e minhas pernas estavam para a cabeceira da cama. Lauren estava deitada totalmente sobre o meu corpo e suas pernas estavam em meus ombros, enquanto eu sentia sua respiração em minha panturrilha.

− Lauren? – Chamei e ela nem se mexeu. – Amor? – Tentei mais uma vez e nada. – Lo? – Comecei a fazer cócegas em seu pé e ela se remexeu. – Acorda preguiçosa.

− Para Camz. – Resmungou e abraçou minhas pernas. – Camz? – Franziu o cenho e apertou minhas pernas, estranhando e abrindo os olhos rapidamente. – Oh, são pernas. – Começou a rir e saiu de cima de mim.

Me movi para me arrumar na cama e gemi de dor, me deitei ao seu lado e deitei minha cabeça sobre o seu seio, abraçando seu corpo e voltando a fechar os olhos.

− Você anotou a placa? – Perguntei me aconchegando a ela.

− Que placa? – Perguntou confusa e eu ri.

− Do caminhão que me atropelou. – Disse risonha e ela gargalhou.

− Você é boba, Camz. – Beijou minha cabeça e iniciou um cafuné gostoso em meus cabelos.

− Mas sou sua boba. – Levantei a cabeça e beijei seus lábios. – Vamos tomar banho? – Ela assentiu e nos levantamos.

 

...

 

− Graças a Deus vocês desceram, esse demônio peludo não para de choramingar pelos cantos. – Dinah resmungou assim que aparecemos na cozinha.

Olhei para o lado e Shadow veio correndo, colocando as patinhas dianteiras nas pernas de Lauren, latindo e colocando a língua pra fora.

− Ele só quer fazer cocô, Dinah. – Disse enquanto abria a porta da cozinha e o pequeno passou correndo por ela. – E não chama ele de demônio peludo.

Me sentei ao lado de Lauren e servi café em nossas xicaras. A mesa estava cheia de coisa e eu pensava seriamente em chamar Normani pra morar aqui comigo e com a Lauren, mas desisti assim que lembrei que era pacote completo, se viesse Normani, vinha Dinah também.

− Onde vocês vão passar o reveillon? – Perguntei ao morder minha torrada.

− Mani quer visitar a família em Atlanta. – Dinah respondeu e eu assenti. – E vocês?

− Ainda não sei. – Dei de ombros e voltei a comer.

Depois do café da manhã, Dinah e Normani foram pra casa e eu decidi que seria bom sair com Lauren e Shadow para o parque. Arrumei uma cesta de piquenique com suco, frutas, chocolates e sanduiches, coloquei uma toalha grande para nos sentarmos e Lauren se encarregou de colocar ração, água e alguns brinquedos para Shadow em uma bolsa.

Lauren foi sentada no banco de trás com Shadow em seu colo e o pequeno estava com a cabeça para fora do carro, latindo animado para qualquer pessoa na rua e Lauren o segurava com todo cuidado, com medo que ele pulasse fora do carro.

Quando parei o carro no estacionamento, Lauren abriu a porta e Shadow desceu animado, pulando e correndo atrás do próprio rabo. Abri o porta-malas e peguei a cesta e coloquei a bolsa de Shadow no ombro esquerdo, com a mão direita, segurei a mão de Lauren e caminhamos atrás do cachorro hiperativo. Paramos perto de uma grande árvore e estendi a toalha no chão, sentando com as costas na árvore e tirando os brinquedos e comida do Shadow.

− Pega garoto. – Joguei o osso de borracha na direção dele e ele segurou com a boca. – Senta aqui. – Puxei Lauren para sentar entre minhas pernas e abracei sua cintura. – Por que esse cachorro é tão agitado? – Escorei meu queixo em seu ombro.

− Ele é um bebê ainda. – Acariciou minhas mãos e me deu um beijo na bochecha. – Bebês são assim.

− Você era assim?

− Eu era bebê, não lembro. – Riu e eu não aguentei, ri também.

− Você deveria ser um bebê muito lindo. – Olhei pra ela e ela sorriu.

− E ainda sou. – Deu de ombros e eu gargalhei.

 

[...]

 

Estávamos em Cancun, dentro do carro indo para o Le Blanc Spa Resort e Lauren estava animada ao meu lado. O taxista ria da animação da garota e eu também não conseguia segurar a risada.

− Olha Camz, a praia. – Virou minha cabeça pra janela e eu assenti.

− Em Miami também tem praia meu amor. – Franzi o cenho e ela assentiu rapidamente.

− Mas aqui é mais bonito.

O taxista parou de frente para o resort e nos ajudou a retirar as malas de dentro do porta-malas, entregando para um rapaz vestido com uma calça social preta, uma blusa social branca e um colete preto com o nome do resort no lado esquerdo do peito. Ele nos guiou para dentro do hotel e após confirmarmos a reserva, ele nos acompanhou até o nosso quarto que tinha uma ótima vista para a praia.

− Obrigada. – Agradeci ao rapaz, que assentiu e logo saiu caminhando pelo corredor.

O quarto tinha as paredes e o teto na cor bege e os móveis eram de madeira escura com detalhes dourados. O piso era de granito em um bege mais escuro que o das paredes e teto. A cama era bem grande e tinha lençóis brancos com prata e de frente para a cama, uma cômoda com algumas revistas e uma pequena cafeteira. Sobre a cômoda, na parede, ficava uma grande televisão. Ao lado direito da cama, ficava um criado mudo com um telefone e ao lado do criando mudo, um frigobar em inox. No final do quarto, de frente para a grande janela de vidro, tinha uma pequena mesinha de centro e duas poltronas de couro marrom. O banheiro ficava ao lado direito da porta de entrada do quarto, ficando ao lodo esquerdo da cama e era também em granito bege, com uma banheira quadrada de frente para uma janela de vidro fumê.

− Eu poderia morar aqui. – Disse sentando na cama para retirar meus coturnos.

– Olha só essa vista. – Lauren estava na janela olhando o mar.

− Eu diria que o que estou vendo daqui é muito mais bonito. – Ela me olhou e corou quando percebeu que eu estava falando dela. – Quer caminha pela praia? – Ela assentiu e correu até a mala para pegar seu biquíni. – Vai ser difícil me concentrar nessa caminhada. – Murmurei quando ela puxou a peça vermelha.

Depois de nos vestirmos adequadamente para uma caminhada na praia, saímos do hotel e caminhamos de mãos dadas pela passarela de madeira que nos levaria até a praia. A areia era branquinha e limpa, nossos pés afundavam naquela imensidão de grãos e dificultava nossa caminhada, mas parrou assim que chegamos mais perto do mar, onde a areia ficava mais firme.

− Olha Camz. – Lauren soltou minha mão e se abaixou, pegando algo no chão. – Parece um coração. – Abriu a mão e me mostrou uma concha rosa e branco com um formato parecido com um coração. – Meu coração, pra você. – Me estendeu a concha e eu sorri.

− Prometo cuidar direitinho. – Ela sorriu franzindo o nariz e eu lhe abracei. – Eu amo você. – Beijei seus lábios demonstrando tudo o que eu sentia naquele beijo.

Apertei a concha em minha mão e sorri entre o beijo, Lauren podia não perceber, mas aquele gesto dela aqueceu meu coração de uma forma que eu não conseguia descrever. Separei nossos lábios e colei nossas testas, acariciando sua bochecha e olhando em seus olhos verdes brilhantes.

Ficamos mais algum tempo caminhando pela areia até que o sol se pôs e voltamos para o nosso quarto. Lauren pegou o celular para falar com Dinah, já que a loira tinha nos intimado para contarmos cada detalhe da cidade e eu aproveitei para tomar meu banho quente. Quando sai do banheiro Lauren estava sentada na poltrona olhando o cardápio do hotel e tinha os olhos cerrados, demonstrando concentração, decidi não atrapalhar. Peguei minha mala e escolhi apenas uma cueca box e um top, vestindo-me rapidamente e me jogando na cama.

− Por que você não vai tomar um banho e vem ficar aqui agarradinha comigo? – Olhei para Lauren e ela arqueou uma sobrancelha.

− Eu estou fedida? – Arregalei os olhos e neguei com a cabeça.

− Não, claro que não, só quero que você retire essa areia do corpo.

− Não, você me chamou de fedida. – Resmungou e entrou no banheiro, me deixando perdida.

Lauren demorou tanto no banheiro, que quando ela finalmente saiu, nossa comida já tinha chegado. Ela não falou nada e nem olhou pra mim, vestiu uma roupa, sentou na cama e começou a comer, sem me dizer nada. Quando terminamos de comer, ela levou o carrinho para fora do quarto e entrou no banheiro para escovar os dentes, parando na pia ao meu lado e mesmo assim não falou comigo.

− Você ficou chateada? – Perguntei e ela me ignorou.

Voltamos para a cama no mesmo silêncio, que era preenchido pelo barulho da TV e da chuva do lado de fora. Lauren deitou de costas pra mim e focou sua atenção na TV. Me aproximei dela e abracei sei corpo por trás, deixando um beijo em sua bochecha.

− Amor, fala comigo. – Continuei beijando sua bochecha e desci para o pescoço. – Que tal me dar um beijinho?

Virei seu corpo para mim e deitei por cima dela, beijando seu ponto de pulso e ouvindo-a suspirar. Lauren abriu as pernas para me acomodar e gememos baixinho pelo contato de nossas intimidades. Roço nossos lábios e puxo seu lábio inferior, causando um estalo. Coloquei minhas mãos por dentro da sua blusa e sorri ao perceber que ela não estava de sutiã, o que me fez ter pressa em tirar sua blusa e passar minha língua entre seus seios, sentindo sua pele se arrepiar. Me afastei um pouco só para retirar meu top e logo voltei a dar atenção aos seus seios, passando a ponta da língua em seu mamilo direito e dando uma leve chupada no mesmo, enquanto minha mão acariciava o outro.

Depois de dar atenção aos dois seios, me apoiei na cama com uma mão e retirei minha cueca com a outra, liberando meu membro já ereto e rapidamente a livrei de sua calcinha, ficando ambas completamente nuas. Deitei meu corpo sobre o dela e rocei nossos sexos, sentindo que ela já estava bastante molhada. Comecei a fazer movimentos pra cima e pra baixo, roçando meu membro em seu clitóris e observando Lauren com a respiração falha e de olhos fechados. Aproximo nossos rostos e inicio um beijo cheio de segundas intenções, enquanto continuava com o atrito entre nossos sexos.

− Camz... – Lauren chamou entre o beijo.

− Hum? – Murmurei sem querer descolar nossos lábios.

− Dentro. – Disse baixando sua mão para o meio dos nossos corpos, guiando meu membro para sua entrada. – Por favor.

Sorri pela carinha de safada que ela fez e empurrei meu quadril de encontro ao dela, sentindo minha glande abrir espaço dentro de sua boceta quente e molhada, arrancando gemidos manhosos dela. Lauren entrelaçou suas pernas em minha cintura e me puxou contra si, me fazendo atingir mais fundo dentro dela. Coloquei minha cabeça na curva do seu pescoço e inspirei seu cheiro, começando a estocar de forma lenta, mas firme.  Minhas estocadas começaram a ganhar velocidade e seus gemidos ficaram mais altos e eu sentia suas unhas arranhando minhas costas. O barulho que nossos corpos faziam ao se chocar me deixava com mais tesão e eu não conseguia parar de gemer em seu ouvido.

Lauren rodeou meu pescoço com seus braços e me apertou contra ela assim que sua intimidade começou a se fechar em torno do meu pau, denunciando que ela estava perto de goza. Após um gemido longo e alto, ela se derramou, melando todo meu pau com seu liquido quente. Percebendo que eu também iria goza, retirei meu membro de dentro dela rapidamente e gozei em sua barriga.

Não dei tempo pra ela recuperar o fôlego, desci por seu corpo e deixei um beijo em seu clitóris sensível, salivando ao ver sua boceta molhada e um pouco vermelha. Passei minha língua por toda a região, ouvindo-a gemer e apertar as mãos em meus cabelos, forçando meu rosto no meio de suas pernas. Acelerei o ritmo da minha língua e introduzi um dedo em sua entrada, estocando fundo e virando o dedo para atingir seu ponto G, o que lhe arrancava gemidos cada vez mais altos. Lauren se contorcia e apertava as pernas envolta da minha cabeça, me prendendo em sua boceta, o que me deixava com mais tesão. Envolvi seu clitóris com meus lábios e suguei com força, sentindo ela se derramar em minha boca e não deixei uma gota sequer escapar.

 

...

 

Hoje era noite de reveillon e nós estávamos nos vestindo para irmos à praia. Lauren estava usando um short e uma blusa, ambos brancos e seus cabelos estavam soltos e ondulados. Eu vestia uma calça jeans branca e uma blusa da mesma cor. Peguei nossos casacos e saímos de mãos dadas pela praia.

− Aonde nós vamos? – Lauren perguntou pela decima vez.

− Você vai ver. – Disse rindo da sua cara de frustrada.

Caminhamos por mais alguns minutos até chegarmos à parte mais deserta da praia, onde uma tenda branca estava montada e iluminada por tochas e luminárias que rodeavam toda a tenda. Na parte de dentro, uma mesa estava posta com nosso jantar e champanhe, e tinha duas grandes almofadas que serviriam de banco.

− É lindo. – Lauren disse com os olhos brilhando e eu sorri.

Entramos na tenda e nos sentamos sobre as almofadas confortáveis. Servi nossos copos com suco de laranja e por já passar das dez da noite, iniciamos nosso jantar.

− Esse é o melhor frango que eu já comi. – Disse após engolir a comida.

− A Mani não vai gostar de saber disso. – Lauren riu e eu arqueei uma sobrancelha.

− Ela não precisa ficar sabendo. – Sorri e pisquei um olho pra ela.

Terminamos de comer e eu forrei o chão com um grosso edredom que eu havia pedido para deixarem ali. Nos sentamos com as costas apoiadas nas almofadas e ficamos de frente para o mar, vendo as ondas quebrarem e entrar novamente no mar. Lauren estava deitada com a cabeça em meu peito e eu lhe fazia um cafuné enquanto a outra mão lhe oferecia uva com chocolate.

− Daqui a pouco vão soltar os fogos. – Comentei baixinho e ela sorriu.

− Vai ser colorido? – Perguntou empolgada e eu assenti.

Quando faltavam poucos minutos para a meia noite, peguei as duas taças e abri o champanhe, nos servindo e me virando de frente para Lauren, que estava sentada com as pernas de índio.

− Eu quero brindar a nós e a qualquer força superior que tenha te colocado na minha vida. Eu amo você e provavelmente vou amar pra sempre e eu quero que você nunca se esqueça disso. Você é a melhor coisa que aconteceu comigo e desde que nos conhecemos, minha vida tomou um rumo diferente, mas foi um ótimo rumo. – Sorri ao ver seus olhos marejados. – Um brinde a você meu amor, um brinde a todos os anos que teremos pela frente.

Assim que nossas taças se tocaram, os fogos explodiram no céu e aquele mar de cores iluminou a praia. Lauren sorria e algumas lágrimas escorriam por seu rosto. Me aproximei dela e juntei nossos lábios em um beijo apaixonado, sentindo ela sorrir em meus lábios e sorrindo também, o que nos impossibilitava de nos beijarmos de verdade, mas estávamos felizes e era isso o que importava.

 

 

 

 


Notas Finais


E então?
Bom, o próximo capitulo provavelmente terá uma passagem de tempo um pouco longa e algumas coisas vão mudar, pode ser pra melhor ou pra pior.
Até depois...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...