História You and I ( Namjin) - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Kim Nam-joon / Rap Monster
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Bangtan Boys (BTS)
Visualizações 13
Palavras 813
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Suspense, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Desculpe a demora anjos, meu celular morreu. Será difícil postar com frequência :(
Mas enfim, espero qur gostem, boa leitura ;3

Capítulo 4 - Capítulo 4


*Na manhã seguinte*

Acordei com minhas costas doendo por causa da poltrona, tomei um pequeno susto quando olhei pra ele, que ainda estava dormindo, por um momento esqueci que ele estava lá. Ele dormia tão bem.

Me levantei sonolento, subi para o meu quarto e fui ao banheiro, para lavar o rosto e escovar os dentes. Quando descia as escadas vi que ele havia acordade, então dei uma pequena corrida até ele e o ajudei a sentar no sofá.

_ Obrigado - disse ele com dor.

_ O machucado dói muito? - perguntei preocupado.

_ Não muito...a propósito, meu nome é Kim Namjoon.

_ Ah sim, eu sou Kim Seokjin - respondi um pouco envergonhado por ele estar sem camisa, já que eu praticamente rasguei a dele ontem para cuidar do machucado.

_ Que conhecidência, somos dois Kim - disse dando uma risada abafada, eu concordei com a cabeça e dei uma camisa pra ele.

××××  ××××  ××××  ××××  ××××

Eram 11:30 e eu estava terminando de fazer o café, ele estava sentado na mesa da minha coxinha. Era uma cozinha pequena, e nada luxuosa.

Minha casa é bem simples, humilde, pequena mas confortável. Depois que comecei a faculdade e fui morar sozinho ficou tudo mais dificíl, meu emprego de meio período me paga novecentos reais reais, e eu ainda trabalho de finais de semana, mas mesmo assim a maior parte do salário vai para a faculdade, por isso nunca gastei muito com a decoração da casa, e nunca me importei muito.

Terminei de colocar a mesa e apontei para a comida dizendo que ele poderia comer.

_ Desculpa, não é muita coisa, - disse enquanto via ele comer - você não parece ser daqui, digo, você parece ser...

_ Rico? - ele me interrompe 

_ É...

_ Digamos que minha família seja bem conhecida, meu pai é CEO de uma multinacional.

_ Dow, deve ser legal - quando falo isso a expressão do rosto dele muda, fica um tanto quanto triste, e ele apenas volta a comer em silêncio.

_ À propósito - diz ele sério - gostaria de saber, se posso ficar aqui por um tempo. - eu engasgou ouvindo aquelas palavras e rapidamente ele me oferece água.

_ O que?! Olha eu te ajudei ontem porque você estava sangrando. Mas nós nem nos conhecemos, tipo, eu nem sei quem você é, como posso saber que você não é um psicopata?! Me desculpe mas...

_ Eu posso pagar - ele me interrompe - o quanto você quiser. 10 mil, 1 milhão é só dizer.

_ O que? Eu não posso aceitar e nem quero seu dinheiro. - eu olho pra ele e parece mais triste que antes.

_ À seis anos atrás minha mãe foi assassinada em minha casa, e desde entao eu procuro quem fez isso, e agora estão me seguindo e provavelmente a mesma pessoa. Eu não posso voltar pra casa, não agora, meu palme mataria, sem contar que ele quer que eu trabalhe na empresa dele - o clima fica tenso

_ Mas isso não é bom?

_ Não pra mim, eu não quero viver em um escritório, quero viver da minha música, mas meu pai não aceita isso. E se eu começar a trabalhar agora, não poderei mais procurar pela pessoa que fez aquilo com a minha mãe, agora estou mais perto que nunca, então, - ele me encara sério, e olha no fundo dos meus olhos, reparei ainda mais em seu belo rosto, que ficava sexy quando estava sério - por favor, me deixe ficar aqui, eu não tenho pra onde ir.

Exitei um pouco antes de responder, não iria ser fácil deixa-lo aqui, além de ser um estranho, é um homem muito atraente. Tenho medo que certas coisas aflorem em mim. Espero que pelo menos ele seja hétero. 

_ OK! Mas não me envolva, nem um pouco, nessa história. 

_ pode deixar, obrigado - disse ele fazendo um pequeno reverência - aliás, a comida esta ótima. - dou um sorriso e me levanto.

Subo até meu quarto para tomar um banho, pego meu uniforme na gaveta, uma camisa polo vermelha com um mini bolsinho na altura do peito e escrito em coreano "Ottoke? Gansig!" que significa "E agora? Lanche!", e um jeans claro que fica muito mal no corpo então entro no chuveiro. Enquanto a água quente cai nas minhas costas eu fico pensando o quão estranho será ter aquele cara gato morando comigo.

20 minutos depois de tomar um banho rápido e me trocar, eu desco e vejo ele com um celular quebrado nas mãos.

_ Se precisar tem um notebook no meu quarto, lá em cima, não deve ser igual aos quê você tem na sua casa, mas dá pro gasto.

_ Obrigado. Você trabalha ao sábado?

_ Pois é, nem todo mundo nasce rico. - me despeço dele e saio, percebo que chegaria um pouco atrasado.


Notas Finais


E ai gostaram? Não? Me digam ai.
<3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...