1. Spirit Fanfics >
  2. You and my Hook - Fillie >
  3. Kiss me soon you stupid!

História You and my Hook - Fillie - Capítulo 10


Escrita por: vikxx

Notas do Autor


Boa leitura!

Capítulo 10 - Kiss me soon you stupid!


Fanfic / Fanfiction You and my Hook - Fillie - Capítulo 10 - Kiss me soon you stupid!

Oito anos atrás… 

— prestem a atenção! Vocês se escondem e eu, o Caleb, o Allan e Bruse, vamos atrás de vocês. Só para deixar claro que quem for pego, pagará com um desafio — Finn sorri maligno — o quê estão esperando? VÃO! 

Saio correndo, enquanto tento não esbarrar nas dezoito crianças a minha volta que se apresavam em se esconder também, precisava me esconder antes que eles me encontrão, ou se não serei levada novamente naquele lugar... Pesso um pouco e corro até um corredor onde muitas pessoas não conhecem.

Eu já estava um pouco longe, mas ouço o sino tocando indicando que os meninos irão nos procurar. O corredor é sem saída, e só tem algumas caixas para mim se esconder, era um pouco nojento aqui, mas terei que estrar. Antes de eu ir no meio das caixas sinto uma mão segurar o meu pulso, que fez engolir o seco. Viro para trás encontrando Finn com uma corda, que era para amarrar os perdedores.

 Só eu lembrar que terei que ficar em quarto escuro cheio de bichos e insetos em minha volta, minha respiração começa a ficar acelerada e meus olhos começam a lacrimejar. Isso foi antes, imagina os desafios de agora?

— por favor... — peço em um surruro, morrendo de medo.

— isso é para te deixar forte, venha — o garoto tenta me puchar, mas eu prensso mais o meu pé no chão.

— e-eu tenho medo! — falo de uma vez, fechando os olhos fortemente e deixando uma lágrima cair .

O lugar ficou um silêncio total e ao contrário que eu pensei que ele iria fazer, que era rir dá minha cara, Finn solta o meu braço devagar e limpa a minha lágrima com o seu polegar. Em vez de tirar a sua mão, ele começa a fazer um carinho em minhas bochechas, levemente, deixando eu sentir a sua mão macia se mecher contra a minha pele. Ainda com um meus olhos fechados, solto um suspiro aliviado e olho para o cacheado, que estava com a boca entre a berta e as pupilas dilatadas. A atenção de seus olhos vão para os meus lábios me fazendo sentir um friozinho na barriga.

Sinto uma grande vontade de me aproximar do garoto, mas antes de nós darmos mais um passo e ser seguidos pelo instinto, uma voz é presente no local.

— achei uma! — nos separamos rapidamente, vendo um dos garotos que procurava apontando o dedo para mim.

Atualmente...

Lembro-me da aquele dia como se fosse ontem, foi uma época em que eu estava conhecendo mais o infeliz do Finn, mal sabia eu que a pior coisa que eu fiz foi me aproximar desse... idiota! Que agora quer que eu eu o beije.

E pôde ter certeza que o garoto que nos caguetou, levou um olho roxo e um nariz sangrando para casa. Isso foi pela parte do Finn, e a minha parte foi o bolinho roubado que ele tinha.

— e então, docinho. O que me diz? — Finn me tira do mundo das lembranças. 

— você está louco! — eu levanto do chão e ando vou andando até um corredor qualquer, sendo seguida pelo cacheado — não irei te beijar.

— tudo bem então. Mas também não irei te dar o meu navio — diz óbvio. Isso eu já sabia, mas eu preciso da ajuda dele.

— não quer outra coisa em troca? — pergunto esperançosa e ele balança a cabeça em negação, me fazendo bufar furiosa.

— eu ainda estou sendo bondoso, porque a maioria das vezes eu pesso para as mulheres ir para cama comigo — Finn diz e pega um lenço para limpar o seu gancho.

— que nojo — fasso uma careta — E só para deixar claro: eu não tranzaria com você, nem pintado de ouro.

— tanto faz, Brown. Mas é só um beijo, não um pedido de casamento — reviro os olhos.

— porque tem que ser eu? — pergunto, vendo o Wolfhard se aproximar — fique com uma garota por aí, se está tão na seca assim.

— acredito que você não entendeu — ele se abaixa um pouco, ficando na minha altura — eu quero beijar você, Sweetie.

Nossa... pude jurar que eu me arrepiei toda. Céus, que homem, mas não vou simplesmente beijar ela apenas porque eu preciso da ajuda dele, né? 

— tá bom! — o cacheado sorri de orelha a orelha — mas com uma condição.

— sério? Já não basta ter que ir com você nesse plano maluco? — fala entediado e eu ergo uma sobrancelha, debochada.

— é claro, não vou beijar um garoto no qual já dividiu saliva com a metade dessa ilha, sem algo a mais em troca — digo e o Finn revira os olhos. É óbvio que eu estou enrolando, mas é porque eu estou muito nervosa — ok, em troca eu quero o mapa dessa ilha todinha.

Preciso desse mapa para ter uma base onde os meus pais estão, preciso do meu pai porque ele tem a brasa, que eu poderia abrir a barreira. E a minha mãe porque eu quero o cetro para conseguir acabar de vez com Auradon. 

"plano maléfico, eu sei" 

- tá legal, gatinha. Mas eu sei que esta me enrolando — engulo o seco, ao ver o Wolfhard se aproximar mais de mim — fiquei tranquila, eu sou ótima com a boca, se é que me entende...  

Como nós dois estamos em um corredor, com a sua aproximação fez eu bater as costas na parede de preda. Ele estava muito perto de mim e cada a aproximação sua, eu erguia a cabeça para ficar vidrada em seus olhos castanhos escuros. Conseguia sentir a sua respiração quente contra a minha, e os seus olhos que penetravam o fundo da minga alma. Ao sentir a sua mão forte apertar o meu quadril, dou um pulo pelo susto e fecho as pernas, esfregando uma nas outras, tentando controlar o fogo em baixo delas. O idiota percebe e sorri pervertido para mim e mordendo os lábios. Foi meio que impossível não perceber a sua boca convidativa e atraente.

— já está exitada, docinho? — Finn pergunta no meu ouvido, deixando a minha pele toda arrepiada — mas eu nem fiz nada... 

Entendi o jogo dele, Wolfhard está me provocando para que eu peça a ele me beijar. Mas Finn esqueceu que eu adoro provacar também.

Levo as minhas mãos para a bochecha do cacheado e seguro, ergo os pés para conseguir ficar no ceu tamanho e vou até a sua orelha, mordendo o seu lóbulo provocativa. Fiz questão de respirar pesada contra a pele sensível do pescoço do Wolfhard, e vê-lo se arrepiar com o meu toque, me fez sorrir. Como o corpo de Finn  estava colado ao meu, consegui sentir a sua ereção rígida no meio das minhas pernas.

— já está exitado, cachinhos? — pergunto manhosa e fasso um biquinho — mas eu nem fiz nada.

— Mills... estou tentando me controlar.   

Vejo que o mesmo estava desconfortável, acabo por sorrir. É divertido ver ele nesse estado, desesperado. Mas para ser sincera, nem eu estava aguentando toda aquela tesão acaumulada. Cansada de tudo aquilo, respiro fundo  

— ahh, me beije logo, seu estúpido! 

Em um segundo, os lábios do Finn já estavam colados nos meus, me fazendo sentir finalmente o gosto de sua boca, pela primeira vez depois de muitos desejos escondidos. Ele pede passagem com a língua e eu sendo, deixando o mesmo explorar a minha boca que estava sedenta pelos lábios macios do cacheado.

À mão boba do Finn desce para a minha bunda, apalpando o local, e como eu senti que ele estava muito pervertido e folgado, dei-lhe um tapa em reprovação, fazendo o garoto tirar rapidamente. Solto um sorrisinho ainda com os meus lábios grudados com o do Wolfhard e puxo novamente a sua mão para onde ele queria, dando a total permissão para me tocar. E é claro que eu não fiquei por baixo.

Beijo faminta os seus lábios e enterro as minhas mãos em seus cachos, fazendo um cafuné no lacal, e como um ato de agrado ouço Finn suspirar calmo. A falta de ar foi presente e nós nos se separarmos ainda chocados no que acabou de acontecer.

— nossa... se isso foi o beijo imagina o sexo? — Wolfhard sorri malicioso.

— que calar a sua boca!?


Notas Finais


Olha um dia que a Millie não xingar o Finn, não seria eu escrevendo kkkk

Obrigada por ler, bye...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...