1. Spirit Fanfics >
  2. You Are My Business >
  3. 9. Betrayal, love and other things

História You Are My Business - Capítulo 9


Escrita por:


Capítulo 9 - 9. Betrayal, love and other things


Fanfic / Fanfiction You Are My Business - Capítulo 9 - 9. Betrayal, love and other things

Ela estava indignada, era muita traição até mesmo para o seu pai. Seus olhos estavam vermelhos de raiva.

S: você sabe quem é o diretor da MaxGraves!!! - ela gritou - como pôde? Você sempre faz isso né, ultrapassa seus limites de crueldade e cinismo, isso é ridículo até mesmo pra você!

K: filha, você tem que entender que os neg... - ela o interrompeu drasticamente.

S: OS NEGÓCIOS É O CARAMBA!!! E SUA FAMÍLIA? ISSO NÃO IMPORTA? NUNCA IMPORTOU NÉ? - ela sai ignorando tudo e todos, a secretária assustada pergunta se fez algo errado e Karsten bruscamente manda a mesma fechar a porta e sair de sua frente.

Scarlett
Não acredito, de novo ele fez isso, traiu minha confiança! Mas oh novidade né Scarlett!! Você sabe que não pode confiar nele, não sei porque você achou que algumas das tantas vezes iria ser diferente. Ele sabe o mal que o Ryan me fez, ele sabe! Ele fingiu estar bravo com ele e agora isso? Negócios com o cara que queria me controlar, que queria que eu fosse propriedade dele?!!? Ah meu Deus, ele é meu pai como ele consegue ser tão frio e desgraçado assim? Deixei as lágrimas caírem, não estava mais aguentando, fazia tempo que não pensava no Ryan e em toda a maldade que fez comigo, foi tão difícil pra eu terminar com ele. Isso acabou comigo, me destruiu em milhares de pedaços, estava tão atenta ao que tinha acabado de acontecer que acabei batendo na traseira de outro carro " ótimo!!". Encostei o carro e desci, pronta pra ter que encarar o(a) dono(a) daquele carro com a maior cara de pau mas acabo me surpreendendo.

S: você? Trocou de carro? - esboçou um sorriso aliviada.

Cobbie: ah então você é a louca que não presta atenção no trânsito! - Cobbie parou quando viu que Scarlett estavam com os olhos vermelhos - o que aconteceu? - saiu do carro - vamos conversar - entraram em uma lanchonete que estava bem próxima dali.

S: eu ainda não acredito mas o que mais dói é que eu não estou surpresa - uma lágrima caiu. Scarlett tinha contado tudo que aconteceu para Cobbie que ainda estava um pouco incrédula.

Cobbie: ele não tinha esse direito, você é forte não pensa nisso, não sofra por isso, essa não é você! É a antiga Scarlett que era apaixonada por aquele idiota você não é mais ela - ela enxuga suas lágrimas - o que vai fazer agora? Eu te conheço, você sempre tem um plano B - disse tentando animá-la e Scarlett deu um pequeno sorriso.

S: agora eu preciso pensar, quero só pensar. Só isso. - Cobbie assentiu.

Enquanto isso, Evans estava na sua sala concluindo relatórios que seu pai havia lhe pedido quando a porta foi aberta.

Robert: podemos conversar? Vai ser rápido - fechou a porta por trás.

C: espero, porque tenho muita coisa pra fazer.

R: terminou a última folha de pagamento?

C: sim, só falta os relatórios.

R: está tudo bem? - Chris olhou para ele - em casa, com a Johansson.

C: qual a dificuldade de chamar ela pelo nome? Está tudo bem com Scarlett - Robert arqueou a sombracelha com a intenção de dizer "só isso?" - o plano está indo bem, não se preocupe.

R: gosta dela? - Chris o olhou rapidamente.

C: claro que não! - respondeu com a maior serenidade possível - por que está fazendo essa pergunta? - indagou.

R: nada, a gente estava pensando em jantar, nós e eles.

C: qual o motivo do jantar?

R: Karsten eu decidimos que deveríamos conversar sobre o comportamento durante a festa. - Chris sorriu irônico.

C: certeza? Pra mim parece que isso é só uma desculpa pra vocês se verem, gosta dele? - ele ironizou no mesmo tom de voz que seu pai lhe perguntou. Robert apenas revirou os olhos.

R: não me decepcione!! Diferente do Karsten você sabe que eu acredito em você - Chris revirou os olhos entendiado - e vê se cresce! - ele riu e seu pai saiu.

O dia foi bem produtivo mas não demorou para chegar a noite, ele havia terminado tudo então dirigiu-se até sua casa, quando chegou cumprimentou Mary e perguntou se Scarlett estava e ela respondeu em um tom de voz que fez com que Chris ficasse confuso.

M: boa sorte pra fazê-la abrir a porta do quarto - só disse isso e saiu. Ele não entendeu.

Ele subiu até o quarto e ao contrário do que ele esperava, a porta não estava trancada, quando entrou viu vários pedaços de vidro quebrado espalhados no chão e o rastro de sangue que seguia até o banheiro que por sinal estava com a luz acesa. Ele se desesperou e correu até o banheiro e viu ela encostada da parede sentada perto da privada com uma garrafa de vodka e os olhos inchados e vermelhos.

C: o que... O que aconteceu? - ele foi em direção à ela afastando a bebida da mão dela e tentando colocá-la em pé, foi quando ele notou um ferimento na sua coxa - precisa tomar um banho.

S: me deixa aqui, esse é meu lugar no chão do banheiro - ela parecia bêbada.

C: isso não é lugar pra ninguém vem você precisa de um banho - depois de muita relutância ela tomou um banho, se enrolou no roupão e saiu do banheiro - toma, Mary fez pra você - ele entregou uma xícara de chá.

Ela tomou e se deitou na cama, Chris limpou todo o vidro e o sangue, ele fez um curativo na perna dela, em meio à tudo isso ele tirou a camisa pois estava suado mas ele não iria tomar banho antes de conversar com ela, com receio que ela dormisse pra escapar da conversa. Quando ele terminou de limpar e voltou ao quarto, ela estava deitada toda encolhida na cama, chorando baixinho, aquilo partiu o coração dele. Ele foi até ela e a abraçou por trás.

C: o que aconteceu? Me fala, só posso te ajudar se eu souber - ela se sentou na cama e ele também, ela ficou de lado pra ele.

S: meu ex-namorado, ele - suspirou - ele parecia ser uma ótima pessoa no início da relação, era tudo perfeito, até que ele começou a querer controlar as pessoas que eu andava, as minhas roupas eu estava tão apaixonada por ele que achei que fosse ciúmes normal mas quando ficamos noivos e fomos morar juntos isso piorou até que teve um dia em que eu tinha saído com as meninas e - ela começou a chorar e ele segurou em sua mão - e eu cheguei um pouco tarde, tinha sido uma noite de garotas, Lizzie namorava e Cobbie também e mesmo que elas não namorassem eu não trairia ele, não sou infiel! Mas aí ele se exaltou e puxou meu braço aquilo foi o ápice pra mim, eu mandei ele sair da minha vida e disse que tudo tinha acabado, foi tão difícil! Eu amava ele - as lágrimas insistiam em cair - e hoje eu entro no escritório do meu pai e vejo que meu pai tá fazendo negócios com a pessoa que mais me fez mal, sabe ele fingiu estar preocupado comigo quando terminamos, disse que ia chamar a polícia e eu disse que não. E agora eu vejo que tudo isso foi mais uma mentira, eu não consigo entender porquê que ele faz isso, ele ultrapassa todos os limites de crueldade e o que mais me dói é que eu não estou surpresa - não conseguiu suportar e começou a chorar desesperadamente.

Chris não sabia o que falar, ele sabia que qualquer coisa que falasse não iria ajudar então ele apenas a abraçou o mais forte possível, e podem ter certeza essa foi a melhor escolha que ele fez pois Scarlett não gosta apenas de palavras ela gosta de atitudes e aquele abraço significava muito, muito pra ela.

S: ah que fraca que eu sou, chorando aqui feito uma garotinha - disse ainda abraçada a ele.

C: isso não é fraqueza, muito pelo contrário isso mostra o quão forte você é. Scarlett - ele sorriu - você é incrível, todos temos alguma coisa que nos magoa e tudo bem porque lá no fundo isso nos torna mais forte. O que seu pai fez foi inaceitável sim, mas eu sei que você é muito mais que isso. Você, senhorita Scarlett Johansson não é só isso, você é TUDO isso. - ele se afastou para a olhar nos olhos - Nunca se esqueça disso, nunca! Agora para de chorar - voltou a abraçá-la - está acabando com a minha autoestima - ela olhou pra ele e franziu o cenho - é que você fica linda até chorando, isso é chato! - ela riu.

S: nunca me disse que me achava linda.

C: você sabe disso, não preciso ficar te falando.

S: às vezes é bom escutar o que você já sabe - ele deu um pequeno sorriso.

C: então tá bom. Você é linda. - ela retribuiu o sorriso. Eles ficaram alguns segundos calados, se olhando e quando Scarlett se aproximou - não, não desse jeito. - ela assentiu sorrindo, ele não queria beija-la naquela situação querendo ou não ela estava psicologicamente abalada, ele não iria se aproveitar disso e ela o entendeu.

S: você deveria ser gentil e doce assim todos os dias - ela se deitou na cama e ele deitou ao lado dela a abraçando.

C: só sou assim em ocasiões especiais - ela riu.

S: só você viu?! - ele deu um beijo no rosto dela - obrigada. - ele entrelaçou sua mão na dela.

Eles dormiram de conchinha. No dia seguinte, Scarlett acordou cedo decidida do que iria fazer, Chris viu que ela não estava ao seu lado, olhou para o closet e viu ela saindo.

C: tudo bem?

S: sim, decidi voltar ao trabalho - falou com um sorriso no rosto e Chris foi até ela.

C: tem certeza que está bem? - ela assentiu.

S: fica tranquilo, - deu um beijo no canto da boca do moreno o que o fez corar - almoçamos juntos? - ele assentiu - perfeito, até o almoço então.

Ela saiu e ele ficou a olhando, ela parecia bem, muito bem, ele ficou feliz porém preocupado também mas encarou isso como sendo o jeito dela de lidar com os problemas.
Chegando a empresa, Scarlett entrou na sala de seu pai sem mais nem menos.

S: três coisas - ele se assustou - 1: não estou aqui por você, 2: estou de volta ao meu cargo de CEO e como presidente executiva eu não estou de acordo em fazer negócios com o diretor da MaxGraves e você não pode passar por cima de mim, mesmo que seja o dono também tenho grande parte das ações nesta empresa então se eu não aceitar o acordo, nada feito e por último: Cecile volta a ser minha assistente então esqueça-a. - saiu da sala ignorando o que seu pai iria dizer.

Escritório da Scarlett

Cecile: estava com saudades de você, nem acredito que voltou, não aguentava trabalhar com seu pai - Scarlett riu.

S: você sabe que ele é seu chefe né?

Cecile: não, minha chefe é você.

S: ahhh tbm senti saudades - esboçou um pequeno sorriso.

Cecile: já organizei sua agenda, tem uma reunião com os acionistas hoje à tarde e por enquanto está livre de manhã, apenas papéis para assinar. - disse olhando no tablet.

S: eu realmente senti saudades de você! - Cecile sorriu e saiu.

Scarlett
Melhor lugar, meu lugar! Meu escritório, senti tanta falta disso, até de ficar assinando papéis inacabavéis.

A manhã passou bem rápido, na hora do almoço, Chris apareceu na empresa chamando atenção de todos, ele passou super se achando por estar sendo observado, ele deu dois toques na porta do escritório dela e a abriu quando ouviu um: "pode entrar".

C: pronta? - disse ainda na porta.

S: sim, sabe que não precisava entrar né, te disse pra esperar no carro.

C: e perder a oportunidade de exibir minha beleza? - ela sai e fecha a porta.

S: claro que não né! - ele assentiu e ela revirou os olhos sorrindo.

....

C: qual foi a reação dele ao te ver de volta? - ela sorriu.

S: não sei, não dei tempo dele reagir a algo - ele riu - mas foi divertido.

C: imagino. - Scarlett ficou em silêncio por alguns segundos encarando algo detrás do Evans.

S: acho que você ganhou uma admiradora - ele olhou para trás e viu um das garçonetes o encarando.

C: ela é gata, ciúmes? - ele chegou mais perto dela.

S: de você? - ela sorriu irônica - tenho mais o que fazer, se quiser ela sua chance, ela tá vindo.

Garçonete: vocês já fizeram o pedido? - falou com um caderninho na mão e sorrindo para o Evans.

S: bom eu vou querer um salada simples com um suco de laranja - ela anotou e antes que a garçonete pudesse perguntar algo para Evans Scarlett solta - e você amor? - olhou para o Evans que entendeu sua provocação, logo a garçonete se retrai.

C: o mesmo - ele olhou para a garçonete que nem o olhava mais nos olhos.

Garçonete: daqui a pouco está pronto. - saiu rapidamente.

C: depois diz que não tem ciúmes.

S: não tenho, só não gosto de compartilhar. - ela piscou e passou o pé pela a perna dele que se arrepiou.

C: não começa.

S: por quê? Ah já sei, você acha que eu sou muita areia pro seu caminhãozinho. Fica tranquilo, não vou tentar nada. - ela deu um sorrisinho.

C: caminhãozinho? Você que pensa - ela chegou mais perto dele.

S: é mesmo? Tá querendo me mostrar? - ela deu um sorriso de lado e ele sorriu.

C: se quiser hoje a noite posso te mostrar - ela sorriu mas se afastou por que a garçonete chegou com seus pedidos.

Eles comeram e voltaram ao trabalho, Scarlett chegou em casa, tomou um banho e se deitou mas acabou dormindo, Evans não tinha chegado ainda. Quando ela acordou já eram 20h, ela abriu os olhos lentamente e teve uma visão (que pra mim é perfeita kkkk) do Evans apenas de cueca dentro do closet provavelmente escolhendo uma roupa, ele não sabia que ela tinha acordado mas depois de um tempo percebeu porém não disse nada.
Scarlett ficou observando, ela ficou um pouco hipnotizada com toda aquela bunda que ele tinha, ele estava usando uma cueca box branca, o que no ponto de vista dela o deixou ainda mais sexy.


Notas Finais


Eitaaaa, será??? KKKKKKK
Sei que estou sendo má de acabar o capítulo logo agora masss só pra deixar vocês curiosos não me matem 😂😂🙃
Até o próximo ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...