1. Spirit Fanfics >
  2. You are my destiny - bokuto fic >
  3. Heather

História You are my destiny - bokuto fic - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


heather - conan gray
boa leitura💝

Capítulo 4 - Heather


Fanfic / Fanfiction You are my destiny - bokuto fic - Capítulo 4 - Heather

     — Frio. Frio. Frio. - Assoprei minhas mãos tentando afastar um pouco aquela sensação horrível.  

 

   A segunda feira chegou na velocidade da luz, com um clima péssimo e por causa disso mais uma vez eu sentia meu corpo pesar sem querer se levantar da cama para mais um dia, já que os últimos tem sido tão exaustivos para minha mente. Mas o que eu poderia fazer? Pra ser alguém na vida — coisa que minha mãe preza muito — eu preciso me esforço todos os dias, seguidas vezes sem me cansar. 

Falando em mãe, eu devo me apressar ou terei de ir andando para o colégio de novo, e hoje mais do que nunca não estou disposta para isso. Pulei da cama com o resto de força de vontade que insistia ficar no meu corpo sentindo que um dia péssimo vinha por aí. 

 

/// quebra de tempo /// 

 

   Eu nem sequer desci do carro direito e Hana já estava me dando um bom dia feliz da vida, extremamente radiante para tão cedo de manhã. O sorriso só podia significar duas coisas: 1) ela se deu bem em alguma armação que sua mente planeja; 2) queria novidades ou estava cheia delas para me contar. 

Nesse caso era a segunda opção. 

 

  — Ouvi por aí que tem um aluno novo na 2-B. Que pena que não é na nossa sala! - Ela jogou a frustração de seus ombros em meu corpo num abraço de saudade. 

  — O que ganharíamos com isso? - Perguntei também a envolvendo em um abraço. 

  — Você sabe ué... Gente nova, fofocas novas, problemas novos... É excitante. - Ela respondeu, e realmente parecia excitante para ela. 

  — Hana, você é péssima. - Não conseguir poupar um sorriso. 

 

   Ela enrolou seu braço no meu e me puxou rumo ao armários iniciais, quase pulando de ansiedade pra trocar logo seus sapatos e correr até a sala do lado a nossa onde o novato estaria. 

 

  — Uh. - Esse resmungo saiu de Hana enquanto eu ainda estava arqueada arrumando meu sapato. — Acho que é aquele ali, S/N. Deus que homem!!! 

 

   Minha curiosidade finalmente se aguçou e eu virei meu rosto rapidamente para ver quem estava entrando, foi meu erro. Meu estômago embolou, o coração acelerou e uma sensação de nostalgia tomou conta do meu corpo, uma nostalgia ruim. Quase imediatamente eu tornei a virar meu rosto para baixo, mas por um mísero segundo nossos olhos se encontraram e ele tinha me percebido. Me reconhecido. Aquele olhar bizarro que com certeza pairou em mim por mais tempo, pois eu senti a tensão deles nas minhas costas. 

   Quando o mesmo parou em seu próprio armário, eu apressei em fechar o meu e sair dali, sem me importar se isso seria estranho, Hana me alcançou um pouco depois. 

 

  — Abre o bico. - Ela exigiu assim que agarrou meu braço de novo. 

 

   Meu coração ainda batia frenético dentro do peito e meu fôlego estava faltando. 

 

  — De onde você conhece ele? 

  — Não conheço. 

  — Ah claro, e aquilo que você acabou de fazer foi muito normal. - Ela disse em tom sarcástico. 

 

   Eu amo a Hana do fundo do meu coração, mas odeio quando ela me força a fazer/dizer alguma coisa. Principalmente se eu não quiser, DE JEITO NENHUM, tocar no assunto. 

 

  — Sinto que não conheço você. Mesmo que já tenhamos dois anos de amizade, você parece uma sombra que esconde tudo. - Ela parou de me acompanhar. 

  — Tem coisas que não precisamos saber uma sobre a outra. - Respondi me virando para ela que ficou atrás. 

 

   Mas eu vi Oikawa no início do mesmo corredor, e antes de esperar respostas de Hana eu voltei a caminhar rapidamente para minha sala de aula. Ótimo, ótimo, ótimo! Cacete. 

   Hana entrou na sala tempo depois, não me olhou, não praguejou, não disse nada, somente trocou de lugar com Saori, que sentava bem na frente do professor. 

 

/// quebra de tempo /// 

 

   O sinal de intervalo tocou e em um segundo eu fiquei só na sala, com minhas pernas fracas demais pra me arriscar ir pro refeitório, mas com muita vontade de ter alguma coisa pra comer. 

 

  — Aish... maldito dia que eu escolhi pra não tomar café. - Resmunguei com a cabeça enfiada entre os braços sobre a mesa. 

 

   Ouvi um saquinho cair sobre a mesma, e a cadeira do lado ser arrastada pra mais perto de mim. Com certeza não era Hana, e por Deus, que não seja aquele infame. 

Ergui minha cabeça até ver um pão de ló recheado e depois perceber que era Kōtarō quem estava ali ao lado. O alívio fez um passeio pelo meu corpo. 

 

  — Obrigada pelo pão daquele dia. Eu te deixei com fome, não foi? - Ele disse desenrolando o seu próprio pão do saquinho. — Itadakimasu. 

  — Ah, obrigada. - Me alegrei pra comer. — Itadakimasu. 

  — Hana me tomou Akaashi muito cedo hoje. - Ele reclamou de boca cheia. — Ela estava bem triste.  

 

   Meus lábios estavam sujos com migalhas de pão, senti meus olhos marejarem por causa do que desconforto em relação a Hana e percebi que havia mais alguém na sala conosco. 

 

  — Rainha S/N!!! - Era a voz de Oikawa com o mesmo tom sarcástico de antes. Além de ter feito uma reverência exagerada. 

  — Eu pensei que escaparia por alguns dias. - Falei baixinho para que somente eu ouvisse, mas Kōtarō estava próximo o suficiente para ouvir. 

  — Não me diga que desceu do seu cargo de intocável e agora lancha com os plebeus, Rainha. Como fez aquela única vez... E own, se ferrou. - Oikawa sorriu alto quando terminou. 

 

   Kōtarō Bokuto enrijeceu provavelmente achando que era provocação atoa de Oikawa. 

 

  — Eu não sabia que podia magoar tanto você, a ponto de mudar de escola. Me desculpa. - Oikawa sentou na minha mesa. — Você sabia? - Ele parou para ler o nome de Kōtarō no seu casaco. —Kōtarō... eu fui desafiado a namorar com a rainha do colégio, a intocável... 

  — Cala a boca, seu merda. - Engoli o que tinha de boca a seco. 

  — A que nunca gostava de ninguém. A insensível. O que é engraçado? Eu sou bonitão, e ela me quis. 

  — Ela não quer que você continue, dá o fora, cara. - Kōtarō deixou seu pão de canto. 

  — Tudo bem, Kōtarō. - Me levantei pra ficar de frente com Oikawa. — Aí você me trocou por uma menina mais bonita duas semanas depois de me pedir em namoro e destruiu minha autoestima. Mas sabe de uma coisa? Eu não sou mais tão estúpida assim, e você aqui hoje, só me faz lembrar do quão desnecessário é se envolver com um garoto. Não tem nada que se tire proveito de um relacionamento agora. 

  — Ah, seu namorado ali não vai ficar magoado com isso? Não parece que ele gostou disso, hein. - Oikawa moveu seus olhos até Kōtarō que ainda estava sentado. Todos esses gestos me menosprezando... aaaaaaah

 

   Não consegui conter minha mão e ela logo estava no meio da cara de Oikawa. Eufórica eu quase pude rir da sensação de fazer isso com vontade. 

 

  — Eu não namoro com ninguém. - Deixei o pão que Kōtarō me deu do lado de Oikawa. 

 

   Quando me virei para sair da sala, Hana estava com os olhos marejados perto da porta, com Akaashi um pouco atrás dela. Passei ao lado dela devagar para que pudesse ouvisse o que eu tinha a dizer. 

 

  — Desculpa, converso com você mais tarde... 

 

   Minha cabeça só conseguia pensar no momento que eu pagasse pela minha língua. Pois agora, depois de falar em alto e bom som, o quanto desprezo homens, o destino estava pronto pra me sacanear...


Notas Finais


as vezes eu fico com raiva da personagem que eu criei😗


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...