1. Spirit Fanfics >
  2. You Are My Evething 2 >
  3. Capítulo 1

História You Are My Evething 2 - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


OIIIIII GALERA DO MEU BRASIL VARONIL CHEGUEI!!!!! 😂

Finalmente não é?

Saudades de vocês!!

Passando aqui pra avisar que essa capa da história é temporária e acredito que a sinopse também, depois eu arrumo ela. Não estava mais aguentando para começar a continuar com a história Leonetta.

Bom... aproveitem, boa leitura!!! 💛

Capítulo 1 - Capítulo 1



    Sete meses. Hoje completa sete meses que eu e o León estamos juntos. Sete meses de sorrisos, de pequenas discussões, desavenças, pedidos de desculpas de ambas partes, mas também são sete meses de puro amor. León durante todos esses meses, se mostra o homem mais perfeito do mundo, muiiiiito manhoso, carinhoso, dengoso, respeitoso, amoroso, ciumento... rsrsrs, mas quem não é?, não posso dizer que também não sinto ciúmes,ainda mais quando se tem um namorado tão lindo por fora quanto por dentro.

Amanhã começa as aulas, e não poderia estar mais ansiosa. Até por que o início vai ser diferente de todos os outros, não irei ser zoada como era antes, não serei humilhada, nem motivo de chacota ou divertimento para o pessoal da escola. Mudei bastante externamente e interiormente, mas considero como uma mudança boa.

Não sou mais aquela menina que deixava as pessoas pisar em cima, aprendi a me impor, a não abaixar a cabeça.

Hoje possuo amigos, coisas que muitos acharam que eu nunca iria ter, principalmente um namorando... rsrsrs, a vida é realmente louca. E falando no meu namorado, no meu bebê, ele está aqui agora me abraçando por trás, enquanto minha cabeça estava deitada em seu peito com os olhos fechados sentindo seus carinhos em meus cabelos. Resolvemos fazer um piquenique e passar os sete meses de namoro no "nosso cantinho", como ele denominou, e aproveitando o pôr-do-sol.

           - O pôr-do-sol não é lindo? __ fechei os olhos sentindo os fracos raios solares tocar em meu rosto.


            - Não mais lindo que você. __ sorri pro meu galanteador pessoal. -- Eu já disse que te amo ? __ colocou a mão em meu queixo para que o encarasse. 


           - Já, só hoje foram quatro vezes , mas não canso de escutar, pode dizer quantas vezes quiser. __ alisei seu rosto com uma mão. 


              - VIOLETTA EU TE AMOOOOOOOOO!!!! __ gritou me fazendo gargalhar.


            Realmente ele é o homem da minha vida, não que eu tivesse dúvida, mas era sempre vou gostar de constar isso.

              - Sorte sua que não vem ninguém por aqui nesses arredores, por que iriam te chamar de louco. 


           - Não me importo, é sou louco sim, louco de amor por você, por que eu te amo demais meu dengo. __ beijou a pontinha do meu nariz, sorri, eu já disse que ele fica fofo falando meu dengo? Por que dá vontade de morder. 


            - Eu também te amo meu bebê. __ me virei sentando em suas pernas, repeti seu gesto depositando um beijo na pontinha do seu nariz o que o fez sorrir mostrando suas covinhas. Virei rapidamente meu rosto para mordeu sua bochecha causando mais um sorriso dele.

-Esse dia está sendo maravilhoso como todos, basta estar ao seu lado. 


- Até se estivéssemos perdidos em uma ilha, sem nada pra comer e beber? __ brinquei. 


- Ainda sim seria maravilhoso, por que você estaria do meu lado. __ sorri toda boba. 


- Você é incrível. 


-Além de gato, lindo e gostoso? __ sorriu sapeca. 


- Sim e muito mais, só que você é acima de tudo muito modesto, acho quis já disse muitas vezes. __ sorrimos e mordi novamente sua bochecha.


- Princesa!!! __ gargalhou. -- Já vi que você gosta mesmo de morder minhas covinhas. __ assenti mordendo novamente sua bochecha causando mais uma gargalhada da parte dele. -- Mas é só isso que você gosta de morder? __ arqueou sua sobrancelha direita com um sorriso de lado.


        Eu posso ter dito que eu mudei bastante, mas uma coisa que nunca vai mudar é a minha incrível facilidade de corar ligeiramente. Aprendi a controlar um pouco para não ficar parecendo um tomate, toda vez que o León fazia um comentário pervertido ou um elogio. Mas, as vezes ia no automático, quando eu menos percebia já estava vermelha o que causava vários risos no Lê.

- Você é muito pervertido. __ bati em seu ombro. 


- Eu pervertido? O que você pensou que eu estava falando? __ olhei para ele sentindo as bochechas arder ainda mais. -- Ahhhhhhh, safadinha. _ me abraçou chacoalhando meu corpo. -- Violetta, Violetta, que pensamentos são esses? __ sorriu lado.


- Você que falou de um jeito malicioso então eu pensei que... que... __ deu uma risada.


- Eu não falei de um jeito malicioso, não falo essas coisas Castillo, sou inocente demais para isso. __ piscou várias vezes fazendo uma cara fofa e com seus dedos ele formava uma roda em cima de sua cabeça. -- Sou um anjinho, o que falta são só as asas. __ foi a minha vez de sorrir. 


- Inocente você?__ gargalhei. Até quando ele insistiria em dizer isso?. - Vargas, Vargas, quem te conhece sabe muito bem que você não tem nada de inocente. __ ele fez uma cara de ofendido. 


- E quem ver essa carinha aqui não sabe o que faz entre quatro paredes. __ riu passando a mão em meu rosto. 


- Você já está falando demais, acho que tenho que calar essa sua boquinha. 


- E de que jeito pretende... __ o beijei escutando mais uma vez sua risada. Aprofundamos mais o beijo, com nossas línguas se enroscando uma na outra, lutando por espaço, porém como sempre o maldito ar fez falta uma coisa que era para ser infinito, era o ar principalmente em um beijo ele nunca deveria faltar. León desceu seus beijos pelo meu pescoço, suspirei quando ele deu uma leve mordida. Depositou um beijo em minha clavícula, enquanto suas mãos passeavam pela minha costa, já as minhas se encontravam enterradas em seu cabelo. Ele subiu com os lábios de volta para os meus lábios. Assim que nos separamos por falta de ar deitei minha cabeça em seu peito brincando com a pulseira de couro que eu havia dado eu em seu aniversário, enquanto seus braços me apertava mais contra seu peitoral. 


- Você gostou mesmo da pulseira não foi? 


- Você ainda tem dúvidas? Meu amor eu amei a pulseira, ficou perfeita em mim. Como eu já disse, ela me deixou mais viril e mais másculo!__ estufou o peito. -- As gatinhas suspiram ainda mais. __ lhe deu um olhar assassino, ele jogou a cabeça pra trás sorrindo. -- Tô brincando mi amor!! 


- León, León... olha lá. __ espreitei os olhos. 


- Hey, você sabe que estou brincando não é? __ continuei olhando pra ele com os olhos semicerrados séria . -- Violetta!


- Eu sei meu amor, eu sei. __ sorri pra ele. -- As vezes penso que esse presente não foi o suficiente e...



- Epa epa epa, não diz isso, eu amei o presente, ainda mais por que veio da pessoa que eu amo mais que tudo. Qualquer coisa vindo de você, eu amo. 



- Você é tão fofo. __ alisei o seu rosto. 



- Humm... sou fofo não sou? Então vou aproveitar e pedir, que tal me liberar do castigo e dormir lá em casa hoje? Já faz uma semana que eu não durmo do seu ladinho. __ balançou as sobrancelhas. Ele não perdia tempo. 


- Talvez não, talvez você mereça ficar mais umas duas semanas de castigo.



- Duas semanas!!?? Vilu... não faz isso comigo. __ não disse que ele era muito manhoso. -- Tá, eu não posso comer morango, mas eu só queria dar uma pequena provadinha pra lembrar um pouco do gosto, já que fazia anos que eu nunca mais tinha comido um, pensei que só uma beslicadinha não iria me fazer mal. 


- Essa beslicadinha fez você quase parar no hospital. __ lhe dei um olhar severo.


- Contando com as palmadas que você me deu, realmente eu aprendi a lição. __ fez careta massageando sua parte de trás. 


- Você mereceu. __ gargalhei lembrando daquele dia. 


- Você rir não é? Foi por que não foi você que levou palmadas naquela parte lá. __ mordi o lábio sorrindo , aquele dia foi muito hilário, eu estava com muita raiva dele. -- Não sabia desse seu lado sádico. __ riu de um jeito sacana.


- León!!!! __ eles ergueu as mãos em rendição rindo. -- Eu não gosto de te ver mal, me dói o coração bebê, desculpa pelas palmadas. __ fiz bico. 


- Não precisa pedir desculpas princesa, prometo não fazer mais, não quero ver você triste e também se quiser dar de novo algumas palmadas pode dar, eu gostei. __ sorri fechando os olhos assim que ele beijou minha bochecha seguida de um abraço. -- E então, vai me tirar do castigo? __ suspirei. 


- Vou, e para te deixar mais feliz, vou dormir com você. __ olhou pra mim com um dos mais belos sorrisos. 


- Sério!? Ai que bom, estava com saudades do meu travesseiro. 


- Travesseiro? __ fingi de ofendida. -- De novo com essa história de travesseiro Vargas? 


- Você é o mais confortável, cheiroso, fofo, o melhor de se abraçar e também esse travesseiro aqui beija os da minha cama não. 



        Viu? Não tem como não amar esse menino.


- Certo, mas tem uma coisa, temos que acordar cedo, amanhã começa as aulas. __ bufou. -- Estava com saudades não é? 


- Ô se tava, quase botei foguete para comemorar as voltas aulas. Amo voltar a acordar cedo. __ revirou seus lindos olhos verdes. -- Além do mais, tem os alunos novos, tenho que ditar algumas coisas parra os novatos... sobre nunca, nunca dar em cima de você, por que senão eles vão sentir a minha fúria, nada de gracinhas com você, nada de flerte, eles não sabem com quem estão lidando... na verdade eles vão saber, estão lidando com Leonard Vargas, um homem loucamente apaixonado por Violetta Castillo. __ ofeguei, ele não existe. 


- Você é o amor da minha vida. __ um sorriso bem largo tomou conta do meu rosto. -- E quero que saiba que meu amor por você é o mais verdadeiro, você me transformou em um novo León, um melhor, você mostrou que é possível amar, você me ensinou várias coisas que vou levar para o resto da minha vida. __ uma lágrima desceu pelas minha bochecha, a qual fui enxuta por seu polegar. -- Você é a minha luz, minha estrela, eu te amo até netuno. __ franzi a testa com as últimas palavras . Ele sorriu. -- Te amo até netuno, por que ele é o planeta mais distante da Terra,enfim maior a distância, maior o meu amor. 



- Também te amo até netuno!! __ lhe dei um beijo casto e depois o abracei. 



- Está ficando tarde, não acha que é melhor irmos para casa. __ concordei. 


         Saí de cima dele me postando em pé e ele também. Arrumamos a cesta que tínhamos trago os lanches, a toalha que ficamos em cima. León pegou as coisas como uma de suas mãos e a outra entrelaçou com a minha. Andamos até seu carro com a minha cabeça deitada em seu braço. Esperei ele guardar as coisas no banco de trás para depois ele abrir a porta pra mim do banco ao lado do motorista.

         Pois é, León cismou que eu tinha sempre que esperar ele abrir a porta de tudo pra mim com o argumento de que ele é um legítimo cavalheiro.

- Madame. __ fez uma reverência abrindo a porta pra mim. 


- Bobo. __ ri me ajeitando no banco. Ele deu a volta e logo estava dentro doo carro. 


- Vamos? __ assenti. -- Primeiro... __ fui surpreendida com um beijo. -- Pronto agora vamos. __ sorrimos. Ele ligou o carro dando partida. 


           O caminho estava bem tranquilo, e o clima muito bom, conversávamos e cantávamos algumas músicas que tocava no carro rindo.

- Chegamos!! __ Abriu a porta do carro e depois que colocou o carro na garagem, esperei ele abrir a porta da sua casa pra gente! 


- Vejam só, pelo visto alguém saiu do castigo. __ Samuel descia as escadas vindo para a sala. 


- Mereço.__ rolou os olhos. -- Mamãe já saiu pro jantar de negócios? 


- Já e deixou um recado, ela disse que não adianta se aproveitar que ela saiu para procurar pelo seu celular, por que você ainda está de castigo. __ León revirou os olhos bufando.


- Ela adivinhou que eu iria procurar. __ murmurou. -- Cara, eu não sou mais criança pra ficar de castigo. 


- Mano, você nos deu um susto quando resolveu "provar" um morango. __ bateu na testa do Lê. --Bom,já dei o recado agora vou na casa da minha ruivinha.



- Tá, já tá mesmo na hora de ir. __ olhou pro relógio no pulso. 


- É impressão minha ou você tá me expulsando pra ficar a sós com a Vilu. 


- Não, não é impressão, vai logo. __ falou empurrando samuca na direção da porta.


- Humm safado, lembra que amanhã começa as aulas e não vão dormir tarde. __ corei. 


- Vamos dormir um pouco tarde sim, mas não é isso que você tá pensando seu mente suja, vamos assistir um filme. 


- Só filme? __ arqueou a sobrancelha com um olhar sugestivo. 


- Cara não pensa besteira, aliás, ela tá naqueles dias. __ suspirou. 


- Ah mano, a Cami também, a única coisa que nos resta é entender não é? __ suspiraram. Não acredito que estou escutando uma coisa dessas. 


        O que será que esses meninos conversam quando estão sem a presença de nós, meninas?... Nem quero saber.


- Vocês querem parar de falar sobre isso? Não é legal escutar falarem sobre esse assunto.__ pedi toda envergonhada. 


- Viu só Samuel? Vai logo antes que a Violetta mude de ideia e fique com raiva, aí já viu bro, irei voltar para o castigo que ela já me liberou. 


- Já estou indo, eu vou deixar vocês aí se comendo em paz. __ sorriu.


- Cara que comendo o que... a gente não se come... e sim fazemos amor. __ bati na minha testa. Olhei para o León indginada, ele me olhava confuso e o Samuel gargalhava. 


               Às vezes me dava raiva do jeito que ele falava,era uma forma tão espontânea como se fosse a coisa mais comum dizer aquilo... talvez pra ele, mas pra mim não.


- Bem, tô indo já por queminha namorada está me esperando e pelo visto tem alguém que vai levar outras palmadas. __ gargalhou mais uma vez e saiu fechando a porta atrás de si. -- Ahh, esqueci de uma coisa. __ abriu a porta novamente. -- A Mada fez um bolo de chocolate com muito melado, massss... você está proibido de comer até segundas ordens e... nossa, ele estava delicioso. 


- Ora seu... __ bateu a porta assim que o Samuel saiu bem rápido sorrindo. -- É muita coisa, que merda, sem celular, sem chocolate... como é que dona Esmeralda quer que eu viva? __ rolei os olhos com tal drama. -- Por que você revirou os olhos? 



- Por que você é muito dramático. 


- Sou nada dramático. __ me pegou pela cintura. 


- Vem cá, explica que história é essa de dizer pro Samuel que fazemos amor? 


- Ué, não é isso que fazemos?__ deu de ombros. -- Pensei que soubesse. 


- Não sei se te beijo ou se te dou uns dois tapas. 


- Eu acho que prefiro o primeiro é muito melhor. __ sorriu de lado colando nossos corpos ainda mais. -- Vamos tomar um banho? 


- Vamos... mas você vai tomar depois de mim. __ fez beicinho. -- Nem adianta vir com beicinho pro meu lado, vai tomar banho depois de mim ou você quer ir primeiro? 


- Vai você logo, vou pedir para a Mada colocar a mesa para jantarmos, quando terminar me diz... mas só quando terminar de tudo, não vou aguentar te ver só de roupão ou toalha. __ sorri. 


-Tá bom. __ me aproximei dele e mordi seu beicinho. - Não demoro e já sabe, nada de tentar contrariar as ordens da sua mãe.


- Ok, pequena. __ me deu um selinho. Subi as escadas indo para o seu quarto. 


       Como eu havia dito pro Lê, não demorei no banho. Saí do banheiro enrolada na toalha e caminhei até o seu closet em busca das minhas roupas. León fez questão de organizar e deixar um espaço para colocar algumas roupas minhas para quando eu dormisse lá, ele que quis arrumar também minhas roupas, foi fofo da parte dele, mas quando passou uns dez minutos... quando ele começou a pegar uma peça íntima minha, ele tinha ido de fofo para pervertido em um segundo, me arrependi por ter deixado ele ver aquelas peças de roupa pois eu tinha que escutar um comentário safado a cada peça que ele achava.

" Uhhh, meu amor que que é isso" __ assobio.

" Nossa, que calor que deu, de te imaginar com essa aqui." __ mordeu o lábio olhando para a lingerie vermelha e alguns detalhes de renda preta."

" Uhhh, lembro dessa aqui muito bem, quando estávamos só nós dois lá na sua casa... sozinhos... no quarto... na cama. "

Depois daquele comentário deixei ele sozinho no closet gargalhando enquanto eu ia ao banheiro molhar um pouquinho meu rosto que estava com as bochechas ardendo.

- Princesa já? __ olhei para a porta onde ele estava com os olhos fechados. Ri. 


- Já Lê, pode abrir os olhos estou vestida, arrumadinha. 


- Não tá me enganando né? Olha lá... __ abriu os olhos devagarzinho. -- Maravilhosa como sempre. __ andou até estar a minha frente deixando um beijo em minha testa, outro na bochecha e por último nos lábios. -- Vou lá tomar o meu agora. __ Assenti, ele deu mais um beijo em minha boca e saiu. 


(...)


- Meu Deus Violetta que filme mais chato, põe um Vin Diesel, um que tem The Rock meu amor, ou um da Marvel, mas esse filme que você escolheu tá me matando.


- Hey!! Você deixou eu escolher dessa vez, e eu quero assistir romance!


- Tá ok, você tem razão!! Vamos assistir seu filme. __ beijou o topo da minha cabeça,sorri vitoriosa. -- Mais eu ainda estou pensando em arrancar meus olhos, amor que filme mais chato. 


- Para de reclamar Lê. Vamos assistir. __ voltei minha atenção para a o filme. Alguns minutos depois senti meus olhos pesar, lentamente foram se fechando me entregando ao sono, sem antes de notar, a TV sendo desligada, León me ajeitou em seu peito, o qual eu estava abraçando. Ele nos cobriu passando seus braços ao meu redor. 


- Boa noite meu amor, te amo. __ acariciou meus cabelos dando um beijo em minha testa. 



              E mais uma nova etapa começa. 


Notas Finais


Quem estava com saudade desse casal?
Pois é, é bom estar de volta com a história.

Beijos e até logo😙💛


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...