1. Spirit Fanfics >
  2. You Are The Reason >
  3. FLÓRIDA

História You Are The Reason - Capítulo 27


Escrita por:


Capítulo 27 - FLÓRIDA


AMY


Acordo com uma dor de cabeça horrível, olho para o lado e Jake e A estão dormindo, A sobre seu peito, estavam tranquilos. Olho para o lado tentando reconhecer o lugar, mas é em vão.

Estávamos em um quarto enorme, decido me levantar e olhar pela janela, acho que nós estamos em uma espécie de fazenda, essa seria a minha aposta. Logo lembro que a última coisa que me recordo foi de estar em uma pista de vôo junto com eles e depois não me recordo de nada.

Olho para dentro da minha bolsa atrás do meu celular, que não se encontra lá, o que não achei estranho, afinal, saberia que eles iriam fuçar todos nossos aparelhos para ver se estávamos ligados com a polícia. por sorte trocamos de telefone, pois já sabíamos qual seria o procedimento. Meu estomago começa a roncar, olho para o lado e Jake e A continuam dormindo, decido voltar a dormir e deito ao lado deles novamente, adormecendo.

3 Horas depois...


Acordo com Jake me chacoalhando, olho para ele que está com um sorriso em seus lábios e me estico na cama me espreguiçando.

- O quê aconteceu? – disse baixinho pois a pequena Amy estava dormindo.

- Bom, não sei direito.... acho que doparam a gente para que a gente não pegasse o caminho até aqui – falo tentando arrumar meu cabelo que estava todo bagunçado.

- Faz sentido – fez uma careta.

Continuamos conversando sobre temas aleatórios até que a porta é aberta por Arthur que está com uma cara melhor, sorrir a nos ver.

- Seu pai os espera no andar de baixo – anunciou e saiu, deixando eu e Jake ali. Hora de pôr tudo em prática.

- Uau, show time baby – falou Jake sorrindo.

- Sabia que eu te amo? – disse o abraçando pegando o mesmo de surpresa, então digo em seu ouvido – a gente pode estar sendo filmado ou pior com alguma escuta... cuidado com o que você diz – digo sorrindo para ele e depositando um beijo em seus lábios, pois queria beija-lo e a desculpa de ser filmado caiu direitinho -eu já tinha verificado e não tinha nem câmera e muito menos escutas-, ele não protesta devolve o beijo e quando percebemos que começa ficar quente paramos, afinal, a pequena Amy estava dormindo logo ali.

Corro para minhas malas que estão do lado da cama e me abaixo, logo esqueço o que vim pegar nela.

- Ames, você está bem? – perguntou Jake me encarando após perceber que eu estava a um bom tempo encarando a mala, sorrio sem graça.

- Acho que esqueci o que iria fazer – falei fazendo uma careta.

- Bem, creio que tomar banho, afinal você está com a toalha no ombro – disse e então me dei conta, logo saindo de lá e indo tomar banho.

Indo para o café da manhã....


Decidi por um vestido florido amarelo com manga e curto, deixo meus cabelos soltos, volto para o quarto e Jake está vestido em uma calça jeans, blusa branca e jaqueta jeans ele me olha e dá um leve sorriso. A pequena A está vestida em um macaquinho fino, afinal, fazia calor seus cabelos estavam presos em um rabo de cavalo, ela estava perfeita.

- Uau, você está linda – digo a abraçando a pequenina que retribui.

- Você também, mamãe – disse dando uma piscadinha.

Jake pediu para a pequenina me chamasse assim enquanto estivéssemos aqui e ela nem protesto, aceitou de primeira afinal adorava me chamar assim e eu por minha vez estava adorando ter uma filha por mais que fosse de mentira.

Respiramos fundo e descemos o lance de escadas... Estou de mãos dadas com Jake, no outro braço ele está carregando A que está animada com o tamanho da casa que nos encontramos.

Logo avisto meu pai, continua o mesmo de sempre, parece que os anos não se passavam para ele, estava com a mesma afeição de 10 anos atrás. solto um leve sorriso que é retribuído pelo mesmo, eu sentia falta dele por mais que ele fosse do jeito que é.

- Olá, meu amor – disse me abraçando forte e retribuo.

- Oi – falo sem graça.

- Podemos conversar em meu escritório? – disse e concordei com a cabeça, logo alguns de seus homens direcionaram Jake e A para a sala de café da manhã.

Ao chegarmos em seu escritório eu tenho certeza que ele irá falar algo sobre Jake, respiro fundo, não queria perder o controle.

- Aonde estamos? – pergunto confusa.

- Na Flórida. – disse e eu engulo seco.

- Então você está casada....-disse me encarando.

- Então você é o Manín – rebato com os braços cruzados.

- Deixa eu falar, - disse Kevin tentando começar

- Não deixa eu falar, - dou uma leve pausa - bom o que dizer de você... Sempre fui sua princesinha, e quis fazer as coisas para agradar você fingindo que tudo estava bem, quando não estava... Sempre quis te ver feliz e por isso me sacrificava tanto. Tudo isso pra que? Para você me apunhalar pelas costas! – jogo um copo que estava sobre a mesa no chão o espantando – Mais vamos começar desde o começo né? – digo o encarando com mais raiva, queria por tudo isso pra fora – Vamos voltar para quando eu tinha 12 anos de idade e minha mãe começou a ficar doente, ela começou a ter várias doenças, dois anos depois começou tratamento, e com meus 16 anos me vi abdicando dos estudos para cuidar dela, uau foram dois anos muito duro, confesso que não foi fácil para nós, pai – o encaro e o mesmo não tem coragem de me olhar nos olhos- Nesse meio tempo no hospital conheci o Jake, nos tornamos muito próximo, e poderia dizer que ele se tornou meu porto seguro e depois que minha mãe se foi ele era o único motivo que me fazia querer viver de verdade.

O seu sonho era que eu entrasse para a polícia, mas eu decidi seguir meus sonhos e disse que queria fazer outra faculdade, mas você não concordou né? Sabe o que me doi? E que você FINGIU que um traficante estava atrás de nós, queimamos nossa própria casa e fugimos do país e eu nem pude me despedir do homem que amava, deixei tudo para trás PENSANDO que estávamos em perigo, mas nunca estivemos nessa situação. – Falo olhando bem no fundo dos olhos dele – E então me vi obrigada a ficar no Mexico, a estudar História da Arte na faculdade de Paris. por mais que fosse o sonho da minha mãe não era o meu. Ali me vi sem identidade, já não era eu, e sim outra pessoa. PARA QUE EU ME TORNASSE ISSO – digo apontando pra mim – Obrigada por que você matou a minha vida para que eu pudesse viver o SEU ideal de vida. Tudo isso pra que? Para 5 anos depois a gente virasse inimigos e nem se olhasse na cara. Agora você quer me criticar só porque me casei com ele? Por favor, pai. Olha pra você, olha pra quem você se tornou.

- Amy, não foi bem assim – disse meu pai calmo tentando contornar a situação.

- Não temos nada que conversar- digo soltando suas mãos do meu braço.

- Eu... eu sinto muito, Amy... Como você descobriu? Pelo Jake? Hã? – disse me encarando.

- Você arruinou a minha vida! Você sabia que eu gostava do Jake! E mesmo assim cagou pros meus sentimentos! – digo e não pude conter as lágrimas e a voz alterada.

- O QUÊ VOCÊ QUERIA EM? – Alterou sua voz, nunca o tinha visto daquela maneira – VOCÊ QUERIA QUE EU VISSE MINHA ÚNICA FILHA CUIDANDO DE UM PARALITICO PELO RESTO DA SUA VIDA? – Disse me puxando pelo braço – TUDO QUE EU FIZ FOI PELO SEU BEM! – Disse me soltando – Até quando você iria ficar naquela merda de hospital cuidando daquele garoto que nem a família aceitava? Um zero a esquerda – disse e podia ver a raiva em sua voz – EU FIZ ISSO PELO SEU BEM! Você precisava ter um futuro, AMY!– Disse me encarando – E EU DEI ISSO PRA VOCÊ! Então não, não venha me dizer que fui injusto com você, porque eu não fui! Eu fiz o melhor por você. E SE HOJE VOCÊ VIVE NO LUXO, FOI PORQUE EU APOSTEI EM VOCÊ– disse socando a mesa ao seu lado me assustando.

- Você mentiu para mim todos esses anos, dizendo que entendia o que EU sentia – disse indo em sua direção – MAS VOCÊ NUNCA ENTENDEU! – disse o empurrando – Você me via chorando dia e noite, você viu eu tentando me suicidar diversas vezes – disse chorando – Por que você fez isso?

- Amy, você já tinha ficado dois anos estagnada – ele tentava se defender – eu não queria que você ficasse mais dois anos assim... Sofrendo – ele tentou chegar perto de mim mas me esquivei – Tudo que fiz foi tentar te dar uma nova vida e esquecer seu passado que tanto doía. Você vivia em função daquele rapaz, eu só queria te mostrar que existia um novo mundo e que podíamos recomeçar...Você tem que entender o meu lado também. Tudo que eu fiz foi para o seu bem! Espero que você me perdoe um dia.

- Eu to aqui, não estou? – falo o encarando – Mas isso não significa que iriei te perdoar. Não pise na bola com a minha família ou nunca mais você nos verá novamente. – digo abrindo a porta.

- Amy – me chama.

- E mais uma coisa, não toque em um fio de cabelo do Jake ou da minha filha se não te mato. – bato a porta na cara dele o deixando ali sozinho.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...