1. Spirit Fanfics >
  2. You Are The Reason >
  3. CAFÉ DA MANHÃ

História You Are The Reason - Capítulo 28


Escrita por:


Capítulo 28 - CAFÉ DA MANHÃ


JAKE


Acordamos em um lugar completamente diferente, não conseguia saber aonde estávamos, mas sabia que algo acontecia, quando me virei para o lado A estava dormindo e do outro Amy, ambas encima do meu peitoral, sorrio com a cena e beijo a cabeça das duas. Logo tento me levantar sem que nenhuma das duas acordem, olho pela janela e vejo que estávamos em uma fazenda, decido acordar Amy para conversamos.

Logo depois entra um dos homens de Manin e avisa que o mesmo esperava nos para um café da manhã, trocamos de roupas e descemos para seu encontro, ele pede para conversar com Amy enquanto eu e A seguimos para a sala do café do amanhã.

Logo Amy aparece, provavelmente ela deve ter discutido feio com seu pai, coloco minhas mãos sobre às suas demonstrando apoio e ela aperta e ambos damos um sorriso leve, logo Manín se junto a nós e sua cara não era uma das melhores.

- Então vocês estão casados – disse começando depois de uns minutos todos em silêncio.

- É o que parece – respondeu Amy sem paciência.

- Sim, estamos casados há 8 anos por ai – sorri fraco para ela, e ali começava nossa mentira.

- Ah é? – disse Manín colocando café.

- Sim, nos reencontramos em Paris... há uns 10 anos atrás... estava turistando e o destino juntou a gente – disse sorrindo para ela.

- Foi incrível – ela sorriu. – Eu o reconheci, afinal ele não mudou muito desde o hospital – pela cara parece que Manín estava comprando a história.

- Eu queria chamar o senhor para o casamento, mas Amy me contou que vocês estavam brigados – disse fazendo uma careta e ela sorriu.

- Não queria que você destruísse meu casamento – disse ela direto e eu a encaro surpreso.

- Sempre tão direta a minha esposa – falei e enfiei um pedaço de pão na boca, enquanto isso A estava se deliciando com um bolo de chocolate.

- Há 10 anos atrás em paris... – disse pensando – e já começaram a namorar? – perguntou querendo ir mais a fundo.

- Ficamos juntos... mas tive que voltar para Nova Iorque, estava começando a estudar para ser detetive e bom, amy estava começando com restauração de obras de arte e com sua galeria... Então ficamos em um relacionamento a distância. – falei e ela concordou.

- Nossa foi tão difícil – ela disse me dando um selinho. Minha vontade era de rir.

- Relacionamento à distância – disse desconfiado.

- Logo decidir ir a Nova Iorque e dividir entre Europa x Nova Iorque... Já tinha mudado de nome mesmo – falei e o pai de Amy a encarava. – Logo começamos a viver juntos até que decidimos casar, estávamos muito apaixonados. – disse e sorrimos um para o outro, tenho a leve impressão que Manin deve estar revirando os olhos por dentro.

- E bom, meu sonho era casar... então a pedi em casamento com 1 anos de relacionamento.... digo, relacionamento sério – falei me corrigindo.

- Interessante – ele disse passando manteiga em uma fatia de pão.

- Dois anos depois tivemos a Amy, e bom fiquei assustada, não queria ser mãe... foi quando deixei Jake sozinho com ela e fui me dedicar a vender minhas obras e fazer restauração na Europa foi aonde fiquei conhecida.... – disse e Manín parecia comprar a história direitinho.

- Engraçado Peralta... que estava pesquisando sua vida e há 8 anos atrás você estava namorando uma tal de Sophia Perez – me engasgo com o pão que comia, Sophia foi a única que ''namorei'' por um longo tempo mais nem lembrava dela, amy me olha assustada e logo tenta contornar a situação.

- Eu e Jake tínhamos um relacionamento aberto porque bom eu vivia na europa e ele em nova Iorque então era normal a gente ter outros relacionamentos.... – falou e o pai pareceu comprar a historia. - Você sabe que nunca fui daquelas que ficava só com um – ela da um sorriso de canto de boca e a encaro com uma cara de ''é mesmo'' e ela revira os olhos.

- E então essa e minha netinha – disse e a pequena Amy da ele um sorriso largo.

- Acho que sim – disse me encarando e confirmei com a cabeça.

- O senhor é mal? – falou A na lata e eu me engasguei de novo.

- Como? – perguntou Manín confuso.

- Aquele moço trabalha pra você certo? – ela disse apontando para Arthur

- Sim – ele disse encarando Arthur.

- Ele é mau, eu não gosto dele vó – disse fazendo uma careta – ele bateu no papai e apontou uma arma pra mim, eu tenho medo dele! – disse se encolhendo e vindo para o meu colo.

- Fique tranquila que ele não chegara perto de você! – disse Kevin solicito. – Agora venha, acho que o vovó merece um abraço não? – disse esperançoso A olha para mim que faço sim com a cabeça e a pequena corre para os braços do ''avo'' fazendo com que Amy se emocionasse com o momento.

Apenas fico os observando, A não tinha noção de quão mal ele era, mas ela gostava dele, e a gente sabia que ela seria seu maior ponto fraco. Percebo que Kevin fica emocionado, eu entendia o seu lado também.

Após o café da manhã a pequena A anda a cavalo, se diverte horrores com o ''avo'' pela fazenda enquanto eu e Amy ficamos tranquilos vendo TV no quarto, mas logo decido quebrar o silêncio.

- Então quer dizer que você fica com vários? - não pude esconder meu sorriso malicioso. Ela me encara e logo revira os olhos.

- ah, Jake sabe como é né - sorriu - mas agora sou uma mulher casada - disse levantando a mão com a aliança - e estou feliz.

- Hum, acho que me convenceu - disse chegando perto dela e logo percebendo nossas respirações se misturando.

Amy me encara e logo desvia seu olhar para a minha boca, tudo que queria. Não demora muito para que eu junte nossos lábios, - como amava beija-la. Logo ela abre sua boca e nossas línguas se encontram em uma perfeita sintonia.

Como estávamos deitado apenas me declino ficando por cima dela, a mesma põem suas mãos na barra da camisa retirando logo em seguida. O clima começa a ficar quente mas somos interrompidos quando ouço A gritando na beirada da cama.

- eca papai - dizia ela olhando pra mim e para a Amy, eu e ela não sabemos muito o que fazer.

Eu estava sem camisa, beijando Amy, a mesma estava arranhando minhas costas, a cena poderia ter sido pior. -Penso-.

Saio de cima de Amy dando um tempo pra pensar e logo falo.

- Amy Garcia, o que o papai disse de sempre bater na porta antes de entrar? - falei pegando minha camisa e vestindo.

- Eu bati, você que não ouviu - disse cruzando os braços.

- Batia mais forte - ela sorrir - O quê? Não tô achando graça - pela primeira vez fiquei irritado com a pequenina, afinal, ela atrapalhou meu "momento".

- Desculpa papai - disse subindo da cama e me abraçando.

- Tudo bem - falo dando um suspiro frustrado causando a risada da morena ao lado.

A encaro com um sorriso de canto de boca e a mesma simula uma carinha de choro, reviro meus olhos para ela que sorrir.

- Por que os adultos se beijam papai? E tão nojento - disse enquanto estava sentada no meu colo, eu e Amy rimos.

- espero que você continue achando isso com seus 15 anos meu amor - falei brincando com seus cabelos - papai iria adorar que você continue com esse pensamento até lá.

Amy sorrir e me dá um leve tapa.

- Às pessoas se beijam para demonstrar seu amor - falou Santiago, pela primeira vez desde o flagra.

- então eu posso te beijar papai? - disse me encarando e eu sorrio pra ela.

- A gente não dá selinho às vezes? - disse e ela fez sim com a cabeça - então.

- Mas o seu com ela é diferente - disse e sorrimos.

- E porque ela e minha esposa e quando você se casar ou namorar (isso quando você tiver seus 55 anos de idade e papai já não estiver na terra) aí você vai entender - digo e ela sorrir.

- adultos sempre complicam tudo né? - disse se levantando indo atrás de sua boneca eu e Ames apenas rimos da situação.

Logo um dos capangas de Kevin adentra ao quarto e diz:

- Manin quer falar com vocês. - e saiu.

Logo eu e Ames saímos ao seu encontro chegando lá no escritório Manín mandou a gente passar e disse:

- Reservei um apartamento para vocês na cidade, Arthur levara vocês – disse entregando o saco preto.

- Por quê não podemos ficar aqui? - questionou Amy.

- Porque vocês tem que ter a privacidade de vocês - falou - e lá a criança terá um quarto só pra ela. - disse e eu encaro Amy e ela ainda está um pouco relutante.

- Tudo bem - disse.

- Obrigado – digo e logo ele se despede de nós.

Colocamos o saco e somos levados para a nossa ''casa'' por tempo indeterminado, ficava na cidade, estávamos na Florida.... Ótimo, assim poderia visitar Katherine e Thomaz, pensei. Ao chegarmos no apartamento fiquei impressionado com o tamanho e como ele era fino e elegante.

- Uau – digo e Amy sorrir.

- Eu adorei, - A disse correndo para ver seu quarto.

- Suas malas já estão aqui – disse Arthur – nos vemos em breve. – disse saindo deixando-me e Amy sozinhos em casa.

- Adorei que estamos na Flórida. – falei assim que sentamos no sofá.

- Eu também, adoro aqui – disse sorrindo.

- Amanhã irei visitar meu irmão... Poderia ficar com A? – Pergunto e ela fica confusa.

- Por que? – disse me encarando.

- Amy não gosta da Katherine – disse fazendo careta.

- E com razão – respondeu a morena.

- O quê? – disse incrédulo.

- Não se faça de sonso – falou se levantando.

- Está com ciúmes, Santiago? – digo e ela me atira o travesseiro. – Fa-ça o que qui-ser. – Disse pausadamente subindo pelas escadas ou quase destruindo a mesma com suas pisadas fortes.

É mole? Não acredito que ela estava com ciúmes da Katherine. Sorrio.

É amanhã seria um grande dia, afinal iria reencontrar Katherine e poderia dizer que estava um pouco ansioso já que fazia anos que não via Kath, Thomaz e às crianças. 




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...