História You are The reason (Fressa) - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 4
Palavras 770
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Romance e Novela, Yuri (Lésbica)
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


As frases nessa história são de total autoria minha, menos as que fazem passagem ao livro de John Green.

É isso e boa leitura !

Capítulo 1 - Capítulo único


       Pov: Freya Smith

    Café quente e um bom livro para ler. Nada mais era tão aconchegante para mim que isso. Eu poderia ser comparada com uma velha sem graça que vive enfiada em livros de romance e um bom café. Bom, eu não me importo com essa comparação, admito até que é um pouco verdade.

Mas é estranho, sabe ? As pessoas quando são machucadas por outras elas caem numa bad grande o que não acontece comigo. Prefiro ler livros de romance e sentir meus olhos queimarem pelas lágrimas ao ver o final triste ou emocionante.

- A senhorita deseja algo mais ? - a garçonete de cabelos castanhos, dessa vez, questiona com extrema atenção.

Ergo meu olhar para ver o rosto dela e fico um pouco chocada com o quão linda ela era. Os cabelos longos castanhos caindo em cascata por seus ombros, os olhos chocolate. Perfeita. Sem citar os lábios incrivelmente doces acompanhado de um sorriso gentil.

        Parecia um anjo

- An, um pedaço de torta de limão - ajeitei-me contra a cadeira, olhando ela sorrir ao me fitar.

- Minha favorita. Trago seu pedido em alguns segundos -  ela avisou se retirando com tamanha graça que não pude evitar de continuar a lhe olhar.

O que será isso ? Eu geralmente não fico tão fissurada nas garotas.

 Balanço a cabeça para espantar meus pensamentos e me concentro no livro em minhas mãos. Cidade de papel, parecia bom quando fui ver num arquivo.

- John Green? Amo esse autor - a doce garçonete volta a comentar, enquanto coloca a torta em cima da mesa.

- A culpa é das estrelas é o meu favorito - sorri em sua direção antes de provar um pedaço da torta charmosa.

- Já leu " Quem é você,  Alasca" ?  Eu amo esse livro - a animação em sua voz era tão contagiante que senti necessidade de continuar a falar consigo.

- Já sim, me sinto extremamente tocada com essa frase " ...as lembranças também desmoronam. Então não nos resta mais nada, nem mesmo um fantasma, apenas sua sombra" - sorri ao vizualizar que ela sorria tão verdadeiramente como antes.

 Seu sorriso era a porta para um mundo brilhante, onde viver era uma cor tão abundante quanto o azul do céu.

Lembro que ela comentou um pouco mais sobre o livro antes de voltar a trabalhar. Sai da cafeteira horas depois sem nenhuma vontade de ir, mas eu precisava resolver algumas coisas. Contudo, jamais esqueceria daquele lugar e por milhares de vezes voltei lá com pretensão de falar um pouco mais com a linda garçonete.

E em algum momento, acabei descobrindo seu nome, Lissa  Johnson era o nome da minha insanidade. Tentei por meses fazê-la sair comigo, mas ela se negava, pois afirmava que eu só queria-lhe como uma distração. Assim como foi com os outros em relação a ela.

 Mas eu era diferente deles. Não a queria para mim como uma pessoa insana, a queria do meu lado para amalá com todo meu ser e provar a cada novo amanhã o quanto eu a amava.

     E numa dessas noites de natal consegui que ela aceitasse sair comigo. Vibrei com todo meu ser e fiz de tudo para que ela de sentisse a vontade no nosso encontro a luz de velas, para que no final ela possa lembrar-se desse momento como uma lembrança inesquecível.

   E no final da noite, provei de seus lábios doce com um toque delicado, não queria correr o risco de corrompe-lá com minhas ações e pensamentos pecaminosos. Precisava ser diferente para que no final, ela seja minha musa em seu mais longo estado de felicidade e agrado.

   Nossos encontros se sucederam corriqueiros depois disso e logo chegou a hora de amalá com todo meu ser. E com extrema cautela e lentidez a fiz minha como qualquer outro jamais faria. Com tamanha sutileza que você duvidaria que eu a estivesse tocando. Seus sons melódicos eram tão intensos que a vibração em meu corpo se jazia instantânea como o beija de um beija-flor.

Nem se quer me lembrei de minha ex, não parecia que tivesse existido outras antes dela, só havia ela no meu mais profundo ser.

 E no dia de nosso casamento quatro anos depois, ergui nossas mãos com os anéis em nossos dedos não como símbolo de nossa mais pura união, mas sim, onde nem mesmo simples objetos se comparavam ao quanto nós sentiamos pertencentes uma a outra.

 Lissa Jhonson simplesmente era a razão do meu ser, onde nada poderia tirá-la de minhas veias, pois sua presença já não fazia só parte de si, mas também parte mim.


Notas Finais


Se vc gostou deixei seu comentário e favorite. Compartilhe para ajudar e obrigada por ler até aqui ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...