1. Spirit Fanfics >
  2. You belong to me - Segunda temporada >
  3. Eu não imaginava

História You belong to me - Segunda temporada - Capítulo 35


Escrita por:


Notas do Autor


Hello Brasil 💖
Mais um pra vocês ficar feliz 💖
Boa leitura e até as notas finais 💖

Capítulo 35 - Eu não imaginava


Fanfic / Fanfiction You belong to me - Segunda temporada - Capítulo 35 - Eu não imaginava

- Amor eu disse que teria paciência, vamos no seu tempo.
- Não baby, eu quero te contar e talvez precise disso para poder superar. - Harry diz estacionando o carro na garagem da nossa casa.
Descemos do carro, entramos em casa e nos jogamos no enorme sofá que tínhamos na nossa sala de estar. Harry me puxa para que eu pudesse me deitar no meio das pernas dele e então quando me posiciono lá ele começa a fazer o seu delicioso cafuné no meu cabelo e logo depois de dar profundos suspiros ele inicia a sua história.
- Vamo lá, depois que o meu pai morreu minha mãe ficou totalmente desolada e nada nem ninguém fazia ela ficar bem a não ser as drogas, tudo começou com a maconha e depois ela foi subindo os níveis, crack, cocaína, LSD, heroína e até mesmo tomou uns chás de cogumelo. Minha avó percebeu que ela não estava bem então sempre tentava levar ela para as missas de domingo, eventos e uma certa vez ela até levou minha mãe para um retiro espiritual mas nada resolvia e foi assim que a minha avó desistiu, e então depois de um tempo ela descobriu que a minha mãe estava usando drogas da pior forma possível. - Harry da uma pausa e mais uma longa suspirada. - Violet tentou vender o meu irmão para poder conseguir mais drogas, se minha avó não tivesse chegado no exato momento da troca eu não sabia como a minha mãe estaria hoje e nem sabia se teria meu irmão mais entre nós.
- Harry eu não imaginava que sua mãe tivesse tido tamanha recaída. - Digo impressionado.
- Ninguém consegue imaginar isso, mas a história não acabou ainda. Depois de ter descoberto isso minha vó parou de falar com a minha mãe e até levou Julian para morar com ela durante alguns meses mas como ele ainda era uma criança sempre pedia para ver a minha mãe, e então minha vó levou Julian de volta para casa, minha mãe se arrastou para poder receber o perdão da minha vó e então depois de muitas tentativas minha vó perdoou ela. Mesmo não tendo a mesma confiança ela perdoou minha mãe, Julian fez seus 14 anos e conheceu uns meninos que não tinham boas intenções e foi assim que ele parou no mundo das drogas, chegando a roubar coisas de dentro de casa para poder sustentar o seu novo vício, minha mãe contou pra minha vó e então a querida Rose Banner esculachou a minha mãe no último nível e a culpou por tudo o que estava acontecendo com Julian e é por isso que elas não conversam mais. Minha mãe errou muito no passado e a verdade é que minha vó nunca perdoou ela realmente, talvez agora minha vó tenha descoberto que nem tudo foi culpa da minha mãe e que ela não merecia ter sido rebaixada a um nível tão baixo.
- Ela parece estar querendo se reconciliar com a sua mãe amor, talvez esse jantar consiga esclarecer tudo e até ajude as duas a se resolverem.
- Eu amo como você sempre vê o lado bom das coisas, é ótimo ter uma nova perspectiva da vida. - Ele diz ainda com as mãos nos meus cabelos.
- Obrigado por se abrir comigo amor, eu sei como deve ser difícil para você falar sobre isso.
- Com você tudo se torna mais fácil. Você é muito corajoso, minha família e eu somos muito complexos e mesmo assim você continua insistindo na gente.
- Nós já passamos pelo pior Harry, acho que nada mais nos abala.
Ele da um beijo no topo da minha cabeça e estica mais as suas pernas, eu me ajeito no meio das suas pernas para ficar mais confortável e "sem querer" passo minha mão na zona íntima de Harry devagarinho.
- Não mexe com fogo Matthew. - Harry diz com um sorriso malicioso nos lábios.
- Eu sempre gostei de brincar com o fogo. - Me viro de frente para ele e subo em seu colo para poder me favorecer.
- Se você se queimar não diga que eu não te avisei. - Harry diz roçando sua barba no meu pescoço me fazendo arrepiar levemente.
Ataco os lábios de Harry em um beijo selvagem, minhas mãos vão direito para os seus cabelos e as mãos dele para a minha cintura colocando uma certa força na área tentando fazer eu me mexer sobre o seu pênis que já estava dando sinal de vida embaixo da minha bunda.
- Eu estava morrendo de saudade da sua boca. - Harry diz prendendo meu lábio inferior entre seus dentes.
- Cala a boca e me beija Harry.
Eu digo isso e Harry volta ferozmente com os seus lábios para os meus, nossas línguas se encontravam e lutavam por um mínimo espaço. Ele segurava a minha nuca gentilmente movendo lentamente a minha cabeça para que pudesse explorar cada canto da minha boca, Harry inverte as posições fazendo com que eu ficasse por baixo e deixando meus lábios ele começa a investir os seus beijos em meu pescoço que já estava vermelho de antigos chupões que ele tinha deixado em outras ocasiões. Meu pedido para que Harry continuasse era em meio a gemidos que saiam tranquilamente pela minha garganta.
- Escolhe um lugar. - Harry diz parando com os beijos.
- Que?
- Vamos inaugurar algum cômodo em especial, só não vale o nosso quarto. - Ele diz e eu fico um tempo pensando. - Matthew escolhe logo antes que eu desista da ideia.
- Mesa da sala de jantar e eu quero que você use o que quiser.
- Isso é tão delicioso de escutar.
Harry me pega no colo e me leva para a mesa da sala de jantar, me deixa deitado na mesa fria e logo sobe as escadas rapidamente para poder buscar tudo o que iria usar. Foram os minutos mais tensos da minha vida já que eu não fazia noção do que Harry estava planejando, ele demora mais alguns segundos e depois desce as escadas já sem camisa mostrando o seu lindo abdômen escultural.
- Tira a roupa e deita na mesa agora. - Ouço a voz dele grave e rouca e sem hesitar obedeço a sua ordem. - Muito bem, já sabe qual é a regra né? Se quiser que eu pare é só falar a palavra de segurança.
Ele puxa as minhas pernas abrindo elas mais ainda, sinto Harry amarrar as minhas pernas em alguma parte da mesa com uma corda e apertou bem o local, ele fez isso nas duas pernas não dando chance de me fazer sair, ao menos se eu dissesse a palavra de segurança que era a minha fruta favorita. Ele pega uma bola que tinha ao seu lado e coloca na minha boca, sinto meu maxilar doer mas mesmo assim não penso em desistir da brincadeira, o tesão era mais forte do que a dor.
- Ainda dá tempo de desistir. - Harry diz me olhando com seus lábios entreabertos.
Meneei com a cabeça e então ele continua com a sua brincadeira, Harry sobe em cima de mim e começa a dar mordidas suaves na minha clavícula, descendo com as mordidas até os meus mamilos e quando chegou naquele local ele morde sem dó o bico do meu peito que estava rígido me fazendo envergar sobre a mesa, meu grito de dor foi sufocado pela bola que estava na minha boca mas as lágrimas que inundaram os meus olhos eu não consegui controlar.
- Já já passa baby, calma aí.
Ele diz e circunda os meus mamilos com a ponta da sua língua áspera passando calmamente para poder tentar aliviar a dor, mas mesmo assim ainda saia algumas lágrimas do meu olho. Ele me dá um beijo na bochecha e sai de cima de mim e após alguns segundos Harry volta com uma faca em mãos, ele não teria coragem de me cortar né? Ou teria? Vendo meu olhar de preocupação ele apenas da uma risada tentando fazer eu relaxar.
- Fica tranquilo baby, é só pra te desamarrar.
Suspiro tranquilamente e então ele volta pra cima de mim com outra coisa em suas mãos, pelo o que ele tinha me explicado aquilo era um prendedor de mamilos e de longe eu já conseguia sentir a dor já que o bico do meu peito estava mais sensível do que antes. Harry coloca aquilo no meu peito e então eu solto um gemido junto a um soco na mesa, minha cabeça pendeu para o lado e então as lágrimas voltam.
Harry tira a bola da minha boca fazendo eu relaxar o maxilar e depois de um tempo ele já começa um beijo mais calmo tentando fazer eu relaxar para não poder sentir mais dor e foi isso que ele conseguiu. Harry me beijava agora com uma certa pressão fazendo com que o tesão invadisse mais ainda o meu corpo, com o seu pênis já duro roçando no meu ele simulava uma penetração lentamente, aquilo já me dava uma prévia do que viria a poucos instantes e então tirando rapidamente sua calça juntamente com a cueca ele pega a faca ao seu lado e desamarra as cordas que envolviam minhas pernas.
Talvez esse não tenha sido o plano dele mas com o fogo tomando conta do nosso corpo não existia planejamento algum, a única coisa que importava era o pau dele dentro de mim e não importava de que maneira. Ele coloca minhas pernas em cima dos seus ombros se masturba rapidamente aproveitando o pré gozo e lubrifica seu pênis, se posiciona na minha entrada, coloca uma mão em meu ombro e sua outra mão fica apoiada sobre a mesa sustentando todo o seu peso, Harry penetra o seu pênis em mim e somente pelo contato eu prendo o ar e depois o solto como um gemido. Ele se movimenta dentro de mim e começa as suas deliciosas estocadas, eu rebolava buscando por mais contato e finalmente eu consigo, Harry socava forte seu pênis em mim fazendo eu perder sempre o fôlego, meus gemidos se misturavam com os de Harry e formava uma linda canção. Além de penetrar ele chupava o meu pescoço e gemia ao pé do meu ouvido, ele sussurrava o quanto eu era gostoso e o quão apertadinho meu ânus era e aquelas palavras me deixavam com mais tesão ainda, ele metia tão forte que eu conseguia enxergar pequenas luzes no teto.
- Eu quero sentar, Harry por favor.
Peço e então Harry tira seu pênis de mim e me ajuda a levantar da mesa, ele senta na cadeira e eu sento em seu pau sentido toda a sua extensão entrar em mim. Ele morde o meu ombro e eu continuo, eu subia reto e descia rebolando lentamente fazendo Harry arfar no meu ouvido e gemer meu nome, nós não estávamos controlados, eu quicava e Harry segurava com uma mão minha cintura apenas me incentivando a continuar e com a outra ele me masturbava me fazendo gozar mais uma vez e com essa já era a terceira vez.
- Eu vou gozar, não para. - Harry diz com a sua voz cheia de luxúria.
Eu estava suando e muito cansado mas nada importava a não ser o prazer que eu estava proporcionando ao Harry, sinto os jatos de gozo no meu ânus e juntamente com ele eu gozo gostoso, não me importando em estar sujando a nossa casa nova eu só me importava em estar sendo fudido pelo meu lindo e maravilhoso noivo, que com aquelas penetrações fundas e fortes, com todos aqueles objetos e toda aquela experiência dele me levava até a lua.


Notas Finais


Uiii q esse capítulo tá quente 🔥💖🤤
Até a próxima babys 💖


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...