História You belong with me - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Austin & Ally, Laura Marano
Visualizações 44
Palavras 2.855
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Famí­lia, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hey hey hey meu amores!!!! Demorei mas voltei!!!

ALERTA SPOILER: Gente, tem uma cena no capítulo de hoje que foi inspirada em uma das cenas do filme clássico "Starstruck - meu namorado é uma super estrela". Vou deixar um link nas notas finais pra quem quiser ter a referencia visual da cena.
Amei fazer esse capítulo.. Espero muiito que vocês gostem!
Let`s go!

Capítulo 5 - It was a perfect day


Fanfic / Fanfiction You belong with me - Capítulo 5 - It was a perfect day

LEIAM AS NOTAS INICIAIS 

 

Pov Laura

Estava prestes a sair da escola quando ouço a voz de Raini me chamar. Ela estava acompanhada de Grace e Dove, encostadas em um carro.

- Hey. O que estão fazendo? – Disse, me aproximando

- Nada. Só admirando. – Dove disse enquanto olhava para um grupo de garotos bonitos que passavam por alí. Ri com sua ação.

- Eai?! Vai rolar aquela caroninha, John?  – Calum perguntou chegando atrás de nós acompanhado de Ross e John.

- Ih! Foi mal, gente! Hoje não vai dar. Tenho compromisso!

- E quem seria a infeliz da vez? – Dove implicou, provavelmente indicando a “infeliz” como alguma menina.

- Ha ha ha. Muito engraçado, Dove! – Ele disse irônico – Foi mal, gente. Hoje, não vai dar.

- Tudo bem, John. A gente entende! – Raini disse pela 1° vez.

- Bom... eu vou indo! – Ross disse ajeitando sua mochila nas costas – Vamos? – Disse, olhando para mim. Assenti

- Como assim ... vamos? – Dove perguntou com uma afeição de dúvida, curiosidade e malícia. – Pra onde vocês vão?

- Pra casa. – Vi o rosto de todos, exceto Raini, ficar com um grande ponto de interrogação – Laura e eu somos vizinhos.

- Não brinca!

- Fala sério!

- Eu já sabia! – Raini disse, se gabando, fazendo com que todos a olhassem.

            Nos despedimos e fomos para casa, caminhando e conversando sobre coisas aleatórias.

- Foi mal por hoje mais cedo. Sabe... com a Courtney. Ela é um pouco ciumenta. – O loiro riu, acredito que de nervoso.

- Tá tudo bem, Ross. Ela é sua namorada. Tem todo o direito.

            Um silêncio se estabeleceu entre nós.

- Você entendeu aquela matéria de geometria? – Assenti. – Nossa. Eu não entendi nada. É muita coisa para processar. Fórmulas, letras... Aliás, por que tem letras se é matemática?  - Ri de seu comentário. – Acho que vou me dar mal nessa matéria.

            Me surpreendi com o que o loiro acabara de dizer, afinal, acho que é o primeiro cara (popular) que vejo que se preocupa com os estudos além de seu corte de cabelo, jogos, festas e garotas.

- Eu posso te ajudar, se quiser!!!

- Sério?! – Ele pareceu surpreso e feliz. Assenti – Nossa, Laura, muito obrigada!!! – Ele sorriu.

            Um medo percorreu meu corpo. Um flashback logo veio em minha mente, me arrependendo logo em seguida.

            Será que vai acontecer de novo?

- Amanhã? – Perguntei.

- Uh, não. Amanhã tem treino!! – Ele disse enquanto coçava a cabeça - Pode ser hoje? Se não puder, não tem problema.

- Não. Por mim tudo bem! – Ele sorriu e fiz o mesmo.

“ O que custa ajudar, não é?”

Mas... e se... eu estiver errada?

E se tudo estiver acontecendo de novo?

 

Pov Ross

Passei o resto do dia em casa jogando com meus irmãos e Rat.

Já estava quase na hora da Laura chegar, tomei um banho, coloquei uma roupa confortável, até que ouço a campainha tocar.

            Desci e vi que Ratliff tinha aberto a porta.

- O Ross está? – Ouvi sua voz doce e angelical, ainda do lado de fora da casa.

- Rat. É pra mim. – Gritei, descendo as escadas. Assumi a porta, dando passagem para a Morena entrar. – Hey. Entra aí. Gente... essa é Laura. Laura esses são meus irmãos Rocky, Ryland e Riker e nosso amigo e namorado da Rydel, e Ellington Ratliff. Laura é uma das Maranos.

- Nossas vizinhas? – Ryland pergunta. Assenti.

- Prazer em conhece –la, mileide. – Rocky disse pegando a mão de Laura e depositando um beijo alí. O QUE? 

- Prazer, meninos!

- Estamos lá em cima, estudando! – Indiquei o caminho para Laura.

- Estudando, sei... – Riker disse, irônico, enquanto Rocky fazia um bico malicioso. Reprendi eles com um olhar, sem que Laura visse.

- Af!! Vamos fazer uma pausa? – Ela assentiu – Vou pegar alguma coisa para beber.

            Saí, deixando a mesma em meu quarto. Quando voltei, Laura estava em pé observando meu quadro de fotos. Tinha fotos de quando éramos crianças (meus irmãos e eu), da R5, com meus amigos, com a Courtney, com meus pais e mais algumas aleatórias que tinha tirado.

- Tudo bem? – Perguntei, chamando atenção de Laura.

- Está sim. Belas fotos. – Sorri fraco.

- Obrigado. Que bom que gostou. Qual você mais gostou? – Perguntei indo até ela.

- Dessa. – Era uma foto minha tocando violão. (Aut: Foto 1 da capa)

- Estava distraído quando Rydel tirou a foto. Eu gostei. Sabe tocar? – Falei pegando meu violão que estava em um canto do meu quarto.

- Hm... mais ou menos.

- Então mostra. Mostra o que sabe tocar.  – Sentei em minha cama esticando o violão para a morena.

- Eu não... eu... Não lembro como tocar. Faz muito tempo.

- Eu te ajudo. Vem, anda logo! – A morena hesitou mas acabou aceitando. Dei o violão em suas mãos e guiei seus dedos até as cordas.

Um choque se espalhou pelo meu corpo assim que toquei suas mãos. Passei meu braço direito pelo seu pescoço.

- E esse é o “ré”. – A olhei que fazia o mesmo. Senti uma vontade muito grande beija – la. Encarei aqueles olhos grandes e castanhos que estavam me hipnotizava, sentindo seu cheiro de baunilha.

- É... – Ela disse se afastando fazendo com que tirasse meu braço de sua volta. – Tá ficando tarde né?

- É... – Disse sem jeito. Por que eu to assim? Nunca fico sem jeito.

- Acho melhor eu ir. Aqui seu violão.

- Ei... Luna, tá? Respeita ela! – Disse tentando quebrar o clima tenso que havia ficado no ar. E acho que funcionou. A morena riu de me comentário.

- Sério? Seu violão é uma menina e se chama Luna? – Assenti, sorrindo.

 

Pov Riker

            Rocky e Ryland jogavam vídeo – game, Rydel mexia em seu computador e Ellington dormia com a cabeça no ombro da namorada, e eu estava na poltrona lendo meu livro.

            A campainha tocou. Nos entreolhamos. Estávamos esperando alguém?

- Sua vez, Riker. – Rocky disse.

- Minha por quê? – Questionei.

- Porque o Rat foi da outra vez.

 Rocky, Ryland e eu fizemos um rápido pedra, papel e tesoura e adivinha quem perdeu???

Levantei, bufando, indo até a porta. Abro a porta e vejo uma mulher parada de costas. Ela vira assim que a porta se abre, revelando seu rosto e identidade. Ela era um pouco mais baixa do que eu, tinha cabelos pretos e um rosto angelical. Delicada. Sua pele era branca como a neve.

- Pois não?

- Oie. Vim chamar minha irmã.

- Ah, você deve ser a irmã da Laura, né?

- Isso. – Ela sorriu. Um sorriso lindo. Encantador.

- Riker. Irmão do Ross. – Estendi minha mão.

- Vanessa! – Ela me cumprimentou.

            Notei que ela ainda estava do lado de fora da casa e dei passagem para a mesma entrar.

- Quem era Riker? – Rydel perguntou sem tirar seus olhos do computador.

- A irmã da Laura. – Minha irmã parou imediatamente de digitar e olhou em nossa direção. Ela deu um grito que fez Ratliff acordar assustado.

- Vanessa!!!! – A loira correu para abraçar a amiga. – Gente... essa é Vanessa Marano! Vanessa.... Meus irmãos. – Ela acenou. – O que veio fazer aqui?

- Vim chamar a Laura.

- A Laura está aqui? – A morena assentiu. – Por que ninguém me avisou?

- Ela veio estudar com o Ross.

- Vou chamar. – Disse indo para o quarto de Ross.

 

Desci acompanhado de Laura e Ross. Encarei a morena que conversava animadamente com minha irmã. Ela, Vanessa e Laura ficaram conversando por mais um tempo e admito que as vezes desviava meu olhar para a Vanessa. Ela era extremamente linda.

- Tchau, Meninos! – As Maranos despediram – se.

- Tchau! – Dissemos em uníssono.

 

Pov Laura

- Finalmente, sábado!!! – Vanessa disse, se jogando ao meu lado, no sofá.

            Olhei no relógio do celular.

“Sábado. 09:00 a.m”

Não acredito que o dia que posso acordar tarde, eu acordo cedo!!!

Meu pai, pra variar, estava trabalhando. Minha mãe estava na área externa da casa, regando suas flores. Um hobbie que ela ama fazer. E Van e eu deitadas no sofá.

            Minha mãe pediu para uma de nós jogarmos o lixo fora e minha irmã se recusou a se levantar. Fui para fora da casa, coloquei o lixo no cesto e quando estava voltando para dentro quando escuto alguém chamar meu nome. Era Ross.

- Bom dia!!!

- Bom dia. Chegando? – Olhei, tentando ignorar o sol, para sua casa e percebi que seus irmãos estavam entrando em casa. Rydel acenou para mim.

- Sim! Tivemos uma reunião na gravadora. – Sorri ao ouvir o garoto falar da gravadora.  – Então... o que vai fazer hoje?

- Acho que nada. – Disse sincera.

- Estava pensando em ir dar uma volta. Quer ir?

- Pode ser. – Ele está me chamando para sair? – Pra onde?

- Não sei. O que você já viu desde que chegou aqui? O que conhece de Los Angeles?

- Nada! 

– Sério? Ótimo! Esteja pronta em 1 hora. – Ele sorriu e piscou. Senti meu coração acelerar.

            Entrei e fui direto para o quarto. Tomei meu banho e fui escolher minha roupa. Peguei um short jeans, uma blusa leve, já que estava muito quente em Los Angeles e passei uma maquiagem de leve.

Meu celular vibrou e vi que era Ross me avisando que estava pronto. Respondi, peguei minha bolsa e desci.

- Mãe. Vou sair. Volto mais tarde!! – Avisei minha mãe.

- Posso saber aonde vai? – Vanessa perguntou, tirando sua atenção da TV.

- Sair com Ross.

- Nossa!!! Conheceu o cara ontem e já vai sair com ele?? – Ela perguntou maliciosa.

- Não é nada disso, menina!!! – Joguei uma almofada em sua cara. – É só um passeio.

- Divirta – se, filha! E não volte tarde em...

            A campainha tocou e abri a porta. Ross estava de Jeans, uma camisa branca e seus fiéis all stars além de seus óculos escuros.

- Uau!!! Você está linda! – Sorri, envergonhada.

- Obrigada!! Tô indo. – Avisei minha irmã que acenou com a mão, sem tirar os olhos da TV.

Fechei a porta e caminhamos até o carro dele (que era do Riker).

- Aonde vamos? – Perguntei assim que entramos no carro.

- Conhecer a magia de Los Angeles. – Ele ligou o rádio que começou a tocar uma música da R5. – Sorrimos e ele começou a cantar. Uma voz doce que me prendia ao escutar. Começamos a cantar juntos.

 Nunca cantei na frente de ninguém antes, a não ser da Vanessa que sempre dava um jeito de me ouvir cantar. Não sei mas naquele momento estava mais interessada em cantar do que me preocupar com que os outros vão dizer.

“I like them Cali girls
Valley girls
When they look at me
Not too hard to see
That a Cali girl is what I need…”

 -Olha…. Alguém está escutando R5. – Ri. – Você canta bem.

- Obrigada! Você também não canta mal. – Falei provocando – o. O loiro revirou os olhos.

            E passamos nosso dia assim. Cantando pelas estradas de LA, tomando sorvete pelas ruas, tirando fotos e conhecendo lugares turísticos.

 Calçada da fama, Malibu, Universal CityWalk, Letreiro de Hollywood, e entre outros. Essa cidade é incrível!!! Estava encantada com tudo e acho que Ross percebeu pois ficava tirando fotos minhas e das minhas reações o tempo todo.

            Estávamos sentados em um píer em Venice Beach, olhando o pôr do sol. Coisa que eu amo fazer!

- Então você não é de Los Angeles?

- Não. Nasci e cresci no Colorado e depois viemos para cá. Mas... e você? Não sei nada sobre você, só que é nova em Los Angeles, apesar e ter nascido aqui, tem 17 anos, morou em meio mundo, – Revirei os olhos – tem uma irmã louca, ama sorvete de algodão doce e ama ver o pôr do sol.

- Já sabe tudo da minha vida. – Ri e o garoto fez o mesmo.

- Não, é sério. Quero saber mais. – É estranho alguém querer saber de mim, tipo o que eu penso ou quem sou eu.

- Tá... hm... Sou sagitariana, tenho um pai que trabalha em uma empresa que requer muita atenção dele e que de vez em quando isso acaba gerando consequências para a família. – Percebi o rosto do loiro se contorcer

- Tipo o quê?

- Como... ter que se mudar o tempo todo e que ele achar que sua vida gira entorno daquela empresa. E querer que a nossa também gire em torno dela.

- Ele quer que vocês trabalhem na empresa? – Assenti. – Mas é isso que você quer? – Neguei com a cabeça.

- Eu ainda não sei o que eu quero mas com certeza não é isso. Minha irmã é que sofre com tudo isso, por ser mais velha e decidir ser atriz. Ele não gosta dessa ideia. Tanto não gosta que deu um prazo pra ela. – Revirei os olhos. -  Acha que ela vai morrer de fome ou algo assim. Não sei, ele nunca se abre com a gente. Diferente da minha mãe. Ela entende a gente. Nos apoia em tudo. – Senti meus olhos marejados e uma vontade de chorar tomou conta de mim.

- Eu não sei como é isso mas... eu quero que você saiba que eu tô aqui se precisar.

- Obrigada!!!

- Mas... mudando de assunto... – Senti que ele queria me animar o que me deixou feliz. – Estou aprovado como guia turístico?

- É.... razoável. – Brinquei e ele fingiu uma cara de ofendido. – Tô brincando. Está mais do que aprovado. Aliás, você tem sido meu guia desde que cheguei aqui. – O loiro concordou. Encarei o sol, que agora já estava baixo

- Fica parada! – O loiro ordenou

- O quê???? Por quê???

- Só fica parada e olha para frente!!! – Fiz o que ele me pediu. O garoto tirou uma foto minha que tinha um contraste incrível com o pôr do sol. (Aut: Última foto da capa)

- Ross... ficou incrível. Alguém já te falou que você tem um dom para fotografia?

- Algumas pessoas.

- As fotos ficaram incríveis. – Falei enquanto passava as fotos que havíamos tirado hoje. Umas que tinha tirado dele, outras só minhas, outras de nós dois.

- Tenho que confessar que a modelo ajuda. – Senti um arrepio tomando conta de mim ao ouvir isso. Um mix de sensações e emoções me atingiram de uma forma que mesmo que eu quisesse não conseguiria explicar. Seus olhos estavam sendo clareados pelo resto de sol que restava e seus cabelos balançavam com o vento. Uma cena perfeita para um filme de romance. Pena que isso é vida real. Sorri envergonhada. Olhei o celular e vi que tinha 4 chamadas perdidas da Van, duas da minha mãe e uma do meu pai.

- Tá ficando tarde. Temos que voltar. – Ele iria falar alguma coisa mas desistiu logo em seguida, concordando comigo.

 

- Tenho que confessar que você é diferente do que eu imaginava. – Caminhávamos na areia.

- Diferente como?

- Diferente. Um diferente bom. Sei lá. – Ele riu, minimamente. – É só que... sinto que você é verdadeira comigo. Que você não está comigo por eu ser Ross Lynch, o capitão do time, músico e astro da LAHS (Los Angeles High School). – Ele disse intensificando o “astro” – Sinto que você não quer nada de mim. Não quer uma foto, um autógrafo, uma entrada para alguma festa ou simplesmente estar ao meu lado por ser quem eu sou.

- Ross... nunca liguei pra isso. Isso não importa pra mim. O que conta é personalidade, confiança, dignidade. O resto tudo vai embora.

 

            Voltamos para casa, em silêncio uma boa parte do caminho. Era um silêncio confortante. Cantávamos algumas músicas e lembrávamos do nosso dia. Assim que chegamos, Ross estacionou o carro em sua garagem e fez questão de me levar até a porta, alegando que me deixaria em casa, sã e salva. Achei exagerado, mas fofo.

- Obrigada pelo dia de hoje. Foi perfeito! – Disse já em minha porta.

- Não tem de quê. Obrigada você, por me fazer companhia.

- Ross... – Hesitei em falar – Posso só te pedir uma coisa? – Ele concordou, balançando a cabeça – Não conta pra ninguém aquela história que te contei.

- Fica tranquila. Isso vai ficar guardado comigo! – Fiquei um pouco mais aliviada com as palavras do loiro.

- Boa noite, Ross!

- Boa noite, pequena! – Sorri com esse apelido. Ele se aproximou depositando um beijo em minha bochecha. Se eu gelei? Com certeza! Podia jurar que ele iria me beijar, de fato. Onde estou com a cabeça? Ele? Me beijando?  Ri sem graça e entrei sorrindo.

- Finalmente!!! – Van disse aparecendo na sala. – Te liguei sabia?

- Laura??? – Vez de meu pai aparecer. – Onde você estava? Te ligamos e você não atendeu.

- Desculpa eu não ouvi. Mas mandei mensagem pra Van dizendo que estava tudo bem.

- Filha. Que bom que você chegou! – Minha mãe apareceu, me abraçando. – Bem na hora do jantar.

 

            Depois do jantar subi para meu quarto, tomei um banho relaxante e vesti meu pijama. Me joguei na cama lembrando do meu dia. Sinto meu celular vibrando e vi que era Ross que havia mandado mensagem.

R: “Adorei o dia de hoje.”

L: “Eu também. Obrigada pelo dia. Foi um dia perfeito!!!” 

  

LEIAM AS NOTAS FINAIS


Notas Finais


TAM TAM TAM... Eai, gostaram???
O link da cena de Los Angeles é esse aqui.... https://www.youtube.com/watch?v=XExZsQkK5Eg
EU AMO ESSE CLÁSSICO!! E vocês? Conhecem esse filme?Super indico!!! Gostaram do capítulo de hoje? #TeveRaura!!!!! Comentem aqui em baixo se querem mais capítulos assim...
Bjs... e até logo! :* <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...