1. Spirit Fanfics >
  2. You belong with me baby-Terceira temporada >
  3. Over And Over Again

História You belong with me baby-Terceira temporada - Capítulo 19


Escrita por:


Notas do Autor


Over And Over Again - Nathan Sykes
Outra e outra vez, de novo!
Eu amo pensar no amor!
Boa leitura!
Obs: A vó da Lorena é mais jovem e não tão idosa, okay?

Capítulo 19 - Over And Over Again


Fanfic / Fanfiction You belong with me baby-Terceira temporada - Capítulo 19 - Over And Over Again

Quarta-feira

Lorena POV

O sol brilhava em meu rosto enquanto eu lia meu livro no bando do passageiro do carro Murilo. Percebia seus olhos sobre mim e sempre que eu o olhava ele desviava o olhar.

—Você está me ignorando!—Falo fingindo que estou lendo o livro.

—Não estou te ignorando!—Ele esbraveja, olho para ele e fecho o livro.

—O que foi que aconteceu?—Pergunto olhando para ele.

—Jura que não sabe?—Ele pergunta irritado.

Olho para o meu croped e logo depois para Murilo, mordo meu lábio inferior, jura que ele ainda está pensando nisso?

—Murilo… Pensei que tivesse concordado com minha roupa!—Falo colocando minha mão em sua perna.

—Me arrependi!—Ele diz irritado.

—Amor…—Falo do meu jeitinho manhosa, ele me olha brevemente e eu faço biquinho.

—Ta, tá... Só vamos para sua vó mesmo!—Ele diz parecendo estar um pouco mais calmo.

Chegamos na casa da vovó, era linda e muito bem cuidada! Minha vó é uma pessoa maravilhosa! Desço do carro e fecho a porta, percebo que Murilo está do meu lado mas ele não me toca, isso é ridículo! Reviro os olhos.

Bato na porta e espero ser atendida, liguei para Mariana mais cedo então ela deve estar esperando por nós! A porta se abre eu olho para baixo, a linda Kate, vizinha da minha vó, abre a porta, ela sorri tímida para mim e depois olha para Murilo.

—Vocês trouxeram meu presente?— É a primeira coisa que ela pergunta quando entramos na casa —Hoje é meu aniversário!—Ela fala sorrindo —Faço 3 anos, mas vovó disse que pareço ter 5!—Ela sorri ainda mais.

Três anos? Jurava mesmo que tinha cinco mas pelo visto me enganei! Ela me olha e repentinamente abraça minhas pernas, ela tem personalidade forte e é muito carinhosa! Gostei dela!

—Feliz aniversário pequena!—Falo me ajoelhando na sua frente —Eu e o titio Murilo não trouxemos seu presente—Vejo ela ficar triste, bem triste! —Mas mais tarde vamos pegá-lo e dar para você!—Falo sorrindo, nervosa, nem dinheiro tenho para um presente, mamãe não tem me dado dinheiro ultimamente!

—Ebaa!—Ela pula de alegria.

Me levanto e olho para Murilo, ele não parecia estar muito feliz, pelo visto não acordou de bom humor! Mas isso não é culpa minha, ele tem que aceitar o que eu visto e como me visto!

Kate olha para ele e abraça suas pernas, ele da alguns passos para trás de susto e ela olha para ele sorrindo, como se esperasse que ele a pegasse no colo, céus, eu pagaria para ver o que está diante dos meus olhos! Mas ele não a pega, ela apenas o solta um pouco constrangida e vejo que suas bochechas coram, assim como comigo!

—Oh meus queridos!—Fala minha vó, olho para trás e vejo ela tirando um avental cheio de terra —Minha netinha, quanta saudade!—Ela diz me abraçando depois de tirar o avental.

—Vovó!—Falo animada abraçando ela com toda a minha força, ela quase me esmaga!

—Eu sabia que voltaria!—Ela diz com as mãos no meu rosto —Murilo!—Ela diz abraçando ele.

Fico o encarando para ele a abraçar também, ele revira os olhos e a abraça, as vezes acho que Murilo parece uma criança pequena, muitas vezes mal educada! Ele só é gentil e divertido com quem ele quer e quando quer, se não é um grosso que só pensa em si mesmo!

—Vamos tomar café queridos, eu disse para virem sem comer nada!—Ela fala sorrindo e andando até a cozinha —Venham!—Ela diz animada.

Kate vai correndo para a cozinha, eu e Murilo vamos juntos, ele pega na minha mão, o que para mim, agora, é uma super novidade! Olho para ele e ele da um sorriso sem graça.

—Desculpa!—Ele sussura no meu ouvido ao sentarmos na Mesa.

Quanta comida! Tinha tudo que eu comia quando era criança, me lembro de vir algumas vezes com mais ou menos sete anos, depois não mais e isso me corta o coração! Depois de tanto tempo eu vir procurar ela, me sinto culpada por não ter vindo antes!

—Lorena…—Murilo sussurra colocando a mão na minha perna.

—Depois conversamos sobre isso!—Falo e vejo o olhar da minha vó sobre nós dois.

—E então querida, como você está?—Pergunta ela me olhando enquanto colocava café na minha xícara.

—Estou bem!—Falo sorrindo —E você?—Pergunto olhando para ela.

—Também querida!.

—Que bom!—Falo tomando um gole de café.

Como senti falta do café dela! Com gostas de chocolate para adoçar! Minha vó tinha feito croissant de chocolate! Como ela é uma ótima cozinheira, queria ser igual!

—Vovó, vovó!—Kate chama Mariana puxando no tecido da blusa dela.

—O que foi?—Ela pergunta olhando para a menininha.

—A tia falou que vai me dar um presente!—Ela diz toda animada.

Vovó me olha e sorri, logo depois ela olha novamente para a pequena Kate.

—Querida, já conversamos sobre isso, nada de pedir presentes!—Fala vovó calmamente.

—Mas meus pais não me dão nada, por que eu não posso pedir?—Ela pergunta parecendo ficar triste.

—Porque não querida, não é porque seus pais não dão que os outros tem obrigação de dar…—Ela diz com seu jeitinho de vó e a criança pareceu entender.

—Me desculpem!—Ela pede olhando para mim.

—Não precisa pedir desculpas!—Falo sorrindo para ela.

(. . .)

—Mas o mais engraçado era você toda suja de croissant de chocolate!—Fala vovó rindo, dou risada junto com ela.

—Amor, eu vou ter que ir resolver uma coisa na empresa…—Ele fala me olhando, reviro os olhos.

—Por que?—Pergunto fazendo biquinho.

—Meu pai não sabe o que faz, volto para o almoço okay?—Ele fala acariciando meu cabelo.

—Tenho escolha?—Pergunto cruzando os braços.

—Não iria se não fosse necessário!—Diz ele colocando meu cabelo atrás da minha orelha.

—Okay!—Falo e ele me dá um beijo rápido.

Admito, as coisas parecem estranhas, Murilo parece distante e o pior é que eu nem sei como me aproximar, parece que eu já estou tão próxima e isso era tão diferente que acabou ficando normal e eu não quero que isso fique assim!

—Você está bem meu amor?—Pergunta Mariana sentando do meu lado logo depois que Murilo saiu.

—Estou!—Tento parecer bem, ela me olha e nega com a cabeça.

—Você nunca soube mentir querida!—Ela diz e me abraça.

Sinto lágrimas escorrerem pelo meu rosto e pela primeira vez me permito realmente relaxar e chorar como se quisesse tirar toda água do meu corpo.

—Se deita aqui!—Diz ela apontando para minhas pernas.

Meu deito em suas pernas soluçando enquanto ela tira o meu cabelo molhado do meu rosto. Por que dói tanto? Na verdade nem sei o que dói, o fato de eu ter sido sequestrada ou o fato de estar tão ligada em Murilo e ter que ir para Boston daqui mais ou menos um mês!

—Eu não sei o que fazer vó!—Falo limpando minhas lágrimas.

—Você sabe, só precisa escutar o que você quer!—Ela diz acariciando meu cabelo.

—Eu não sei o que quero!—Falo, na verdade sei, quero Murilo, mas não posso desistir de todo o resto!

—Faça o que achar que é certo!—Ela diz acariciando meu braço.

Me sento no sofá e limpo minhas lágrimas enquanto minha vó arruma meu cabelo. Sorrio para ela.

—Eu não sei, Murilo é muito importante para mim, não quero terminar com ele!—Falo abraçando ela.

Mariana se encosta no sofá e eu fico deitada no seu peito. Sinto uma dor profunda no meu peito, eu não consigo mais fazer isso, não quero mais todo esse peso em cima de mim!

É minha mãe brigando comigo o tempo todo, Murilo brigando comigo pela roupa que uso e Gustavo que não tem mais tempo para nada! E ainda minha faculdade, que mais parece com uma bola de neve crescendo a cada instante, e sinto que quando chegar lá, eu vou… não, não posso!

—Quem disse que vai terminar com ele querida?—Ela pergunta acariciando meu braço.

—Quando eu for para Boston, não, vamos ficar juntos!—Falo soluçando.

—Por que não?—Ela pergunta como se realmente não entendesse.

—Boston fica a um dia de Naples!—Falo olhando para ela.

—E duas de avião, querida, não é como se não existisse nenhum modo de comunicação como antes, não vão ficar separado por nem um mês!—Ela diz rindo.

—Você acha?—Pergunto com um sorriso bobo.

—Eu tenho certeza, é só ele te ligar e falar que tá indo, é fácil!—Ela diz piscando para mim.

—É, talvez dê certo!—Falo sorrindo.

—Vovó, vovó…—Kate aparece correndo na sala.

—O que foi?—Pergunta minha vó.

—Eu ganhei um bolo?!—Ela pergunta sorrindo.

—Você abriu minha geladeira?—Pergunta vovó com uma careta —Eu não acredito!—Ela cruza os braços, fingindo estar decepcionada.

—Descupa vovó!—Ela diz indo até a vovó e abraça ela.

Mariana começa a fingir que está chorando, tento controlar minha risada enquanto Kate a abraçava.

—Eu não quis, foi que… Eu fui pegar água!—Pequena Kate diz toda manhosa, essa garota é incrível!

—Okay então!—Diz minha vó sorrindo para ela —Mas o bolo é para de tarde!—Vovó alerta.

—Talvez eu tenha comido um pouquinho da cobetula!—Diz ela sorrindo.

—Você o que?—Pergunta vovó começando a fazer cócegas na pequena.

—Ah… Foi só um pouquinho!—Ela diz entre gargalhadas.

—Sei..—Diz vovó sorrindo.

—Agora eu quero te apresentar minha boneca…—Diz Kate saindo correndo.

—Os pais dela não são muito bem de vida, daí ela fica mais aqui do que em casa…—Diz vovó me olhando.

—Sério?— Pergunto seria, coitadinha, por isso ela disse que os pais dela não dão presente para ela.

—OLHA SÓ!—Diz Kate feliz me mostrando uma Barbie e logo depois um unicórnio —Esse é o unicórnio dela, adoro unicórnios, minha blusa é de unicórnio, olha!—Diz Kate me mostrando os unicórnios dela.

—Muito bonito seus unicórnios!—Falo sorrindo para ela.

—Obrigada!—Ela diz ela me abraçando —Você é muito linda!—Fala Kate —Seu cabelo é muito grande!—Kate diz.

—Obrigada, você também é!—Falo colocando ela sentada no meu colo.

—Seu marido tem muita sorte!—Ela diz mexendo em uma mexa no meu cabelo.

—Ele não é meu marido!—Falo rindo, ela me olha com os olhos arregalados.

—Não é?—Ela pergunta —Ele é o que então?—Ela pergunta colocando as duas mãos na cintura.

—Meu namorado!—Falo sorrindo.

—Ata, entendi, mas vocês dormem juntos né?—Ela pergunta sorrindo —Eu vi aquele dia!—Kate diz me olhando.

—Sim, dormimos juntos—Falo dando de ombros, ela é muito esperta!.

—Agora eu vou cozinhar, quem aceita me ajudar?—Pergunta vovó.

—Eu quero!—Diz Kate saindo do meu colo e pulando que nem uma criança serelepe.

—Vamos lá então!—Diz vovó chamando nós duas.

Fomos para a cozinha com ela. Mariana ditava o que era para nós fazer e fazíamos, na maioria das vez eu ajudava Kate, ela era tão pequena mas mesmo assim já era esperta, sabia pegar todas as coisas, só quase colocamos açúcar em vez de sal na comida! Rimos e nos divertimos bastante com a pequena.

—Agora é só esperar a batata terminar de assar!—Diz vovó terminado de lavar a louça.

—Vovó, vovó!—A pequena a chama e ela se inclina para a pequena falar no seu ouvido.

—O que, você quer mesmo fazer isso?—Vovó pergunta para ela e vejo um sorriso grande no seu rosto.

As duas me olham e vovó pega a toneira da cozinha e entrega para Kate, que aponta para mim, tentei sair correndo para a pequena foi rápida e me molhou.

—Eu vou te pegar garotinha!—Falo indo até ela enquando ela me molhava toda.

Pego o chuveirinho da sua não e molho ela também, Kate dava gargalhadas junto com minha vó e depois disso, mirei para minha vó, ela levantou os braços.

—Você não seria capaz!—Ela diz rindo.

Aperto o botão e molho ela também, ela tentou se proteger com as mãos mas no final estavam nós três rindo todas molhadas na cozinha!

—Você é muito espertinha!—Falo olhando para a Kate, as vezes a inteligência dela me faz duvidar se tem apenas três anos!

—Eu faço o que me diverte!—Ela diz rindo.

—Molhar as pessoas te diverte?—Pergunto sorrindo.

—Simm!—Ela diz pulando de alegria.

—Quer um segundo round?—Pergunto rindo.

—Agora está na hora do almoço, então vamos trocar de roupa para almoçar!—Diz vovó de um jeito mandão, não é a toa que é minha vó!

—Por que estão todas molhadas?—Escuto a voz de Murilo atrás de mim.

Me viro para ele rindo e fico sem reação, ele segurava um unicórnio gigante em um braço, cacete, ele comprou para Kate? Não sei o que devo fazer!

—Esse é para você!—Diz Murilo sério olhando para a Kate.

—Ai meu deus!—grita a pequena —Um unicórnio gigante!—Ela fala indo correndo para Murilo.

—Não pegue querida, primeiro troque de roupa!—Diz vovó sorrindo para ela.

A pequena sai correndo para trocar de roupa, continuei encarando Murilo, ele me olha e vaga seus olhos cor de mel pelo meu corpo, mordo meu lábio inferior.

—Acho melhor nos também trocarmos de roupa!—Fala vovó.

Volto para a realidade e olho para ela com um sorriso pequeno, concordo com a cabeça e enquanto ela tirava a forma de batatas do forno.

—Venha, acho que devo ter alguma roupa para você!—Ela diz indo para o seu quarto.

—Já volto!—Falo e sigo ela.

Entramos no seu lindo quarto, vem decorado e bem colorido, minha vó tem muito bom gosto! A admiro muito! Ela vasculha em sua cômoda procurando alguma coisa.

—Tem algum problema em ficar sem calcinha?—Ela pergunta me olhando enquanto tira um vestido regata solto no corpo.

—Acho que não!—Falo mordendo meu lábio inferior, ela sorri e me entrega o vestido.

—Depois me de sua roupa que eu já lavo!—Ela diz piscando para mim.

—Ta bom!—Falo indo para o banheiro do seu quarto.

Troco de roupa rápido e me olho no espelho, o vestido ficou solto no meu corpo, não tão curto e não tão longo, fora que eu só estava com ele no corpo! Aposto que Murilo vai amar ficar me secando!

Saio do quarto e vou até a cozinha, vovó já tinha trocado de roupa e estava arrumando a mesa enquanto Kate brincava com o unicórnio, Murilo a olhava sério enquanto tomava um pouco de água, espero!

Quando ele percebe que estou ali, me olha de cima a baixo, o vestido não é o mais bonito e me deixava ainda mais magra do que realmente sou, mas mesmo assim Murilo me olhava como se eu estivesse maravilhosa.

Vou até ele e me sento no seu colo, coloco minhas mãos em seu rosto e encaro seus profundos olhos enquanto acaricio sua nuca com minhas unhas, ele se arrepia e eu sorrio.

—Me diz que não tem nada por baixo desse vestido?—Ele pergunta colocando sua mão na minha cintura enquanto olha para meus seios, meu rosto cora.

—Não tem nada por baixo desse vestido!—Sussuro em seu ouvido.

—Vamos almoçar?—Minha vó corta o clima, me levanto rapidamente.

—Vamos!—Fala Kate rapidamente —Posso levar meu unicórnio junto?—Pergunta a pequena.

—Claro, deixei um lugar para ele!—Diz vovó sorrindo para Kate.

Murilo se levantou e pegou minha mão, olhei para nossas mãos entrelaçadas e logo depois em seus olhos, se existe algo que me impede de sair de Naples é Ele!

Fomos para a cozinha e nos sentamos um do lado do outro. Murilo estava com um brilho no olhar e eu não entendia o porque mas amava aquele olhar!

(. . .)

—Ela era muito tímida, você não te noção Murilo!—Fala Murilo falando com Murilo.

Vi seu sorriso bobo e revirei os olhos rindo, agora ela vai fazer um belo discurso sobre minha infância, provavelmente ela sabe mais que minha própria mãe!

—Ela ainda é!—Fala Murilo me olhando, sinto meu rosto corar.

—Ela se escondia nas pernas do pai dela sempre…—Ela fala sorrindo.

Respiro fundo, saber que eu nem o conheci, nem pude ter uma vida com ele! Vovó me olha e para de sorrir.

—Desculpa, eu não quis dizer isso—Ela repensa suas palavras, Murilo me abraça.

Por que as vezes me sinto tão fácil? E as vezes tão sentimental? Poderia jogar toda essa merda fora e sair para longe, mas talvez… Isso me torne quem eu sou não é mesmo?

—Não tem problema, eu nem o conheci!—Falo dando de ombros enquanto deito minha cabeça no seu ombro.

—Ah, você o conheceu sim!—Ela sorri para mim —Era a garotinha dele, não havia algo que ele não fizesse por você e você por ele, mesmo pequena, vocês tinham uma conexão tão grande!—Fala minha vó.

Lágrimas escorrem por meu rosto enquanto Murilo acariciava meu braço, fechei meus olhos por alguns instantes, quero me lembrar disso, do seu olhar e dos seus lábios pronunciando a palavra "filha" mas não me lembro de nada, eu era muito pequena!

—Por que eu não me lembro?—Pergunto chorando, não me lembro do meu próprio pai!

—Você era pequena demais!—Ela diz limpando minhas lágrimas —Querida, não se culpe por isso!—Ela diz me abraçando —Eu sei que não se lembra dele, mas sei que consegue sentir ele, sinta o amor dele por você, meu amor..—Ela segura meu rosto com as duas mãos —Ele te ama muito!—Ela diz e lágrimas escorrem por seu rosto.

Como deve ser perder um filho? Todas as pessoas esperam que os pais morram antes que os filhos mas e quando isso não acontece? Como vovó deve se sentir?.

Ela me abraça e eu encontro conforto no seu abraço, como nunca antes em seus braços, ela sempre me entende, mesmo quando ninguém entende!

Posso até ter me afastado dela no passado, mas não por escolha minha então, a partir de agora, ninguém mais, nunca mais, me afasta da minha vó! Ficar em seus braços chorando pelo meu pai é um tipo de conforto que nunca tive.

Minha mãe sofreu tanto que o bloqueou, o assunto papai é proibido até hoje, a última vez que falamos dele foi quando tivemos que nos mudar por falta de dinheiro, nunca tive o direito de perguntar, não me lembro de ser diferente.

—Calma querida!—Ela acariciava meu cabelo enquanto eu molhava toda sua camiseta com meu choro —Já passou!—Ela fala.

Vovó embalava como se eu fosse uma criança e aquilo foi me acalmando tanto que eu não queria nem abrir meus olhos, só queria ficar ali, em seu colo como se tivesse dois anos novamente.

—Por que minha mãe me privou de sofrer isso vó, eu não entendo!—Falo olhando para ela.

—Ela queria te proteger, você era tão frágil!—Ela diz mexendo no meu cabelo —Querido, fique com ela que eu já volto!—Diz ela olhando para Murilo.

Olho para ele e vejo sua testa franzida, ele está preocupado, como nunca tinha visto antes. Sento em seu colo e o abraço, sinto seus braços fortes em volta da minha cintura.

—Odeio te ver sofrer!—Ele diz enquanto eu choro em seu pescoço.

—Meu pai Murilo, eu… não me lembro dele!—Falo olhando em seus olhos.

—É, eu sei!—Ele diz tirando uma mecha do meu rosto molhado —Shh..—Ele me embala assim como minha vó fazia.

—Por que dói?—Pergunto olhando em seus olhos.

—Quero tirar sua dor, nem que a transferisse para mim!—Ele diz olhando em meus olhos.

—Eu te amo!—Falo o abraçando forte.

—Eu te amo!—ele sussurra no meu ouvido.

—Pode fizer isso outra e outra vez?—Pergunto fechando meus olhos.

—Eu te amo…—Ele sussurra repetidas vezes no meu ouvido.

Começo a me acalmar ao fechar os olhos e imaginar meu pai, ele era lindo, cabelos morenos como os do Gustavo e olhos castanhos, como os meus, ele seria brincalhão, sorridente e alegraria todos ao seu redor!

Ele brincaria com Murilo e se fingiria de "pai super protetor" só para brincar. Todos teríamos mais contato, nos falaríamos mais e seríamos mais unidos!

Por mais que eu não saiba se ele ele era tudo isso ou não, acredito no que acho dele, acredito que ele foi bom, que me amou e que teria orgulho de quem estou me tornando!

—Querida, eu trouxe seu chá favorito e um croissant para você!—Ela diz e eu olho para ela.

—Vovó, eu codei!—Fala a pequena Kate agarrada no seu unicórnio.

—Oh querida, que bom!—Diz vovó para ela.

Saio do colo de Murilo e ela me observa, sorrio para ela e ela vem até mim, a coloco sentada na minha perna, ela era levinha.

—Pensei que só crianças sentavam no colo dos adultos…—Ela observa.

Me permito dar uma risadinha, minha vó ri e Murilo continua sério. Ela é muito esperta para apenas 3 anos! Muito mesmo!

—As vezes os adultos também precisam!—Falo piscando para ela —Quer um croissant?—Pergunto pegando um da bandeja, se ela começar a fazer perguntas não estou preparada para respondê-las!

—Ebaa, eu amo!—Ela diz pegando da minha mão.

Pego meu chá e me encosto no sofá.

Tomo um gole, é divino!

—E então, como você está Murilo?—Pergunta vovó para Murilo.

Quase derrubo a xícara em cima de mim e Kate, olho para ele e vejo seu sorriso pequeno, ele não gosta de falar de sentimentos vovó!

—Estou bem!—Ele diz olhando para ela.

—Você vai fazer faculdade?—Ela pergunta olhando nos olhos dele.

—Não preciso, trabalho com meu pai!—Ele diz e eu engulo em seco.

—Isso é ótimo!—Ela diz. Nem tanto vovó!

—É sim!—Ele me olha e percebe meu olhar de desaprovação.

—Eu acho que já está ficando tarde vovó, já passou das cinco horas, vamos amor?—Pergunto olhando para ele.

—Se quiser!—Ele fala dando de ombros.

—Fiquem para a janta!—Diz vovó —Por favor, eu ainda nem perguntei de Gustavo!—Ela faz aquela carinha de triste.

—Ahn… Claro!—Falo sorrindo para ela —Gustavo está trabalhando muito.

—É ridículo o que fazem com ele naquela empresa!—Eu, vovó e Kate olhando para Murilo ao mesmo tempo —Me desculpem, pensei alto—Ele fala se defendendo.

—Ele vai ser pai!—Falo animada, vovó me olha com um sorriso de orelha a orelha.

—Pai?—Ela fala animada —De uma menina aposto!—Diz ela, reviro o olhos e escuto a risada de Murilo.

—Não da para saber o sexo ainda!—Falo fazendo biquinho.

—Mas então ele tem alguém?—Pergunta ela toda boba.

—Sim, minha melhor amiga!—Falo sorrindo.

—Ele se apaixonou pela sua maior amiga e você aceitou isso?—Ela pergunta me olhando, sei que ela está me testando.

—Sim, aceitei, por mais que eu tenha avisado ela que ele era um galinha igual a Murilo!—Falo olhando para ele e rindo.

—E então você conheceu Murilo porque ele é amigo de Gustavo?—Ela pergunta tentando entender a história.

—Não, conheci ele na escola, tínhamos algumas aulas juntos.

—Mas Gustavo ajudou um pouco!—Diz Murilo com um sorriso bobo.

—E quem é a garota de Gustavo?—Pergunta Mariana.

—Bianca, o nome dela—Falo e escuto música bufar.

—Você não gosta dela Murilo?—Pergunta vovó olhando para Murilo.

—Eu acho que não!—Diz Kate saindo do meu colo —Ele só gosta da Lolo!—Fala a pequena.

—É você tem razão!—Fala Murilo sorrindo para ela.

—Agora eu quero sentar no seu colo!—Diz ela se sentando na perna dele.

Eu e vovó nos olhamos e depois olhamos para ele, que encarava Kate com uma expressão muito estranha!

(. . .)

—Vovó, foi maravilhoso passar o dia aqui!—Falo abraçando ela —Muito obrigado mesmo, eu te amo!—Falo sorrindo.

—Eu também te amo Lolo!—Ela diz sorrindo —E venha mais vezes, a vovó fica com saudade!—Fala Mariana me dando um beijo na minha bochecha.

—É sério Mu, você tem que vir me ver!—Diz a pequena Kate para Murilo, apontando o dedo, mandando dele.

—Você não man…

—Claro, querida!—Falo cortando Murilo, ele me olha com um sorriso meia boca.

—Tchau Murilo, cuida bem da minha neta—Diz vovó puxando ele para um abraço.

—Prometo voltar logo!—Falo enquanto íamos para o carro.

A pequena viagem foi silenciosa, eu e Murilo não conversamos nada e isso me incomodava! Quando chegamos em casa, fomos direto para meu quarto, tirei o vestido e fui para o closet e coloquei um pijama confortável.

Fui para a cama e me deitei, deitei minha cabeça no travesseiro. Cadê Murilo? Ele não está deitado? Por que?:meus olhos não conseguiram ficar abertos por muito tempo e então eu desisti de tentar ficar acordada.


Notas Finais


Espero que tenham gostado!
Comentem!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...