História .You can call me hyung - Capítulo 1


Escrita por: e 2bj

Postado
Categorias Neo Culture Technology (NCT)
Personagens Doyoung, Taeyong
Tags Bottom!taeyong, Dotae, M00nz, Top!doyoung
Visualizações 651
Palavras 1.258
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Lemon, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


da saga: eu tenho fetiches estranhos, bom dia.

Capítulo 1 - Capítulo Único


 

“Tyong... só uma vezinha, vai.”

E lá estava Doyoung com sua mente diabólica enchendo o saco de seu Hyung, claro que aquilo era totalmente normal, nenhum dos outros membros questionavam mais.

O rapaz ficava cada vez mais insistente, apesar do contato físico ser algo muito comum entre os garotos, Taeyong estava começando a se sentir desconfortável com o aperto possesso das mãos grandes de Doyoung em sua cintura fina o impedindo de fugir.

“Aigoo, dodo!”

Resmungou manhoso formando um bico nos lábios, suas bochechas ardiam demais, o castanho sequer conseguia encarar os olhos do mais alto.

“Por que quer tanto isso? Eu sou mais velho que você! Isso é vergonhoso.”

Disse cruzando os braços um tanto irritado e o Kim sorriu travesso prendendo o mais velho contra a parede, Taeyong arfou.

“Porque você deve ficar sexy falando isso.”

Se o garoto pudesse explodir, ele com certeza explodiria. Taeyong estava quente, não poderia mentir, sua ereção começava a tomar vida sob o shortinho curto azul claro que usava.

Doyoung apertou um pouco mais a cinturinha do mais velho um tanto receoso apesar de não transparecer, jogou sua cartada final, queria tomar Taeyong com todas as suas forças tinha medo do mais velho afasta-lo

“V-Você tem fetiches muito estranhos, doyounggie...”

A voz do garoto saíra falhada e dengosa, ele não o rejeitou. Pelo contrário, o Kim sentiu o aperto em sua camisa como se o menor o quisesse mais perto, não escondeu o sorriso largo e malicioso. 

Taeyong estava duro.

“Posso até ter, mas aparentemente você gosta, bebê.”

Doyoung disse por fim levando uma de suas mãos até a ereçãozinha marcada no shortinho do mais velho apertando-a com precisão.

“E-Eu não sou um beb- A-Ah!! Doyoung!”

Céus, fora impossível se controlar diante de tudo aquilo, o gemido alto que Taeyong soltou enquanto se derretia todo sob seus dedos fora o suficiente para que o pegasse no colo em um movimento rápido e o jogasse na cama do quarto em que estavam se encaixando perfeitamente entre as pernas do mais baixo.

“Você está tão sensível, bebê.”

O chamou novamente e esfregou a sua ereção na do mais velho que se contorceu novamente e arqueando bonito, Doyoung sorriu selando os lábios do menor com ternura e fora muito bem retribuído pelo mesmo.

“Me deixa cuidar de você, Tae. Me deixe ser seu Hyung hoje e cuidar direitinho disso aqui.”

Disso calmo numa tentativa de passar segurança para o mais velho, Taeyong parou um pouquinho pensando se deveria levar aquilo a frente, mas droga queria tanto! Timidamente concordou com a cabeça e então escondeu o rosto entre as mãos ouvindo uma risada baixinha vindo do mais novo.

Doyoung não fez cerimônia para se livrar das vestimentas de seu Hyung, retirando o seu moletom que havia emprestado mais cedo e o shortinho que o mesmo usava juntamente a peça íntima assistindo o caralho molhado do menor saltar todo necessitado e pulsante.

Sorriu ao cobrir o membro de Taeyong tendo o mesmo cabendo perfeitamente em sua mão, poxa, foi tão lindo ver o mais velho arquear e choramingar todo sensível.

O seu próprio pau doía com a visão.

Iniciou movimentos lentos na extensão do menor, acariciando-o com cuidado, brincando com as bolinhas rosadinhas do mesmo e passou a beijar toda a virilha do menor sentindo-o tremer sob si.

“D-Dodo... T-Toca com a boca...”

Taeyong pediu sentindo os olhinhos marejarem pela vergonha, mordeu o lábio inferior ao ver o sorriso do dongsaeng se esticar, jurava que iria explodir a qualquer momento.

“Pede com carinho, bebê.”

Doyoung disse e Taeyong sabia muito bem como o mesmo queria que o pedisse, choramingou envergonhado.

“Dodo, isso é vergonhoso!”

Disse manhoso e quis chorar quando Doyoung parou de lhe tocar imediatamente, precisava de mais toques, poxa, estava tão, tão, mas tão quente. 

“Só irei fazê-lo quando pedir direitinho.”

Provocou dedilhando as coxas delgadas do mais velho com precisão ouvindo os suspiros manhosos do mesmo que se encolhia cada vez mais.

Taeyong respirou fundo desviando o olhar e escondendo o rosto nas mãos.

“P-Por f-favor, hyung...”

Soluçou o mais velho e novamente o Kim o atacou. Porra, Taeyong era uma perdição e claramente seria a causa de sua destruição interna! Levara os lábios afoitos para a ereção de Taeyong que arqueava e se contorcia em meio a gemidos macios, suas pernas flexionadas se abriam cada vez mais, ficando totalmente exposto para o maior. 

Doyoung estava o tomando tão bem.

“M-Mais embaixo, H-Hyung!”

Implorou baixinho sentindo as bochechas ardentes, encarou o mais novo todo envergonhado prendendo as mãozinhas nervosas nos fios negros do mesmo.

Doyoung soltou o seu membro num sorriso terno e então subiu em cima de si novamente para enche-lo de beijinhos nos lábios rosadinhos.

“Quer que o Hyung o toque aqui?”

O dedo do garoto circulou a entradinha rosada do menor fazendo-o gemer um tanto esganiçado, Taeyong assentiu timidamente rebolando lento contra o dedo do Kim.

“S-Sim, Hyung. Por favor, toque aí!”

Pediu abrindo ainda mais as suas pernas.

Doyoung claramente poderia morrer ali mesmo, estava simplesmente inerte, seu pau doía, pulsava e marcava a calça moletom de uma maneira absurda. Mas hoje não era a vez dele, já estava satisfeito com a visão do mais velho todo entregue a si.

Ele era simplesmente lindo. 

Um beijo suave deixou nos lábios do menor, brincando com a língua do mesmo antes de começar a descer sua boca pelo corpo liso e macio com muita calma e deixando marquinhas discretas por todo o corpo. Taeyong se deleitava, contorcia, suspirava e arfava, apertando os fios macios do Kim num pedido mudo para que ele fosse logo.

Doyoung sorriu pela forma apressada do mais velho e não querendo tortura-lo voltou a sugar o membro do menor descendo a língua pelo períneo até chegar onde queria. Um arco se formara perfeitamente pelo menor juntamente a um gemido manhoso chamando pelo nome do Kim e alto o suficiente para que tivessem a certeza de que todo o dormitório ouviu.

“H-Hyung!!! D-Doyoung Hyung... A-Ah!!!”

Taeyong estava todo perdido nas sensações que o mais novo estava lhe dando, a língua afoita do outro chupava o seu buraquinho com tanto afinco, droga! O Lee não demoraria muito para gozar, estava extremamente sensível, o corpinho do garoto já se tornava trêmulo.

O maior penetrava a sua língua com cuidado e carinho, brincando com as preguinhas de seu garotinho ansioso pelo orgasmo. As mãos grandes apertavam as coxas bonitas deixando marca nas mesmas e as deixando devidamente abertas.

“H-Hyung... E-Eu estou vindo!!”

Taeyong avisou macio em meio a um gemido frágil. O próprio Kim sentiu o seu corpo tremer com a voz destruída do mais velho, o garoto apenas soltou um: “vem pro Hyung, meu amor.” 

isso foi o suficiente para que o menor se melasse todo num orgasmo intenso, choramingou baixinho quando o Doyoung se levantou da cama o deixando sozinho.

“Dodo...”

O chamou não querendo que ele fosse embora.

“Eu vou só pegar algo para te limpar, Hyung.”

Explicou com um sorriso voltando para perto do mais velho deixando um selar na testa do mesmo que segurava a sua mão claramente como quem diz que não quer que ele saia.

“Mas ainda falta você!”

Disse com um bico nos lábios enquanto se sentava na cama e apontava para a ereção gritante nas roupas do maior. Doyoung, por incrível que pareça ruborizou, não esperava por isso.

“Não tem problema.”

Explicou sentando-se ao lado do menor acariciando os fios castanhos com carinho.

“Claro, que tem! Agora é a minha vez de cuidar de você, eu quero o seu leitinho, Dodo.”

 


Notas Finais


taeyong falando “hyung” é lindo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...