História You can call me monster (Imagine Baekhyun- EXO) - Capítulo 10


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Personagens Originais
Tags Baekhyun, Exo
Visualizações 224
Palavras 627
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fantasia, Fluffy, Hentai, Literatura Feminina, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


I'm back 💕
Antes de mais quero avisar que este capítulo não está grande coisa...portanto sorry.
A one shot do Baekhyun deve sair daqui a uns dias e eu depois aviso e deixo o link para que vcs possam ler, se quiserem é claro 😂

Capítulo 10 - Quem sabe...


Fanfic / Fanfiction You can call me monster (Imagine Baekhyun- EXO) - Capítulo 10 - Quem sabe...

Os meus olhos abriram-se depois de ouvir as suas palavras, senti os nervos tomarem conta do meu corpo e de alguma maneira as minhas mãos começaram a suar segundos depois.

Os seus dedos desceram até ao meu queixo e ele puxou-me delicadamente para mais perto.

Foi como se o tempo tivesse congelado por instantes, como se existisse uma espécie de barreira invisível que nos impedisse de aproximar e enquanto os nossos lábios lutavam para se juntar a minha respiração ficava cada vez mais acelerada.

Cada vez mais perto.

Mais

e

mais.

Míseros milímetros... os meus olhos fecharam-se e não pude evitar dar um pequeno sorriso.

Mas quando já estava tudo perfeito um som irritante assustou-me. Baekhyun afastou-se e largou-me com um sorriso envergonhado.

Olhei em volta e caminhei contrariada em direção à minha cama, agarrei o telemóvel e vi uma mensagem do meu pai.

-Está tudo bem?- perguntou Baekhyun acabando com o silêncio.

-Sim, é só uma mensagem.

Olhei na direção onde ele estava e nada...

Senti alguém tocar na minha mão e estremeci, ele apareceu ao meu lado como se nada fosse. Já tinha a pala no olho e os lábios crispados com uma aparente tensão.

-Gostava muito que não fizesses isso sem me avisar.-disse eu.

-Desculpa.

A minha sobrancelha elevou-se e eu peguei na mão dele depois de pensar uns segundos.

-Anda, quero ver uma coisa.- esclareci.

Arrastei-o pela casa até chegar à porta da rua, abri a mesma com um ruído amadeirado e saí cá para fora.

O sítio que vi na minha "visão" é este, está tudo praticamente igual tirando o facto do velho banco ter sido substituído por umas cadeiras de plástico e o portão que estava coberto pela trepadeira estar agora pintado num verde seco, na minha opinião muito mais feio.

-Foi aqui...certo?

Ele assentiu com o rosto e afastou-se ligeiramente de mim.

Tinha um olhar triste na direção da árvore coberta por flores rosa.

Um lugar tão encantador onde aconteceu uma morte tão cruel.

Ficámos uns segundos em silêncio enquanto ambos olhavamos em volta, enquanto eu imaginava carroças e cavalos neste sítio... homens com fatos e grandes chapéus e as mulheres com vestidos coloridos, cabelos arranjados e sobrinhas que as protegiam do sol.

-Porquê só agora?- perguntei quebrando o silêncio.- Vivo aqui à quase um ano e só te vi agora. Porquê?

Ele olhou solenemente na minha direção e sorriu-me.

-Venho ao cair das flores, ao despontar da primavera...quando a última flor desta árvore cair eu também me vou embora.- ele gargalhou amargamente.- Por alguma razão fico preso aqui durante esta estação. Talvez eu esteja a pagar por algum pecado em vida.

-Tu és muito ligado à natureza.- afirmei.

Baekhyun levantou a mão e apanhou uma das pequenas pétalas rosa enquanto esta caía em espiral na direção do chão, aproximou-se de mim e agarrou na minha mão com cuidado.

A pétala foi depositada na minha palma e uma lágrima caiu pelo seu olho saudável em direção à minha mão afogando a pequena parte da flor numa água salgada.

-Sim...às vezes acho que devia condenar a primavera, a natureza. Mas depois percebo que acabaria por me condenar a mim mesmo. Eu até podia praguejar a todos os rios do mundo, bradar aos sete mares e a todos os oceanos...mas voltaria sempre a amar a natureza, afinal ela é minha mãe e foi a minha única companhia durante tantos anos...

-Baekhyun...

Ele fechou a minha mão e ergueu-a à altura dos seus lábios para depositar ali um beijo.

-Sabes Catherine...se te tivesse conhecido no meu tempo esta nossa relação já seria motivo para te desposar. Eu havia de colocar o meu joelho em terra e erguer um anel para te pedir em casamento... e logo depois pedir permissão ao teu pai. Se tudo corresse bem teríamos um casamento tradicional...filhos...e quem sabe uma vida feliz...quem sabe se eu não estivesse morto. Quem sabe...

-Gostava que isso fosse real.- afirmei sem pensar.

-Talvez noutra vida nos voltemos a encontrar.


Notas Finais


Desculpem qualquer erro 💙


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...