História You can not cry - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Chaz Somers, Christian Beadles, Irina Shayk, Justin Bieber, Ryan Butler
Personagens Chaz Somers, Christian Beadles, Irina Shayk, Justin Bieber, Personagens Originais, Ryan Butler
Tags Máfia
Visualizações 18
Palavras 1.620
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oiiii eu de novo, então esses dois primeiros capítulos é mais pra saber como é mazikeen e como ela é o estilo dela o terceiro capítulo vai mostrar como ela é e eu pelo menos amei o jeito que ela é.

Boa leitura

Capítulo 2 - Bitch


 - sua vadia, eu não quero saber se você tem um ou dois filhos só quero saber onde ta o Moore só isso eu vi você muitas vezes com ele e eu tenho certeza que você sabe de alguma

coisa - disse em um tom baixo mais ameaçador olhando direto para seu olho roxo que eu fiz questão de deixar

    

      - e -eu juro, não sei onde ele está, a única coisa que eu fazia era ficar perto como acompanhate

    - não, eu conheço acompanhate e voce não tem cara de puta, você com certeza é de família nobre, Andre Moore não é do tipo de sair com putas, mais tudo bem querida - disse acariciando seus cabelos loiros agora sujos de sangue- eu irei fazer você abrir a boca de um jeito ou de outro, como chama sua filhinha mesmo querida ? elena não é isso elena, Belo nome- disse ainda fazendo carinho em seus cabelos

   - por favor não coloca ela não meio disso, POR FAVOR - ela disse se esperneando enquanto eu ia em direção a uma mesa que tinha algumas coisas de tortura em cima como por exemplo uma agulha com sonífero

    - se recomponha mulher, você não pode chorar - falei com um sorriso maravilhosamente simpático no rosto - então sua filha irá se assustara se ver você nesse estado medíocre

     -por favor - ela disse assim que eu apliquei uma grade dose de soníferos em sua veia

     - quero essa mulher limpa ela está me dando nojo

    - sim senhora - disse olhando pro chão

    - mande alguém buscar a filha dessa mulher já tô cansada dessa gracinha quero achar ele o mais rápido possível - disse saindo sem da tempo a ele de responder, assim que sair da sala tinha um bando de segurança

     - senhora, eu trouxe a menina com a moça quando a pegamos, ela estava junto com a mãe trouxemos a menina deixei e deixamos na sala quatro - levantei as sobrancelhas o homem tinha vindo atrás de me falando olhei no fundo de seus olho, sei que eu devia matar ele por ter trago a menina mais como preciso dela agora fodasse

     - tá me trás essa menina quero falar com ela e se ela tiver chorando Mato ela sem pensar duas vezes junto com o segurança que você deixou tomando conta e se eu não tiver satisfeita em ter matado os dois Mato você de quebra por ter trago uma criança com você sendo que eu mandei você trazer só a vadia, sua sorte e que eu preciso dela agora se não você já teria uma bala nessa sua testa, e quer saber leva a menina pra minha sala agora não tô afim de ver criança chorando, leva ela pra minha sala quando tiver com a boca calada se necessário amordaçada

    - sim senhora - disse saindo da minha frente, vou direto pro meu escritório, abro a porta encontrando uma sala vermelha com todos os moveis pretos, menos um a minha cadeira, sento nela abro meu notebook pra ver algumas coisas sobre o filho da puta do andre aquele la sim vai ver o que é tortura quando eu for tortura ele irei arrancar dedo por dedo, Justin fica me ligando pra saber ser eu já o peguei, dessa vez tá demorando mais que o normal to atrás dele a duas semanas, quando eu e Justin roubamos o pai dele foi bem legal eu torturei aquele velho com tanta vontade que só sobro sangue pro enterro. Só interrompida dos meus pensamentos com alguém batendo na porta

     - entra - digo sem animo de ter que resolver mais alguns coisa,o homem super alto entra com uma menina branca dos cabelos negros ela encara minha sala e olha nos meus olhos como se eu fosse o próprio demônio, coisa que as pessoas falam que sim.

      - sentisse - digo pra menina que deve ter uns sete anos - Paollo no memso segundo pega ela no colo e senta ela Na poltrona em minha frete-  sai Paollo - agora a menina mim encara com curiosidade, com a feição surpresa

     - minha mãe quando pedia o moço pra sair ele não saia, por que ? - ela pergunta

    - quantos anos você tem ? - pergunto sem liga pra sua pergunta como se alguém fosse obedecer uma mulher daquela toda frágil que com certeza não mata uma mosca, mereço

    - sete, vou fazer aniversário daqui a pouco

   - como seu pai chama ? - se essa menina fala que o pai dela chama Andre Moore matarei aquela mulher,só por tá mentindo pra mim

    - não sei, eu chamo ele de papai

    --PAOLLO -grito já sem paciência com essa coisa na minha frente Menina chata do caralho

   - sim senhora

   - eu quero que você vai lá e acorda aquela mulher, espero que já esteja limpa, ela já estava me dando nojo

  - sim ela está limpa, mais  senhora deu uma dose muito alta de remédio pra ela, agora ela tá no sono profundo

  - olha pra minha cara, menina, você lembra se eu perguntei esse idiota se a mulher tá dormindo

    - não - ela respondeu olhando pra mim com olho de cachorro morto, como se isso tocasse alguém

   - pois então Paollo não te perguntei so tô mandando você ir lá e acordar ela não me interessa como só, faça,agora - digo e ele sai da sala correndo como de fosse morder ele a qualquer instante, e a menina continua me olhando agora com o mesmo olhar de curiosidade

    - como você faz pra mandar neles ?

   - sendo boa de mira pra dar um tiro na testa se não obedecer - quando eu vi já tinha respondido, viro minha cadeira de costa pra ela, eu preciso urgentemente dormir, depois de ter indo na boate do Justin tive que resolver um monte de coisa, por exemplo tortura uma vadia que não abre a boca pra falar onde ta o filho da puta do andre Moore uns dos maiores filho da puta ele roubo uma carga de um milhão e meio de dólares e de quebra Mato o chefe da segurança só pra ajudar, não estamos atrás dele só por causa da carga mais ela é o principal motivo

      Depois de um tempo Paollo veio falar que a mulher estava acordada meio zonza mais acordada

     - fique com essa menina, vou ir falar com ela - disse saindo da sala andei ate o fim do corredor, abrir a porta dando de cara com uma mulher, com seu rosto roxo pelos meus soco e suas pernas estavam cortada pelas facas que eu fiz questão de corta em desenhos e meu nome.

     - Olá querida - digo chegando perto

     - OQue você fez com a minha filha - ela disse no tom de desespero

     - ainda nada, ainda, mais se você não me disser OQue você sabe  adorarei tortura você na frente da pobre menina e eu tenho quase certeza que será muito triste pra sua menina

    - eu não sei de nada - essa mulher insiste em falar que não sabe de nada mais eu sei que ela sabe eu ouvi a ligação dela com ele eu ouvi ele falando perguntando sobre a menina

     - a menina e filha dele não é

     - não, ela não é filha dele

     - não perguntei, eu sei, eu ouvi a última ligação de vocês, eu sei que ele se preocupa com a menina, sei que você sabe onde ele está PAOLLO TRÁS A MENINA - assim que termino de falar do um murro em seu rosto assim que terminei de falar, entra na sala uma garota assustada com a cena de sua mãe amarrada e toda machucada e com cortes pelo seu corpo

      - mamãe - ela fala querendo correr pra mãe

 

     - sabe querida, sua mãe sabe de uma coisa que eu preciso muito saber mais ela não fala por nada, então você é minha última opção, quero saber onde está seu pai mais sua linda mamãe  não abre a boca

     - eu já disse que não sei - a mulher fala

     - eu tô cansada de você sua filha da puta Paollo eu quero que você bata nessa mulher, mais eu quero que você bata nela como se você tivesse batendo na pessoa que você mais odeia quero ela....- meu celular começa a tocar

        - sim Christian - falo ao atender o celular

       - achei, eu achei ele, estão todos indo atrás dele - o menino diz eufórico,  o que mim faz sorrir verdadeiramente, como se eu tivesse acabado de ganhar o melhor presente do mundo

     - me manda localização, faço questão de dar o primeiro tiro - digo sorrindo, quase saindo da sala - e Paollo, prenda a menina, e junte os melhores homens, e venham comigo achamos ele - mais antes de sair - e voce senhora Smith não precisaremos dos seus serviços - falo sacando a arma, dando vários tiros e sua pessoa com meu sorriso mais perfeito - eu disse que seria melhor pra você se abrisse a merda da boca.

     Saio da sala nem olhando pra ninguém indo direto para minha lamborghini preta ligando a, indo pro endereço que Christian mando pro meu celular, com as suvs pretas vindo atrás de mim

     Chegando ao local encontro Ryan a minha espera, com sua armar, chaz também esava mim incarava como se fosse me dar um tiro naquele momento

 

     - demoro em, Bieber está lá dentro te esperando pra terminar com o filho da puta

    - esperei um bom tempo por isso - digo passando por Ryan e dando um beijo em sua bochecha e inguinorando a existência de Charles somers

    

      


Notas Finais


Espero que tenham gostado, eu tô amando escrever e me desculpe se tá meio bosta mais e minha primeira fanfic então tenho essa Desculpa vejo vocês no próximo capítulo

Link do trailer
https://youtu.be/PAJzU28A7f0

Logo criarei uma playlist pra fanfics


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...