História You can't stop us - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 14
Palavras 1.508
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: LGBT, Romance e Novela, Shoujo-Ai, Sobrenatural, Suspense, Violência, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Bem, essa é minha primeira história... É! Só vamos Men!

Capítulo 1 - Não sei bem o que houve


Fanfic / Fanfiction You can't stop us - Capítulo 1 - Não sei bem o que houve

Acordo de repente com minha vista um tanto turva, me encontro num lugar desconhecido, tento levantar e sinto uma dor leve na barriga e no braço direito

- O que houve noite passada? - Pergunto a mim mesma levantando e apoiando numa parede de tijolos próxima. - Droga! Acho que chapei o coco de bebida de novo... Mas os buracos de balas são outra coisa.

Após alguns segundos consigo me levantar inteiramente, ainda zonza escuto o barulho de "Bib" vindo do meu bolso, era meu celular, me impressiona ainda ter ele depois de ontem. Novamente o aparelho toca e eu atendo.

- Alô desgraça, aonde você tá?

- Parece algum telhado de prédio, tem muita mulher no chão, o que será que aconteceu? - Diz Pete, a voz no telefone.

- Não faço ideia cara, só acho que tô sem meu pulmão.

- Eu provavelmente sem o fígado, mas as vezes é bom ser imortal apesar de nos odiarem.

- Concordo em parte, bem... Vou desligar, veremos se consigo ir andando para casa, que aliás nem sei mais aonde é.

- Cara, eu também não sei onde tá minha casa, mas... O X da questão é! Aonde eu tô?

- Nem pergunte para mim, eu mesma nem sei que beco de New York City eu tô. De qualquer forma, tchau! - Desligo antes que ele diga alguma coisa.

Ainda apoiada na parede, saio andando e tentando relembrar aonde fica minha casa, procuro uma placa para me localizar... Sem óculos, a vida de míope não é mole, e esquecer o óculos ( minha marca registrada) sempre acontecia, e não ajuda em nada. Chamo um táxi, e digo qualquer rua, sorte que ainda estou com a minha carteira, e ainda tem dinheiro... INCRÍVEL!! Não ser assaltada é uma das sortes que eu tenho... Além de imortal. Deixa eu advinhar, tu aí se perdeu, bem, para simplificar tudo, eu sou uma das tão odiadas pessoas pelo mundo atual que são "imortais" é cara! Essa merda existe, e confia em mim, você não gostaria nada de ser imortal e não envelhecer, tenho a mesma aparência desde que tinha 16. Deixe-me eu me apresentar, sou Jessica Sharp Connors, tenho 22 anos de idade, moro... Em NY, atualmente estou solteira e carente, quer que descreva a aparência também, sou ruiva (MEU CABELO NÃO É VERMELHO) tenho olhos roxos, cor roxa okay? Pele mais branca que tinta de parede, boca vermelha, né, não só por causa do sangue, e uma tattoo na cara, mais precisamente no olho direito, e... Não sou tão amigável quanto pareço.

Do nada o motorista do táxi me olha com cara feia, e diz em um tom grosseiro para que eu saia, será que ele notou o sangue só agora? Saio do carro e começo a andar e reconhecer a rua que me encontro, é a rua da minha casa! A memória volta aos poucos, mas com uma força gigante, que dá até dor de cabeça, ou seria a famosa ressaca? Foda-se, agora preciso voltar para casa, quero dormir e a dor cada vez que me lembro de algo martela mais forte minha cabeça. Pego e olho o celular, como sempre, várias chamadas e mensagens que não li, e sempre de quem? Do meu irmão mais velho preocupado com a pobre irmã indefesa, qualé! Aiwey é chato pa porra! E sim! Eu tenho família, apesar da maioria me odiar como qualquer pessoa, eu não culpo ninguém, porém eles são religiosos de mais e isso acabou interferindo na nossa convivência, bem nem vou mandar uma mensagem pro Aiwey, provavelmente vou ver ele quando chegar em casa.

Após andar um pouco chego num prédio de luxo, claro que não é o meu, mas esse prédio é hiper lindo, sempre paro em frente ele e fico admirando. As pessoas passam e me encaram, rindo ou espetadas pela quantidade de sangue na camisa branca e um pouco aberta, as pessoas já sabem o que eu sou, e nem se atrevem a mexer comigo, bem... Sou praticamente a pior coisa que dizem que o diabo fez... Sim, diabo! Dizem q eu sou obra do capeta, mas, eu acho que eu sou muito bonita para ser obra dele, hahaha! Quem eu quero enganar? Estou sempre triste, ninguém quer ficar com alguém como eu, e também, por que ficaria?

Ando mais um pouco até chegar num prédio beeeeeem, digamos cagado pra cacete! Entro no edifício, subo pelo elevador até o último andar e finalmente chegou em my house, onde a porta se abre e sai o que eu mais odeio, ser escandaloso.

- JESSE!!!! Caraí! Aonde você estava ontem a noite!!?? - Grita Aiwey para mim

- Calma bixa escandalosa!! Nem eu sei aonde eu dormi, e por que diabos você está na MINHA CASA!?

- Eu tava preocupado com você! Ontem você disse que ia sair pra beber com o Pete, Ami e Toma, depois disso não disse mais nada.

- Ami!? Pera! Ela saiu pra beber comigo!? Caralho, preciso achar ela!

- Calma, Jesse ela já tá na casa dela, saiu cedo porque te viu numa situação nada agradável.

- Aí droga, ela me viu chapada, deve estar hiper puta comigo...

- É! Tá muuuuito puta, hahaha! - Lanço um olhar de ódio para Aiwey, que fica quieto na hora. - Desculpa, eu tô ajudando em nada, né?

-Exato! - Sou interrompida pelo toque do celular, é minha chefe! Aí lasco! - Ooooi chefinha!

- Chega disso Jesse, aonde você está e por quê não está na minha sala, fazendo seu trabalho?

- Acordei um tanto tarde, mas já estou indo fazer meu serviço, chego em alguns minutos.

- Da próxima... Não haverá próxima, Srt. Connors. - Ela desliga me deixando com cara de desespero.

- Maravilhoso! Agora essas! Eu vou me arruma pra ir pro trabalho, cadê meu óculos... Que dor de cabeça DO CÃO!!

Subo as escadas bufante e nervosa, sempre fui pavio curto e temperamental, deve ser por isso que as vezes minha chefe me chama de "Jesse, O Cão Demônio" que triste, ela tá certa.

Me arrumo com pressa e de qualquer jeito e saio correndo de casa para não me atrasar e fazer com que a chefe me dê uma facada (literalmente) Fico andando pela rua e passo pelo mesmo lugar de sempre, um beco que nele, mora uma mendiga, ela sempre fala uns bagulhos doidos, tipo : " Ela não vai machucar você" " Acabaremos com seu reinado" " Ela não vai me pegar" Mas hoje, em específico, ela me disse algo que me fez realmente pensar. Passei por ela como sempre e do nada ela salta na minha frente e me segura pelos ombros gritando e estremecendo.

- ELA NÃO PODE NOS PARAR! NÃO! ELA NÃO PODE! VOCÊ NÃO PODE NOS PA... - Do nada a mulher se atira ao chão se debatendo, uma convulsão. Deixo a mulher com um homem que queria ajudar, ele chama a ambulância e eu saio de lá sem que me vissem, talvez porque dirão que é culpa minha.

Saio correndo, não, voando pro serviço, para chegar na hora, e já avisto o prédio, chego mais perto e entro, me deparo com a cena mais idiota possível, minha chefe parada e de braços cruzados, batendo o pé no chão repetidas vezes e com a cara de "Você se atrasou outra vez"

- Ah... Éééé.... Hum... Oi chefe! Tá muito bonita ho....je, hehe, né?

- JÉSSICA SHARP CONNORS, É A DÉCIMA VEZ QUE VOCÊ SE ATRASA ESSE MÊS E SE, VOCÊ SE ATRASAR NOVAMENTE, ESTÁ DESPEDIDA! ENTENDEU?

-Sim senhora, vou fazer meu trabalho.

Abaixo a cabeça, e saio da recepção, antes que a chefe me mate outra vez, vou direto para sala dela fazer o serviço que sobrou da noite passada, pego alguns papéis e vou para minha mesa, e logo em seguida entra a chefe com cara de arrependida e me dá um beijo na testa

- Mans hein!? - Pergunto para mim mesma, o que deu nela? Logo hoje que o dia resolveu estar estranho! - Chefe... Algum problema?

- É que, eu acho que exagerei um pouco, devia ter pego leve com você, talvez você tenha um motivo para ter se atrasado...

- Uma men... quer dizer - Limpo a garganta - Uma moradora de rua me parou e ficou gritando comigo.

- Oh Deus! Você está bem, ela te machucou?

- Eu... Tô bem, mas aquela mulher teve uma convulsão...

- Nossa, talvez agora ela esteja bem, mas, o que ela gritou para você?

- Algo como... " Ela não pode me parar" ou " Você não pode me pa... - Antes que eu termine a frase ela abafa minha boca com a dela, não tenho reação, somente fico parada e aceito. - Jesse, eu gosto muito de você, portanto... Nunca mais diga está frase. - Diz ela me beijando novamente, fico quieta e imóvel, não sei o que fazer ou o que dizer... só, consigo pensar em uma única coisa... CARALHO MINHA CHEFE ME BEIJOU!!!! COMAZIN GARA!?

Do nada sinto a vista turvar, tudo rodar e escurecer e o corpo pender para trás, ao fundo escuto uma voz feminina gritar.

- JESSE!

You can't stop us...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...