História You Changed My Life - Capítulo 19


Escrita por:

Postado
Categorias 5 Seconds Of Summer, One Direction
Tags Alpha, Beta, Larry, Mpreg, Ômega, Romance, Ziall
Visualizações 139
Palavras 1.335
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Fluffy, Lemon, Literatura Feminina, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Não me matem meus anjos, adivinhem só, eu comprei um celular e posso voltar a escrever uhuuuul kkk amores eu aviso que a fic vai tomar um rumo a partir de agr mais pesado. Um abraço meus anjos.

Capítulo 19 - Quando o vento cessa


     Demorou um bocado de tempo até que as coisas começassem a ficar bem.  É claro que os acontecimentos anteriores se sucederam de forma rápida, e que provavelmente você tenha ficado perdido, tentando entender que p**** está acontecendo?
    Mas nossa história é assim mesmo, meio maluca, cheia de coisas que não fazem o mínimo sentido. Aliás, a vida é assim, se você parar pra pensar. Cheia de coisas que não fazem sentido. As vezes você se pega pensando se está fazendo a coisa certa, se está caminhando na direção correta, e então vem algo, ou alguém, e te mostra que nem tudo é tão simples, ou que nada é tão complicado que não se possa resolver.
  Veja bem você, desde o início, eu, o narrador dessa história, venho tentando, da forma mais intimista e realista possível, narrar pra você, caro leitor, uma história de amor. 
    Sim, tudo isso é sobre o amor. Sobre como o amor cura, mas também aprisiona. Que ele faz sorrir, mas que também pode machucar.  
    O amor ensina a perdoar aquele que te machuca, a ser paciente com quem as vezes se esforça pra tirar sua paciência. O amor, na sua forma mais pura, é capaz de te fazer entender que ninguém é perfeito, mas que muitas vezes, são essas imperfeições que tornam as pessoas tão especiais pra nós. Ainda estamos falando de Niall e Zayn, ou simplesmente sobre o amor? Eu não sei. O que eu sei, é que tudo que sou capaz de ver nesses personagens é como eles se amam. 
     O amor de Niall por Zayn o fez esperar pelo moreno um bocado de tempo, tempo esse, que eu não esperaria. O amor de Louis por Harry o fez aceitar o cacheado do jeito que ele era, mesmo sabendo que talvez nunca fosse se casar com o amado, ou formar uma família com ele, e isso era o que ele mais desejava. 
    Estamos falando aqui, é claro, de personagens que obviamente não existem, são tudo obra de minha cabecinha mirabolante. Eu posso faze-los brigar hoje, e se acertar amanhã, porque na minha mente, da forma como eu os imaginei, todos perdoam facilmente, e tem personalidades muito calmas. Mas e na vida real, quando palavras ditas sem pensar ferem a alma mais que um tiro de revolver, quando uma atitude impensada pode colocar um fim rápido naquilo que demorou meses, talvez até anos pra se construir? Nunca foi fácil amar, desde o início dos tempos, mas parece que está ficando cada vez mais difícil, não é? Porque as pessoas nos dias de hoje querem desesperadamente alguém para amar, mas quando finalmente as tem, não sabem faze-lo. As pessoas não sabem amar. Elas ferem, com consciência disso ou não. 
    Mas vamos deixar de falar sobre coisas complicadas demais, não é? Só porque o narrador dessa linda história não tem sorte com o amor, não quer dizer que nossos personagens não tenham. 
   
    Se passaram dois meses desde o nascimento de Gabriel, o filho de Harry e Louis.  O tão esperado bebê que eles queriam a tanto tempo, mas que custava a chegar. Ele finalmente chegou, e parece que veio na hora certa. Louis não desgrudava de sua criança um momento sequer, sempre atento a tudo que envolvia o bebê, cuidando dele com o máximo de zelo e carinho. Harry estava orgulhoso de seu ômega, ele se sentia grato por Deus ter sido tão generoso com ele, e finalmente entendia que esse era o plano dele desde o início. Ainda que não entendesse todas as provações que passaram antes, seu coração não mais doía ao lembrar do passado, apenas conseguia se alegrar com a bênção do presente. 

    - Ei, meu filho, olha pra mamãe, Gabe. - Harry falava com o filho, enquanto tentava fazer o bebê ficar quieto em seu colo. 

   - Mamãe é o cacete, Harry. - o Ômega respondeu para o marido, tentando tirar uma boa foto dos homens da sua vida. 

   - Se eu sou o papai, alguém tem de ser a mamãe, Louis. - O cacheado voltou a implicar.   

   - Claro que sim, querido, claro que sim. Se lembre de nunca deixar você me engravidar, porque afinal, só mulheres podem parir e criar filhos, não é meu bem? - O ômega sorriu cínico. - Agora bebê, olhe pro seu daddy, olhe. 

   Como num passe de mágica o pequeno bebê parou de se remexer no colo do pai e focou seus olhos em Louis, sorrindo pra câmera. 

   - Oh, mas ele é mesmo lindo, não é? Se eu não tivesse visto Ariane quase te parindo bebê, eu diria que você saiu de mim. - Louis largou a câmera em cima da mesa de centro da sala, e pegou seu bebê.

   - É hora da mamadeira dele, Lou. Vou esquentar o leite e você dá, certo?

   - Certo, amor. 

  E assim, tudo ia caminhando normalmente. Louis tinha um dom pra coisa, isso era óbvio. O bebê só parava de chorar com ele, por mais que Harry também fosse um papai muito atencioso. É só que o ômega tinha os macetes da coisa. 

Depois que o bebê foi alimentado, ele começou a fechar os pequenos olhinhos com sono, e Louis já o embalava pra dormir. 

  Harry ficou no sofá, observando a cena. 

  Depois que o bebê dormiu, Louis o colocou no bebê conforto, e foi se arrumar enquanto Harry o observava. Depois, o contrário foi feito. Com os dois prontos, eles saíram de casa e foram pro carro. 

   O bebê conforto foi colocado no banco de trás, e depois de o prender corretamente com o cinto, Louis foi ocupar seu lugar na frente. 

   - Será que estamos muito atrasados? Niall vai ficar furioso. - Louis riu, imaginando o namorado do amigo com raiva. 

    O loiro agora estava com oito meses de gravidez, e estava mais lindo do que nunca. O ômega estava pleníssimo, e apesar de reclamar dos hormônios, estava bem calmo na reta final da gravidez, mais calmo do que fora a vida inteira. Bom pra Zayn, que estava cada vez mais um grude no namorado, depois da briga que eles tiveram durantes as férias na ilha. O pequeno estava disposto a ser paciente com Zayn. Porque ele o amava. 

   Tudo estava tão bem, e todos estavam felizes, finalmente. Tudo caminhando como todos queriam. Uma calmaria antes da grande tempestade que estava por vir. 

 Afinal, quando tudo está bem, sempre tem algo pra estragar. 

    Os dois chegaram na casa dos Payne 10 minutos depois do combinado, e todos os convidados já estavam lá. Louis sorriu envergonhado, mas todos pareceram se esquecer de se atraso quando viram o pequeno Gabe no bebê conforto, que havia acordado com a falação do povo. O bebê que antes estava com sono, do nada ficou elétrico, e começou a passar de colo em colo. 
       Louis reparou que Zayn era o único que não estava no local, mas não perguntou nada pra ninguém. Algumas vezes aquela semana o moreno não compareceu aos jantares entre amigos, porque estava ocupado demais no trabalho novo que  arrumou num escritório de advocacia no centro da cidade. 

    Niall tinha um sorriso despreocupado no rosto, mas Louis sabia que ele ficava magoado quando isso acontecia. 

   - Vamos comer então, meus amigos? - o loirinho perguntou. 

    - Mas é claro, eu estou morrendo de fome. - declarou Liam, já começando a encher o prato. 

    - Quando é que você não está com fome, Boliam? - Luke o provocou. 

    Liam deu um sorrisinho cínico. 

   Niall sorriu, vendo todos os seus amigos reunidos. Luke, Michael, Calum, Ashton, seu irmão Liam, Louis, Harry...

   Só faltava Zayn. Ele tentava não sentir falta do namorado, sabia que ele estava trabalhando, mas seu coração não estava em paz. 

 

++++++++++

  Longe dali, num barzinho no centro da cidade, Zayn se divertia com duas amigas do escritório, e em sua mente ele só pensava o quanto queria esquecer um pouco sua vida de casado e pai, e voltar um pouco aos tempos de solteiro. Hoje ele ia tirar uma folga disso tudo. 


Notas Finais


Perdoem a demora moreees, obrigada a quem ainda está aqui. Beijinhos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...