História You Found Me (Sycaro) - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Carlos Ycaro "Ycro" Gabryel, MeiaUm (André Felipe), Rodrigo "Saiko" Ximenes
Personagens Carlos Ycaro "Ycro" Gabryel, Rodrigo "Saiko" Ximenes
Tags Saiko, Sycaro, Ycaro
Visualizações 42
Palavras 2.069
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Bishounen, Crossover, Ecchi, Ficção Adolescente, Fluffy, LGBT, Shonen-Ai, Shounen, Slash, Universo Alternativo
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Minha gente, essa aqui é mais uma OneShot, e, desde já me perdoem por qualquer erro ortográfico ou de coerência.
Talvez (muito talvez), eu não poste mais histórias de shipp. Não porque eu não goste, mas porque eu não tenho muito jeito pra escrever. Eu fiquei em choque quando vi os resultados das duas OneShots que eu postei de Sycaro, eu não achei que elas recebem tantos favoritos assim (com sinceridade, eu achei que não passaria dos 10 favoritos kskskks). Eu agradeço muito a quem favoritou :3
Mas, é isso aí. Fiquem com a OneShot.

Capítulo 1 - You Found Me (Sycaro)


• Ycaro •

Esses dias escolares estão um pouco mais cansativos comparado ao longo do ano. Final das aulas, todos já estão esgotados. Eu estou tranquilo em relação as notas, e eu quase nem estudei para muitas das provas, já que muitos dos conteúdos delas, eu já sabia sobre.

Eu estou pensativo agora. Falta mais uma semana para o término das aulas, e o meu término na escola. Estou prestes a me formar, e eu não consegui falar para um colega meu, o quanto eu gosto dele. Eu penso na melhor maneira de revelar a ele meus sentimentos, até o último dia de aula.

Desde o 9° ano, nunca fui capaz de assumir a ele que eu amo ele. Sou tímido demais, e não consigo falar claramente, com qualquer pessoa. Eu me iludo com a minha paixão. Eu sonho com ele todos os dias, o desejando imensamente.

Todas as vezes que eu penso em paixão, eu penso apenas em um nome: Saiko. Saiko é o colega que estou gostando.

Ele é incrivelmente bonito, e amigável com todos da sala. Ele nunca chegou a falar comigo, e isso me parte o coração. Talvez ele não goste de mim.

Hoje é uma aula mais chata. Nenhum trabalho, nenhum conteúdo, e Saiko faltou. Eu me pergunto como ele está, e o porquê de ele não ter vindo.

O sinal bateu, indicando o fim das aula. Eu já iria para casa. Posso pelo menos perguntar a Saiko o porquê de ele não ter vindo, já que eu tenho seu contato. Agradeço eternamente MeiaUm por ele ter me passado. MeiaUm é meu melhor amigo, e também tem contato com Saiko.


- Um bom dia a vocês! - Disse o professor já saindo da sala, enquanto todos arrumavam suas mochilas com calma.


Um por um foi saindo da sala de aula, até que sobrou apenas eu, Tawan, Goularte e MeiaUm.


- Ycaro? - Olho para cima, e Tawan estava ao meu lado com uma carta em mãos.

- S-Sim?

- Essa é uma carta de nosso amigo. Ele pediu para te entregar. - Disse ele calmo. Quem diabos seria esse amigo?

- A-Ah, ok. Obrigado. - Eu pego a carta, dando o melhor sorriso que eu podia dar. Tawan e Goularte saíram juntos, sobrando apenas eu e MeiaUm.

- Eita… quem é esse amigo aí? - Perguntou ele com um sorriso sacana.

- Também não sei ó doido…

- Abre agora!


Obedeço ao pedido de MeiaUm, e eu abro o envelope que guardava a carta. Toda a carta em si era bonita: era coberta com um envelope prateado e um lacinho vermelho.

"Olá meu caro Ycaro... Eu quero que venha a minha casa depois da aula. Por favor, vá sozinho. Aqui está o endereço […]. Já deixo o portão aberto para você entrar. A casa inteira está aberta, e estou sozinho em casa (ainda melhor para eu fazer o que sempre quis). Eu estou louco para contar-te coisas importantíssimas."

Eu leio e coro levemente. Vejo MeiaUm me olhar com um sorriso sacana no rosto.


- Eita… Tá arrasando corações hein… - Diz ele rindo. Eu rio junto

- Fique quieto. - Digo sorrindo.


A caligrafia é desconhecida. Nunca havia a visto. Obviamente, não é de Saiko. Já tenho certeza que de ele não gosta de mim.

Nenhuma pessoa tem uma caligrafia tão bonita quanto essa. Eu estou curiosíssimo para saber quem é.


- MeiaUm, tô indo lá. Preparado para luta, mas estou indo. - Digo eu desconfiado. MeiaUm ri.

- Não seja tão desconfiado doido… Vai lá vai.

- Beleza, estou indo. Até mais tarde! - Digo pois, vou me encontrar com MeiaUm de tarde.


Eu nunca fiquei com tanta curiosidade. Eu estou preparado para duas situações: uma trolagem, ou para uma real conversação.

Ando pelos corredores a passos rápidos. Queria chegar nesse local o mais cedo possível.

Deixo a escola, andando pelas ruas a passos rápidos. O endereço citava um bairro nobre, e eu me pergunto por que eu teria de ir lá.

Tantas perguntas estão passando pela minha cabeça: Quem é essa pessoa? O que ela gostaria de me dizer? Por que eu tenho de ir a sua casa? É alguém da escola? Todas elas, sem nenhuma resposta.

Passei uns bons minutos andando pelas ruas até que chego a casa citada. Ela é grande e bela, e tinha dois andares.

O portão está aberto, como dizia na carta. Entro sem hesitar, mas ainda assim envergonhado, e passo por um longo caminho de pedra até chegar a porta. O portão logo se fecha. Eu entro nela, a passos bem lentos.


- L-Licença? - Falo alto, e não tenho nenhuma resposta.


Continuo o trajeto, passando por todos os locais, até chegar a escada, que vejo um bilhete. É sério isso?

"Suba e vá para o primeiro quarto a esquerda."

Eu estou jogando um jogo de caça ao tesouro? Que porcaria é essa?

Eu continuo o trajeto lentamente, chegando a porta. Me pergunto milhares de vezes se devo ou não entrar. Quem estaria do outro lado dela?

Abro a porta. Todas as minhas ações estão sendo feitas na base da lentidão, afinal, eu estou em uma casa desconhecida.

O quarto é muito grande: uma cama de casal está no centro, um setup gamer, está a esquerda, um guarda roupa a direita, e uma porta a direita. Provavelmente é uma suíte.

Era só o que me faltava não ter ninguém no quarto. Trilhei todo esse caminho para nada?

Vejo um bilhete na cama, e lentamente vou pegá-lo.

"Você me encontrou."

Um bilhete tão pequeno conseguiu me confundir tão fácil. Não há ninguém aqui no quarto, nem em casa pelo visto.


- Que surpresa… você veio. - Escuto uma voz atrás de mim. Não pode ser.


Olho para trás, e sinto meu coração acelerar instantaneamente. Um embrulho no estômago me causa. Não é possível, não é possível essa pessoa ter feito tudo isso para mim.

Toda a timidez que eu sentia antes, potencializou agora, ao ver aqueles olhos brilhantes os quais me encantavam.


- S-Saiko!? C-Como assim? - Vejo-lhe abrir um sorriso fraco. Qualquer coisa que vêm desse garoto me deixa tão apaixonado…

- Ycaro… eu tenho coisas para lhe contar… e não são poucas. - Diz ele fechando a porta. Eu estava muito nervoso, não sabia o que fazer.


Eu não falo mais nada. Estar perto de Saiko, dentro da casa de um garoto que eu gosto muito, é surreal. Seu olhar e sorriso me intimidam um pouco. Sempre vi Saiko como um garoto intimidador, algumas vezes ele olhava para mim na escola, de uma forma que me fazia encolher todo.

Ele se aproxima de mim, e eu me mantenho parado.


- D-Diga… - Olho para o seu rosto, um pouco para cima. Temos uma mínima diferença de tamanho, mas ainda preciso olhar para cima para vê-lo.

- Começando pelas coisas mais simples. - Ele olha para mim sério. - Eu sempre lhe observei em sala de aula, e, eu sempre me perdia na sua tamanha beleza. - Sinto as batidas cardíacas acelerarem mais, e meu rosto esquenta. Isso parece ser um sonho… - Como você pode ser tão bonito Ycaro? Desde o 9° ano, venho pensando em ti todos os dias, desejando-te como nunca. Você não tem defeito nenhum. Sua timidez te deixa fofo, e sua fofura amolece meu coração, toda a vez que eu olho os seus olhos carregados de timidez. Eu sempre quis tomar coragem e te dizer essas coisas, antes de nos formarmos.


Choque. É esse o sentimento que sinto. Não é possível que o meu sonho esteja sendo realizado.

Sinto as lágrimas acumularem. Chorar na frente de Saiko seria horrível. Seguro um pouco o choro.


- Ycaro, v-você me enlouquece. - Vejo seu rosto levemente corado. Saiko é extremamente fofo. - Em sala de aula, eu precisava ter um auto-controle enorme, para não dizer que eu te desejo, que eu sonho contigo todos os dias. Sonho em poder trocar carícias contigo, te dizer "eu te amo" todo o dia, te abraçar por trás, te mimar, te agradar… poder acordar feliz e completo por te ter como namorado. Você me encantou de uma forma Ycaro… Eu… eu não sei se sentes o mesmo por mim, mas eu te amo Ycaro. Amo sua beleza, amo sua timidez, amo te ver todos os dias. E-Eu te amo… meus sentimentos por você não são brincadeiras.


Eu não posso segurar. Choro muito, libero toda a felicidade que estou sentindo através do choro. Sinto seus braços me rodearem, e eu o abraço também. O olho ainda chorando. Eu preciso dizer muitas coisas a ele.


- S-Saiko… eu sempre quis ter a coragem que você teve nesse exato momento… para lhe falar a mesma coisa. - Vejo seus olhos brilharem. Seria felicidade no seu olhar? - A minha timidez nunca me deixou falar contigo. E-Eu sempre quis te dizer o quanto eu gosto de você, o quanto eu te amo, desde o 9° ano. Queria te pedir em namoro, mas eu tinha medo de não ser recíproco, e também, se você gostasse de mim, de ser muito cedo. Eu… E-Eu tenho os mesmos sonhos que os seus, os mesmos desejos, os mesmos sentimentos… E-Eu te amo também Saiko.


Um sorriso se forma em sua face. Eu sorrio de volta, deixando as lágrimas escorrerem pelo meu rosto. Felicidade e, um pouco de nervosismo, são os únicos sentimentos que sinto agora.

Nunca pude imaginar que meus sentimentos por ele fossem correspondidos. Nunca imaginei que Saiko pudesse gostar de mim.


- E-Eu nunca imaginei que você pudesse gostar de mim Ycaro…

- E-Eu também Rodrigo… d-digo o mesmo… - O abraço fortemente. Sentir o calor dele é algo tão bom…


Nos encaramos por míseros segundos, desviando os olhares para as bocas alheias. Além da felicidade, o nervosismo passou a  predominar meu corpo.

Iniciamos um beijo calmo, repleto de amor e desejo.



• Saiko •

Ter Ycaro em meus braços, sentir a sua boca na minha, é tudo muito novo, porém, eu desejava a muito tempo. Não posso acreditar que meu sonho está se realizando…

Carregar um sentimento forte, que só cresce a cada dia que passa, é algo difícil. Quando contado, e como se um peso tivesse sendo tirado das costas. E é isso o que eu sinto.

Desço minhas mãos para a sua cintura, sentindo seu corpo encostado ao meu. Era uma sensação delirante, e eu desejava por mais.

Cesso o beijo, trilhando beijos por todo o seu pescoço, depositando beijos e mordidas leves, aumentando a força deles, de uma forma em que não seja dolorosa. Seus gemidos baixos são adoráveis, são bons de se ouvir. São viciantes.

Sua pele é sensível demais, e fica vermelha com qualquer toque. Não pude deixar de dar um risinho quando vejo seu pescoço vermelho com as mordidas.


- S-Saiko… - Dizia meu nome em meio a gemidos. Me arrepio ao escutá-lo.


Cesso os toques, e olho para o seu rosto corado. Tão fofo, e tão delirante… me hipnotizava. Dou um selinho nele, arrancando um sorriso fraco dele.

Volto ao seu pescoço, dando chupões e mordidas fortes. Eu quero ir mais além disso.

Ycaro se afasta um pouco, cessando os toques.


- S-Saiko… N-Não estou preparado para isso ainda… - Diz ele ofegante. - D-Desculpe…

- Se desculpando por quê? - Digo sorrindo, o fazendo sorrir também. - Está tudo bem, eu respeito seu tempo. - Digo e ele me abraça.


Ficamos um bom tempo no abraço, eu segurando sua cintura, e ele, segurando minhas costas.


- Você quer namorar comigo? - O pergunto, e vejo um brilho imenso em seus olhos.

- C-Claro que sim… m-mas um namoro agora, talvez seja muito cedo?

- Nunca é muito cedo para amar alguém Ycaro.

- Então… eu quero.



-----------------------------------------------------------



• Ycaro •

Minha tarde nunca foi melhor. Consegui realizar meu maior sonho: me confessar para Saiko. E agora, eu estou namorando ele. Namorando a pessoa que amo desde muito tempo.


- Ycaro! Ycaro!! - Diz MeiaUm, me acordando do transe. Havia anoitecido, e eu já estava em sua casa. Estava perdido nos meus pensamentos, lembrando de Saiko. - Cara, você está muito surdo…

- F-Foi mal… o que tu disse?

- Quem era a pessoa que se declarou pra ti? - Me lembro novamente de mim e Saiko, e não pude deixar de abrir um sorriso largo.

- O Saiko. - Digo e ele fica surpreso, colocando ambas as mãos acima da boca. Eu ainda me sentia assim também, surpreso, com todos os acontecimentos de mais cedo.


Notas Finais


História curta, mas ainda assim uma grande vergonha :D
Espero que tenham gostado :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...