História You Got a Boyfriend. - Capítulo 38


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags 7b2uty, Jikook, Minkook, Segunda Temporada, Texting, Top!jimin, You Got A Message
Visualizações 1.257
Palavras 4.475
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Fluffy, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shonen-Ai, Slash, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


OLÁ MEUS AMOREEEEEEEEEEEEES
YES, IT'S ME
PENSARAM QUE EU TINHA ESQUECIDO NÉ?
AHAAAAAAAAAAAA POIS EU CHEGUEI
Seguinte, como vcs preferiram em ordem (e eu também achei melhor assim, diga-se de passagem), eu demorei pq tinha que PRIMEIRAMENTE dar início ao primeiro extra pq eu tinha começado pelo terceiro TIPO PQ JESUS EU SOU ASSIM logo notamos que demorou um pouquinho por causa disso. PORÉM, por eu ter começado errado, já tenho mais dois prontos, então creio eu que não demorarei muito a voltar, tenham paciência com a tia <33
EU SENTI SAUDADE É SÉRIO
CONVERSAR COM VCS POR AQUI É TIPO ASSIM, TUUUUUUUDO DE BOM

Só pra esclarecer, o primeiro extra é, como eu creio que deixei avisado, o famoso powerbottom!jeon
GENTE EU NUNCA FIZ ISSO NA MINHA VIDA ENTAO ASSIM TOMARA QUE TENHA FICADO BOM, EU TENTEI VI MUITO PORNO PRA ISSO ME AJUDEM ME DIGAM QUE DEU CERTO

Vou parar de escrever, eu só enrolo meu deus perdão
BOA LEITURA, MEUS AMORES, LEMBRANDO ANTECIPADAMENTE QUE A TIA AMA MUITO VCS ❤

Revisei uma vez só pq essa porra dá trabalho, really ;-;

Capítulo 38 - (EXTRA) 01h17m.


Fanfic / Fanfiction You Got a Boyfriend. - Capítulo 38 - (EXTRA) 01h17m.

Meu Deus, amor, eu não vou conseguir, você tá lindo demais.

JungKook tinha seu corpo apoiado no braço do sofá enquanto toda sua atenção permitia que ele analisasse cada pedacinho do namorado que, a partir dali, encontrava-se loiro. Sua vontade insana era refletida por um Jimin ansioso que havia pego-o desprevenido logo na entrada. A surpresa o fizera vibrar em uma excitação latente desde que recebera aquela selfie preciosa.

– Você gostou?

Seu sorriso bonito prensava Jeon ainda mais no móvel, porque suas forças haviam sido destruídas. Seu namorado era realmente bonito demais.

– Se eu gostei? – O castanho olhou-o de cima a baixo, até mesmo se afastando um pouco para admirá-lo melhor. – Você tá... – Sua expressão seguia inegavelmente maliciosa. – Gostoso. Você tá muito gostoso, sério.

– Não fala assim que já começa a subir aquele tesão.

Sorriram juntos, quase juntando seus lábios. O ato, no entanto, ainda era barrado pela forma intensa que se encaravam.

– É a intenção porque essa noite eu pretendo que você acabe comigo.

Quando as bocas finalmente se tocaram, foi uníssono o som de alívio provindo do suspiro que deixaram escapar. A sintonia do casal parecia palpável e até mesmo observar de longe acenderia a chama que sabiam que sentiam um pelo outro. Jeon era ágil em desbravar os fios descoloridos do mais velho com os dedos, puxando-os algumas vezes e outras fazendo somente um carinho gostoso que fazia o outro tremer. Seus lábios eram sugados com uma doida violência sutil, como se o mais novo quisesse fazê-lo entender todos os seus opostos intensos. Jimin passeava os dígitos habilidosos pela lateral do corpo alheio, agarrando a cintura fina com precisão sempre que tinha seus fios puxados em sinal de possessividade. Gostava de como JungKook fitava-o quando o mordia, lascivo, ciente do desejo que o causava. Roçava os volumes em suas calças como uma provocação, sabendo que não terminariam ali.

– Amor, me leva pro quarto... – O mais novo chamava manhoso, com vontade de atiçar, deixando que as duas mãos acarinhassem o rosto do outro. –  Hoje eu quero te chamar de meu loirão na cama.

Park soltou uma risadinha baixa, vendo o sorriso travesso do namorado esquentar o ambiente. Não foi preciso dizer mais nenhuma palavra porque já sabia que a noite os renderia. Virou-o em seu próprio eixo e o baque das costas em seu peito fez Jeon encolher-se em seus braços. Deixou um beijo em sua nuca depois guiou-os escada acima. O contato que era intensificado pelo modo como seus corpos se juntavam acendia o peito de ambos, e a ansiedade os fez chegar rápido demais ao cômodo desejado. A porta foi ignorada porque estavam sozinhos, a passagem de ar provavelmente os faria respirar melhor diante da intensidade rude que se tocavam. O espaço sempre parecia pequeno demais quando estavam daquela forma; invadindo o ar um do outro.

JungKook tomou as rédeas de suas ações, virando-se mais uma vez e atacando sensualmente os lábios avermelhados e chamativos do mais velho. Desceu uma de suas mãos para o peito e depois a barriga definida de Jimin, acariciando primeiro pelo tecido fino de sua camiseta, depois provocando-o em seu nível máximo, arranhando por dentro a derme que já pegava fogo. Ouvia e sentia os suspiros em sua boca, era gostoso sorrir enquanto o mordiscava, o loiro era sensível aos seus gemidos e Jeon usava cada um deles para arrastá-lo até a cama, acomodando-o estrategicamente na ponta. Sentou-se em seguida, em apenas uma das pernas de Park, roçando-os levemente enquanto deixava seus lábios brincarem com o pescoço branquinho.

– Você realmente quer me atiçar hoje, não é?

O mais novo ouviu o murmúrio perto de sua pele e sorriu despudorado. Sua língua conheceu a temperatura elevada chegando até a orelha esquerda do namorado, contornando o lóbulo, raspando os dentes no local que, ele sabia, instigava as sensações mais diversas no outro.

– Foi você quem começou...

Jeon somente devolveu a resposta, deixando que seus dedos se arrastassem do baixo ventre do mais velho até seu volume crescente e visível pela calça jeans. Salivou vendo o corpo alheio tremer somente com o início de suas reais intenções. Mordeu o queixo de Jimin, fazendo-o arfar, erguendo a cabeça em busca de ar que acalmasse os batimentos agitados de seu coração. Não demorou a desabotoar a calça e abaixar o zíper, ultrapassando o tecido da cueca e permitindo que seus dígitos provocassem toda a extensão que alcançassem. Brincava com a glande mais úmida, lambuzando o dedão e esfregando a carne quente com uma maestria que lhe era inerente, porque conhecia o parceiro muito bem.

– Mas o que foi que eu fiz? – Park jogava mais uma vez, deleitando-se em travar uma conversa murmurada enquanto sentia a bunda do mais novo raspar em sua coxa direita, causando uma fricção tão gostosa que tornava difícil não gemer. Sua boca, no entanto, era atacada algumas vezes com beijos, sugadas e lambidas, colaborando com a perda total de seu eixo.

Você fez isso. – JungKook tinha os dedos de sua mão livre embrenhados pelos fios recentemente tingidos do mais velho e com um puxão autoritário retirou um sorrisinho malicioso de Jimin. Seus olhares não mentiam o quanto estavam excitados ou muito menos a força que usariam naquela noite para deixarem seus corpos completamente exaustos. – Você sabe que é gostoso, não é, por que você gosta de me provocar assim?

– Porque eu te acho gostoso demais também – A risadinha vaidosa do castanho fez com que sua mão trabalhasse com mais agilidade no pênis do outro, causando uma onda grande de tesão que fazia Park ofegar ao tentar falar –, e todo dia eu preciso de um pouco mais de você.

– E você tem.

Jeon abandonou o colo do loiro somente para tirar aquelas peças de roupa que tanto o incomodavam. Primeiro liberou a pressão que sua calça aguentava, jogando-a em qualquer canto com seus pés; depois se livrou de sua blusa, sob o atento olhar de Jimin que havia se apoiado um pouco mais no colchão para observar. O castanho podia sentir o peito vibrar pela chama que parecia sair do namorado, mas sua ansiedade, no entanto, não o fazia ir mais rápido. Pelo contrário, torturava os pensamentos do outro sempre que deixava que seus dedos deslizassem pela própria pele, arrastando as peças de roupa como se não estivesse ardendo e pulsando de esperar. E o mais velho seguia seu ritmo, aguardava, entendendo exatamente em que lugar o companheiro queria chegar. Um que ele gostava muito, em que se via fissurado em suas curvas e mais apaixonado por seus olhares do que antes.

JungKook estava disposto a quebrar todas as defesas alheias então, depois de permitir-se estar somente com sua boxer, aproximou-se de Park outra vez, ajoelhando aos seus pés e ajudando-o a acabar com todos aqueles tecidos que, com certeza, também o estorvavam. Engolindo-o com os olhos, apreciava como o peito do namorado subia e descia devagar, ansioso, quase tanto a ponto de agarrá-lo, porém, mantendo o comando em suas mãos. Sorriu quando o loiro ergueu o quadril ajudando-o a tirar a calça e os braços para retirar do corpo a camiseta. Depois voltou a se levantar, instigando, deixando-o somente com o desejo de que sua boca circundasse seu pênis latejante. Tornou a acomodar-se em seu colo, contudo, daquela vez, pôde sentir imediatamente a pressão dos dedos ágeis do loiro em sua cintura, puxando-o para mais perto, atacando seus lábios e jogando sensualmente com suas línguas. Sentia sua bunda sendo apalpada, apertada com dose excitante de força, atritando os membros rijos de maneira perigosa. Rebolava consciente do estrago que estava fazendo com Jimin, mas enquanto ele gemesse sôfrego durante a troca de salivas, continuaria ali.

Entre as carícias indecentes que trocavam, o mais novo passou a levar o outro para trás, deitando-se sobre o tronco macio, alvo, resvalando as temperaturas parecidas, encaixando seus corpos e encontrando a posição perfeita em que as pernas se rodeavam e buscavam mais contato ao mesmo tempo. Ouviu o suspiro satisfeito do companheiro e aquela onda de excitação aumentou outra vez, fazendo-o sorrir. Jeon gostava de registrar as reações do namorado porque gostava de causar cada uma delas.

Arrastou-os até que chegassem ao meio da cama e depois pegou o loiro de surpresa, erguendo o tronco e interrompendo o beijo, buscando seus olhos sem controle algum. Passou o dedão pelos cantos da boca e Jimin não precisou de mais nada para entender. Desvencilhou-se do calor que emanavam juntos e içou-se, ajoelhando na cama, em frente ao outro que aguardava, sedento, observando todos os mínimos movimentos que ele fazia. Park livrou-se da boxer que ainda o encobria e levou o mais novo para perto em meio a um carinho gostoso em seus fios. Viu-o engatinhar até que pudesse estar de quatro na cama, empinando-se ao máximo para, além de enchê-lo de prazer, estimular-lhe a visão seca de seu corpo.

– Você quer que eu faça isso, amor?

O loiro arfou, ocupando-se em analisar o quão bonito o namorado conseguia ser de todos os ângulos possíveis. Gostava de cada curva de JungKook e aprendera a olhar de um jeito diferente para todas elas, dando a devida atenção que o rapaz merecia por completo. Naquele momento, sabia apenas focar na cintura magra, nas costas mais largas e nas nádegas fartas do outro e em como formavam um conjunto perfeito que adorava ser marcado por suas mãos. Em contrapartida e sem sobreaviso, Jeon usou uma sua para tocá-lo, provocando enquanto aguardava uma resposta. Jimin não foi capaz de formular uma resposta porque todos os pelinhos de seu corpo se arrepiaram com as orbes intensas e aquele suspiro deleitoso escorreu mais uma vez de sua garganta.

– Se você não falar, como eu vou saber se você quer, amor?

O mais novo sabia quanto de interesse despertava no parceiro somente por admirá-lo naquela posição; entregue, mas vigoroso o bastante para ter certeza de que tinha o comando sobre tudo que faziam. Seus olhos queimavam de maneira tentadora os de Park, que sustentavam sua maior atração naquele momento com o modo como o via instigando-o com uma mão, masturbando-o sem pressa alguma, depois deixando que sua boca chegasse bem perto, permitindo que a respiração servisse como alerta de como queria. Passava a língua somente pela glande umedecendo-o ainda mais, babando-o de modo erótico, tirando mais do que uma respiração entrecortada de Jimin, mas seus gemidos baixos igualmente.

Chupa... Você sabe exatamente como fazer...

Os fios loiros caindo-lhe na face faziam JungKook pulsar rudemente, sua vontade de ser tomado pelo outro se tornava cada vez mais incontrolável, mas tinha aprendido perfeitamente bem a fazê-lo gemer em agonia antes de finalmente prová-lo.

– E você gosta de como eu faço?

Jimin latejou, mordendo o lábio inferior na mesma hora, sentindo começar a ser impossível sustentar aquelas orbes escuras bonitas e libidinosas. Ergueu a cabeça buscando por oxigênio, mas seus dedos fizeram pressão nos cabelos do mais novo ao mesmo tempo, sentindo ali a boca rosada raspar em seu pênis sutilmente. A espera o fazia querer estourar, mas a tortura deixava seus batimentos acelerados e o sangue ser bombeado com tanta força por suas veias tornava o tesão imensurável.

– A-han... – Sua pélvis se movia para frente e para trás, lenta, aguardando quando a espera o faria gemer mais alto, insano. – Você faz como ninguém...

JungKook sorria vaidoso, sentindo os dedos do outro afastarem as mechas castanhas de seu rosto, conseguindo a plena vista que tanto gostava. Estremeceu com o modo como o peito do namorado movia-se em uma sintonia desejosa, pesada, inquieta. – Mostra o que você tem pra mim então, meu loirão.

Park riu baixo, quase sôfrego, quando finalmente sentiu-se ser engolido por uma boca macia, sedenta, que o cobria de saliva, permitindo que a movimentação fosse contínua e muito mais gostosa, tomando uma sincronia perfeita à movimentação de seus quadris que investiam arrastados, prologando o momento intenso o máximo que pudessem. Gemia o nome do mais novo seguidas vezes, sem se dar conta de como sua voz aumentava gradativamente ou sua respiração tornava a falhar. As provocações de Jeon eram capazes de levá-lo a um ponto extremo de loucura, porque sempre sabia exatamente aonde iam terminar. Não forçava as chupadas impiedosas do parceiro, deixava que ele ditasse o comando e o ritmo que faria, pois seu corpo inteiro respondia sem que sequer precisasse se esforçar.

O castanho marcava as unhas no final das costas do outro, em suas coxas, apertava vigorosamente as nádegas fartas ouvindo todas as vezes o mais velho suspirar em desejo. Encontrava seus olhos brilhando de vontade e tudo aquilo tornava simplesmente suas sucções mais veementes e as lambidas mais frequentes, facilitando as investidas ritmadas com sua mão livre. Sentiu quando uma de Park arrastou-se por suas costas, parando no cós da cueca que ainda vestia e começou a brincar maldosamente por dentro, pressionando e maltratando a carne com avidez, fazendo com que os gemidos começassem a sair de si próprio também.

– J-jimin...

JungKook continuava masturbando-o quando seus lábios pediam por um alívio para que pudesse se expressar, e todas as vezes que aumentava o ritmo podia ver pela expressão do outro o quanto parecia gostar. Sentia a ousadia ganhando vida nos toques que recebia e aquilo o fazia mover os quadris inconscientemente, em busca de contato direto, necessitado de mais que o fizesse tremer daquele mesmo jeito. Seus movimentos cessaram pelo modo como gemeu tendo os dedos de Park provocando sua entrada maliciosamente, seus batimentos em contrapartida aceleraram e precisou respirar mais fundo, abaixando a cabeça e expressando com um murmúrio sujo o quanto estava excitado com daquilo. Seu corpo inteiro respondia quando Jimin o tocava daquele jeito.

Amor...

O mais novo sussurrou quando o olhou novamente, sua respiração entrecortada pedia alívio maior, rendeu-se ao quanto gostaria de continuar. O loiro soltou um sorriso carregado de uma luxúria gostosa e deixou um carinho no rosto do outro que mordia o lábio inferior ainda sentindo-se ser estimulado perigosamente com a outra mão. Esperando que Jeon pedisse o que queria, o mais velho deteu toda sua atenção ao modo como era observado. E o namorado somente jogou no ar sua malícia significativa e ergueu o tronco outra vez, apontando simplesmente que ele se deitasse. Seu desejo foi atendido quando Park arrastou-se até a cabeceira da cama, fazendo exatamente o que as orbes de JungKook pediam. Esticou as pernas esperando recebê-lo em meio a elas, porém, sua visão foi privilegiada inicialmente com o castanho livrando-se da última peça de roupa que ainda lhe encobria o baixo ventre. Ofegou com o pênis totalmente ereto do outro esperando por alívio que suas mãos pudessem dar.

Jeon depois dali aproximou-se lentamente, tomando o cuidado de redecorar as feições ansiosas de Jimin. Gostava de como o parceiro esperava por si enquanto se entregava às suas vontades mais sufocantes. Queria-o tanto que olhá-lo demais fazia doer cada latejar. Chegou mais perto engatinhando e deixou um selar molhado nos lábios alheios antes de prender o fôlego do outro com seu corpo sentando-se em cima, de costas. Ouviu quando o loiro arfou com força e o sorriso maldoso que o transpassou com certeza seria imaginado pelo mais velho que o conhecia tão bem. Içou um pouco a pélvis, fazendo com que o pênis úmido de Park se encaixasse perfeitamente à sua entrada fervorosa em recebê-lo. Não esperou preparação ou calma em suas ações, precisava cada segundo mais.

– Ah, J-jeon... Isso é... maldade... – Jimin quase sussurrava, porque o fio de voz que precisava naquele momento conseguia apenas fazê-lo gemer conforme o namorado engolia-o mais. Seus braços enfraquecidos pelo tesão permaneciam jogados ao lado de seu corpo e ele tinha certeza que JungKook gostaria de senti-lo fraco daquele jeito, disposto a qualquer coisa que ele quisesse. E Park realmente estava.

– A maldade mais gostosa que você já sentiu?

Sentindo um chiado mais alto ultrapassar sua garganta, o loiro ergueu a cabeça suspirando audivelmente assim que seu membro foi completamente encoberto e a bunda macia do mais novo sentou-se em seu colo novamente. Ali, permitiu que suas mãos chegassem até os quadris do outro, acariciando com força inconsciente, arrastando-as pelas coxas depois voltando para arranhá-lo, encontrando um meio de liberar parte da excitação crescente que o acendia de um jeito fodidamente bom até que o castanho se movesse.

– Você é mesmo um... filho da puta... A-ahn... Tudo em você é o mais gostoso que eu já senti.

Jeon sorriu satisfeito, virando-se um pouco para que pudesse encaixar melhor as pernas entre as abertas do loiro. Deixou que seu rosto recebesse um selo longo depois, que o fez sentir começar a transpirar. Passando a língua em seus lábios, umedeceu-os e respirou devagar, inclinando-se levemente para trás, apoiando uma mão no colchão e a outra no peito do namorado, conseguindo sentir então o modo dificultoso que ele passara a oxigenar.

Seus quadris se moveram devagar, provocantes, dando um impulso maior repentino que fez Jimin atentar-se mais uma vez às suas curvas. E quando finalmente iniciou com as investidas, rebolando eroticamente, atingindo um ritmo mais veloz a cada gemido do outro, relembrou-se de como adorava vê-lo naquela posição. Park mantinha os batimentos descompassados, sua boca soltava sons mais altos sempre que o mais novo o retirava de dentro depois sentava-se novamente, com mais intensidade e violência do que antes. Do modo gostoso, brusco que estavam acostumados quando o ambiente atingia um nível de tesão máximo como aquele. Seus corpos atritavam deliciosamente e era insano mesclar sons tão sensuais como os que provinham dos amantes.

Ah-hn... Porra, JungKook... Que-ahn... Filho da puta, isso, assim.

Jeon deleitava-se com as frases do parceiro, tremia um pouco mais tudo de si quando sentia-se sendo fodido com mais força, seu peito doía pela respiração pesada, mas sua excitação implorava ardentemente por mais. Movia seus quadris sem pudores, rebolando incessantemente, tomando posse de todo o controle do de cabelos mais claros, entregando todos seus sentidos para um orgasmo explosivo. Sentia Jimin investindo com a pélvis, ajudando-o a usar de mais pressão, mas nada naquele momento se comparava com ao modo como estimulava-o, engolindo-o rudemente com sua entrada. Os ofegos tornavam o quarto menor, mais abafado mesmo com a porta aberta, o barulho das peles se chocando trazia mais luxúria e o cheiro do sexo dos dois atiçava-os ainda mais.

– Mais força, amor... Isso... Senta com mais força.

Park implorava em meio aos suspiros, maltratando seus lábios já inchados e avermelhados, apertando com seus dígitos a carne macia do namorado que se movimentava com certa lentidão lancinante. Seu pedido foi atendido por um JungKook ousado que fez exatamente o que lhe fora pedido, chocando sua bunda no pênis rijo do outro que parecia a ponto de atingir o ápice. Sentia as veias saltadas apertadas em seu orifício e cada vez que subia e descia com mais vontade, seu próprio membro latejava, sedento por atenção.

– Assim, Jiminnie? – Ofegava, cortava sua fala envolvido em um prazer agonizante. Os vergões em sua derme deixados por Park o acendiam de uma maneira sobrenatural. – A-ssim que você gosta?

– Si- Ah! Caralho... – O loiro sentiu seu pênis sendo pressionado com mais força pela entrada úmida de seu próprio pré-gozo que facilitava ainda mais o vai e vem prazeroso que recebia. Seu coração batia descontrolado porque sabia que estava perto. Perto o bastante. Perto demais. – Isso, bebê, isso...

Forçou seus quadris para cima, investindo violento e teve seu peito arranhado na mesma hora pela satisfação de Jeon. Os gemidos altos do parceiro eram como a melhor melodia registrada por seus ouvidos, mas não conseguia não os encobrir momentaneamente com os seus que saíam com mais frequência depois que passara a admirar os movimentos certeiros do outro em seu colo. O mais novo não se cansava e aquelas gotinhas de suor descendo por suas costas começavam a fazê-lo querer prová-lo mais uma vez.

Intenso demais com tudo que faziam, Jimin não avisou antes de içar o tronco, pegando o castanho de surpresa e invertendo as posições na cama, deixando-o de quatro para si, vendo-o imediatamente rebaixar ainda mais o peito, empinando-se o bastante para que Park então pudesse invadi-lo novamente, com mais rigidez do que antes, esperando ávido o final.

– Fode, Jimin, me fode com vontade... Goza dentro de mim...

JungKook teve seus cabelos segurados com mais pressão e seus quadris batiam agressivamente contra a pélvis do loiro, formando um choque sensual, possivelmente insano. Seus gritos de prazer se uniam e todos os ofegos que deixavam o quarto em menor escala faziam os dois suarem. Os minutos pareciam eternos enquanto o mais velho metia com cada vez mais força do que no momento anterior, estimulando todo o corpo do parceiro com toques possessivos, sentindo-o comandá-lo com um simples fiapo de voz, dizendo exatamente como queria que acabassem ali. Assistiu-o erguer o tronco novamente e colar as costas nuas em seu peito, o ritmo diminuiu um pouco, porém, Jeon quem passou a intensificá-los, levando-se para frente e para trás, em uma sincronia perfeita com o olhar cobiçoso do outro. Seus olhos brilhavam admirando o quão gostoso era ver seu pênis sendo engolido e expelido, como uma clara afronta aos seus batimentos cardíacos debilitados naquele instante.

Gemeu alto, feroz, o nome do castanho mais uma vez, esquecendo-se até mesmo qualquer frase que avisasse que estava quase lá. Mas o modo como JungKook sentia o membro do companheiro bombeá-lo o fazia compreender e tinha certeza de como queria que o ponto alto dele chegasse. Empurrou-o para trás somente com seu corpo e Jimin sentou-se novamente, mantendo as pernas abertas, disposto a recebê-lo do mesmo jeito. O mais novo, no entanto, tirou-o de dentro de si somente para acomodar-se melhor completamente de costas daquela vez, empinando-se e sentindo a penetração que ele próprio era responsável por terminar. Park arfou, a pouquíssimos passos de estourar. Jeon apoiou-se melhor nas coxas fartas alheias e reiniciou suas investidas certeiras com a mesma maestria de antes. Sentia-se ser fodido com uma força gostosa, mas de acordo com o movimento de seu corpo, que subia e descia em cima do loiro sem ressalvas, em uma constância impudica que fazia o namorado liberar tesão apertando os lençóis e marcando-o do modo que conseguisse alcançar.

Jimin não avisou, mas JungKook sabia que tudo nele estava pronto. Exatamente como tudo em si também, que vibrou intensamente quando recebeu o primeiro jato quente interno, seguido de mais alguns, um urro cortado por seu nome e o carimbo dos dedos do mais velho em sua pele, marcando o orgasmo prazeroso e duradouro que o fazia vibrar em êxtase por ainda poder ver Jeon rebolando em si. A movimentação cessando sem pressa ainda era responsável pelo descontrole do ritmo acelerado do coração de Park, mas a brutalidade do que havia sentido com aquele último espasmo era sem igual.

O castanho abaixou o tronco, respirando devagar também, mas seu rosto era estampado por um sorrisinho arteiro que o namorado não via. Quando finalmente conseguiu sair do colo do outro, olhou-o atentamente, gravando sua expressão bonita pós-orgasmo. Jimin era lindo de qualquer jeito. Sentiu o líquido quente começar a escorrer pela parte interna de sua coxa, mas não se importava de sujar o jogo de cama naquele momento. Partilhando uma risada confidente com o mais velho, JungKook arrastou-se para perto, selando seus lábios com calma, mesmo sabendo que, naquele momento, quem latejava de dor era ele.

– Amor...

O loiro sabia exatamente como conduzir sua manha e, na realidade, sentia-se ansioso por aquilo. Ainda em meio ao beijo molhado que trocavam, deixou que seus dedos chegassem até o pênis rijo, úmido, ávido de sua dedicação. Deixou uma última lambida no queixo do mais novo e inverteu as posições de ambos, acomodando-o melhor aonde antes estava e permitindo-se encaixar as pernas entre as de Jeon.

– Deixa eu cuidar de você.

JungKook mordeu o lábio inferior, suspirando pela visão deliciosa que tinha. Soltou um sorriso malicioso e relaxou entre os travesseiros, descansando uma mão nos cabelos claros do parceiro, guiando-o inconscientemente. Sentia a boca de Jimin distribuindo mordidinhas por seu peito, lambendo-o, sugando seus mamilos, provocando ondas ainda maiores de um tesão incomparável. A respiração já pesada tornava-se mais quente, mas ainda o incentivava, abrindo-se um pouco mais, instigando o mais velho a seguir seu caminho sensual, descendo os beijos até o final de sua barriga para finalmente abocanhar seu membro pulsante e tenso de inquietação.

Distribuía puxões de excitação, gemidos de um desejo desesperado, fodia a garganta de Park com seus quadris agoniados e sentia-o dando o melhor de si, do jeito que tanto gostava. Chupava-o em velocidade perfeita, masturbava-o ao mesmo tempo que se fixava em seus olhos queimando em agitação, lambia sua extensão inteira e provocava sua glande inchada sabendo bem quanto tempo Jeon ia durar.

– J-jimin... Ah! Não para, isso... Ahn...

O loiro registrava como o outro retirava a franja de seu rosto para concentrar-se completamente em suas expressões e acendia-o novamente apenas esperar pelo ápice do namorado. Um que parecia tão perto, perto a ponto de fazê-lo gemer sonoro, descompassado daquelas vezes, pressionando-o com mais altivez, mais ímpeto, tornando as sucções mais rápidas, quase doloridas, acelerando igualmente a masturbação e a intenção de ajudá-lo a se desmanchar. E JungKook aguentou simplesmente mais alguns segundos até que sua porra melasse os lábios inchados de Jimin, acertando igualmente sua língua, e toda aquela cena pecaminosa de vê-lo engolindo tudo sem dificuldades o fizesse tremer uma última vez.

Seu corpo inteiro ainda respondia ao orgasmo e o empenho em respirar melhor era ouvido claramente. Seu peito suado também estava avermelhado, haviam marcas fortes em sua derme que adormeceriam e acordariam ali, mas nenhum dos dois se importava demais, não quando pareciam preocupados apenas em trocarem sorrisinhos satisfeitos como sempre faziam ao final. Porque o sexo que faziam era delicioso, e o amor era perfeito.

Jeon puxou o mais velho para cima quando atingiu o mínimo de força novamente e acolheu-se nos braços envaidecidos pelos exercícios como um gatinho preguiçoso. Estava cansado, mas suas pernas ainda tremiam.

– Porra... – Jimin foi o primeiro a se manifestar, passando sua mão livre pelos próprios cabelos úmidos de suor. – Isso foi...

– Intenso?

O castanho ergueu o rosto para fitá-lo com mais atenção e trocaram uma risada baixa como suas vozes.

– Uma delícia.

JungKook sentiu-se arrepiar, mas sorriu, içando-se um pouco para deixar um selo no pescoço do outro.

– É, meu loirão continua sendo o melhor de cama mesmo.

– Achou que meu desempenho ia mudar porque eu pintei o cabelo? – Brincou Park, inclinando um pouco o rosto para olhá-lo melhor da posição em que estavam.

– Não, mas eu queria te usar mais um pouquinho hoje.

– Nossa, me usar? – O loiro repetiu depois sorriu, malicioso demais para que imaginassem que a noite tinha acabado. Jeon entendia os olhares e seu timbre de voz. Gostava do registro que sua mente fazia de cada um deles, e seus dedos também, que já passeavam pelo abdômen bem-feito pelo qual era viciado. – Então, por favor, faça isso mais vezes.


Notas Finais


É, JEON CHAMOU O MOZÃO DE MEU LOIRÃO SIM POIS PARK JIMIN É MESMO O LOIRÃO
EU QUERIA DIZER QUE, SIM, SE VC AI TA PENSANDO QUE JIKOOK É INSANO POR SEXO
VC ESTA CERTO
MEU DEUS FAZER 5 EXTRAS SÓ COM JIKOOK TRANSANDO É UMA COISA DE DOIDO ME LEMBREM DE PARAR DE SER VICIADA EM LEMON THAT'S IT

E AI, GOSTARAM??????????
MEU DEUS ME DIGAM QUE DEU CERTO E QUE JEON JUNGKOOK REBOLANDO EM PARK JIMIN VALEU A ESPERA

Nos vemos em breve eu espero, meus amores!
Lembrando que eu pretendo voltar rapidinho com o próximo e que eu to respondendo os comentários que faltam, não vou deixar ninguém na mão, eu juro, vcs merecem mesmo tudo de mim :')
Obrigada a vc ai que tá lendo pq chegou até aqui, isso significa que nao me abandonou e saber que vc esperou por mim deixa minha noite muito, mas muito mais bonita <33

EU AMO VCS, DE VERDADE
E VAMOS CONVERSAR, VAMOS MATAR A SAUDADE PUFAVO EU IMPLORO ❤

Se quiserem me achar no twt @annysette, me mandem MP, menção, só vem, eu to sempre disponível pra amá-los por qualquer lugar :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...