História You Got Me Crazy (Jeon Jungkook - BTS) - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), IU
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Kim Taehyung (V), Lee Ji-eun "IU", Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bangtan Boys (BTS), Clichê, College, Comedia, Fanfic, Gobiraba, Hentai, Hetero, Imagine Jungkook, Jeon Jungkook, Jeongguk, Jungkook, Tentativa De Comedia, You
Visualizações 171
Palavras 1.735
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa noite~~~
Acho q a fanfic vai durar mais alguns capítulos rs rs

Boa leitura~

Capítulo 6 - Capítulo 5; Entre a lua, estrelas e livros


Fanfic / Fanfiction You Got Me Crazy (Jeon Jungkook - BTS) - Capítulo 6 - Capítulo 5; Entre a lua, estrelas e livros

Jungkook POV's

Acordei um pouco mais cedo que costume e resolvi correr um pouco. Lavo o rosto, escovo os dentes e visto uma bermuda tactel simples junto de uma blusa adequada para a corrida, ambos cinzas. Olho minha imagem ao espelho e fico satisfeito. Resolvo me alongar e aquecer um pouco, pegando meus fones azuis, logo saindo em marcha a pista de corrida perto de casa.

Algumas mulheres e caras me olham, fico levemente envergonhado, mas minha autoestima alta me diz que eles admiram meu físico, então ignoro. Meu trote se segue em ritmo leve e apenas observo a paisagem pensativo, era um dia bonito. O sol brilhava suavemente, mas o tempo parecia estar muito mais frio que de costume por conta do inverno próximo. As folhas estavam escassas nas árvores e tudo parecia estar triste, mesmo assim, havia beleza ali.

Canso e paro alguns segundos, bebendo a água da minha garrafa, em seguida tirando os fones, respirando fundo e vendo que estava um pouco tarde. Resolvo encerrar o exercício mas paro ao ouvir alguém me chamar.

— Jungkook-ssi! - Me viro e vejo o Arrogante também vestido com roupa de corrida. Não me esforço em lembrar seu nome, muito menos em sorrir para o mesmo.

— Ah… Oi.

— Sou Taehyung, amigo da ________-ah. - Quase arqueio a sobrancelha com o jeito que diz o nome dela. Ele está tentando me provocar?

— Sei. - Falo e bebo um pouco mais de água. - O que quer?

— Estava passando por aqui e te vi, quis te fazer um convite pessoalmente. - O encaro para que prossiga e ele sorri. - Daqui a três semanas vou dar uma festa de final de semestre. Queria saber se você poderia ir com sua namorada.

— Uhm… - Resmungo e penso. - Não gostamos muito de festas.

— A ________ eu sei que gosta. - Fala e arqueia a sobrancelha, me olhando debochado. - Você deveria fazer isso por ela, pelo menos uma vez.

— Está dizendo como devo agir no meu relacionamento? - Meu tom sai um tom mais alto que o comum e ele ri fraco, sem se abater.

— Se chama aquilo de relacionamento. - Dá de ombros. - Mas, na verdade, estou dizendo para vir com a sua namorada para a festa.

— Nós vamos, não se preocupe. - Falo e não espero que responda, ponho os fones, e sigo o caminho de casa, remuendo as palavras daquele atrevido.

Intrometido. É isso que ele é.

Contenho minha irritação e ao chegar em casa, vou direto para a cozinha. Tiro uma marmita de sopa de kimchi, bibimpap e começo a fazer uma torrada simples, deixando a comida pronta. Resolvo seguir até o banheiro e tomo um banho, saio minutos depois e deixo meu material de estudo em cima da escrivaninha, em seguida como o que havia preparado.

Minha manhã se passa nesse ritmo, faço minhas atividades frustrado por não ter conseguido entender muita coisa. Era difícil demais.

Suspiro, agoniado por não entender o conteúdo das provas, mas minha leve crise é interrompida pelo som estridente do toque do celular. Atendo.

— Ah, Omma!

— Bom dia, querido. - Consigo ouvir seu sorriso e sorrio junto. - Como está meu bebê?

Rio fofo. Eu sou muito filhinho da mamãe, desculpa.

— Estou bem, Omma. - Sorrio e suspiro. - Apenas enrolado com algumas matérias.

— Hey, estude bastante e ficará tudo bem, sim?

— Certo. - Sorrio de leve. - E como está?

— Estou bem, acabei de voltar do trabalho. Seu pai está desmaiado no sofá. - Ri e sussurra. - Vai demorar para que acorde, vou aproveitar e fazer o almoço.

Rio fraco, e nego. - Tudo bem. Vou tentar visitá-los logo.

— Não se preocupe com isso, apenas estude. - Diz e suspira. - Preciso ir agora, meu bem. Quis apenas saber como está.

— Certo, Omma. Faça o que tem que fazer.

— Fique bem e se cuide. Te amo, lindinho da mamãe.

— Também te amo. - Rio fraco e ela retribui, desligando.

Rio fraco. Minha mãe sempre foi carinhosa comigo. Acho que por ser o mais novo ela é me trata com mais cuidado que com meu hyung, por exemplo. Ela sempre me ajuda e ainda paga minhas contas, diz que até que eu comece um estágio é importante que apenas me concentre na faculdade.

Eu me sinto dependente, mas sei que assim é mais fácil e melhor para mim.

Resolvo terminar os estudos e me arrumar para a faculdade, então aproveito para pedir algo para comer.

Minha rotina se segue e em pouco menos de duas horas, estou caminhando até a entrada da faculdade.

Caminho pensativo e já rolo o olhar pela entrada, procurando a estrangeira, franzo o cenho por não encontrá-la.

Não nos veríamos dois dias seguidos?

— Hey, Jungkook-ah! - Me viro e a vejo, e… porra.

Ela estava ao lado da JiEun, mas por algum motivo, não liguei muito para sua presença ali, a ocidental tomava a atenção dos meus olhos. Ela estava muito linda.

O shorts azul escuro acentuava as lindas coxas – estas quais repentinamente criei uma grande admiração –, parencendo estupidamente perfeito. Seus cabelos tinham um coque charmoso. Vestia uma blusa de mangas longas cor vinho, que era coberto por um sobretudo felpudo e quente, por conta do frio.

Ela estava muito linda, devo admitir.

— Jungkook? - Acordo de meus devaneios, parando de observá-la ao ver seu rosto próximo. Me afasto num pulo e desvio o olhar, corado.

— A-ah, oi. - Me curvo de leve para minha sunbaenim e a ocidental.

— Olá, Jungkook-ssi. - Diz a mais velha e sorri para a garota a minha frente. - Nos vemos depois, _______-ah?

— Claro! - Responde e sorri. - Até daqui a pouco. - a Lee acena com a cabeça e sai, nos deixando sozinhos. - Você está tão lindo de casaco. - Seu tom bobo é claro e ela põe as mãos em meu peitoral, arrumando o casaco em meu corpo. - Seu nariz está vermelho, está com frio?

— Não, não muito. - Digo e me deixo observar seu rosto.

—… Está me observando demais hoje. - Dá uma risadinha tímida e eu coro em resposta. O que deu em você hoje, Jeon Jungkook?

— Ah, desculpe. - Me afasto. - Como foi seu encontro ontem? - Desconverso o assunto anterior e volto ao queria falar ontem.

— Não foi um encontro, mas foi incrível! Taehyung foi muito bom nas competições. Foi divertido. - Sorri e eu resmungo.

— Também sou bom com jogos. - Murmuro e ela fica alguns segundos, me encarando.

— … Você está com ciúmes?! - Seu sorriso é largo e o brilho em seus olhos é visível.

— O que?! Eu não tenho ciúmes! Nem de você e nem de ninguém. - Afirmo e seu riso preenche meus ouvidos.

— E eu pensando que você não conseguia ser mais fofo.

Bufo e nego, saindo andando, corado. Aish… como ela ainda consegue me deixar tão sem graça?

A brasileira vem atrás de mim sorridente e feliz, parecendo ter ganhado o dia.

_________ POV's

Eu estou radiante, e sabe o porquê?

Porque meu homem sente ciúmes de mim.

E sim, é errado pensar ciúmes como uma coisa positiva, mas neste caso, significa uma coisa boa para mim.

Ciúmes saudável não é muito além de medo de perder alguém para outra pessoa. Sentir receio, sentir insegurança. E ele sente isso. Sente medo de me perder.

Meu sorriso bobo explica ao mundo como estou e meus olhos presos no moreno explicam o motivo de tal sentimento.

Estou feliz e nada mudará isso.

[ … ]

Não vi o meu coelhinho durante o intervalo, e agora que saí, descobri que o mesmo havia saído mais cedo. Me preocupei e quase voei até sua casa pensando em tudo que poderia ter chateado ou machucado ele.

Chego na guarita/portaria, e o porteiro libera minha entrada sem esperneios. Subo pelo elevador contando os segundos, e assim que chego ao andar, saio em disparada até a casa do meu bombom, tocando a campainha quase desesperada.

Jungkook abre a porta segundos depois. Seus olhos e nariz vermelho, rosto inchado e fungado me dizem que estava chorando, então uma dor súbita chega em meu coração. Apenas o abraço carinhosamente. Sem nenhuma palavra. Querendo poder absorver a dor que seus olhos passavam. Ele retribui meu abraço sem hesitar, me deixando preocupada por estranhar sua ação.

— Kook...

— Entra. - Me interrompe, me puxando para dentro e mostrando uma série de livros em cima da pequena mesa de jantar.

A casa está quase toda escura, tirando pela luminária acima da mesa.

— Kook-ah, o que houve? - Falo e me viro em sua direção, vendo-o encarar o chão.

— Eu recebi a nota de alguns testes, alguns trabalhos. - Suspira aparentemente triste. - Foram péssimas.

Me aproximo de si vagarosamente.

— Eu voltei para casa, estava desesperado. Queria estudar, entender o conteúdo e assimilar tudo para recuperar nas provas seguintes, mas eu não consegui ebtender metade do conteúdo pedido, ________-ah. - Seu tom melancólico me atinge e não consigo sentir felicidade pelo modo que diz meu nome. - Eu só tenho que fazer isso. Estudar. Meus pais pagam o apartamento, minhas roupas, comida, tudo! E a única coisa que pedem em troca são boas notas. - Funga e vejo que quer chorar novamente. Suspiro, entendendo e absorvendo sua dor. Me aproximo e o abraço apertado.

— Eu entendo, Kook. Mas, lembre-se, é normal que isso aconteça. São assuntos difíceis. - Separo o abraço e seguro seu rosto. - Eu estou aqui, sim? Vou te ajudar a entender o conteúdo. Vamos fazer isso dar certo. - Digo confiante e sorrio para ele.

— Eu passei o dia todo estudando. Não adiantou. - Lamenta.

— No entanto você não tentou comigo. Eu vou te ajudar! Vamos! O que custa tentar?

Seu semblante receoso logo se desfaz e ele apenas me abraça, num obrigado silencioso. Retribuo sentindo meu coração palpitar e todo o meu mundo estar em meus braços. Meu coelhinho se afasta e se senta a mesa.

 Conversamos e passamos boas horas estudando. Percebo que aos poucos entende e memoriza o conteúdo, sua preocupação se esvai e no final de tudo, dormimos os dois num colchão na sala. Tendo lua, estrelas e livros como testemunha do nosso singelo e pequeno momento de carinho e paz.


Notas Finais


:"" ver nosso coelhinho triste é tao doloroso aaaa
E aí, o q acharam? Comentem e favoritem para incentivar minha escrita ^^
Me sigam nenx @Gobiraba uwu


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...