História You Got To Be Crazy (Jeon Jungkook - BTS) - Capítulo 12


Escrita por: e Storge

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), IU, Red Velvet
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Kim Taehyung (V), Lee Ji-eun "IU", Park Jimin (Jimin), Personagens Originais, Yeri
Tags Bangtan Boys (BTS), Clichê, College, Comedia, Fanfic, Hentai, Hetero, Imagine Jungkook, Jeon Jungkook, Jeongguk, Jungkook, Ludus, Tentativa De Comedia, You
Visualizações 136
Palavras 1.560
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


olá, amadas :) buenos dias
Demorei? Sim sksh desculpa, mas tá aqui

Gostaria de agradecer a Risa ( @taeyes ) pela capa lindissima Sz te amo, pincesa

Tenham um bom sábado e uma boa leitura ^^

Capítulo 12 - 11. Esclarecimentos


Anteriormente...

Desculpe, Jeon. Eu não posso ter essa conversa com você agora. Limpo as lágrimas teimosas que caíram, me sinto inútil, fraca, mas então vejo Taehyung ao lado de sua moto, prestes a ir embora.

— Hey, Tae… — Me aproximo. — Podemos ir à algum lugar? Tive um dia difícil e preciso de você.

Ele me encara por alguns segundos e sorri.

— Sobe aí. — Me entrega o capacete. Ponho e subo na moto, me agarrando em sua cintura, pronta pra ir.

Então, eu fui. E talvez não fosse a melhor decisão que eu já tomei.

Agora…

Taehyung estaciona e eu saio da moto num pulo, tirando o capacete e respirando fundo, quase vomitando de nervoso.

— Hey, _______-ah… — Se aproxima e acaricia minhas costas. — Você está bem?

— Não, eu não estou bem. — Me afasto e suspiro, tentando acalmar os nervos. — … Taehyung, eu não deveria ter vindo.

Se aproxima e me segura, observando meu corpo. — Está inquieta, suando, meio pálida e parece nervosa. O que houve? — Acaricia meus ombros, preocupado.

— Eu… Eu acabei de descobrir que o meu ex é primo do meu atual namorado. — Rio fraco, inquieta e afetada. — Meu ex que me trocou por uma nativa, disse para todos da faculdade, me humilhou, acabou com minha auto-estima, além que deixou a irmã dele participar do processo e me pôr ainda mais 'pra baixo. — Me apoio na moto e respiro fundo. — Eles são parentes do meu namorado doce, gentil e que não conhece aquele meu lado que o Jimin trouxe… — Desvio o olhar. — Eu entrei em pânico e fugi. Precisava respirar um pouco para pensar melhor, me distrair.

—... Uau. — Ri sem graça e me observa. — Bem, eu sou ótimo em distrair. — Se aproxima e acaricia meu cabelo. — Já que estamos aqui, o que acha de irmos dar uma volta?

— Não, Tae. Sério. Eu posso ir 'pra casa.

— Eu não tenho nada para fazer, sei que você também não e seria uma pena acabar com um encontro que ainda nem começou... — Sorri gentil e me observa. — Você precisa esquecer, _______-ah, e eu posso te fazer esquecer.

Observo seu rosto, esperançoso e com o sorriso fofo de sempre. Há um certo brilho em seu olhar e reconheço como sinceridade e preocupação. Debato comigo mesma e chego a conclusão… Ninguém vai morrer se eu for, não é?

— Aonde iríamos? — pergunto e ele sorri largo.

— Sobe na moto. — Retribui o sorriso e me levanto, subo na moto e ele faz o mesmo em seguida. — Se segura, talvez corramos um pouco.

Rio e me seguro, descontando em sua cintura, em seguida sentindo a moto tomar velocidade.

[ … ]

— Eu amo esse sorvete… — resmungo tomando meu lindo sorvete de chá verde, observando a noite quase sem estrelas.

— Uhm… admita que valeu a pena sair, não valeu?

— Valeu. — digo e sorrio, me apoiando na moto. Suspiro, pensativa.

— Então… O que é esse relacionamento com o Jungkook? — pergunta e me olha curioso. — Ele parece ter ciúmes de você...

— Não acho. — admito e inspiro. — Pela primeira vez na vida, eu agi com toda a loucura do mundo. — Rio fraco e me abraço, inibindo o frio. — Eu encontrei alguém que parecia descente e o forçei a namorar comigo. Sabe o quanto isso é louco? — Nego para mim mesma e dou uma risada. — Ele me ignorou, fugiu, me xingou, falou mal de mim para minha amiga, esta da qual ele gostou, e mesmo assim, algo nele me faz querer amá-lo. — conto, perdida em meus pensamentos. — Saímos ontem, sabe? — Olho pra ele, que me encara curioso. — Ele foi gentil, carinhoso, na verdade. — Sorrio e sinto um calor nas bochechas ao lembrar do sorriso do moreno. — … Ele é o tipo de pessoa que traz doçura até num simples olhar, dá aquela sensação gostosa de conforto. — Me abraço e suspiro. — Acho que ele está começando a gostar de mim…

— Ele seria um idiota se não gostasse. — Me olha com a mesma intensidade de sempre. Perco os sentidos por um momento e sinto a tentação ao ver seus lábios próximos.

— Hum… Taehyung, eu quero te beijar. — admito, afetada.

— Então beija.

[ … ]

Jungkook POV's

Merda, merda, merda!

Vejo a garota sair correndo, mas antes que a alcance, ela sobe na moto com o Taehyung e foge.

— Pelo visto ela continua a mesma. — Meu primo soa levemente sarcástico e fico confuso.

— Como assim a mesma? — o olho.

— Covarde. Fraca. — Sorin o corta. — E feia.

A olho, desgostoso e franzo o cenho.

— Por que vocês parecem odiá-la?

— Jungkook-ah, não a odiamos. — Park corrige. — Mas sabemos como a ________ é.

— E ela não é a garota certa pra você. — Completa a oriental.

— Olha… — Passo as mãos no rosto, confuso. — Vão indo pra casa. Eu vejo vocês lá.

Não espero que terminem e vou andando até a casa da garota, criando várias teorias. Por que ela fugiu? Será que ela fez algo de errado? Será que Jimin fez algo errado?

Chego à casa cor amarela e toco a campainha, esperando que a garota esteja em casa.

— Boa noite. — Ouço uma voz e me viro vendo uma senhorinha. Me curvo suavemente.

— Boa noite. Uhm… Aqui é a casa de _______?

— É sim. — fala e me olha desconfiada. — Quem é você?

— Sou o… namorado dela. — soo tímido. Ainda é estranho falar em voz alta. — Me chamo Jeon Jungkook.

— Ah, sim! Claro! — Sorri gentil e se aproxima. — Bem que ela disse que você é bonito. — Ri e eu coro, sem graça. — Ela ainda não chegou, mas acho que a amiga dela está aí.

— É, eu 'tô. — olho 'pra porta e vejo uma ocidental loira. Ela me olha com desprezo e eu me seguro para não franzir o cenho. — Você é o "bombom", não é?

—… Acho que sou. — digo e me encolho num misto de vergonha e receio, ela me intimida.

— Entra, temos que conversar. — Abre espaço para que eu passe, me encarando desconfiada. É mútuo, garota.

Olho para a senhora mais uma vez, me curvando suavemente em forma de despedida e aceito o convite da loira, entrando.

— Jeon Jungkook, não é?

— Isso. — Me sento na poltrona próxima ao sofá e a vejo me encarando.

— Sou a Tina. — Se apresenta e eu me curvo suavemente em educação. — O que quer?

— Eu só vim ver se a ________ está aqui…

— Não, ela saiu. Talvez não volte hoje. — diz, alimentando minha curiosidade. — O que você fez?

— E-Eu não fiz nada. Ela viu meu primo e surtou, disse que era o ex dela. Ela fugiu.

— Calma, calma... Park Jimin? — pergunta e eu assinto, vendo-a praguejar. — Merda…

— O que foi? Eu não estou entendendo.

— Park Jimin foi o motivo dela ter se mudado para Seul. — esclarece e suspira. — Ele foi a paixão de último ano dela. Pelo menos até ele decidir que ela nunca seria boa o bastante pra ele e sua família, assim traindo ela e a humilhando, trocando-a por uma qualquer e espalhando rumores mentirosos sobre ela. Dizendo que era suja, que havia batido nele por ter terminado, que não seguia algumas simples tradições de vocês. Ela teve que se mudar porque em Busan era motivo de piada… E os responsaveis por isso foram Park Jimin e Sorin. — Explica e me encara, brava. Permaneço calado. — Por que veio aqui?

— Ela só saiu correndo… Quis saber se ela estava bem. — murmuro, pensativo. — Mas, pelo visto ela não está.

— Parabéns por notar. — resmunga irônica.

— Eu tinha ouvido alguns comentários da minha família quanto ao relacionamento deles... mas não achava que ela que era a "estrangeira estranha". — Ela bufa em resposta, atraindo meu olhar.

— Vocês acham que são os certos e nos chamam de estrangeiras. — Revira os olhos. — Vocês não são os certos, são o comum desse país. Não sabem respeitar a nossa cultura e acham que devemos venerar a de vocês. Sabia que a palavra "estrangeira" significa invasor, ladrão, intruso? Que quando usada pode ser considerada xenofobia? Claro que não sabe, se soubesse estaria tão bravo quanto eu. — explode, brava. Apenas ouço quieto. — Você não faz a mínima ideia do que a _________ passou, só parou para pensar melhor agora, e é bom que isso que aconteceu sirva de exemplo de como não tratá-la, entendeu?

Ok, ela me dá medo. — Entendi. — falo firme e ela suspira, assentindo.

— Quando ela chegar peço 'pra que avise a você que está bem. — diz e eu concordo com um gesto.

— Então acho melhor eu ir… — Me levanto e suspiro. — Obrigado.

Ela apenas dá um sorriso mínimo e eu saio, indo 'pra casa pensativo, refletindo sobre a… minha namorada.

 Depois dessas semanas, acho que finalmente posso enxergar tudo o que a ________-ah me traz. Só espero ser digno de todo o amor que ela me dá.


Notas Finais


... rs
Acho que esse capítulo serviu pra aprofundar mais a história :3 espero q tenha gostado

Me siga, nenex @Ludus & @Mangua

Ah, e eu postei um lindo Namjin :)
https://www.spiritfanfiction.com/historia/ludus-17842107

See you~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...