1. Spirit Fanfics >
  2. You & I - Shawn Mendes >
  3. Capítulo 1

História You & I - Shawn Mendes - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


oi gnt😗✌️ como aqui não dá para postar várias fotos, eu postei no tt a apresentação dos personagens no wattpad e eu aconselho vocês a lerem pra ter uma noção e pq eh importante https://my.w.tt/OpmkdOxa54

boa leitura🤡

Capítulo 1 - Capítulo 1


Fanfic / Fanfiction You & I - Shawn Mendes - Capítulo 1 - Capítulo 1

— Lívia! acorde! — ouvi a voz da minha irmã, Lia, e também senti suas mãos mexendo meu corpo de um lado pro outro. — Livia! Hoje é a viajem, acorde!

 

— Lia! Me deixa, eu já vou me arrumar — tirei suas mãos de mim.

 

— Ai desculpa Lívia, estou tão animada! faz tanto tempo que não vemos os mendes... — faz tanto tempo que não o vejo... 

 

— Ok, vou me arrumar e você vai trazer café pra mim. — me sentei na cama e a vi saindo do meu quarto, só faltou ir dando pulinhos.

 

Tomei um banho, fiz tudo o que tinha que fazer no banheiro e fui no meu closet, olhei as 4 malas de rodinha cor de rosa, me lembrando que vou viajar e vou vê-lo, só de lembrar meu estômago revira e sinto vontade de vomitar de ansiedade, não consigo nem ao menos pensar nele que entro num surto interno por causa de todas as mais de mil maneiras, pelo menos das quais eu pensei, do que pode acontecer quando nos reencontrarmos, eu vou olhá-lo e fingir que nada aconteceu? Abraçá-lo e cumprimentá-lo como se fôssemos amigos? Ignora-lo e ficar fingindo por três meses que ele não existe? Conversar sobre o que aconteceu com ele? Tem tantas possibilidades do que o nosso reencontro pode ser, mas a última opção, definitivamente não, embora isso não seja impossível já que ficaremos 3 meses juntos, na minha cabeça eu já ensaiei como isso seria e não acabava nada bem.

 

Minha mãe interrompe meus pensamentos quando bate na porta e grita um "querida" e eu a autorizo entrar no meu quarto, não que se eu recusasse seria diferente.

 

— Animada? — uau super, não poderia estar mais feliz.

 

— Sim mamãe.

 

— Então se apresse! nosso voo pra vancouver é em 3 horas e você ao menos tomou café da manhã Li — Ela abraça passa suas mãos por meus braços e em seguida me abraça — você sabe que eu te amo muito e sou muito orgulhosa da mulher incrível que está se tornando né? — claro, não é como se você tivesse pegado o meu sonho e o jogado fora e não é como se eu tivesse o trocado pra não ficar sem a minha mesada infinita e também não é como eu tivesse fingido, no outro dia que nada aconteceu, meu deus... por que sou assim!

 

— Sei, eu também te amo muito, e o que você pensa é muito importante pra mim mãe, estou feliz que esteja orgulhosa, obrigada. 

 

Ela me deu um beijo e desfaz o abraço, a vejo sair de minha vista e ouvindo o som de seus saltos descendo as escadas.

 

Bom vou resumir a história trágica da minha vida com meus pais pra vocês, pra não ficarem confusos, eu era uma garota com um sonho que eu tinha desde que eu comecei a fazer aulas de desenho como atividade extracurricular na escola pra ganhar pontos extras na prova, e bom graças a minha professora, eu vi que tinha talento e desenhar, e o mais importante, eu vi que amava desenhar roupas, não demorou muito até eu ir comprar uma máquina de costura, alguns panos e ver vídeos na internet de como a fazer roupas, me apaixonei de verdade naquilo, estava no décimo grau quando convenci minha mãe a fazer um curso de três meses na itália de moda, e foi lá, mais especificamente em Roma, que eu percebi o que queria, realmente, fazer na minha vida, era fazer vestidos, camisas, calças... eu queria ser estilista, era aquilo que eu amava e caralho... eu amo e amo muito, eu me esforcei nós dois últimos graus e adivinhem? eu, por mérito próprio, consegui uma bolsa de estudos na universidade dos meus sonhos, pra fazer o que eu queria, fazer o que eu mais amava. E agora meus caros amigos, aí que vem a parte triste, eu fui que nem uma retardada contar aos meus pais, mal respirava, não conseguia formular as palavras de tamanha felicidade, e eles me elogiaram e bom na hora do jantar, meus pais me chamaram em seu escritório e me falaram que não achavam q a moda era o ideal para mim, que era um passa tempo, um hobby, e que eu podia mais, que meu pai conhecia o reitor de Yale, uhuu vai buldogues, e que ele conseguiria uma vaga na faculdade e obviamente eu não aceitei, cara eu nem tenho ideia de quantas vezes eu falei que eu amava moda e o quanto eu queria fazer moda em roma, e meu pai disse as seguintes palavras "você pode fazer moda, mas cortarei sua mesada, li", sabe aquela sensação que você quer vomitar de ansiedade, chorar de tristeza e gritar de ódio? agora multiplica isso por mil, foi exatamente assim que eu me senti por meses... Bom eu aceitei a proposta do meu pai de ir na universidade de buldogues cursar direito, como minha mamãe, e larguei meu sonho pra não perder o meu conforto aqui, foram dois meses de que a morte não parecia mais tão ruim até que eu passei minhas férias com um idiota chamado Shawn, Shawn Mendes, minha faculdade inclusive tá trancada até hoje por causa dele, isso quer dizer que eu ainda posso voltar lá, e ela "destranca" depois dessas férias, ele tinha me feito fazer tantas coisas... e não é só isso que você está penando seu promíscuo! Mas bom, um dia eu conto essa história trágica porém incrível para vocês, vamos ter bastante tempo, eu não odeio meus pais se é isso que fiz parecer, amo eles, muito, mas quando eu penso no que meu pai e minha mãe me fizeram fazer, e no que eu fiz, aquela sensação horrível que eu contei, volta.

 

Bom enquanto eu contava a minha triste história de vida, eu comi e fui pro aeroporto e estou esperando que chamem meu voo. 

 

— Li! — minha irmã me abraçou e abafou um grito em mim, mas especificamente no meu braço. 

 

— Eu juro que até agora não entendi do porquê você estar tão animada, Lia. — a disse rindo.

 

— Eu simplesmente amo Vancouver, e amo os mendes. — hm.

 

— A, é que normalmente quando viajamos, você só coloca seus óculos escuros, fones e fica de boa.

 

— Sabe minha irmãzinha querida, a companhia das viagens normalmente é a melhor parte... você não está com saudades do Shawn? Lembro que vocês ficaram melhores amigos quando você tava, tipo, super mal... — ela deu ênfase em "super" e tocou num assunto que é gatilho para mim e meus pais. 

 

— Primeira chamada ao voo quatrocentos e sete, destino a Vancouver. — Sabe aquela expressão "salvo pelo gongo", ela nunca fez tanto sentido.

 

Não faço ideia quanto tempo demorou para decolarmos, não faço ideia de quanto tempo demorou durou o voou ou quanto tempo demorou para aterrissarmos, quanto tempo demorou para pegarmos todas as nossas várias malas, não faço ideia quanto tempo demorou para pegarmos o táxi, quanto tempo demorou para arranjar um jeito de colocarmos as malas no carro, quanto tempo demorou para chegarmos na casa que alugamos, quanto tempo demorou para descarregar as malas e as levarmos para nossos respectivos quartos, também não faço ideia do tempo que demorou para ouvir três batidas na porta, e três giros, "Kat!", "James!" e a pior: "chegamos!". Não tenho ideia do tempo que durou essa merda toda, mas juro que na minha cabeça, demorou a eternidade.

 

A porta foi aberta, ele estava perfeito e estava sorrindo quando cumprimentou meus pais e minha irmã, mas o sorriso sumiu quando chegou a minha vez, e aquilo, a expressão de dúvida é tristeza que ele fez até o momento que ele veio e deu um beijo na minha bochecha, isso demorou bem mais do que a eternidade.

 

 

Oi, Liv.


Notas Finais


e aí gnt! Gostaram??


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...