História You in my life - Capítulo 11


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Comedia, Naruto, Sasusaku
Visualizações 32
Palavras 3.262
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá gente, tudo bem? comigo ta tudo ótimo.
capitulo passado eu falei sobre um projetinho, e eu queria a opiniao de voces, entao pelamos digam o que acham da ideia. para saber mais sobre esse projeto, é só ir no meu perfil e ver a imagem da minha capa. ta bom? espero que voces digam MESMO a OPINIAO de VOCES







LEU ALI EM CIMA? NAO? VOLTA PRA LER.


Bom, eu pessoalmente achei esse capitulo meio fraquinho. nao sei o que voces vao achar né, mas, comentem ok?

BOA LEITURAA!

Capítulo 11 - Encontro na loja de churros...


Eu:

Minha vida é uma merda

Matsuri:

Sua vida poderia ser roteiro de uma novela mexicana.

Eu:

Que emocionante.

Senhora sinceridade

Matsuri:

Só falo verdades.

Minha vida também é uma merda bem merdada mesmo.

Sim, eu contei pra Matsuri tudo o que ei vivi desde que eu e ela paramos de nos falar, por causa da sua falta de celular. E ela também me contou de sua life super emocionante; ela terminou com o namorado; tomou no cú umas três vezes por causa de confusão na escola; e quase morreu atropelada por um caminhão. Normal, acontece.

Matsuri:

Tô saindo aqui.

Minha mãe vai me levar no médico.

Fraturei o braço outro dia, agora vou tirar o gesso.

Dessa eu não sabia.

Eu:

Vai lá então.

Uni as sobrancelhas balançando a cabeça negativamente. Ergui o olhar vendo Itachi parado me olhando com cara de trouxa.

- Amém, pensei que não ia desencanar daí tão cedo – ergueu as mãos pro céu, em seguida arrastou uma cadeira e sentou do meu lado.

- Que foi?

- Nada. – disse dando de ombros.

- Fala logo!

- Eu queria saber o que você achou da Yu...

- Odiei – o interrompi – e acho que ela também não gostou de mim – fecho os olhos.

- Porque você tem intimidade com o Sasuke. Minha mãe também não gosta dela, nem eu... – ri pelo nariz.

- Pensei que fosse a única.

- Não é, acredite – riu junto.

- Mas ele gosta dela né? – Itachi assentiu – tipo muito?

- Tanto que ele não nota que Yumi é uma falsa, sonsa, ela sempre dá em cima de mim – quem manda ser gostoso? Que? Vai dizer que você não acha? Pois eu sim.

- Eu sei – ele me olha não entendendo – vi ela te engolindo com os olhos.

- Sasuke viu também – virei a cabeça devagar pra olha-lo.

Sasuke viu e não falou nada?

- Como assim? Ele não disse nada? Não tem ciúme dela?

- Nenhum pingo. – pera que eu buguei. Sasuke não tem ciúme da Yumi? É isso? Cara que louco!

- E por quê?

- Vai saber – dá de ombros.

[...]

Largada no sofá, largada no sofá, largada no chão, largada no...

- Caralhoooo – resmunguei baixinho.

- Xingar é feio prima Saky .

- Não enche Keiji – me levantei do chão com a mão na bunda. Se doeu? Não foi pouco, eu simplesmente não me segurei direito na hora e “puff” no chão. Sentei no sofá com a cara de bunda de sempre e encarei a televisão ligada passando Carros. Keiji gosta, e admito que eu também.

Ah, ia me esquecendo, Keiji tá aqui em casa, quando eu cheguei da escola ele já estava aqui, tia Mizuri tá trabalhando e a babá ficou doente, mamãe disse que ele podia ficar aqui pra ela/eu cuidar dele, e é isso que eu tô fazendo enquanto Mebuki faz o jantar.

Sobre esse mês, continua a mesma coisa; Ino tentando se aproximar do seu crush fixo Sai – e tá dando resultado – e ao mesmo tempo com vários contatinhos; Hinata e sua loja de churros – ela me convidou pra ir na lojinha de churros da cidade pra gente ver os sabores, preços, ambiente e etc –; Tenten tá na mesma, desenhando, pegando uns carinhas aí e tal; Temari e suas delicadezas, outro dia ela quase esfregou a cara da coitada da Hinata no katchup que a bichinha derramou sem querer, e eu tive que impedir, como uma boa salvadora da pátria; Itachi ta ficando perturbado; Naruto cada dia mais alegre – ele ta contando as horas pra voltar; Sasuke... bom, não vejo ele desde o dia no shopping.

E eu nem ligo... mentira, eu tô morrendo de saudade dele.

Meu celular fez “bip”, eu peguei pra ver, e de súbito um sorriso surgiu em meus lábios.

Sasori:

O que ta fazendo?

Eu:

Oie.

Tô assistindo um filme com meu primo.

Sasori:

Cê pode sair agora?

Eu:

Vou ver.

Já volto.

- Keiji, eu vou aqui fora rapidinho, tem problema?

- Vai estudar? – merda – lembra que a titia disse que era pra você estudar também.

Tinha me esquecido completamente disso. Acontece que nós vamos fazer prova na próxima semana pra poder entrarmos de férias.

- Sim, vou ficar lá na calçada ok? – disse enquanto ia pro quarto.

- Tá – ouvi ele falar antes que eu pudesse entrar no cômodo. Peguei um livro de física e saí.

Eu:

Só posso ir até a porta.

Sasori:

Chego aí em um minuto.

Meu sorriso se alargou. É, acho que tô gostando do crush da rua – vulgo Sasori. Eu e ele viramos bons amigos, ele me ajuda, eu o ajudo, e acho que tá dando certo, eu nem me importo mais com Sasuke e Yumi – mentira – ele está sendo um ótimo amigo, e de acordo com as meninas: ”cara, ele ta tão na sua!”.

Sentei na calçada, abri o livro e fiquei vendo as letrinhas. Acho e reação, blá, blá, blá...

- Sakura – ouvi meu nome naquela voz e ergui a cabeça.

- Sasori – sorri – a que devo a honra de sua visita?

- Queria passar o tempo, nada melhor do que passar do lado da pessoa que a gente gosta não?

Puta que pariu!

- Eeeer... – senti minhas bochechas arderem.

- Estudando? – aponta pro livro no meu colo.

- Sim, vou ter prova semana que vem, e minha mãe disse: ”Sakura Catita, ou você estuda ou eu enfio um livro na sua cabeça”, e eu acho que ela não ta falando de abrir minha cabeça e colocar um livro no lugar do cérebro – ele gargalhou, acabei rindo junto.

- Sua mãe é uma figura.

- Você não faz ideia.

Nós ficamos conversando por mais algum tempo, até Keiji vir me chamar – e me fazer passar vergonha, claro.

- Prima Saky, a tia ta chamando pro almoço.

- Keiji, é jantar, JANTAR – o corrigi. Dando uma de Temari aqui.

- Dá na mesma – ele desvia o olhar pra Sasori – oi namorado da prima Saky – acena.

- O-oi... mas eu não sou namo....

- Sakura, a tia Mebuki e o tio Kizashi sabem que você namora? E na porta de casa?

- Keiji, não somos namorados, Sasori é meu amigo. – falei devagar e calmamente pra ver se entra na cabeça do menino.

- Ah! – resmungou tristonho – pede logo ela em namoro Katori.

- Sasori.

- É. Isso aí mesmo.

- Bom...

- Eu acho melhor eu entrar – falei sem graça – entra Keiji. Agora. - mandei. Porque eu que mando nessa porra.

- Tô indo – ele sumiu pela porta.

- Meu Deus! – escondi o rosto entre as mãos – desculpa pelo pirralho.

- Gostei dele – riu – eu já vou indo – Sasori deu um beijo na minha bochecha – tchau.

- Tchau.

Levantei da calçada e entrei em casa. Procurei pelo pirralho e ele já estava sentado à mesa. Maldito, escapou de pegar uns puxões de orelha. Peguei um prato, taquei comida, e me sentei do lado da minha mãe.

- Que horas papai chega? – pergunto enquanto levo uma colher de comida a boca.

- Daqui a pouco.

- Prima Sakura, quando eu ficar de férias vou pedir pra minha mãe deixar eu ficar aqui com vocês.

- Por quanto tempo? – olho pra ele.

- As férias inteiras.

- Uhum, legal – viro pra minha mãe - vou passar as férias na casa da Ino.

- Por quê? – Keiji pergunta com sua vozinha de criancinha fofa.

- Porque você vai estar aqui.

[...]

- FÉRIAS! – Ino berrou assim que colocamos os pés pra fora da escola.

Enquanto elas berravam, eu e Tenten fazíamos uma dancinha da vitória muito coerente – só que não.

- Vamos pra casa da Saky – Ino propôs.

- What? – uni as sobrancelhas – fazer o que?

- Comemorar, lembra que a gente combinou?

- Mas nem vem. – balancei as mãos, dando tapas no ar.

- Podemos ir pra minha casa – Tenten fala.

- Ótimo – todas nós concordamos.

Mandei uma mensagem pra minha mãe dizendo que ia direto pra casa da Tenten e ia pra casa umas duas da tarde – porque eu não sou a Ino  e tenho o que fazer em casa, tipo assistir séria na Netflix.

Chegamos na casa da Ten minutinhos depois, a mãe dela tinha feito um almoço muito joinha. Depois que almoçamos – muito – fomos pro quarto da Tenten. Como sempre, ficamos falando da vida dos outros, até chegar a hora que eu adoro – só que não – de falar da minha vida.

- E você e o Sasori? – Ino pergunta como quem não quer nada.

- É, conta – Hinatinha se empolgou, até de mais pro meu gosto.

As outras me olhavam com aquele olhar de cachinho pidão. Bufei revirando os olhos.

- Estamos indo.

- Acho que ele gosta de você – Hina fala, Temari me dá um empurrãozinho, delicado igual a ela, fazendo eu cair por cima da Ino que bateu a testa na testa da Tenten.

- É, também acho – concordei.

- Foi culpa da Saky – Ino diz pra Tenten enquanto passava a mão na testa da moreninha com uma certa força. Culpa minha o caralho, foi culpa da Temari – Pois eu tenho certeza que ele gosta de você. Acreditam que outro dia eu vi ele e a Sakura conversando na calçada?!

Ela viu?

- Você viu? – franzi o cenho.

- Sim, tava indo na sua casa pra te perturbar – cara de pau não?! – aí vi vocês dois lá, no maior clima, decidi não atrapalhar.

- Melhor coisa que você fez – elas me olharam ao mesmo tempo – ele disse que gosta de mim.

- Tá escrito na testa dele – Temari deu um tapa de leve na minha testinha grande.

- Verdade Testuda.

- E vocês? – não vale falar só da minha vida, tem que falar delas também – Você e o Sai, Ino?

- Sei lá – deu de ombros – ele é estranho. - novidade - Sabem quem ta na minha lista de crush? – arqueou as sobrancelhas, sorrindo.

- Mais um? – Tenten gargalhou.

- Sim.

Coitado. Ino tem um crush em cada turma, lugar, se vacilar, até mesmo um crush em cada rua de Konoha, ou melhor, no mundo todo, tipo, ela crusha o Charlie Puth. Eu crusho o Justin Bieber mesmo – lindo, me nota, pelamor de Deus – fui até no show dele no Rio de Janeiro. Mentira, eu assisti no YouTube mesmo.

- Quem? – pergunta Temari.

- O Gaara – hein?

- Sakura, respira – Tenten me deu tapinhas nas costas, eu tava faltando botar o pulmão pra fora de tanto tossir.

O Gaara, a Ino ta crushando o Gaara? Que hilário.

- Ino, o cara é um galinha.

- Eu sei – ela disse desinteressada – Lembra? Pega e desapega, você mesmo me disse isso uma vez.

Isso foi umas das coisas que eu aprendi numa fanfic, melhor pessoa a menina que escreveu.

- Tão ta – dou de ombros – cê que sabe. Pega e desapega, só não vai se apaixonar, ele é bem “apaixonável”. – ela assentiu. Realmente, além de lindo inteligente, ele é super gente boa, galinha? Sim, mas é legal.

- Hinata – Tenten olha pra ela.

- O que tem eu?

- Seu crush?

- Não tenho – disse simplesmente.

- E o Naruto?

- Idiota demais.

- Uow! Que bafo miga – Ino berra, empurrando a Tenten de leve.

- Você – Temari aponta pra Hinata – acha o Naruto “idiota demais” – fez aspas.

- Não tanto assim... mas acho sim.

Isso porque ela gostou do Naruto há um tempo aí, assim que nosso grupo se formou, mas não era correspondida. Tadinha. Agora ela não foca mais em amores e crushs, mas sim na Hinata’s Churros. Como eu sei disso? Ela me conta, eu sou a diva das divâncias; a diva do algodão-doce; a diva mais diva do cabelo cor-de-rosa, ok, eu tô exagerando, ela só confia em mim – sou muito confiável.

- Tenten? – Temari olha pra ela, fazendo todas nós olharmos também.

- Tô vendo aí uns carinhas – dá uma piscadinha marota – E você Tema?

- Tô de boa, só na minha – se jogou de costas na cama.

- Credo, as únicas que tem crush sou eu e a Sakura – Ino brincou.

- Prefiro me preocupar com coisas que dão futuro.

- Então ta – peguei um saquinho de salgadinhos de dentro da minha mochila.

- Ei, divide.

[...]

- Veeeeem – Hinata me puxava.

- Nããão – puxei meu braço de volta.

- É só o pessoal.

- O Sasuke tá lá, junto daquela mucura da Yumi. – sim, ele tava ali com a Yumi, o Itachi e um amiguinho dele. Exatamente, na lojinha de churros da cidade, só pode ser macumba, qual é? Tanta loja de doces por aí, e eles tem que estar na lojinha de churros.

- Você prometeu que ia me ajudar na loja – fez biquinho.

- Acontece que temos muitos outros dias pra vir aqui.

- Você sabia que eles estariam aqui – acusou-me. Eu sabia? Não, eu não sabia.

- Eu não sabia de nada. – cruzei os braços – O Itachi só me convidou pra sair com ele, o Sasuke, a Yumi, – revirei os olhos – e um tal de Suigetsu. Mas eu não sabia que seria na loja de churros. - e eu nao quis vir justamente por causa da puta da Yumi.

- Agora sabe, – me puxou de novo – e promessa é dividaaaa. – eu me segurei numa coluna de concreto que tinha aqui – Sakura!

- Hinata! Eu não quero iiir – birrei.

- Então eu vou fazer as analises sozinha – me deu as costas entrando na loja.

Eu dei de ombros e me sentei na calçada ali mesmo. Vi que tinham algumas mensagens de Sasori no celular, resolvi ver, mas na mesma hora o celular toca. Era ele.

- Oi Sasori – sorri.

- Posso saber o que você ta fazendo sozinha na porta da  loja de churros? – ué?

- Oi? Como você sabe?

- Truques meus – deu uma risadinha.

- Ah fala aí, vai. – sorri também, vi uma sombra a minha frente.

- Olha pra cima – ouvi a voz mais perto, nem parece que estamos nos falando por telefone. Olho pra cima, como ele me pediu.

- Ah você ta aí – gargalhei. Ele sentou do meu lado na calçada

- O que ta fazendo aqui?

- Eu vim com uma amiga, ela ta lá dento – aponto pra trás, onde estava a loja.

- E porque não ta lá com ela?

- É... que... – agora ele me pegou. Pensa Sakura, pensa, você não tem cabeça só pra segurar esse cabelo divo – tô pegando um ar sabe. - me abano.

- Sei – ele não me pareceu muito conformado não – vem, vou com você – ele levanta e me estende a mão.

- Vai pra onde? – uni as sobrancelhas.

- Lá pra dentro. Levanta menina – sorriu. Eu segurei sua mão e ele me ajuda a levantar.

Entramos na lojinha de churros, e logo senti aquele cheirinho de churros recém saído daquela parada em que frita a massa.

- Finalmente Sakura - Hinata berrou.

Senti olhares sobre mim, claro que não tem muita gente aqui, apenas algumas crianças, a Hinata, e Sasuke e cia, e COM CERTEZA eram os olhares de Sasuke e cia.

- Não grita Samara – disse entre dentes.

- Nossa, foi mal – riu sem graça – e você é o...?

- Eu? Ah! sou Sasori.

- Oii, SASORI – deu ênfase no nome dele olhando pra mim de olhos arregalados. Reviro os olhos.

- Hehe, já viu suas budegas aí? – pergunto.

- Tudo não – dá de ombros – oooolha, uma maquina de granulado – correu até lá. Não era uma maquina, eram os potes onde se colocavam os diversos granulados.

- Ela é piradinha – Sasori fala, rindo.

- Isso porque você ainda não viu as outras. – ele ri mais ainda, e eu o acompanho.

- Hey, Sakura! – engoli seco. Eu quero matar o Itachi. Virei a cabeça pra ele igual a menina do Exorcista. Sorri falsamente – chega mais.

- Tô bem aqui – me escondi atrás do Sasori.

- Vem logo – revirei os olhos.

- Amigos? – sim, amigos, o menino que eu sou apaixonada que nunca vai me dar bola porque tem uma namorada filha da puta.

- É. Eu já venho – me ponho a caminhar, chego perto deles e cruzo os braços, não ouso olhar na cara do Sasuke e nem da puta as Yumi – oi gente – falo olhado pro Itachi. Eles me respondem com um “oi” ou um “e aí”.

- Porque não aceitou vir com a gente?

- Eu ia sair com a Hinata.

- Mas está aqui...

- Com a Hinata. - retruquei entre dentes.

- E o cara lá, quem é?

- Sakura! Vamos ali, é urgente – Hinata aparece me puxando/salvando.

Me lembrem de dar jujuba pra ela depois.

- Que foi?

- Nada – deu de ombros – só tava te salvando. De nada viu.

- Eu tenho que ir garotas.– Sasori fala vendo algo no celular.

- Eu te acompanho – falo olhando pra Hinata em seguida – vai precisar de mim ainda?

- Vou com vocês, já fiz maioria das minhas observações.

- Plágio é crime, sabia? – brinquei.

- Não vou plagear, só tô dando uma olhada na concorrência ué – dá de ombros – você vai ver, Saky, minha lojinha vai ser A melhor – sorriu orgulhosa, e adivinhem, ela já tava parada igual poste com certeza imaginando seu futuro. A mocinha que atende as pessoas chamou a Hinata tirando-a de seu transe – já venho.

- Anda logo – me virei e quase tive um infarto ali mesmo – Sasuke?

- Desculpa – riu sem jeito – é que, eu nem falei com você...

- Ah, tá de boa – não, não ta de boa, volta pra sua Yumi, porra, eu quero te tirar da cabeça.

- Prontinho, já peguei, podemos ir embora... e aí Sasuke – Hinata sorri.

- Oi – faz os mesmo que ela – meu abraço?

- Claro – sorri. É lógico que eu quero um abraço.

- Sasukinho, amor – Yumi surge do inferno pra interromper. E eu nem ganhei o abraço – oi... er... qual o seu nome?

Desgraçada, filha da puta.

- Sakura – eu, Sasuke e Hinata falamos ao mesmo tempo.

- Caralho, esqueci de pegar meu troco – Hinata bate as mãos nos bolsos procurando o dinheiro – segura pra mim Sasori?

- Tá – ela entrega a sacolinha pra ele e saí correndo pro caixa berrando que esqueceu o troco. Como uma pessoinha que tem ascendente em Peixes, só não esquece a cabeça porque é grudada no pescoço, mas como uma boa capricorniana ela tem um faro do cacete pra dinheiro.

Olhei pro casal a minha frente, Yumi tava toda manhosinha lá e Sasuke com cara de bunda, revirando os olhos de vez em quando – Não entendo ele – olhei pra Sasori e ele me olhou também, sorri.

- Sakura... – Sasuke e Sasori me chamam ao mesmo tempo e se encaram. Esse povo só pode amar meu nome, caralho.

- Seu amigo? – Sasuke pergunta.

Yumi me olhava com superioridade agarrada no braço de Sasuke, não sei nem como ainda não arrancou o braço do menino. Rum, nem ligo – ligo sim!

Mas eu sou Sakura – Clotilde Jurema Orégano Jubileia Maria Carmita Nildara Catita Lupita, e mais os milhões de nomes estranhos que minha mãe de chama – Haruno, não vou deixar barato não, se ela esfrega na cara dos outros que o namorado dela é bonito eu também posso, certo? Certo. Mesmo que eu me sinta mal depois, vou mostrar que não me importo, até porque ela é uma sonsa e ta na cara que não gosta do Sasuke do jeito que ele – infelizmente – gosta dela. Ela vai ver, e não, não vou meter a voadora nela – mesmo sendo minha vontade.

 

- Não, – digo, Sasori me olha com uma interrogação do tamanho da desgraça na cabeça – é meu namorado.

 

 


Notas Finais


e aí? e aí? e aí? vai dar merda? sim? nao? claro? logico?

COMEMNTE e nao deixe de comentar tambem sobre meu projeto ok? quero opinioes.

ATÉ O PROXIMO <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...