História You, Kakashi - Capítulo 14


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Asuma Sarutobi, Iruka Umino, Jiraiya, Kakashi Hatake, Maito Gai, Naruto Uzumaki, Orochimaru, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Visualizações 47
Palavras 1.476
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Confesso que esse cap é bem leve.

Capítulo 14 - Absurdos


       • Nenhuma despedida é eterna.

As pessoas voltam, de uma forma, ou de outra.

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

   2 meses depois - Konoha

Ao passar pelo portão a primeira vista que eu tenho é de moradores ajudando à re-arrumar o local depois do ataque. Passo por dois Gennins que fazem saudação à mim. Logo, uma pequena pessoa vem correndo em minha direção, aos prantos, me atacando com socos.

- Polque você não salvou o vovô, polque? Ele podelia estar vivo se você estivesse aqui. A pequena criança chorava cada vez mais. A cena partiu meu coração.

- Konohamaru. Minha voz sai aflita. -  Eu não podia ficar aqui, foram ordens de seu avô, eu sinto muito. Ele olha para mim confuso, e sai  correndo, aos prantos.

 O que eu posso fazer? Parte disso foi culpa minha, mais também foi dele, ele deveria ter deixado eu ficar aqui. * Um mensageiro da fundação se materializa, ajoelhado em minha frente*

- Riko-senpai. Ele diz se saudando.

- Diga.

- Eu sei que a senhora acabou de chegar, mais é urgente. 

- Eu já sei, os conselheiros querem falar comigo.

- Sim.

- Estou indo para lá, pode se retirar.

- Certo.

***

Chego à casa dos conselheiros, onde entro e me deparo com a imagem, dos dois senhores sentados em um banco, Danzou acomodado em uma poltrona e Shikaku em pé. Ambos com uma expressão séria estampada em seus rostos.

- Conselheiros. Eu digo saudando, os mesmos se levantam e retribuem a saudação.- Shikaku. Direciono outra saudação ao chefe do meu clã, que faz o mesmo.

- Riko. Como você já deve saber, o terceiro Hokague faleceu durante a luta contra Orochimaru ao ataque de Konoha. Desde então, Konoha está sem ninguém no comando, e isso é algo que precisamos mudar o mais rápido possível. Então nós, o conselho de Konoha, decidimos que ninguém além de você é melhor para ocupar tal cargo. Meu rosto não mostra uma expressão surpresa, eu sabia que isso iria acontecer.

- Conselheiros, com todo o respeito,  eu terei de recusar o convite. Suas expressões ao escutarem isso não foram das melhores. - É seriamente impossível eu proteger a vila no meio de um monte de papelada, eu não nasci para tal cargo. * A mulher levanta e bate uma das mãos na mesa posta em sua frente, indignada.*

- Isso é um absurdo!

-  Alcalme-se! Shikaku se manifesta. - Riko tem o direito de negar o cargo.

- Então, quem iremos colocar no lugar dela? O outro se manifesta. Danzou se manteve em silêncio.

- Eu recomendo Jirraya-sensei. Eu digo.

- Eu concordo com Riko. Danzou se aproxima de mim e se coloca ao meu lado.- Seu lugar é na nossa fundação, você possui o perfil perfeito. Coração frio, poderesa, pense nisso. Ele olha dentro dos meus olhos, está tentando me manipular com o Sharingan de Shisui. Eu o jogo contra parede, inforcando-o com uma mão.

 É uma pena que o meu seja mais forte. Digo ativando meu Sharingan. - Seu rato sujo. Eu sussurro em seu ouvido.

- R-respeite seus superiores. Sua voz falha. Suas palavras me deixam nervosa, então eu resolvo apertar mais.

- RIKO! Já chega isso passou dos limites. Os conselheiros gritam em coro.

- Você não é meu superior. Eu digo entre os dentes. Aperto um pouco mais seu pescoço, e o solto em seguida, fazendo ele cair no chão. -Sua sorte é que eu não usei força. Estou cansada dessa brincadeira.Como uma autoridade em Konoha, decreto que Danzou vai se auzentar de qualquer atividade que tenha relação à vila. Isso é uma ordem. Mesmo eu tento respeito aos conselheiros, meu cargo em Konoha é superior ao deles, e isso foi decretado pelo terceiro, todos sabem. Já passou da hora de eu usar a autoridade que tenho.

- Sua pirralha. O homem que estava se recuperando no chão diz.

- Uma piralha que pode destruir o mundo num estalar de dedos, irônico, não acha Danzou? Shikaku me defende, com um sorriso orgulhoso no rosto, ele mais que ninguém sabe o quão é difícil ter palavra para mim.

- Você não pode fazer isso.

- Não só posso como devo! Por mim você já estaria morto. Quando for decretado o novo Hokague, quero uma reunião sobre esse assunto com urgência. Até lá, dois pupilos meus ficarão de olho em Danzou. Eu me retiro da sala, sem deixar que ninguém se manifeste. 

Estou cansanda de ninguém ver minha autoridade. Todos me veem como a garotinha tímida. Isso tem que mudar.

           ***

Três crianças cruzam meu caminho.

- Você viu que romântico o beijo que Kakashi-sensei deu em sua namorada? A menina do cabelo rosa, diz encantada.

 O Kakashi-sensei é realmente sortudo! Mais eu ainda acho a antiga namorada dele mais bonita. O menino imperativo grita, logo olhando para mim e apontando o dedo.- Olha ela aí. Ele sorri.

- R-Riko-sama. A menina diz fazendo uma breve saudação. Em seguida o menino de cabelos pretos faz o mesmo. O outro, fica parado. Tão relaxado! Mais no momento, isso não me importava.

- Sasuke, chegue mais perto. Eu falo com o menino, que por incrível que pareça obedece meu comando.

 Logo, eu me agaixo para ficar relativa á sua altura. Abaixo a gola de sua blusa, e analiso a marca da maldição plantada em seu pescoço. Ela está selada.

- Você possui duas opções. Essa marca vai começar a doer. Ou você recorre à pessoa que à plantou, ou você vem atrás de mim. Mais nenhuma das duas importa, você irá fazer merda de qualquer modo. Todos estamos destinados à falhar, não é mesmo.

- Ei! Como você pode saber disso? O menino de roupa laranja se impõe.

- Eu prevejo o futuro. Ele não é fixo, e existe várias possibilidades. Mais sempre tem uma que é mais provável. Enfim, eu não estou com tempo de dar uma aula sobre meus poderes à vocês. Tenha cuidado, Sasuke.

- Não sei como Kakashi-sensei teve coragem de ficar com outra. Essa é tão mais incrível. A menina diz encantada com brilho nos olhos, enquanto eu me retiro do local.

    ***

- R-Riko, é você? É a primeira coisa que escuto ao colocar o pé para dentro de casa.

- Sim, sou eu. Eu não recebo nada a mais, além de silêncio. 

Deixo minhas coisas em meu quarto e vou em direção à sala onde ele estava.

- Ah... eu tenho algo... algo para  te falar.. Sua voz soa tensa

- Deixe-me adivinhar. Você conheceu uma espiã buscando informações sobre Konoha, Hanare. Ela ficou sob sua custódia, logo seus alunos enchiridos o seguiram, fazendo com que vocês fossem pagos de surpresa e sem querer se beijassem. No contratempo, ela estava sendo entregada para sua vila, quando ela fugiu. Você, como um bom Jounin de Konoha, foi atrás dela, e informou aos seus superiores que ela estava morta, sendo que, na verdade você à deixou fugir.

- C-como você sabe disso?

- Eu sei de tudo, Kakashi. Até de coisas que eu não gostaria de saber.

- E... você não está brava?

- Brava? Brava com o que? Ela não possui nenhuma informação relevante sobre a vila. É claro que ele não está falando disso. Ele quer chegar no assunto do beijo, mais não estou com paciência para isso, não hoje. 

- É, hehe. Sua risada sai em um tom nervoso. - Enfim, fiquei sabendo que você foi indicada ao cargo de Hokague, vai aceitar?

- Na verdade já fui á casa dos conselheiros. Eu recusei o convite. Meu dever em Konoha é lutar, não ficar no meio de um monte de papelada. Afinal, já possuo um cargo mais qualificado que o dos próprios conselheiros. Eu bufo, me lembrando da situação acontecida mais cedo. - Cheguei à conclusão de que eu tenho que começar a mostrar mais poder as pessoas. Mal cheguei em Konoha e Danzou já tentou me atacar.

- Sério, como assim?

- É uma longa história, mais agora ele está sob custódia de dois pupilos meus, e por ordens minhas ele não irá atuar mais em seu papel na vila. Estou cansanda de suas atitudes. 

- Você fez o cer * Uma pedra atirada em nossa janela interrompe sua fala, rapidamente eu a agarro pelo ar, e vou até a janela olhar se havia algo, não havia nada, nem ninguém, porém na pedra havia uma mensagem, que me deixa em choque*- Riko? Ele me balança com as mãos sobre meu ombro. - O que aconteceu? 

- Leia você. Eu o entrego a pedra, e sua reação, não foi nada diferente da minha. Na pedra estava escrito a seguinte frase: "Ela me ama. Desista, Sensei" Esquecemos desse sujeito por dois meses, droga!

 Logo, uma série de previsões, e informações chegam em minha cabeça, claras como neve. Claras... até demais. Agora, tudo faz sentido... uma lágrima escorre em meu rosto. E eu sem voz digo seu nome, ao ve-lo escorado em nossa janela, olhando para Kakashi.

- E aí? Vocês querem brincar? Ele desvia o olhar para mim.

- Não... não pode ser. Kakashi se espanta com as informações que eu planto mentalmente em sua cabeça.





 




Notas Finais


sz


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...