1. Spirit Fanfics >
  2. You late, nerd >
  3. Marshmallows

História You late, nerd - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Ok, até que eu não demorei tanto dessa vez. Eu já tinha esse capítulo parcialmente escrito então eu passei os últimos dias finalizando ele. De qualquer jeito, é ao grande deus Bill Gates que vocês têm de agradecer, pois sem ele isso não seria possível. Glória, glória! 😔🙏🙏

Ps.: Eu não achei uma fanart humana do Papyrus com a aparência que eu descrevi ele na história, então a capa desse capítulo é ele esqueleto msm :p crédito ao artista original que por acaso eu não sei o nome.
Ps.: Depois que lerem o capítulo, leiam as notas finais.

Capítulo 3 - Marshmallows


Fanfic / Fanfiction You late, nerd - Capítulo 3 - Marshmallows

Você possui 12 novas mensagens de Robô Hentai!

É, eu estava certa quando disse que daqui algumas horas Mettaton iria me encher de mensagens. Eu estava com preguiça de ler, então eu apenas coloquei o celular no modo silencioso e o guardei na minha mochila. Eu estava na aula, afinal.

Geografia costuma ser uma matéria bem chata pra mim, apesar de ser extremamente útil em alguns casos. Na verdade, a aula não seria tão chata assim se não fosse pelo professor Moldsmal, um sujeito baixo e gordinho e se movia de uma maneira especialmente lenta.

Explicava tudo da maneira mais simples possível, aparentemente não gostava de falar muito, mas ele conseguia ser um cuzão assustador quando queria. Primeiramente, existiam alguns boatos que diziam que Moldsmal havia estrangulado um aluno em outra escola por ter mexido na sua mesa, o que aparentemente fazia sentido já que ele não gostava de que tocassem nele ou em suas coisas e quando alguém se atrevia a fazer isso, era obrigado a ouvir um sermão agressivo e desnecessariamente grande sobre espaço pessoal. Ele também aumentava o tom de voz para da chamar a atenção dos alunos, o que era normal, mas vindo de um suposto sociopata era mais assustador do que deveria ser. Mas um fato talvez divertido sobre ele é que ele sempre leciona usando roupas verdes em um tom enjoativo, por isso o chamavam de "Senhor Vômito", o que eu sempre achei particularmente idiota mas mesmo assim é divertido.

Moldsmal estava revisando uma matéria do ano passado pra gente, era algo sobre desertificação. Eu tentava prestar atenção, mas não dá muito quando o seu colega imbecil está cutucando as suas costas com um lápis. Sim, é o Sans. Ele ria baixo enquanto fazia isso, e eu não entendia a graça honestamente, mas aquele barulho parecia estar incomodando o professor, que visivelmente já estava perdendo a paciência.

— Quem está rindo aí? — parou a explicação para dar uma olhada na sala. Sans imediatamente parou e se ajeitou na cadeira, mas Moldsmal percebeu que era ele. — Gaster!

— Por favor, o certo é Sans the Skeleton. Gaster soa idiota.

Sans adorava provocar o senhor Moldsmal, o que já era meio óbvio pra todo mundo. Ele adorava implicar com todos os professores na verdade, mas Moldsmal era sem sombra de dúvidas o seu favorito. Porquê? Eu realmente não sei.

— Mais um barulho e você ganha uma advertência!

— Certo.

O professor ficou olhando para ele por mais alguns segundos e depois se virou de volta pro quadro, e sans não esperou nem um minuto pra começar a fazer barulhos toscos de peido com a boca. Moldsmal se virou para Sans de novo com um olhar mortal enquanto alguns alunos riam baixo.

— Sans!

— Quer que eu vigie a turma enquanto você vai ao banheiro, professor?

— Você vai parar com isso, agora!

— Sua aula é entediante, queria que eu fizesse o quê? Prestasse atenção nela?

Os dois começaram a discutir, o Moldsmal gritando e Sans fazendo fazendo piadas sobre a matéria. Não demorou muito para que Moldsmal cumprisse a sua promessa e mandasse Sans para a diretoria, sem supresas. Em um mundo onde Sans são legalizados, cenas como essa são comuns. Enfim, ele deve voltar na próxima aula, então talvez agora eu consiga prestar atenção na matéria.

[...]

Ok, eu... Esperava que a aula fosse ficar mais tranquila, mas estranhamente eu senti falta do Sans. Ele não voltou para a sala, então eu estava achando que ele já havia sido dispensado e havia se enfiado em algum canto pra matar aula, mas mesmo assim eu havia pegado os seus livros e estava esperando ele na frente da sala da diretoria. Eu realmente não sei porquê eu estou fazendo isso, já que dificilmente ele teria ficado duas horas inteiras lá dentro. Acho que vou sair e entregar os livros dele quando eu o ver na próxima aula.

— Alphys? — eu estava prestes a me mexer quando ouvi a voz de Sans atrás de mim. Eu havia me assustado tanto que quase derrubei os livros dele no chão. Ele parecia tão surpreso quanto eu. — Você estava me esperando?

— H-Hun... Talvez. Eu trouxe as suas coisas. — entreguei os livros pra ele. Aquela situação era certamente bem estranha. — Aí, tá tudo bem? — perguntei.

— Claro.

Ele estava evitando olhar nos meus olhos e não estava com o seu sorriso característico, e vindo de Sans isso é preocupante, no mínimo. Aquela era a primeira vez que eu via ele assim.

— O que te disseram lá? Você perdeu as aulas de espanhol.

— Ela só me passou uma advertência e pediu pra eu trazer com a assinatura do meu pai amanhã. — revirou os olhos.

— Que merda... Mas não precisa ficar assim. Eles dizem que advertências sujam o seu nome, mas eu nunca vi alguém sendo expulso por reincidência

— Tsc, você não conhece o meu pai.

— S-Seu pai? V-Você tá bem mesmo?

— Nada de qué preocuparse, señorita Puff. Esqueça o que eu falei.

Levantou a cabeça, sorrindo novamente. Parecia ter voltado ao seu normal, mas ainda assim parecia ter algum detalhe sutil em sua expressão que a fazia parecer diferente. Aquele sorriso... Soava um pouco forçado.

Honestamente, não conheço o Sans, então não sabia muito bem o que falar naquela hora. Decidi que iria apenas mudar de assunto e... Tentar falar com ele mais tarde sobre isso, não sei. Melhor mudar de assunto.

— Hm... O que você achou da primeira t-temporada de... M-Mew Mew Kissy Cutie?

AH, MERDA.

Sans me olhou, mordendo os lábios. Cobri o meu rosto com as mãos por impulso, com certeza eu estava vermelha de novo. Eu me odeio.

— O quê? — ele perguntou, rindo. Provavelmente não fazia ideia do que eu estava falando.

— A-Ah, é... — me virei para o lado oposto, ouvi mais alguns risos. — Um anime sobre... Uma g-garota com orelha de g-gato... V-Você não deve conhecer...

— Não conheço mesmo, mas pelo nome já vi que deve ser muito bom. — aquilo claramente era sarcasmo. Por que as pessoas sempre zoam tanto o nome? Ele é super fofo e define perfeitamente a série! — ... Eu posso assistir com você um dia, se quiser.

Não consegui perceber se ele estava falando sério mesmo ou apenas dizendo aquilo para eu me sentir melhor. De qualquer jeito, eu me animei com isso. Eu iria xingá-lo por zoar o nome mas me senti feliz por ele ser a primeira pessoa que se interessou em assistir Mew Mew Kissy Cutie comigo. Eu queria gritar um monte de spoilers agora, adoro aquela porra.

— S-Sério?!

— Uhum. Eu vou te passar o meu número, então é só me chamar quando qui...

Sans foi interrompido por um garoto que chegou dando uma voadora nele — HEH, não literalmente, mas conseguiu o jogar contra o armário. Ele agarrou o meu braço pra se apoiar e por pouco não caiu no chão, me preocupei com ele por um milésimo de segundo. Tentei lançar o meu olhar mais intimidador para o agressor, digo, como alguém ousa dar uma voadora no meu mais novo amigo dos animes? Mas eu entendi o que estava acontecendo logo quando eu percebi quem era.

— SANS!! — ele gritou, exaltado. Parecia estar muito irritado. — RECOMPONHÁ-SE, SEU IDIOTA!! PRECISAMOS TER UMA CONVERSA SÉRIA!!

Era... Papyrus, o irmão mais novo de Sans, e eu tenho quase certeza de que fiz uma breve menção a ele anteriormente. Ele foi o fruto de um segundo casamento do pai deles, então ele e Sans são bem diferentes, não só fisicamente como mentalmente também. Ele é alto e magro, tem a pele morena e os cabelos encaracolados, fala gritando na maioria das vezes e faz parte do segundo grupo, sendo conhecido entre os estudantes justamente por isso. A maioria das pessoas o acha bem irritante (incluindo eu), mas ele tem alguns amigos, incluindo um valentão metido a gângster e o asiático bizarro que cuida do jornal da escola.

— Ahh, mas que merda, P-Papyrus?! —riu um pouco enquanto colocava uma mão sobre a sua cabeça. Havia um pequeno roxo em seu rosto, então a reação mais correta para aquele tipo de agressão seria CHORAR DE DESESPERO ou EXPLODIR EM UM ATAQUE RAIVOSO, então eu realmente não entendi porquê o Sans riu, mas... Ok.

Papyrus é um estudante do primeiro ano. Acho que nem preciso mencionar que ele é obcecado com a ideia de ser popular e amado por todos. Ele fica levantando as latas de lixo da escola no meio dos corredores para "provar a sua força" — mesmo que na maioria das vezes ele derrube elas e deixe o corredor com um cheiro horrível —, além de ficar tentando se enturmar com a... Galera da Undyne. Ele vive dizendo que quer ser igual a ela e se juntar ao time de futebol da escola, mas sempre que a Undyne tenta puxar assunto com ele, ele tem um ataque de ansiedade e começa a gritar. É, eu acho que essa é a única coisa que a gente têm em comum.

— EU NÃO ACREDITO QUE VOCÊ ACABOU DE SAIR DA DIRETORIA E JÁ COMEÇOU A DAR EM CIMA DAS POBRES FÊMEAS QUE DESCONHECEM A SUA NATUREZA PREGUIÇOSA!! ISSO É DESACATO!!

— Mas ela conhece a minha natureza preguiçosa.

Falou, enquanto apontava pra mim, agora se apoiando no meu ombro. Papyrus me olhou de maneira estranha, mas de repente ele fez uma cara de surpresa. Deve ter me reconhecido, o que talvez seja leg...

— AI MEU DEUS, É A NERD!! SANS, POR QUE VOCÊ ESTÁ FLERTANDO COM A NERD?!

— Porque ela é bonita e sabe jogar Dungeons and Dragons.

OK, ISSO NÃO FOI LEGAL. TÁ TODO MUNDO ME OLHANDO AGORA.

O que o Sans tem na cabeça? Eu sou péssima em Dungeons and Dragons, e muito menos sou bonita. Agora sim eu posso confirmar a minha teoria de que Sans está com demência e está me confundindo com outra Alphys. Só pode ser isso.

— N-Na verdade... — tentei intervir antes que aquilo se tornasse pior. Mas eu não sei exatamente o que dizer, então... — S-Sans estava me falando da n-nova... Receita que ele descobriu de... M-Marshmallow?

— Hm? Marshmallows? — hun, bem, isso foi péssimo, mas Papyrus surpreendentemente parecia convencido. Provavelmente esqueci de mencionar que ele é muito ingênuo. — SANS!! Eu pensei que você odiasse marshmallows e receitas de marshmallow! Estou surpreso!

— Na verdade, eu estava...

— S-Sim, Marshmallows bem macios e puxentos. Você não sabe o quanto ele adora... M-Marshmallows. Ele me disse que p-pegou a receita em um livro... Não, que ele pegou na internet. N-Não é incrível como a internet sabe fazer marshmallows perfeitos? — interrompi Sans antes que ele me desmentisse. Ele estava com muita cara de quem queria fazer isso por algum motivo.

— ESTUPEFATO!! A INTERNET É REALMENTE MUITO BOA EM FAZER MARSHMALLOWS!!

Papyrus comecou a gritar alguma coisa sobre marshmallows enquanto Sans ficava tentando se explicar. Até quando aquela conversa iria durar?

Senti o meu celular vibrando dentro do bolso. O peguei e vi que era a UNDYNE que estava me ligando, e tipo, O QUÊ??

— C-Com licença, estou recebendo uma c-chamada importante!! — disse enquanto ia andando apressadamente para o outro corredor. Ouvi Papyrus falar alguma coisa no fundo, mas não prestei muita atenção. A única coisa que eu conseguia pensar era no fato da Undyne estar me ligando. Que diabos ela queria? ESPERA, SERÁ QUE ELA VAI ME DIZER QUE REPAROU EM MIM E QUER SAIR COMIGO?? NOSSAAAAAA!!

— A-Alô, Undyne?!

Nossa, aparentemente esse foi o único jeito de fazer você me dar atenção!

—Ah, Mettaton! Vai se foder!

Ok, ok, tudo bem. Eu não estou nem um pouco querendo cometer um assassinato de primeiro grau agora.

Me desculpa por te fazer achar que a sua namorada estaria ligando pra você. — ele disse enquanto ria do outro lado da linha, eu não via a graça sinceramente.

— Bah. Ela te odeia, como você conseguiu usar o celular dela?

Digamos que eu... Apenas peguei ele "emprestado" por alguns minutinhos enquanto ela não estava olhando...

— M-MAS QUE MERDA?! VOCÊ ROUBOU O CELULAR DELA?? — eu falei isso alto demais e logo me arrependi pois as pessoas começaram a me olhar de novo. Heh...

Eu não roubei, vou devolver daqui a pouco. Só queria te ligar pra poder te pedir desculpas por seja lá a coisa que tenha te irritado naquela hora, mas eu estou sem créditos e você estava ignorando as minhas mensagens, então...

— Ah, que grande amigo você é.

— Eu conheço esse tom, você ainda está com raiva. Sério, me desculpa. Tudo fica um saco sem você.

Claro que eu ainda estava brava. Ele nem sequer sabia o porquê de eu ter ficado irritada, ele só pensa nele próprio. Mas ele estava com o celular da Undyne, né? Isso me soa como uma grande oportunidade para... Hun, violar a privacidade dela. É, eu sou uma filha da puta, mas quem liga?

— Olha, vamos negociar. Absolvição total em troca de você me passar algumas informações que tem no celular dela.

—  Absolvição?

— Significa que eu vou te perdoar, idiota.

Ouvi um "ah" bem longo do outro lado da linha. Parecia que ele havia concordado.

— Primeiro, preciso que me responda uma coisa. O meu número está salvo aí?

Ehhh, não. Eu tive que digitar o seu número. Aliás, como você conseguiu o contato dela? Você hackeou ela ou algo do tipo? E por que nunca mandou mensagem pra ela?

— Isso não é da sua conta... — OK, eu realmente não sei porquê eu esperava que a Undyne tivesse o meu número. De qualquer jeito, vamos seguir com as perguntas. — Continuando... Que tipo de fotos tem na galeria dela?

Vou olhar... — ficou em silêncio por um momento. Ouvi um suspiro decepcionado do outro lado da linha, provavelmente ele estava torcendo para que Undyne tivesse fotos de gente morta ou alguma coisa assim pra poder arrumar confusão pra cima dela. — Hun, aqui tem fotos de cachorro e de uns caras musculosos vestindo saias e também... Eita, tem uma foto dela de biquíni.

— Q-Qual a cor do biquíni? Em qual parte marca mais?

Isso eu não vou te falar, degenerada do caralho. — ouvi uma risada. Ok, agora eu estou triste por não saber dos detalhes da maldita foto, mas tudo bem.

— A-Ah, ok. Por último, lê as últimas mensagens que ela recebeu e mandou.

Isso é meio estranho, mas tudo bem. — ficou alguns segundos em silêncio novamente. — "Aí Undyne, o que você acha dos meus músculos?", "Eu não me lembro exatamente de como os seus músculos são, pode me mandar uma foto por favor?", "Claro, aqui está a foto.", WOW, QUE ÓTIMOS MÚSCULOS, BENNY". Aí tem a foto de um braço musculoso e mais umas mensagens aleatórias idiotas escritas em caixa alta. Satisfeita agora?

— Você foi cruel com o lance da foto... Então não, mas considere-se perdoado. Você é realmente um ÓTIMO amigo.

Eu estava sendo sarcástica, e Mettaton parecia ter percebido isso, mas nós dois já estávamos acostumados a falarmos daquele jeito um com o outro. Ouvi um suspiro de alívio e algumas risadas fracas.

Uau, obrigado. Salvei muitas vidas invadindo a privacidade da minha colega.

— Claro, claro. Agora devolve o celular pra Undyne, ela deve estar sentindo falta dele.

Sobre isso, tem alguma ideia? Eu peguei da mochila dela e agora realmente não sei como devol...

— Ah sei lá, se vira! Tchau.

Desliguei a chamada e deixei escapar um suspiro aliviado em seguida, mas a minha tranquilidade passou quando ouvi o sinal tocando. Bem, parece que eu havia perdido o meu intervalo todo com aquilo.

Ia guardar o celular no bolso e voltar para a sala, mas o ouvi vibrar novamente. Peguei pra ver e era um número desconhecido me mandando mensagem. Ok...

Você está conversando com um número desconhecido. Clique aqui para bloqueá-lo caso seja necessário.
[???]
Oi nerd.

[Alp]
Quem é?

[???]
Seu ficante favorito.

AH MERDA. É ELE.

[Alp]
SANS?! Como diabos você conseguiu o meu número? >:^

[???]
Eu sou popular, posso conseguir o número de qualquer um. ;)

[Alp]
Engraçadinho, tomara que você morra.

Salvei o número como "Cara atraente" por motivos puramente irônicos e continuei a conversa. Sans provavelmente havia pegado o meu número perguntando pra algum colega nosso, ou talvez pra uma garota raivosa que me odeie mas por algum motivo sabe tudo sobre mim. Quem sabe?

Você nomeou este contato como Cara atraente (C.A).
[C.A]
Não vou morrer tão rápido, sou um esqueleto.

[Alp]
Você não é um esqueleto, é um ser humano igual a mim. Para de pensar que é um esqueleto, eles sequer são engraçados!

[C.A]
O quê? Eles são tão maneiros, pena que a bolsa de valores do país de origem deles está FRATURADA.

[Alp]
Ugh...
Mas ok, o que você quer?

[C.A]
Bem, eu queria te avisar que agora você me deve uma visita pra me ajudar a fazer marshmallows. O Papyrus tá no meu pé por causa da mentira que você inventou.

[Alp]
Eu posso enviar uma receita pra você, é bem mais fácil. :/

[C.A]
Prefiro que você me ajude pessoalmente.

[Alp]
Vou pensar no seu caso.

Sans me mandou um gif de um esqueleto com um chapéu de chef dançando. Realmente não entendi o que significava aquela coisa, mas tudo bem. Respondi com alguns emojis de risada.

[C.A]
Mas então Phie, agora você tem o meu número, então fique a vontade para me chamar qualquer hora para assistir Bew Bew Kissy Girls.

[Alp]
O certo é Mew Mew Kissy Cute!
Mas claro que eu te chamo, senpai.

MEU DEUS, NÃO. Eu havia escrito "senpai" ironicamente, mas Sans poderia achar que eu estava falando sério. Ele não me respondeu de imediato, no que será que ele está pensando? Puta merda!

Você apagou uma mensagem.
[Alp]
O "SENPAI" FOI IRONIA, OK?! EU SEI NO QUE VOCÊ ESTÁ PENSANDO.

[C.A]
Ninguém usa "senpai" seriamente fora do japão, relaxa. XD
Mas tecnicamente eu sou o seu senpai já que sou 9 meses mais velho do que você, então até que é válido você me chamar assim.

Sans tem razão, ele é o meu senpai. Que merda estranha.

[Alp]
Pior que sim.
Mas então, você não vai para a próxima aula? Já era pra a gente estar na sala, cof cof.

[C.A]
Sobre isso, eu vou matar a aula. Já peguei a minha mochila na sala, então eu vou pular o muro do pátio. Não conte à diretora sobre isso.

[Alp]
Fica de boa, eu não vou te dedurar. Divirta-se aí fora.
Mas bem, eu vou sair do chat, o sinal já tocou faz um tempo, preciso ir pra sala. Te vejo amanhã.

[C.A]
Puts, é verdade. Vai lá.
Mas ok, tchau então, amiga. :)

"Amiga".

Guardei o celular no bolso e corri para pegar os meus materiais. Os corredores já estavam meio vazios, então eu provavelmente estou alguns minutos atrasada.

Bem, agora eu estou devendo uma receita de marshmallow para o Sans. Eu sequer sei fazer marshmallows, mas pelo visto vou ter que aprender. DIGO, não que eu queira ir na casa desse babaca pra ensinar ele a fazer marshmallow. Eu não quero, mesmo. Bem, talvez eu queira, mas só um pouquinho, heh...


Notas Finais


- Lembrando que eu sou lerda, então podem ter erros ortográficos ou de concordância na história. Se vocês viram alguma enquanto estavam lendo, avisem.
- Se você não sabe quem é Moldsmal, é aquele slime verde das ruínas que aparece na cachoeira também. Achei interessante colocar ele como professor :P

Eu quero deixar um aviso aqui: a Alphys é uma stalker obcecada, por isso que ela pediu pro Mettaton falar coisas pessoais que tavam no celular da Undyne pra ela. Eu não aprovo esse tipo se atitude e acho que quem faz isso é babaca pra caralho, então não se sintam incentivados a fazer essa merda só porquê viram a Alphys fazer na minha história (e também no jogo, aonde ela fica tecnicamente te espionando). Invadir a privacidade do amiguinho é antiético, crianças.
Ah, outra coisa, não roubem o celular dos outros, o Mettaton é uma criatura infame também. Não façam coisas erradas.

Enfim, eu queria o feedback de vocês, cof cof. Comentem, por favor.
Bem, o próximo capítulo talvez realmente demore 6 meses pra sair pq eu ainda não escrevi nem um rascunho dele, mas se o grande deus Bill Gates permitir, ele sai daqui 2 meses. Mas ok, chega de notas, essas coisas me dão preguiça. Xao.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...