História You Never Be Alone - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Shawn Mendes
Personagens Personagens Originais, Shawn Mendes
Tags Drama, Romance, Shawn Mendes
Visualizações 100
Palavras 2.761
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 9 - Capítulo 09


ELISA SAMPAIO P.O.V

 

    O caminho todo para qual fosse o lugar que estávamos indo apenas Andrew falava, ele explicava algumas coisas sobre os próximos shows para o Shawn que escutava atento. Eram informações demais e eu não fazia ideia de como ele dava conta de tanta coisa. Chegamos eu um lugar onde entramos pelo estacionamento subterrâneo.

- Desculpa a gente estar entrando no restaurante pelo estacionamento subterrâneo, não quero te expor no seu segundo dia no país. Mais do que já te expus no Campus, não imagina como os paparazzi podem ser maldosos. – Shawn disse antes de sairmos do carro.

- Não tem problema, eu sinceramente prefiro o anonimato. – sorri para ele que sorriu em resposta.

- Esse restaurante é ótimo, é o meu favorito além de ser bem discreto e ótimo para conversarmos. – Shawn disse assim que saímos do carro.

- Divirtam-se crianças, volto em duas horas. – Andrew disse caminhando em direção a saída, olhei sem entender.

- Ele tem uma reunião no almoço, vou fazer um show aqui na cidade e ele está organizando os últimos detalhes. Vamos almoçar sozinhos. – Shawn me explicou.

- Mas e o seu motorista?

- Jake é o meu segurança, ele fica no carro.

- Isso é sério?

- É o trabalho dele, mas não se preocupe ele não vai ficar sem comer. Em qualquer restaurante que eu vá e ele tem que trabalhar eu sempre peço algo para ele comer e mando entregar no carro, assim ele come e continua trabalhando. – ele me explicou. – Já tentei fazer com que ele entrasse comigo várias vezes, mas a resposta sempre é a mesma.

- Tenho que fazer o meu trabalho. – Jake falou de dentro do carro. – Pode ficar tranquila senhorita, já estou acostumado e o Shawn sempre lembra de mim.

- Por favor me chama de Elisa. – ele sorriu e fechou a janela.

- Vamos?! – Shawn disse me conduzindo para dentro do restaurante, ao entrarmos no restaurante dava para ver o quanto era incrível. Os vidros que davam para a rua eram escuros o que significava que não dava para ver dentro do restaurante, fomos direcionados para uma mesa que dava visão a um lindo jardim de inverno.

- Provavelmente vou precisar da sua ajuda porque estou no país a menos de dois dias e ainda não estou familiarizada com a comida canadense. – falei um pouco sem graça.

- Eu imagino mesmo, mas ficarei muito feliz em te apresentar a comida do meu país é só me dizer que tipo de comida você está acostumada a comer. – ele sorriu pegando o cardápio.

- Mesmo que nas últimas semanas eu tenha comido muita besteira, gosto e preciso comer comidas mais saudáveis por causa da minha rotina puxada. Como minhas aulas começam em alguns dias acho melhor voltar à rotina saudável.

- Sei exatamente o que vamos pedir então e acho que você vai gostar. - ele se virou para o garçom fez o pedido e o mesmo saiu. - Espero que não tenha me achado maluco por ter te chamado para almoçar?

- Não achei e eu espero que não tenha me achado oferecida ao aceitar o seu convite. - fiquei um pouco vermelha ao dizer isso e ele sorriu.

- É claro que eu não achei, fiquei muito feliz que tenha aceito. Eu já disse antes, mas tenho que voltar a repetir você é uma das únicas pessoas com quem consigo ter uma conversa normal. - ele voltou a dizer algo que me disse quando estávamos no Brasil.

- E seus amigos?

- Não me sobra tempo para fazer muitos amigos, amigos de verdade sabe? Vivo viajando o que é muito bom porque acabo conhecendo muita gente, mas amigos de verdade tenho poucos que provavelmente consigo contar nos dedos. - ele disse sinceramente.

- Também não sou de fazer muitos amigos, sempre fui focada demais nos estudos e não sou muito boa de conversa.

- Discordo completamente, você é ótima de conversa. - ele me deixou um pouco mais sem graça agora.

- Mas me conta como é ser um astro na sua idade? Meus amigos me contaram algumas coisas sobre você, mas a visão de um fã nem sempre é certa.

- É muito bom, mas também muito cansativo. Eu amo muito os meus fãs e não seria o que sou hoje se não fosse por eles, trabalho com o que eu amo música e acho que tenho sorte por isso. Muita gente não faz o que gosta, eu tenho orgulho do que eu faço e por quem eu faço. A parte cansativa é sempre estar viajando, ficar longe da minha família por muito tempo sinto falta deles.

- Penso que mesmo trabalhando com pessoas que você gosta e que gostam de você, você deve se sentir solitário às vezes. Eu me sentiria ainda mais distante da minha família.

- Me sinto assim às vezes, acho que precisava de alguém fora desse mundo maluco que eu vivo, uma pessoa com quem eu pudesse conversar abertamente. Acho que encontrei essa pessoa. - ele me olhou profundamente como se pudesse ver a minha alma, por que ele tem que ter um olhar assim? Nem preciso dizer que estava ainda mais vermelha, nossas conversas sempre terminavam comigo envergonhada.

- Mas me conta sobre o Shawn, não o astro. Tudo que os meus amigos me falaram de você era o quanto você é maravilhoso, um amor com os fãs, um sonho para qualquer garota, o anjo Shawn Mendes. Esse eu já conheci através do CD e do show que eu vi pela televisão.

- O que você quer saber? - ele sorriu.

- Coisas básicas e até mesmo bobas, se tem irmãos, alguma mania, comida favorita e a que menos gosta esse tipo de coisa.

- Vamos fazer assim, eu te faço uma pergunta e você me faz uma. - ele sugeriu.

- Tudo bem eu começo, você sabe que eu tenho um irmão e você tem algum?

- Tenho uma irmã mais nova, Aaliyah é o nome dela.

- Nome diferente, o de vocês dois na verdade.

- Pois é, minha vez. Cor favorita?

- Azul e a sua pelo visto é preto.

- Por que acha isso? - ele riu.

- É um pouco óbvio.

- O óbvio às vezes pode não ser verdade. - ele me olhou engraçado.

- Eu estou errada então?

- Está é verdade que uso muito roupas pretas, mas a minha cor favorita também é azul.

- Temos isso em comum então, faça sua pergunta já que a minha acabou sendo sobre a sua cor favorita também.

- Tudo bem, um vício que não consegue largar?

- Chocolate, sou consumidora compulsiva de chocolate ainda mais quando estou nervosa. Comida favorita?

- Além da desse restaurante? - ele perguntou e eu disse que sim. - Comida italiana sou fascinado por comida italiana, espaguete com molho de carne.

- Eu gosto muito também, a propósito aquela garota que foi na secretaria comigo é italiana informação inútil essa, mas tudo bem. - eu ri e ele riu junto.

- Tem alguma coisa que você não goste de comer?

- Não eu como de tudo, mas não me venha com pratos exóticos porque eu vou ter que recusar.

- Ok sem pratos exóticos então. - ele riu, era a minha vez de fazer uma pergunta, mas fui impedida pelo garçom que chegou com os nossos pratos. - Pode ficar tranquila que não é nenhum prato exótico. - ele riu do próprio comentário. - O almoço do Jake? - ele voltou a falar com o garçom.

- Já foi entregue a ele senhor, se me permite eu gostaria de agradecer as entradas do seu show que me deu da última vez que veio aqui acredito que não se lembre.

- Eram para a sua filha certo? O que ela achou, ela gostou? - Shawn perguntou imediatamente.

- Ela amou, foi o melhor presente de aniversário para ela obrigado de verdade. - o garçom estava muito feliz em dizer aquilo.

- Fico feliz com isso.

- Vou deixá-los aproveitar o almoço, com licença e mais uma vez obrigado. - ele se afastou nos deixando sozinhos de novo.

- O que foi? - Shawn perguntou assim que o garçom se afastou, ele percebeu que eu estava surpreso com aquela conversa.

- Você é sempre assim com as pessoas?

- Como assim?

- Gentil, foi um gesto muito bonito da sua parte ajudá-lo a fazer do aniversário da filha um dia inesquecível.

- Não custa nada ajudar, além do mais a filha dele é minha fã e ele sempre me trata muito bem quando eu venho aqui. Ajudar as pessoas não custa nada, por mais boba que a ajuda seja se eu posso ajudar eu ajudo sem pensar duas vezes.

- Começo a entender porque seus fãs te acham adorável. - conversamos sobre coisas aleatórias enquanto almoçamos, ele me contava várias coisas interessantes sobre o país além de histórias sobre as suas viagens. O tempo com ele passava rápido e eu estava me divertindo, o almoço estava incrível como ele disse que seria na hora de pagar a conta tivemos uma pequena discussão sobre como seria paga, eu queria pagar pelo menos o que eu comi e ele não deixou de jeito nenhum  ‘Que tipo de homem eu seria se deixasse você pagar a conta na sua primeira vez em um restaurante canadense?’, para não gerar mais nenhuma discussão acabei cedendo. - Se você quer que essa nossa amizade dê certo, vai ter que acostumar com o meu jeito de ser. Odeio que pagam as coisas para mim, dessa vez, DESSA VEZ, você venceu. - falei enquanto saímos do restaurante.

- Larga de ser chata, não me custa nada pagar e saiba que eu sempre vou insistir sempre nisso, sempre. - ele falava convicto.

- Então essa amizade não vai dar certo. - parei no meio do caminho cruzando os braços.

- Até parece, já demos muito certo somos quase alma gêmeas. - ele disse curtindo voltando até onde eu estava.

- Pisa no freio garoto, ainda falta muito para isso tenho ainda muitas perguntas para te fazer. - eu tentei parecer séria, mas ele tinha razão em duas horas juntos conversando quem nos visse pensaria que nos conhecemos a vida toda.

- Eu disse quase. - ele riu me fazendo rir também, a risada dele era contagiante para mim era inevitável não rir junto com ele. - Agora vem. - ele abriu a porta do carro para que eu entrasse.

- Como foi o almoço? - Jake perguntou assim que entramos.

- Foi ótimo e o seu? - perguntei.

- Estava maravilhoso como sempre. Shawn o Andrew ligou e perguntou se não se importa de passarmos no restaurante que ele está, os patrocinadores insistem em te ver ele promete que não demora muito. - Jake disse.

- Tenho escolha?

- Na verdade não. - Jake respondeu para ele.

- Desculpa por isso. - ele se virou para mim. - Eu não esperava que isso acontecesse.

- Shawn está tudo bem, é o seu trabalho. - pra mim está a tudo bem, mas ele parecia ter ficado um pouco chateado.

- Que voltar às perguntas? - ele me perguntou tentando mudar de assunto.

- O que eu preciso saber mais sobre você? - perguntei.

- Vamos ver, tive crise de ansiedade no início da minha carreira, odeio tomates, sou alérgico a cachorros, sou uma pessoa um pouco desligada.

- Um pouco?! - ele foi interrompido pelo Jake no banco do motorista.

- Tá bom sou muito desligado, mas lembro de coisas muito importantes. Agora você?

- Tá legal, tenho um pouquinho de ansiedade às vezes nunca cheguei a ter uma crise forte porque eu sempre tive alguém junto comigo para me dar força.

- Como o seu irmão fez no seu teste?

- Exatamente pode até parecer bobo, mas se eu ver apenas um sorriso de uma pessoa importante para mim, de um amigo isso me acalma. Eu amo tomates, mas prometo nunca comer quando estiver com você, sou alérgica a gatos e não sou nenhum pouco desligada.

- Qual o seu bicho de estimação favorito então? - ele perguntou.

- Cachorro e o seu?

- Gato.

- Sem bicho de estimação então. - Jake disse nos fazendo rir. Continuamos nessa brincadeira e em algumas respostas do Shawn o Jake ia desmentindo me fazendo rir ainda mais. - Chegamos. - ele disse assim que parou o carro em frente à um restaurante muito chique.

- Shawn se importa se eu esperar no carro? - perguntei quando ele pegou na maçaneta da porta prestes a abrir.

- Não sei se vai demorar, ficaria mais confortável lá dentro. - ele disse.

- Eu prefiro ficar aqui de verdade. - ele me olhou querendo argumentar de novo, mas cedeu.

- Tá bom, o Jake fica aqui com você prometo não demorar.

- Não se preocupe, só não posso passar do meu horário de chegar no Campus.

- Não vai se atrasar eu te prometo.

- Elisa eu já volto, só vou com o Shawn até a entrada do restaurante. - Jake disse saindo, percebi o porque daquilo haviam alguns homens com câmeras na porta do restaurante que assim que viram o Shawn sair do carro vieram até ele tirando fotos, Shawn é claro sorria e acenava educadamente. Não demorou muito para o Jake voltar. - Demorei?!

- Não posso te fazer uma pergunta?

- Pode sim.

- É sempre assim?

- Com o Shawn? - concordei. - As vezes é um pouco pior, mas trabalhar com ele é fácil. Já trabalhei com alguns artista e ele é o melhor sem duvidas, ele é uma cara maravilhoso acho que você já percebeu isso. Ama os fãs e faz tudo que está ao alcance dele para agradá-los, os fãs dele são muito respeitosos e querem o bem estar e felicidade dele o que facilita e muito o meu trabalho. - Jake era todo orgulhoso ao falar do Shawn, era nítido como ele gostava do trabalho. Não vi o tempo passar o Jake era uma pessoa muito divertida me contou várias histórias que me fizeram rir, olhei no relógio e já passava um pouco das três.

-Jake estamos muito longe do Campus? - perguntei para ele já que fazia quase uma hora que o Shawn estava dentro daquele restaurante.

- Está a uns quinze minutos de carro daqui. Por que?

- Tenho que voltar ao Campus até às quatro e já passa das três, acho que o Shawn vai demorar mais do que imaginava.

- Me deixa ligar para ele que eu mesmo te levo até o Campus. - ele disse já pegando o celular.

- Não precisa eu vou de táxi é só me dizer onde eu pego um.

- Shawn... Era para isso mesmo que eu te liguei... Tudo bem, vou lá e volto para buscar você e o Andrew... Tá bom vou pedir a ela... Não se preocupe... Tá bom tchau. - ele desligou o telefone.

- Jake eu não quero atrapalhar, vou de táxi sem problema algum.

- Nada disso, vou te levar. - ele já ligou o carro saindo. - O Shawn pediu mil desculpas, não imaginava que poderia demorar tanto.

- Diz pra ele não se preocupar com isso, eu entendo é o trabalho dele.

- Posso te dizer uma coisa Elisa?

- Pode.

- A muito tempo eu não vejo o Shawn tão à vontade com uma pessoa, ele precisava de alguém com quem ele pudesse conversar sem se preocupar com nada, fico feliz que ele tenha encontrado você. - fiquei sem graça com o comentário dele, não consegui responder e ele percebeu isso. Não demorou muito para chegarmos ao Campus a tempo é claro.

- Obrigada Jake, foi ótimo te conhecer.

- Foi ótimo te conhecer também Elisa. O Shawn me pediu para perguntar se você pode passar o seu número para que eu passe para ele? Já que ele não fez isso. - tudo bem estava sem graça de novo.

- Eu não posso. - ele me olhou confuso. - Não é o que está pensando, meu número ainda continua o brasileiro e eu não tive a oportunidade ainda de comprar um chip canadense. Então não tenho um número para passar, pode dizer isso a ele?

- Claro que sim, ele conseguiu te visitar uma vez é só conseguir de novo.

- Obrigada mais uma vez. - me despedi e saí do carro. Tinha sido um dia incrível, melhor maneira de começar minha vida no Canadá.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...