1. Spirit Fanfics >
  2. You Never Be Alone >
  3. Beatrice

História You Never Be Alone - Capítulo 6


Escrita por:


Capítulo 6 - Beatrice


O dia começou chuvoso, me encolhi na cama sentindo todo o meu pé ficar tão frio quanto um gelo. Levantei da mesma depois de voltar a dormir tres vezes e me arrumei para ir à faculdade (ô derrota)

Sai de casa e segui ate a faculdade, estacionei meu carro e de longe pude ver as meninas conversarem. Me aproximei aos poucos ate elas perceberem minha presença

—Como dormiu? —Lisa perguntou com um sorriso generoso.

Lisa é do tipo de menina meiga que acredita em amor a primeira vista, e principalmente, em amor. Mesmo que seus pais tenham se separado a um tempo, isso não a fez desacreditar

Allyson é completamente diferente de Lisa, ela odeia todo tipo de coisa que seja rosa ou fofa e adora plantar a sementinha da discordia. 

Angel é um pouco das duas, as vezes quieta, outras vezes enérgica. Não gosta de preto nem de rosa, mas é apaixonada por azul. É carinhosa e legal com quem é com ela tambem,acredita que um dia amará alguem e que será recíproco, mas que no momento tenta focar em si mesma e na faculdade 

Conversamos por alguns minutos e entramos logo na faculdade, eu esqueci de mencionar: faço aula de filmagem , estando assim, na mesma sala que os amigos de Shawn. Uma hora ou outra eu ouvia eles falarem sobre a anônima, e ficavam olhando as meninas para ver quem parecia com o corpo da foto.

Estava desenhando algo no caderno pensando se falaria quem sou ou não. Provavelmente ele pararia de falar comigo, mas e se desse certo e ele quisesse tentar algo? Ele namora - meu subconsciente me lembrou

—Senhorita Beatrice? Esta prestando atenção? —Senhor Clark parou na minha frente e fechei o caderno de imediato

—Sim, estou —Menti, não havia escutado suas palavras nos últimos 20 minutos. Por que eu tinha que ser tao pensativa? Os olhares estava voltados para mim

—Entao o que eu acabei de falar? —Eu caçava as palavras em algum lugar da minha cabeça vazia, porem não as achava

—Tudo bem, eu não estava prestando atenção —Desci meu olhar para o caderno. Maldito caderno

—Então, da próxima vez, lembre-se que não estamos em uma aula de arte —Quando saiu de perto de mim, eu senti um alivio, me encolhendo na cadeira —Repetindo, quero que façam um curta metragem para a próxima aula, usando qualquer editor. O trabalho sera em grupos, sim, com mais de 3 ou 4 —A turma toda criou um alvoroço, movendo as mesas e cadeiras para juntar-se aos amigos. Continuei no mesmo lugar, já que não conhecia ninguém daquela turma. Maldito ano em que as meninas e eu nos separamos

—Quer fazer com a gente? Temos espaço para mais uma —Aaron Carpenter, o mais novo da turma, cutucou meu braço, com um lindo sorriso generoso

—Acho que não tenho escolha —Sorri sem graça, Aaron me ajudou a juntar a minha mesa à deles e começamos a discutir o que iriamos fazer, ou melhor: eles discutiam e eu apenas observava a opção de cada um. Cameron queria falar sobre humoristas, Nash sobre a importância da água, Tyler sobre o futebol americano e Aaron sobre astronomia. De repente todos olharam para mim, esperando que eu desse minha opinião

—Por que não fazemos todos? —Sugeri, me ajeitando na cadeira

—Mas como? —Cameron perguntou

—A gente da um jeito de tudo se encaixar —Taylor explicou

—Desse jeito todos nós nos expressamos —Nash completou

—Boa Beatrice —Aaron elogiou, colocando a mao em meu ombro. Agradeci com um sorriso —Sobre o que você vai falar? —Eu parei por um instante e pensei sobre tudo que vem acontecendo no mundo. Como Nash falaria da agua, eu falaria sobre outro assunto importante

—Sobre a violência contra a mulher —Meu olhar caiu para o lápis na mão de Nash, que anotava os assuntos. Falar sobre a violencia à mulher para mim não é só importante porque vem acontecendo muito, mas porque também sou mulher e vivi isso. Os meninos me olharam por um instante, e quando perceberam que fiquei sem graça, voltaram a conversar um com o outro

—Tudo bem? —Nash perguntou com a boca, mas sem nenhum som. Concordei, tirando o celular do bolso para ver a hora

O sinal tocou e todos os alunos saíram aglomerados, quase passando por cima um do outro. Assim que a multidão saiu, guardei minhas coisas e caminhei até a porta. Angel acenou para mim antes de de entrar no banheiro junto com as meninas

As segui ate o banheiro, sendo parada por uma mao antes de continuar

—Nos vemos nesse sábado? —Era Nash, concordei, voltando ao meu rumo

—Sua canalha! Nash Grier, é? — Angel perguntou enquanto passava batom

—Que? Não! —Dei uma risadinha —Ele namora, e não quero apanhar logo no começo do ano

—Então, por que ele quer te ver no sábado? —Allyson indagou, apoiada com o quadril na pia

—Eu to com ele e os amigos em um trabalho. —Arregalaram os olhos —O que eu podia fazer? Eu tava sozinha —Me defendi

—O Shawn não vai estar nisso, ne? —Angel voltou a perguntar

—Para o trabalho, não. A não ser que ele os visite no dia

—De qualquer jeito, se ele for, não fique aflita. Ele deve estar procurando a tal anonima, Trixie —Sim, esse era meu apelido. Me deram assim que Lúcifer foi ao ar, com a pequena Beatrice. Eu adorei o apelido, ate porque eu adoro a Trixie

—Eu vou tomar cuidado, Lisa

E então nos fomos para o intervalo. Nada de interessante aconteceu no resto do dia, apenas a noite. Eu e Shawn estávamos conversando, e Nash me mandou mensagem perguntando meu snapchat. Inventei qualquer mentira para sair daquela pergunta, e ele ate deixou o assunto quieto por um tempo.

—Você vem comer? —Minha mãe apareceu encostada no batente da porta, e por ironia do destino, ela estava sorrindo. Não fazia isso a anos, sorrir

—Sim —respondi desconfiada. Ela deu a meia volta e desceu. Fechei meus livros e os coloquei na cômoda, estiquei o lençol da cama e desci.

Um cara alto, de uma aparência não muito velha, mas também não muito juvenil estava parado no meio da sala. O encarei, de braços cruzados, esperando algum dos dois falarem algo

—Filha, esse é o Jake. Jake, essa é minha filha, Beatrice —Se eu fiquei surpresa? Imagina!

—Era por isso que entrou toda sorridente no meu quarto quase agora? —Brinquei, pois sabia que ela ficaria toda vermelha. E acertei

—Ficou, foi? —Jake arqueiou uma sombrancelha e sorriu

—Ah, claro! E ela esta usando vestido, e se maquiou, ela não faz isso para qualquer um —Ela corou mais ainda, e eu ri

—É bom saber disso —Ele sorriu mais uma vez

—É melhor irmos comer, ou eu que vou parar na salada —Ela puxou Jake, e eu os segui. Sentei na mesa, e começamos a conversar. Jake é médico no hospital em que minha mãe é enfermeira, ele estava contando como conheceu a mesma. Seus olhos e o de minha mae brilhavam ao contar aquilo tudo para mim

Era bom, sabe? Era bom ver tudo dando certo para a minha mae de novo, para nós. Viemos para Chicago justamente para ajustar nossa vida, ou melhor, construi-la novamente. Era uma cidade grande e ele nunca nos encontraria aqui

O jantar foi ótimo, as conversas também. Jake foi embora um tanto que tarde, mas não liguei muito para isso, e eu confesso ter gostado bastante dele

—Foi um prazer conhece-lo, Jake —Estendi minha mão para ele

—O prazer foi meu —Ele a apertou

—Se não se importar, eu vou subir para o meu quarto. —Ele assentiu —Nada de safadezas, crianças! —E assim subi, escovei meus dentes e vesti o meu pijama. Cai na cama e em instantes eu dormi





Notas Finais


Jake McCallister as Paul Wesley


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...