1. Spirit Fanfics >
  2. You Never Walk Alone >
  3. Capítulo I - Begin

História You Never Walk Alone - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Boa leitura!💕

Capítulo 2 - Capítulo I - Begin


_______ Lewis Pov's

- Paciente para você.

Segurei a prancheta em mãos.

- Não se atrase, ele parece ser exigente - Disse Hiery, minha chefe

Assenti e vesti meu jaleco bordado com meu nome e o da clínica onde eu fazia estágio.

Assim que li o nome do paciente, franzi a testa confusa.

- Jungkook, o cantor? - Perguntei para mim mesma

Caminhei até minha sala e bati na porta, não houve nenhuma resposta, mas abri mesmo assim.

Observei o homem sentado na cadeira de rodas em frente à minha mesa, era realmente quem eu pensava.

Me aproximei e me sentei em sua frente.

- Bom dia.

Ele nada respondeu.

- Eu sou a doutora Lewis, mas pode me chamar apenas de _______.

- Ahm...Podemos conversar?

Jungkook me olhou sério e assentiu.

- O que aconteceu com você?

- Eu e meus Hyungs estávamos no avião, teríamos um show naquele dia - Começou - Mas ele acabou caindo.

- Alguém morreu? Outras pessoas ficaram machucadas?

- Apenas o piloto morreu. Eu fiquei paraplégico e Yoongi quebrou um braço - Respondeu - O resto teve ferimentos leves.

Assenti e anotei em meu caderno.

- Você está indo ao psicólogo, certo?

- Sim.

- E está vendo alguma mudança?

- Minha vida ficou uma merda depois do acidente, doutora Lewis.

- Eu imagino, senhor Jeon.

Aquele seria meu primeiro caso com uma pessoa paraplégica, eu trabalhava apenas com fisioterapia leves.

Era minha responsabilidade o fazer andar novamente.

- Eu vou ajudar você à se deitar na maca, tudo bem? - Me levantei - Preciso examinar você.

- Tudo bem.

Com um pouco de dificuldade, alguns minutos depois, Jungkook estava deitado na maca.

Coloquei minhas luvas e pedi para que ele tirasse a calça que usava.

- Isso é super profissional - Avisei

- Você não tem cara de quem se aproveita - Respondeu

Acabei rindo e ele sorriu fraco.

Toquei suas pernas e cuidei suas expressões, ele estava calmo, não emitia nenhuma reação.

- Sente isso? - Deixei um pequeno beliscão em sua coxa

- Não.

- E isso? - O belisquei na outra perna

- Também não.

- Algum dia você sentiu alguma coisa? Uma coceira qualquer já é um avanço.

Ele negou novamente e eu suspirei.

- Certo.

Peguei a prancheta e fiz mais algumas anotações.

- Você acha que eu consigo voltar ao normal?

O ajudei à sentar na cadeira de rodas novamente.

- Olha, Jeon...É difícil responder isso - Disse - Pode ser que sim, mas pode ser que não.

- É 50 e 50?

- É.

O mais velho passou as mãos no rosto.

- Você vai precisar se esforçar muito, sabe disso, não é?

- Sei.

- Podemos fazer uma sessão por semana - Liguei meu computador e anotei seu nome na agenda

- Não pode ser mais de uma?

- Não quero forçar.

- Ok, nas quartas?

- Está bom para mim.

Anotei todos os dados necessários e depois, o manager de Jeon o buscou, nos despedimos com um aceno.

(...)

Coloquei o par de brincos, peguei minha bolsa e sai do quarto.

- Vai sair? - Dahyun perguntou do sofá

Eu e Dahyun éramos melhores amigas, ela era enfermeira na mesa clínica que eu, quando me mudei do Brasil, nos conhecemos na faculdade e passamos a dividir um apartamento.

- Eu e Baek vamos jantar fora - Respondi

Ela revirou os olhos e bati em seu braço com a bolsa.

- Você sabe que não gosto dele.

- Eu sei - Disse e beijei sua bochecha - Até mais!

- Até!

Sai do apartamento, entrei no elevador e desci para o térreo.

Baekhyun estava encostado em seu carro, me aproximei e lhe dei um selinho.

- Está bonita hoje.

- Obrigada.

Eu estava simples, apenas um vestido branco liso.

- Onde vamos?

- No nosso restaurante favorito.

Alguns minutos depois, Baek estacionou o carro e descemos, entramos no restaurante e sentamos em uma mesa.

- Eu amo a vista daqui - Disse a observando pela janela

- Seul nunca deixa à desejar - Concordou e pegou o cardápio - O que quer pedir?

- Pode pedir para a gente.

O garçom se aproximou, anotou os pedidos e se retirou.

- Você pensou sobre aquilo? - Segurou minha mão

- Pensei - Respondi - E minha resposta ainda é não?

- Por que?

- Eu só tenho 21 anos, Baek - Disse - Nem terminei minha faculdade ainda.

- Mas um filho sempre trás alegria.

- Eu não quero ser mãe!

- Eu sempre achei que você-

- Mas não agora, Baek - Disse - Eu tenho coisas mais importantes para fazer.

- Um filho não é importante?

- Eu não quero, Baekhyun. Entende de uma vez por todas.

- Meu sonho é ser pai, sabia? - Soltou minha mão - Você não pode fazer isso por mim?

- Eu gostaria muito de realizar seu sonho - Fui sincera - Mas não nesse momento, me desculpe.

Baekhyun suspirou e bebeu um gole do vinho que havia acabado de chegar.

- Vamos aproveitar a noite, hm?

- Tudo bem - Ele sorriu - Desculpe por insistir.

Sorri de volta.


Notas Finais


Obrigada por lerem❤️
Favoritem e comentem, isso ajuda muito💖


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...