História You see me - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Deus, Dor, Primeiro Amor, Sofrimento, Superação
Visualizações 11
Palavras 1.122
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Poesias

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Olá :)
Estou começando com este novo projeto, será uma coletânea de fanfics inspiradas no primeiro amor.
Well... são todas sobre o meu melhor e às vezes único amigo, não serão retratadas de um ponto religioso, doutrinário e cheio de dogmas dos quais eu vivo correndo, é mais como a possibilidade de amar e ser amado sem que alguém precise te dar autorização pra isso.
Em síntese, serão cartas dolorosas para um amigo que nunca deixou de lê-las.
Espero que gostem e se identifiquem.
Boa leitura!

Capítulo 1 - Capítulo Único


Fanfic / Fanfiction You see me - Capítulo 1 - Capítulo Único

Sempre temos esse momento, às vezes em um dia qualquer da semana, às vezes no mês, depende muito da minha consciência, da minha saudade e necessidade em estar com Ele. Aqui estamos, no meio dessa floresta de árvores altas e folhas laranjadas, tomando café e lendo diferentes livros. É incrível como posso falar de tudo, ser corrigida com amor e nunca rejeitada. É incrível me abrir tão intensamente e permitir que Ele me conheça, é maravilhoso mostrar meu pior lado e ainda ser aceita. Ele faz com que o meu sentimento de inutilidade seja anulado com uma brisa, com uma frase, com a arrebatadora presença silenciosa. 

Me sento na velha toalha de xadrez verde, deixo a leitura de lado, encaro o nada e espero, espero meu coração ser tomado, espero para recolher toda a coragem que é necessária para se abrir e desabafar com toda a minha sinceridade. Ele me observa em silêncio, como o verdadeiro cavalheiro que é, espera o meu tempo e me ouve atentamente. Ainda sem encará-lo, começo a questioná-lo. 

-Eu... tenho tentado ser sábia como me instruiu ser... tenho tentado me calar mais vezes e expulsar todas essas mágoas, raivas e ódio porque sei que isso não te agrada mas... quanto mais eu perdoo, quanto mais eu me esforço, quanto mais eu tento amar... -Pauso segurando as lágrimas. 

-Tem sido uma luta em que pareço perder todos os rounds, eu me sinto tão quebrada e de tantas maneiras que nem mesmo sei por em palavras. Então me diz, você que é especialista em sofrer por um bem maior, quando é que vou começar a ganhar? - As lágrimas me vencem e um vento inesperado sopra as folhas no chão ao mesmo tempo que bate em meus cabelos e cobre meu rosto. 

Ele me olha como se entendesse, como se visse, e de fato sei que Ele vê, nada passa despercebido do seu criterioso olhar. 

-Isso depende... me responda! -Ele de repente arruma a postura e olha diretamente para mim. - Quantas vezes você precisou se levantar?

-Mais do que consigo contar. -Respondo sinceramente e com certo receio de ser indelicada. 

-Quantas vezes você disse que não conseguia mais e ainda assim continuou? - Ele sorriu. 

-Muitas... -O choro queria tomar minha voz. 

-E se hoje você passasse por tudo outra vez, seria igualmente difícil? - Ele me encara esperando uma resposta sincera. 

-Algumas situações sim mas a maioria não. 

-Então você não acha que já teve algumas vitórias nesse seu ringue? - Ele apoia o braço na perna e descansa a cabeça sobre a mão. 

Eu permaneço em silêncio insatisfeita com o raciocínio. 

-Por que não sinto que estou vencendo? - Pergunto me enchendo de coragem, não quero magoá-lo. 

-Porque não é a mesma luta. Porque grandes troféus não são conquistados em campeonatos de amadores. Entende? - Ele levanta a outra mão enquanto explica. 

-Talvez um pouco. 

-Veja bem... quando você perdeu o seu pai e teve que crescer embaixo de expectativas e críticas duras demais para uma criança, o que eles diziam que você seria? 

-Um total fracasso, um estorvo que daria trabalho para a minha mãe. -Eu ri me lembrando dos árduos diplomas que conquistei sem a ajuda dessas pessoas. 

-Quando você tinha muitos amigos, que a primeira vista eram tão legais, tão acolhedores e de repente se viu sendo traída e abandonada por cada um deles, pensou que estava sozinha e ainda assim não parou pra buscar explicações ou ir atrás deles, decidiu que não precisava deles mas chorava todas as noites com a dor de ter sido deixada para trás como simples ferramente que não os servia mais. Você superou, certo? 

-Sim mas só porque você estava comigo, porque me ouvia, colhia minhas lágrimas e porque atendeu o meu pedido de ...

-Ter amigos de verdade. -Ele completou. 

-Sim. -Esperei pela continuação da explicação. 

-Seus novos amigos também te fizeram chorar... e aí? -Ele me afrontou. 

-Todos temos nossos defeitos, caminhos, escolhas e nem sempre vamos concordar uns com os outros mas ao mesmo tempo, nos importamos tanto em levar a amizade adiante. - Eu comecei a raciocinar como Ele me levava a fazer sempre. 

-E eles não se aproveitam de você? Quero dizer, eles também não recorrem a você quando tem problemas? 

-Sim mas é diferente. -Começo a ficar brava. 

-Por quê? - Ele riu. 

-Porque posso contar com eles como eles contam comigo. 

-Só por isso ou porque você hoje entende o que é ser amiga, tem maturidade para lidar com pessoas diferentes. - Ele toma um gole do suco que trouxemos. 

-Pode ser... -Falo simplesmente não querendo passar por cima do meu orgulho. 

-Eu não sei quanto a você, mas acho que você já venceu grandes lutas nesse curto período de vida. Eu já disse antes, me orgulho do quanto você se esforça pelos outros, por ser melhor a cada dia. Me alegra ouvir de você "Senhor, molda meu coração conforme a sua vontade". 

Fico emocionada novamente... é tão honroso ser reconhecida por Ele. 

-Por que você quer um coração segundo a minha vontade? - Ele ajeita a postura novamente e me encara já sabendo a resposta mas esperando meu posicionamento. 

-Porque sua vontade é boa, perfeita e agradável. - Respondo tentando dar uma resposta satisfatória. 

-Só por isso? - Ele faz uma cara de insatisfeito que me faz rir. 

-Não Senhor... porque ... eu não sei o porquê. 

-Te darei mais uma chance. - Ele aponta o dedo para cima enquanto fala. 

-Talvez gratidão e admiração. Sabe... -Parei para pensar por alguns segundos. 

-Sim? - Ele esperava minha resposta. 

-É que eu sempre ouvi tantas instruções e sermões, sempre fui tão criticada que na verdade, era pra eu ser tudo aquilo que eles diziam que eu seria mas eu te conheci e cada vez que me aproximava mais de ti, sua influência mudava algo dentro de mim e não era forçado ou imposto, era o seu exemplo, era o modo como sempre me perdoava, como sempre cuidava de mim mesmo quando eu não merecia. Eu acho que estar perto de ti me inspira a ser melhor e ... 

-E ? - Ele ri. 

-E o Senhor sabe... - rio também. - É constrangedor falar disso. 

-Não é não, é bonito! - Ele continua sorrindo enquanto eu começo a ficar desconfortável mas ainda assim feliz. 

-Então... agora que você sabe que não está sempre perdendo, que tal pegar emprestado um pouco de força e continuar adiante? 

-Se o Senhor estiver comigo, acho que eu consigo. - Sorrio.

-Sempre estarei. - Ele sorriu e se levantou. 

-Obrigada de novo! - Me levanto também e o abraço. 

-É de graça, amiga-filha. - Ele desaparece e eu volto pra casa ainda sentindo sua presença. 


Notas Finais


Hey! ;)
Espero que tenha gostado, todas as fanfics relacionadas a este tema terão nas palavras chave "Primeiro Amor".
Espero que você fique melhor, seja lá qual for o problema e lembre-se, não estamos sozinhos e é de graça em graça que vamos em frente!
Até a próxima!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...