História You were made for me - Capítulo 60


Escrita por:

Postado
Categorias Demi Lovato, Fifth Harmony, Miley Cyrus, Nick Jonas
Personagens Camila Cabello, Dallas Lovato, Demi Lovato, Lauren Jauregui, Miley Cyrus, Nick Jonas
Tags Camren, Demi Lovato, Diley, Dileyg!p, Miley Cyrus, Nick Jonas
Visualizações 488
Palavras 4.795
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Luta, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá meus amores, como estão?

Quero agradece-los pelo apoio e dizer o quanto estou feliz pelo rumo que a estória vem tomando <3

PS: Perdoem os erros e nos vemos nas notas finais!

Capítulo 60 - Chapter Sixty


Point of View Demetria Lovato

Acordei com um pequeno sorriso no rosto, mas o mesmo sumiu quando vi que minha namorada não estava na cama junto a mim e ao nosso filho.

- Miley? – A chamei, mas nenhuma resposta veio. – Acho que ela deve estar lá embaixo.

Quando fui levantar da cama Lorenzo se mexeu e abriu os olhinhos de forma preguiçosa o que me fez sorrir por ver a cena fofa.

- Mama. – Ele esticou os bracinhos para mim.

- Bom dia meu amor. – O peguei no colo e o enchi de beijos fazendo o mesmo rir.

- Dia mama. – Ele falou animado.

- Alguém acordou animado não é mesmo? – Eu disse sorrindo. – Vem vamos tomar banho e descer para tomar café.

Fui com o Lorenzo para o banho e tirei a roupa dele o deixando totalmente peladinho o mesmo correu para o pinico que tinha ali. Estávamos tirando Lorenzo da fralda e por incrível que pareça ele estava indo muito bem.

- PIPI MAMA. – Ele gritou animado enquanto segurava seu pênis para fazer xixi.

Eu o olhava surpresa até por que desde que tiramos Lorenzo da fralda ele usava o pinico sentado, pois não sabia como as coisas funcionavam.

- Quem te ensinou a fazer xixi de pé meu amor? – Perguntei curiosa enquanto ele ria com o que fazia.

- Mommy. – Ele disse me encarando enquanto dava um grande sorriso que chegou a quase fechar os olhinhos.

- Sua mãe é? – Eu perguntei sorridente e ele só assentiu com a cabeça.

Lorenzo terminou de fazer xixi e foi para dentro do box enquanto eu escovava os dentes assim que terminei, eu tirei a roupa e entrei no box junto com Lorenzo e abri o registro do chuveiro.

Quando a água começou a cair Lorenzo já entrou debaixo, o mesmo adorava brincar no chuveiro então era sempre uma festa. Peguei o shampoo e passei em seu cabelo começando a esfregar o mesmo.

- Fecha os olhos meu amor. – Eu pedi quando o coloquei debaixo do chuveiro para repassar seus cabelos.

- Já mama? – Ele perguntou se referindo a abrir seus olhos.

- Pode abrir meu amor. – Eu falei sorrindo.

Fiz o mesmo processo com o condicionador e depois o ensaboei e por fim foi a minha vez de tomar banho.

- Dê pipi mama? – Lorenzo me olhava curioso enquanto eu terminava de tirar a espuma do sabonete do corpo.

- A mama não tem pipi. – Eu disse sorrindo e ele franziu as sobrancelhas em sinal de confusão.

- Mommy pipi. – Ele disse sério.

Como explicar para um menino de um ano que sua mãe era especial sendo assim diferente das outras mulheres?

- Meu amor a mommy é especial por isso ela tem pipi. – Eu tentei ser o mais simples possível.

Lorenzo ficou me encarando ainda com a cara de confuso até que começou a dar risada o que me fez ficar o encarando curiosa.

- Lo é espacial? – Ele perguntou sorrindo.

- É especial meu amor. – Eu o corrigi. – Sim você é especial, meu príncipe.

Só então notei a comparação dele só porque ele tinha um pênis como a mãe ele também se achava tão especial quanto ela. Isso me fez sorrir por ver até onde ia sua inocência.

Coloquei o roupão de Miley e então peguei uma toalha e enrolei Lorenzo nela saindo com o mesmo do banheiro. O deixei sobre a cama e fui para o closet me vestir depois que o fiz, fui até a cômoda de Lorenzo e peguei uma roupa para o mesmo.

- Vem aqui para a mamãe colocar roupa em você. – Eu disse para ele que estava de pé pulando na cama.

- Não mama. – Ele disse sério e jogou a toalha na cama.

- Lorenzo vem aqui. – Eu disse me aproximando dele.

Ele desceu da cama correndo e foi em direção da porta a mesma que foi aberta e para a sorte dele ela não bateu nele, mas já não posso dizer o mesmo quando ele trombou nas pernas da minha namorada.

- Mas veja só se não temos um fujão pelado por aqui. – Miley disse sorrindo.

- Mommy. – Lorenzo gritou e estendeu os braços para ela o pegar.

Miley ficou o encarando e suspirou por não conseguir pega-lo já que ela estava com as muletas então eu me aproximei dele e o peguei no colo o que o fez soltar uns gritinhos animados.

- Não fuja de mim. – Eu disse sorrindo enquanto o enchia de beijos. – Oi amor.

- Oi Dems. – Ela me deu um selinho. – Oi meu pequeno. – Ela beijou a testa de Lorenzo.

- Mommy. – Ele choramingou para Miley quando eu o coloquei sobre a cama.

- Agora ele deu de não querer colocar roupa. – Eu disse enquanto tentava colocar a cueca nele.

- Eu te entendo filho é bom demais ficar pelado né? – Ela disse rindo. – Imagina quando você descobrir o que pode fazer estando pelado.

- Miley! – Eu a reprendi e lhe dei um tapa. – Não fala essas coisas para o menino.

- Ele nem entende amor. – Ela disse rindo e Lorenzo riu junto mesmo sem entender.

- É mais não precisa falar. – Eu resmunguei. – E ele só vai aprender essas coisas quando tiver mais de trinta.

- Quem é a mãe chata agora, hm? – Ela disse rindo.

- Cala a boca.

- Boca. – Lorenzo repetiu.

- Que feio Demetria você dando maus modos para o menino. – Ela caçoou de mim.

- Filho não pode falar isso. – Eu disse séria enquanto encarava Lorenzo e ele apenas assentia com a cabeça. – Agora deixa eu terminar de te vestir.

- Não mama. – Ele disse sério.

- Lorenzo. – Eu falei tão séria quanto ele.

- Mommy. – Ele correu para Miley.

Era sempre assim se uma de nós era mais séria com ele o mesmo corria para a outra de forma manhosa.

- Meu amor tem que deixar a mamãe por roupa. – Miley começou a conversar com ele. – Se você deixar a mamãe por roupa eu vou te dar doce.

- Doce? – Ele perguntou animado.

- Miley não acredito que está ensinando ele a barganhar as coisas.

- Eu não. – Ela falou rápido. – Seu filho que é esperto demais e sabe barganhar as coisas.

- Doce mama. – Ele voltou para mim pegando sua camiseta e me entregando.

- Você não vale nada assim como a sua mãe não é mesmo? – Eu perguntei desacreditada para ele e o mesmo sorria de forma sem vergonha como a mãe.

- Só para deixar claro eu valho e muito. – Minha namorada falou com um bico enorme.

- Claro que sim. – Rolei os olhos. – Prontinho agora vamos tomar café.

Antes de sairmos do quarto eu estendi a toalha de Lorenzo no box e voltei pegando o mesmo no colo para então saímos do quarto.

- Bom dia. – Eu disse quando encontrei minha sogra na cozinha.

- Bom dia Demi. – Leticia disse sorridente. – Bom dia amor da vovó.

- Bobo. – Lorenzo disse sorridente e se jogou no colo da avó.

- Pensei que tinha ido trabalhar. – Miley falou enquanto eu a ajudava a se sentar.

- Eu estava esperando você voltar para saber como foi. – Minha sogra disse séria então rapidamente eu olhei para minha namorada.

- Você saiu? – Perguntei curiosa, pois ainda nem tinha olhado a hora para ter noção das cosias.

- Sim. – Ela suspirou.

- Onde foi? – Perguntei enquanto me sentava ao lado dela e via minha sogra colocar Lorenzo em seu cadeirão.

- No escritório da Mackenzie. – Falou baixo, mas o suficiente para todas ouvirem.

- Não acredito que voltou lá. – Eu disse séria.

- Eu precisava. – Ela se manteve serena.

- Miley essa mulher já não causou demais em nossas vidas? – Eu a encarava séria.

- Amor eu fui lá com o Nick e os advogados para pôr fim de uma vez nessa história.

- Eu não confio nessa mulher olha tudo o que ela já fez. – Eu disse nervosa.

- Ei calma. – Ela segurou minha mão que estava em cima da mesa.

- Demi está certa querida essa mulher não é confiável. – Minha sogra disse tão séria quanto eu.

- Meu contrato com ela foi rompido. – Miley disse séria. – Foi para isso que fomos lá, meu advogado conseguiu romper o contrato sem eu ter que pagar a multa.

- Isso é ótimo querida. – Leticia disse soltando o ar que eu nem tinha visto que ela prendeu.

- Até que enfim está livre dessa mulher. – Eu falei. – Se bem que ela pode vir atrás de você.

- Isso não vai acontecer. – Miley disse com um grande sorriso.

- Porque? – Minha sogra e eu perguntamos animadas.

- O advogado conseguiu uma ordem de restrição contra ela então ela tem que ficar trezentos metros longe de mim assim como qualquer um de vocês. – Ela disse animada.

- Sério? – Perguntei tão animada quanto ela.

- Sim sério. – Ela beijou minha mão. – Essa mulher não vai mais nos encher o saco.

- Mesmo assim eu ainda tenho medo. – Suspirei.

- Ela não vai Demi eu pude ver isso nos olhos dela enquanto me contava tudo que fez.

- Ela admitiu tudo o que fez? – Minha sogra perguntou séria.

- Sim ela disse que queria separar Demi e eu, mas que não queria ter causado o acidente. – Minha namorada suspirou pesado.

- Ainda teve a cara de pau de admitir essa mulher é doente. – Eu falei com raiva.

- Foi o que eu disse para ela.

- Se ela aparecer novamente quem vai surrar ela agora sou eu. – Leticia disse.

- Eu te ajudo. – Eu disse séria.

- Okay tigresas já entendi. – Minha namorada disse rindo. – Aí Dems.

- Não é para você rir. – Eu disse e lhe dei mais um tapa.

- Não está mais aqui quem riu. – Ela levantou os braços em rendição.

- Acho bom mesmo. – Eu disse séria.

- Hm nervosa. – Ela me roubou um selinho.

- Mama. – Lorenzo chamou bravo mostrando seu ciúme.

- Ei ela é minha antes de ser sua. – Miley o provocou e lhe deu a língua e Lorenzo lhe mostrou a língua também.

- Minha mama. – Ele disse sério.

- Minha! – Miley falou tão séria quanto ele.

- Minha. – Ele bateu a mão em seu cadeirão.

- Minha. – Ela bateu a mão na mesa.

- MINHA. – Lorenzo gritou.

- Okay chega os dois. – Eu falei séria e eles me encararam. – Miley você não tem vergonha na cara de ficar discutindo com uma criança?

- Ele que começou. – Ela falou manhosa e ainda por cima fez bico.

- Querida nunca pense em arranjar outro filho por que esses dois que você tem já dá um trabalhão. – Leticia falou me fazendo rir.

- E eu não sei.

- Seu mimadinho. – Escutei Miley resmungar enquanto tomava seu leite com nescau.

- Olha quem fala né Cyrus. – Eu falei rolando os olhos e ela bufou.

- Bom agora que eu sei que está tudo bem, eu estou indo trabalhar. – Minha sogra falou enquanto beijava Lorenzo. - Acha que dá conta dessas duas crianças Demi? 

- Qualquer coisa eu chamo uma babá. – Eu disse sorrindo.

- Haha engraçadonas. – Minha namorada falou debochada.

- Ninguém tem culpa se você se comporta como uma criança de um ano querida. – Leticia falou rindo.

- Uma criança de um ano não faz o que eu faço. – Miley disse maliciosa e automaticamente meu rosto corou.

- Deus Miley eu não precisava ter esse tipo de cena na minha cabeça. – Minha sogra deu um tapa nela.

- Mas eu nem disse nada a senhora é que está tirando conclusões precipitadas. – Disse marota.

- Claro. – Leticia rolou os olhos e beijou a testa da minha namorada. – Tchau Demi.

- Tchau Leticia.

Então minha sogra saiu e por fim nós ficamos ali tomando café enquanto Miley e Lorenzo implicava um com o outro e eu os reprendia.

- O que vamos fazer agora? – Miley perguntou enquanto eu a ajudava a sentar no sofá.

- Eu tenho que ir no estúdio. – Eu disse.

- Fazer? – Perguntou enquanto mudava os canais.

- Miley eu tenho que voltar com as minhas aulas.

- Desenho mommy. – Lorenzo que estava ao lado de Miley falou quando a mesma passou pelo canal de desenho.

- Eu quero ver esportes. – Miley falou sem olha-lo.

- Desenho mommy. – Lorenzo falou enfezado.

Era incrível como ele já tinha a personalidade tão forte sendo só um pinguinho de gente.

- Eu vou ver esportes. – Miley falou agora o encarando.

- Desenho. – Ele a encarou de volta com as sobrancelhas franzidas mostrando que estava bravo.

- Chega vocês não vão começar a brigar de novo. – Eu peguei o controle da mão da minha namorada e coloquei no desenho.

- Desenho mama. – Lorenzo gritou animado quando viu o desenho.

- Porque você sempre faz os gostos dele? – Miley perguntou com um bico enorme.

- Miley ele é uma criança faça-me o favor. – Rolei os olhos.

- E eu estou doente. – Ela fez cara de dó.

- Doente na aonde? – Eu perguntei com as sobrancelhas arqueadas.

- Eu não tenho um pé. – Deu de ombros.

- A Miley pelo amor de Deus. – Eu lhe ataquei uma almofada. – Não acredito que vai usar disso para ganhar as coisas ou ficar se passando de manhosa.

- Ué isso tem que servir de alguma coisa. – Sorriu para mim.

- Deus me de paciência. – Resmunguei e ela riu.

Eu podia não demonstrar para ela, mas eu estava sorrindo por dentro por ver que ela estava até usando sua situação para coisas bobas, isso era um sinal que ela estava bem melhor.

- Eu vou pegar minha bolsa então ligue para um táxi enquanto isso.

- Você nem sabe se eu quero ir. – Ela falou sorrindo de lado.

- Quer ficar aqui e cuidar do Lorenzo usando essas muletas? – Perguntei com o mesmo sorrisinho de lado que ela.

- Não. – Resmungou.

- Foi o que eu pensei. – Eu pisquei para ela e sai em direção ao quarto.

- Sua mãe é uma chata. – Escutei ela falar para o Lorenzo.

- Não. – Lorenzo respondeu.

- E você é um puxa saco. – Resmungou.

Não pude deixar de rir apesar dos dois me deixarem louca eles eram as pessoas que mais me faziam feliz na vida.

Depois de pegar a minha bolsa e a de Lorenzo, eu voltei para a sala e ajudei a Miley a ficar de pé então peguei o Lorenzo no colo saindo da casa da minha namorada e vendo o táxi já parado nos esperando.

O taxista ajudou Miley a entrar no carro já que eu estava com o Lorenzo no colo então eu dei a volta e entrei no carro.

- Você devia voltar a dirigir ia facilitar a nossa vida. – Miley resmungou.

- Eu ainda não estou preparada para isso. – Eu a respondi.

- Espero que volte logo por que é muito ruim depender de táxi. – Ela suspirou.

- Deixa de ser reclamona. – Eu falei sorrindo.

- É mais forte que eu. – Ela deu de ombros.

Cerca de vinte minutos depois e nós estávamos descendo do táxi e entrando no estúdio.

- Demi. – Rafa disse animado quando me viu o que chamou a atenção de todos principalmente da minha irmã que estava concentrada em algumas partituras.

- Rafa. – Eu disse sorridente e fui até o garoto e me abaixei para abraça-lo. – Que saudade.

- Você sumiu. – Ele disse chateado.

- Desculpe pequeno eu tive que me ausentar.

- Eu sei. – Ele sorriu. – Fico feliz por ter voltado a andar.

- Obrigada por isso. – Eu beijei sua testa.

- Minha mama. – Lorenzo que ainda estava no meu colo falou ciumento o que fez todos rirem.

- Esse garoto não tem jeito mesmo. – Miley falou rindo, mas parou quando viu que todos a olhavam.

Senti a tensão que minha namorada ficou com todos a olhando, até eu tinha ficado tensa pensando que ela poderia reagir mal aos olhares.

- Meu Deus isso só pode ser um sonho. – Uma garotinha que até então eu não conhecia falou animada. – Você pode me dar um autografo?

- A claro. – Miley disse meio sem jeito ainda.

Foi então que percebemos que todos ali a olhavam pelo fato de quem ela era e não por ela não ter um pé até por que ninguém a julgaria ali, não quando todos tinham seus problemas.

Enquanto Miley atendia aos meus alunos eu fui até Dallas que olhava todos com um grande sorriso.

- Isso é importante para ela. – Ela disse sorrindo.

- Muito. – Eu sorri de volta.

- Logo ela vai se acostumar. – Ela me olhou. – Oi bebê da tia.

- Titi D. – Lorenzo falou de repente.

- AI MEU DEUS. – Dallas gritou fazendo com que todos nos olhassem.

- O que foi? – Miley perguntou preocupada.

- Ele me chamou de tia. – Dallas disse chorando.

- E lá vamos nós para um surto. – Miley disse para meus alunos que riram.

- Não riam de mim ou eu desconto da nota de vocês. – Dallas disse igual uma carrasca e todos pararam de rir na hora.

- Vejo que você não é uma professora boazinha. – Eu disse rindo.

- Eles me amam. – Ela disse sorridente e pegou o celular. – Fala para a tia de novo fala. – Dallas ligou na câmera.

- Titi D. – Lorenzo falou batendo palmas.

- Vou esfregar isso na cara da Lauren. – Ela falou rindo. – Eu te amo tanto Lorenzo.

- Não use meu filho para suas birrinhas com a Lauren. – Eu a reprendi.

- Deixa de ser careta. – Ela rolou os olhos. – Mas então por que vieram aqui?

- Vim ver eles e claro te avisar que eu vou retomar minhas aulas.  

- Sério? – Ela disse com um bico.

- Ué para quem não queria ficar aqui agora não quer ir.

- Eu me apeguei a eles. – Falou enquanto olhava os alunos.

- Podemos dar um jeito nisso. – Eu disse sorridente.

- Como por exemplo? – Perguntou interessada.

- Temos outra sala aqui e você pode dar aulas de violão e eu fico com as aulas de piano.

- Está falando sério? – Ela perguntou animada.

- Sim faz um tempo que venho pensando sobre por aulas de violão aqui, mas eu não tinha tempo. – Sorri.

- Eu estou dentro. – Disse animada enquanto sorria.

- Ótimo agora é só você falar para o papai que não vai mais voltar para a empresa. – Na mesma hora ela fechou o sorriso.

- Você bem que podia dizer a ele né. – Ela disse manhosa. – De você ele aceita tudo já que é a princesinha do papai. – Ela rolou os olhos enciumada.

- Deixa de ser ciumenta. – Eu falei rindo. – Mas tudo bem nos falaremos juntas com o papai.

- Isso. - Ela comemorou.

- Amor. – Miley chegou perto de nós. – Oi Dalls.

- Cunhadinha. – Dallas jogou um beijo no ar para ela.

- Oi amor. – Eu e virei para minha namorada.

- Lauren me mandou uma mensagem perguntou que horas vamos no hospital. – Ela fez careta.

- Agora. – Me apressei a dizer.

- Mas eu pensei que você ia resolver suas coisas. – Eu sabia que ela queria fugir.

- Já resolvi e já podemos ir.

- Tudo bem.

- Dalls depois conversamos melhor sobre isso e semana que vem eu assumo a turma tudo bem?

- Como você preferir quando chegarmos em casa a gente conversa.

- Tudo bem.

- Tchau amor da titia. – Dallas beijou Lorenzo o mesmo sorriu e deu tchauzinho para ela. – Tchau meninas.

- Tchau.

Então esperamos o taxi chegar e partimos para o hospital.

Point of View Miley Cyrus

Antes de chegarmos no hospital eu pedi que o motorista parasse nas portas do fundo até por que não tinha vazado na mídia ainda minha real situação e eu estava esperando a minha entrevista para poder enfim anunciar.

Quando entramos no hospital fomos direto a recepção e logo a recepcionista disse que Lauren estava nos esperando e nos levou até o consultório dela.

- Pensei que iam me dar bolo. – Lauren disse animada. – E você em pequeno traidor. – Lauren falou já pegando Lorenzo do colo de Demi.

- Eu bem que queria te dar bolo. – Eu disse dando de ombros e as duas rolaram os olhos.

- Como você deixa esse garoto chamar a Dallas de tia antes de mim? – Nossa amiga perguntou para a minha namorada.

- Eu não o controlo. – Demi disse rindo.

- Tudo bem eu não vou deixar de ama-lo. – Lauren disse sorrindo e jogou Lorenzo para cima o fazendo gargalhar.

- Lauren! – Demi a reprendeu.

- Ele gosta Dems deixa. – Eu disse sorrindo.

- Se acontecer algo a culpa é sua. – Ela me encarou séria.

- Lauren para com isso. – Eu disse para a nossa amiga.

- Mandada. – A morena disse rindo.

- Vai se fod....

- Miley. – Demi me reprendeu. – Será possível que vocês não vão tomar jeito?

- Não. – Nós duas falamos juntas e batemos um high-five.

- Crianças. – Demi resmungou.

- Então sentem. – Lauren pediu enquanto sentava em sua cadeira e colocava Lorenzo sentado sobre a mesa.

Demi novamente me ajudou a sentar e não vou negar isso me incomodava um pouco, eu era acostumada a fazer tudo sozinha e agora nem sentar sozinha eu conseguia.

- Eu já vi algumas próteses. – Lauren começou. – As melhores na realidade.

- E como isso funciona Laur? – Demi perguntou curiosa.

- Pelo fato da Miley ter amputado o pé e um pedaço pequeno da canela é mais fácil a gente não vai precisar implantar nada por dentro, a prótese dela é como uma botinha que vai ser presa na perna dela.

- E isso pode causar alguma rejeição na perna dela? – Demi perguntou séria enquanto eu apenas via as duas conversarem.

Eu sei que era do meu interesse, mas por enquanto eu não queria conversar então deixei que minha namorada tomasse a frente.

- Pode, mas é difícil a rejeição vem mais quando temos que implantar algo o que não é o caso dela. – Laur falou com um pequeno sorriso. – O que pode vir a acontecer é com o tempo começar a incomodar pelo fato do desgaste da prótese, mas de resto não tem por que dar problema.

- Certo. – Demi disse segura e me encarou e eu apenas sorri sem mostrar os dentes. – Podemos ver as próteses?

- Claro.

Lauren então ligou para a secretaria e pediu que um enfermeiro trouxesse as próteses que ela tinha separado.

- Licença doutora Jauregui. – O enfermeiro pediu quando abriu a porta.

- Toda. – Nossa amiga disse sorridente. – Entre e pode deixar aqui que depois eu levo de volta.

- Tudo bem. – Ele saiu da sala.

Lauren pegou Lorenzo no colo e entregou para Demi e então foi até o carrinho que estava com as próteses e puxou o mesmo até mim aproveitando e virando minha cadeira me deixando de frente para ela.

- Essas são as mais realistas Miley.

- Uau. – Eu disse surpresa.

As próteses eram bem realistas por isso eu fiquei surpresa assim como a Demi, Lauren me entregou uma prótese para que eu pudesse sentir a textura e eu fiz careta porque aquilo parecia quase como a nossa pele, exceto que estava gelada.

- Vamos experimentar? – Laur perguntou sorrindo.

- Tudo bem. – Disse meio nervosa e vi que Demi me sorriu como apoio.

Lauren dobrou só um pouco mais a perna da minha calça que já estava dobrada na altura da minha amputação para poder ter mais acesso a minha perna.

Ela abaixou para encaixar a prótese na minha perna e quando o fez ela ajustou a parte de cima da prótese na minha perna a deixando apertada de uma forma que não saísse.

- Vamos ficar de pé. – Lauren se levantou e me estendeu as mãos o que me fez arregalar os olhos.

- Laur eu....

- Sim você está pronta agora me dê as mãos. – Ela pediu com calma e meus olhos caíram sobre a minha namorada.

- Vamos lá amor estamos aqui com você nada vai dar errado. – Demi me incentivou.

Fechei os olhos e respirei fundo então estiquei minhas mãos pegando as de Lauren, foi tudo muito rápido só deu tempo deu sentir Lauren me puxando.

- Abras os olhos. – Lauren falou com a voz doce.

- Não.

- Vamos deixa de ser bunda-mole. – Ela me provocou.

Sem pressa alguma abri meus olhos e vi que estava de pé o que fez um sorriso rasgar o meu rosto.

- Eu estou de pé. – Eu disse animada e logo chorei.

Sim eu chorei porque nunca mais pensei que fosse ficar de pé, por mais que eu soubesse da prótese eu tinha medo de não conseguir ficar de pé novamente, de não conseguir voltar a andar sem as muletas.

Para mim era tudo um bicho de sete cabeças, mas na verdade não era, o meu problema era fácil de ser resolvido eu só tinha que parar de colocar as barreiras diante da minha situação.

- Eu disse que você conseguiria. – Demi se aproximou de mim tão emocionada quanto eu e me deu um selinho.

- Como se sente? – Lauren perguntou.

- Bem, mas com um incomodo. – A respondi.

- Como é o incomodo? – Lauren pegou sua prancheta.

- Como se tivesse algo me cutucando. – Relatei.

- Está apertada?

- Não.

- Certo, vamos tentar outra.

Lauren me sentou e então começou a testar as próteses e todas estavam me causando um incomodo o que começou a me preocupar então fomos para a última prótese.

- E essa incomoda? – Ela perguntou preocupada.

- Não, está por incrível que pareça está boa. – Eu disse sorridente por não sentir incomodo algum.

- Se essa incomodasse eu ia ter um surto. – Lauren falou. – Essa é a melhor e a mais cara do hospital. – Agora tente andar.

- Lauren não. – Eu disse séria.

- Vamos lá Miley eu tenho que tentar deixar o mais confortável para você e eu só vou conseguir isso se você me ajudar.

- Tudo bem.

Lauren segurou minhas mãos e mandou eu respirar fundo então ela andou para trás esperando que eu a acompanhasse e andasse para frente.

- Vamos lá.

- Eu estou tentando, mas só a minha perna direta vai.  - Era verdade só a perna direita tinha ido para frente. – É como se essa não existisse.

- Isso é psicológico Miley. – Lauren falou. – Sua mente sabe que seu pé não está aqui então ela manda um alerta de que se você tentar andar vai cair então relaxa e coloca na mente que você não vai cair.

Fechei os olhos e tentei controlar a minha respiração que estava desregulada e comecei a conversar comigo mesma dizendo que eu não ia cair, que não era para eu ter medo porque meu pé estava ali.

Fiquei uns bons minutos ali só escutando as nossas respirações quando por fim resolvi arriscar.

- ISSO. – Demi gritou animada o que me fez abrir os olhos rapidamente.

- Eu consegui. – Eu disse animada. – Chupa essa muleta.

- Meu Deus. – Lauren falou rindo. – Certo agora continue andando.

Lauren ficou me auxiliando enquanto andávamos pela sala até que ela me soltou e deixou que eu andasse sozinha pela sala. E por Deus agora eu sei o que Demi sentiu quando voltou a andar.

Por mais que o meu processo fosse totalmente diferente do dela o medo de não voltar a andar sem ajuda de nada era real.

- Então está te incomodando? – Lauren voltou a perguntar.

- Não. – Eu disse sorrindo.

- Ótimo vou mandar fazer duas desse modelo então e mais duas para água. – Lauren falou enquanto se sentava em sua cadeira.

- Posso ficar com essa? - Perguntei animada.

- Não. – Lauren disse sorrindo. – É do hospital.

- Qual é Lauren vai negar algo para alguém doente?

- Doente? – Lauren perguntou confusa e vi Demi revirar os olhos.

- Ela está assim agora só porque amputou o pé diz que está doente para comprar as pessoas.

- Cria vergonha na cara Miley. – Lauren negou com a cabeça enquanto ria.

- Não custa tentar. – Dei de ombros. – Mas quando as minhas chegam?

- Eu pedi com urgência daqui uns dois dias chega então prepara o bolso.

- Já vou deixar pago na recepção. – Sorri.

- Como achar melhor. – Ela sorriu de volta. – Estão liberadas, mas por um mês vou te acompanhar para ver se não vai ter nenhum problema com a prótese.

- Tudo isso para ficar pertinho de mim é? – Perguntei sacana.

- Idiota. – Me mostrou o dedo do meio. – Agora podem ir.

- Não nos expulse assim.

- Vamos Miley. – Demi disse séria enquanto Lauren me ajudava a levantar.

Nós despedimos de Laur e então fomos embora curtir o resto do nosso dia em casa.

O que dizer da felicidade que eu sentia por saber que tudo voltaria ao normal? Quer dizer quase tudo, mas nada como um passo de cada vez.


Notas Finais


Então o que acharam? Miley derrubou uma grande barreira em sua vida que é o medo, agora é continuar seguindo em frente!

Me sigam no twitter que eu sigo todos de volta: @lm_parrilla

Bom até sexta se tudo der certo senão só terça mesmo enfim bom feriado, beijinhos <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...