História Young. Dumb and Broken - Capítulo 12


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Adolescente, Amor, Badboy, Bulimia, Bullying, Escola, Paixão, Romance
Visualizações 347
Palavras 1.935
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Festa, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 12 - Carona


Fanfic / Fanfiction Young. Dumb and Broken - Capítulo 12 - Carona

New Haven

✨Chloe


O carro de Lila para de frente a Books, olho pro lado e digo tirando o cinto de segurança.

- Depois do encontro eu mando uma mensagem pra você!

Ela balança a cabeça negando e diz sorrindo pra mim.

- Nada disso, quero FaceTime baby!

Viro o olho pra ela, respiro fundo e me olho no espelho retrovisor, ajeito minha franjinha e pergunto envergonhada.

- Você acha minha franjinha meio fora de moda?

Espero ela me responder e como a resposta demora eu desvio meu olhar do espelho e encaro seu rosto perfeito. Ela estala o bico e diz querendo amenizar a verdade que está estampada em sua cara.

- Um pouquinho.. mas eu acho ela fofa em você. Parece uma menininha!

- Ewwul, eu não quero parecer uma menininha!

Ela levanta uma sobrancelha e sorri pra mim achando graça do que eu disse.

- Amanhã nós vamos ao salão e eu vou mudar totalmente isso tudo aqui..

Enfatizo com minhas mãos ao redor de meu rosto, ela solta uma risada alta e me empurra pra fora do carro. Saio rindo, aceno pra ela e entro na livraria. Toda vez que eu venho aqui eu me sinto em casa, eu sempre amei os livros, o cheiro que cada um deles exala, do mais novo até o mais velho. Sorrindo eu ando até a recepção e falo com um garoto que parece ser da minha idade.

- Oi, eu vim pra entrevista de emprego!

Ele desvia seus olhos da tela do computador e sorri pra mim com os dentes cheio de aparelho. Sorrio de volta, estendo minha mão e ele aperta se apresentando.

- Oi, eu sou Jonas. Vou chamar Caio, ele é o gerente daqui..

- Ok, obrigada!

Ele sai de trás do balcão e anda em direção aos fundos da livraria. Olho ao redor me situando, tem poucas pessoas hoje. Na verdade esse nunca foi um lugar tão frequentado, trabalhar aqui vai ser bem tranquilo. Não é bem o tipo de experiência que eu disse pro meu pai que queria ter.

Jonas volta com um homem que aparenta ter uns vinte e poucos anos, suponha que seja Caio pelo jeito que ele me avalia de cima a baixo. Me mantenho calma e digo pra mim mesma que eu consigo esse emprego.

- É ela Caio..

- Ok, volte pro balcão Jonas.

O garoto passa por mim piscando, sorrio pra ele tímida. Estendo minha mão pro gerente, ele aperta demorando um pouco de mais pra soltar minha mão.

- Prazer eu sou Caio, o gerente da Books. Você deve ser Chloe..

- Isso mesmo. Deixei um currículo aqui ontem..

- Eu dei uma olhada nele, esse é o seu primeiro emprego?

- Sim... no panfleto que eu vi que não pedia experiência..

Ele sorri de lado pra mim e confirma com um aceno de cabeça. Me olha mais uma vez de cima a baixo de um jeito que eu não gosto nem um pouco e diz.

- Tá contratada Chloe! Você começa amanhã, as duas da tarde esteja aqui!

- Obrigada! Você não vai se decepcionar por ter me contratado..

- Tenho certeza que não!

Sorrio pra ele meio encabulada, me despeço e passando pela recepção aceno pra Jonas já saindo da livraria quase que saltitando de tanta alegria. Puxo meu celular do bolso e entro no Insta, procuro por Dave e envio uma mensagem.

💬 “ Estou indo pra praia..”

Envio e dou uma olhada no meu perfil, entretida eu não percebo a chegada inesperada de Stephen que me dá um susto quando toca meu ombro por de trás de mim.

- Aah!

Grito pulando pra frente quase derrubando meu celular no chão, me viro e encaro ele que ri da minha cara. Suspiro. Até fora da escola esse idiota me irrita.

- Está me perseguindo agora?!

Pergunto irritada, coloco meu celular em meu bolso e cruzo meus braços. Ele balança a cabeça e diz presunçoso.

- Eu tenho mais o que fazer garota!

- Ótimo! Adeus idiota!

Me viro e começo a descer as escadas de concreto, sinto ele me seguir pela calçada. Olho pra trás e ele desvia seu olhar, como se eu não conseguisse perceber ele me olhando e perseguindo. Olho pra frente sem parar de andar, volto a olhar pra trás de supetão e pego ele me olhando.

- Rá, te peguei!

Digo parando abruptamente, ele para na minha frente com um pequeno sorriso nos lábios e eu pergunto sem entender o motivo disso aqui.

- O que você quer?

- Nada..

Levanto uma sobrancelha pra ele debochada, até parece que ele não quer nada. Ele suspira e diz colocando suas mãos em seu bolso.

- Só estou andando pela calçada caralho!

- Atrás de mim!

- Então sai da minha frente porra!

- Sai você de trás de mim babaca!

- Garota, a rua é publica..

- Se foder Stephen!

Digo sentindo meu sangue ferver, viro e volto a andar novamente. Que babaca, o que ele quer? Ando mais alguns metros em direção a rodovia principal que vai direto pra minha casa. Sinto ele vir pro meu lado, até que ele pergunta baixinho.

- Estou indo pra casa também, você quer uma carona.. estou de moto!

Franzo o cenho e olho pra seu rosto de perfil, ele encara o chão como se tivesse procurando por algo ali. Bem concentrado. Ele deve saber do meu encontro. É isso!

Ele quer atrapalhar tudo entre mim e Dave. É o que ele faz, me perturba e me irrita.

- Não obrigada!

- Qual é você vai andando daqui até a praia a pé?!

Paro de repente e encaro seu rosto. Ele acabou de se entregar, filho da puta!

Ele sorri e balança a cabeça, esfrega seu queixo com sua mão tatuada e me encara com os olhos apertados.

- Você não vai atrapalhar meu encontro Stephen, se não eu te mato!

Ele trava a mandíbula e diz ameaçadoramente.

- Convenhamos que você não tem essa força pandinha! E segundo, eu não vou atrapalhar o seu encontro de merda, só ofereci uma carona.. mas já que você quer andar daqui até o farol, por mim tudo bem. Não sou eu que vou ter que aguentar seu fedor de inhaca com suor quando chegar lá!

Hã?! Faço cara de paisagem, ele atravessa a rua indo em direção a sua moto que está estacionada ao lado do parque. Porra ele tem razão, e se Dave quiser me beijar e abraçar, eu vou estar fedida e suada. Quer merda! Corro atravessando a rua, ele monta na moto e me olha de rabo de olho. Paro do seu lado e digo não querendo torcer o braço pra ele.

- Eu quero uma carona, mas não pense que eu vou gostar de você ou agradecer por isso!

Ele bufa, pega seu capacete e coloca na minha cabeça com cuidado. Faz sinal pra que eu suba, subo atrás dele e me sinto desconfortável na hora. Não quero ter que me segurar nele. Seguro nas laterais da moto fortemente. Ele olha pra trás e diz com aquela voz rouca que se fosse em outras circunstâncias, eu pensaria besteira.

- É melhor você se segurar em mim!

- hahaha, cala a boca e liga logo essa moto Stephen. Estou atrasada!

Ele sorri de lado e diz se virando pra frente, gira a chave de sua moto que ronca em baixo de mim.

- Garota eu vôo com essa bebezinha aqui, é melhor você se segurar em mim!

Com o coração acelerado eu resolvo fazer o que ele está mandando. A final de contas eu não quero morrer hoje, preciso ter esse encontro antes. Engulo em seco e agarro seu casaco, ele se remexe na minha frente tentando colar seu corpo no meu mas eu me afasto. Rindo ele acelera e praticamente voa pra pista, eu arfo atrás dele cheia de medo. Ele desvia dos carros como se fosse um suicida, grito em seu ouvido entrando em pânico.

- Mais devagar Stephen!

- Relaxa e aproveita a viagem pandinha!

Ele dá uma guinada e eu agarro sua cintura apertando todo meu corpo no dele, ele solta uma risada alta e eu agarro seu abdômem espalmando minhas mãos ali. Com a respiração entrecortada eu sinto cada quadradinho de sua barriga, ele é bem malhado mesmo. Tento me acalmar enquanto ele acelera mais e mais, o vento bate contra meu rosto e eu começo a aproveitar a adrenalina que ele desperta em mim. Apoio meu queixo em seu ombro e digo.

- Você está sem capacete seu maluco!

- Isso é liberdade Chloe!

Ele grita pra mim me deixando chocada, porque pela primeira vez ele diz meu nome ao invés de algum apelido. Sem perceber eu sorrio que nem uma idiota. Meu corpo começa a tomar consciência de cada parte do corpo dele que está colada ao meu que nem velcre, suas cochas grossas estão coladas as minhas, suas costas largas e quente contra meu seio e barriga, além do seu cheiro, respiro perto de seu pescoço e sinto seu perfume forte. Merda ele é gostoso mesmo! Lila tinha razão, ele é um homão da porra!

- Tá gostando?

Ele pergunta me olhando por cima de seu ombro, seus olhos azuis brilham, olho sua boca perto da minha que abre um sorriso feito criança. Volto a olhar em seus olhos e digo meio que caída por ele.

- Muito!

Ele pisca pra mim e volta a olhar pra frente. Sorrio novamente, mecho meus dedos de leve em seu abdômen, sua pele é tão macia. Agradeço ao vento por ter levantado sua blusa bem na hora que agarrei seu corpo. Caio da nuvem que ele me colocou na hora que vejo a praia, ele segue direto e para na entrada de areia, engulo em seco e solto seu corpo. Algo dentro de mim protesta mas eu silencio na hora esse desejo insano de querer ficar agarrada a ele e seu corpo gostoso. Saio da moto ficando vermelha que nem tomate, paro na frente dele e tento tirar o capacete. Ele solta uma risadinha e me ajuda, tira da minha cabeça e eu começo a ajeitar meu cabelo constrangida.

- Obrigada pela carona, foi top!

Termino de me ajeitar, encaro seu rosto emburrado. Ele enfia seus dedos em seu cabelo e pergunta olhando pra praia.

- Você vai mesmo a um encontro com esse babaca?

- Ele não é um babaca. Ele é diferente de todos que eu já conheci..

- Tem certeza?!

Ele pergunta me olhando novamente, seu olhar é tão intenso que fica difícil de manter o contato visual. Desvio meus olhos pra praia e penso em Dave. Ele não tem obrigação nenhuma em querer ir a um encontro comigo. Se ele não quisesse não teria me chamado, e além do mais, ele sempre foi legal comigo ao contrario da maioria da escola inclusive esse idiota aqui na minha frente.

- Tenho certeza. E porque você se importa?

Pergunto cruzando meus braços, Stephen sorri fraco, coloca o capacete na cabeça e diz antes de dar a volta e ir embora.

- Você é mesmo muito ingênua ou só é burra Levanta Poeira?!

Sua moto ronca e ele vai embora antes que eu possa dar uma resposta a altura. Que idiota. Ele só pode ser bipolar, a minutos atrás ele foi legal comigo pela primeira vez e agora agiu dessa maneira ridícula comigo novamente. Sorrio passada com ele, suspiro e desisto de entender esse garoto. Me viro e me preparo pra ter o meu primeiro encontro com o boy de meus sonhos!


Notas Finais


O que acharam?! Deu pra perceber que ele está meio incomodado com esse encontro...
Próximo captl ele vai demonstrar e entrar em conflito consigo mesmo por estar começando a sentir coisas por Chloe.
Espero que estejam gostando da fiC!

Beijinhos❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...