História Young Love - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 5
Palavras 838
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Drogas, Linguagem Imprópria, Mutilação, Suicídio
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


É oficial, bati meu recorde

Capítulo 3 - Praia


Fanfic / Fanfiction Young Love - Capítulo 3 - Praia

Acho que fiquei um tempo sem entrar nos jogos depois disso, e isso significa que eu fiquei sem falar com os garotos por uns dias, talvez semanas, minha ultima visita ao hospital me assustou, acho que ainda estou em estado de choque, acredito que seja porque ainda não acredito no fato de que oito anos atrás eu estava lá naquele quarto ouvindo “Você tem uma condição rara que [...] Sinto muito, não tem o que fazer, apenas ir aumentando o resto de vida que você tem”. Eu só tinha oito anos, mas aquilo foi o suficiente para me fazer entender (mesmo que pouco), que eu não estaria lá para ver o sol nascer de novo um dia, ou para abrir meus presentes no natal, comer bolo o dia todo no meu aniversário, rir com meus amigos que provavelmente teria feito com o tempo, talvez eu já tivesse me apaixonado e me dado muito mal nisso, ou muito bem, teria feito varias coisas para que em 50 ou 60 anos eu pudesse dizer para meus netos ou sei lá quem, as coisas que eu fiz na vida e que valeu a pena, ou que foi uma grande merda e perda de tempo, queria fazer tudo isso, “mas você pode fazer isso por enquanto”, quem dera, mal consigo sair da cama durante a manhã, quanto mais ver o sol nascer, não posso mais comer doces pois meu corpo não aguenta a bomba de açúcar, não quero fazer grandes amigos ou me apaixonar porque sei que não seria justo com a outra pessoa, como posso fazer alguém se apaixonar por mim e saber que ela vai ter que conviver com a minha perda logo depois? Penso nisso todos os dias e em um desses dias, cheguei a conclusão que queria deixar minha marca em algum lugar, já que não posso contar para alguém daqui a 50 ou 60 anos quem eu fui, quero deixar algo registrado para que alguém veja e pense “ela existiu e foi incrível” ou só um existiu e já vou ficar feliz, vou poder ir bem depois de realizar um sonho.

Tudo aí é verdade, menos a parte de que não quero fazer amigos e me apaixonar por alguém porque não é justo, bem, era verdade até a campainha tocar.

- Jason? O que você está fazendo aqui?

- Então você está viva? Tive que vir do outro lado da cidade porque uma mocinha resolveu desaparecer depois de ir parar no hospital – Ele riu em um tom de ironia enquanto me abraçava.

- Ah, isso... – Tentei o afastar com as mãos.

- Nem tente, alias! A alguns metros daqui tem uns carinhas que estão com saudades da tal senhorita que sumiu de repente e eles não vão aceitar um não como resposta!

Jason me segurou pela mão e me fez descer voando as escadas que se tem na frente da minha casa, eu ainda estava de pijamas, mas ninguém ligou, afinal eram 4 da manhã (não se preocupe, mandei mensagem para meus pais avisando... e logo depois cai no sono no colo do Luke). Acordei e eram 5:30 da manhã, estávamos na praia e estava lindo, fazia tanto tempo que eu não ia a praia que nem sei ao certo se eu poderia estar lá naquele momento, e isso me fez ter medo de sair do carro.

- Vamos – Sorriu Jason enquanto estendia a mão para mim – Soube de um passarinho azul que para alguém, a melhor parte da vida é ver o sol nascer.

Segurei em sua mão e ele logo me puxou para fora do carro

– Toma, você é tão magra que se não ficar enrolada nesse cobertor vai acabar congelando – Luke veio em nossa direção com um cobertor enorme em seus braços, sem que eu pudesse falar algo, já estava enrolada nele, seguindo os passos dos dois garotos.

E quando percebi, estava vendo o nascer do sol mais lindo do mundo, que de lindo não tinha nada, estava nublado, frio e cinza, mas os cinco ali rindo e conversando coloriram o dia, e coloriram o que sobrou da minha vida.

- Espero poder fazer isso sempre! – Chris disse caindo em uma gargalhada enquanto se jogava na areia.

- É, acho que não é uma má ideia.

- Frank concordando com algo por vontade própria!? – Thobias levantou num susto e encarou todos com uma feição assustada.

Jason e Luke puxaram Thobias para o chão de volta e os cinco começaram a rir e eu...

- Ei, Nina, por que você ta chorando? – Jason perguntou se aproximando de mim, ignorando as risadas e os outros garotos.

- Não é nada...

- Não se preocupe Nina, nós vamos sempre estar aqui e todos nós vamos vir ver o nascer do sol se é isso que te preocupa (risos) não te deixaríamos.

- Faço das palavras do Jason as minhas – Luke se aproximou e se sentou do outro lado.

- E eu também! – Os outros três garotos completaram em um soneto.

Queria poder ficar com vocês pra sempre....



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...