História Young Seventeen- ( Taeyong NCT 127) - Capítulo 15


Escrita por:

Visualizações 204
Palavras 1.370
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oiiiie bem gente escrevi uma SPIN-OFF dos personagens: Jéssica, Yuta e Johnny pois são personagens que não consegui aprofundar o tanto que queria dos outros capítulos. Como são personagens que eu acho d+ achei que mereceram uma SPIN-OFF :3

O especial é de 50 favoritos, mas já passamos dos 80 já! Cara isso foi muito rápido e eu estou muito feliz, de verdade gente! Obrigada, amo vcs❤️😍😍😍

Capítulo 15 - Paper Love ( Especial 50 favoritos)


Fanfic / Fanfiction Young Seventeen- ( Taeyong NCT 127) - Capítulo 15 - Paper Love ( Especial 50 favoritos)

SPIN- OFF 


                              * YUTA. *


Tranco a porta da minha "casa", essa palavra perdeu o verdadeiro significado para mim. Mais um dia mãe brigando comigo por chegar tarde.


Subo às escadas em silêncio, toda vez que tento para-lá ela grita comigo, joga copos e tudo o que tiver em cima de mim. Bato a porta do meu quarto, "por quê?" Penso. "Não deveria ser assim."


Começo rever às fotos que tirei junto com meus amigos e meus irmãos, no celular mensagens como: "Yuta, eu te amo. Tire minha virgindade."  Essas garotas jovens estão obcecadas por atenção, para se sentir "amadas." Já namorei várias por diversão, mas não era elas as usadas, sempre fui eu. Me namoravam só porque tinha um uma imagem que todo mundo queria ter.



Acendo um cigarro, e fumo ali mesmo, dentro do meu quarto. Vou para sacada para fazer com que a fumaça não me sufoque.


*Quebra de tempo*


– Yuta! Não quero mais que fume, os vizinhos estão reclamando-- Coloquei meus fones de ouvidos para não escutar minha mãe que gritava lá da sala de estar.


Eu sou filho único, acho que isso interfere no "eu tenho que ser perfeito"


SPIN- OFF

    

                          * JÉSSICA *


Estava andando pelas ruas de volta para casa após ir ao meu clube de dança, ao passar pela rua do meu amigo de infância, Yuta, sinto um cheiro forte de cigarro. Ao olhar para cima, isso vinha da janela da casa, onde ficava o quarto de Yuta. O mesmo estava de fones de ouvidos fumando com seus cotovelos apoiados na janela.


– Que idiota, ele prometeu que pararia.– Digo voltando a andar.


Recuei para frente da casa dele, decidi vistar ele. Toco a campainha.


– Jéssica! Quanto tempo você não vem aqui! Aconteceu alguma coisa?– Disse a mãe de Yuta.


– Eu vim entregar um...um livro! Um livro que Yuta esqueceu na escola.


– Deixe que eu entrego para ele.– Disse ela.


– Não, quer dizer, é que eu tenho que conversar com ele sobre a escola.


– Sendo assim, pode entrar.– Disse ela.


Bato na porta do quarto de Yuta, por causa dos fones não conseguiu ouvir então entrei sem ser percebida.



– Aish... já acabou. Esse cigarro de merda.– Disse ele assoprando a bituca do cigarro.


Ao virar para fazer isso ele me nota.


– Jéssica? Que surpresa maravilhosa.– Ele retira os fones.– Servida?– Ele mostra a caixa de cigarros que continha apenas um cigarro.


Dei um sorriso que estava apenas fingindo e fui até ele. 


O mesmo colocou o último na boca quando fui pegar dando um largo sorriso.


Ele fez um sinal para eu pegar da sua boca.


Aproximo minha mão lhe dando um tapa que seus olhos ficaram surpresos. Com o tapa o último cigarro caiu no chão.


– Prometeu que pararia!– Grito.


– Um momento, acabei de receber uma mensagem da menina que estou saindo.– Ele dá um sorriso orgulhoso olhando para a tela do seu celular.


Me segurei para não dar mais um tapa na cara dele.


– Sabe...Jessi.– Ela se aproxima colocando seu rosto perto do meu.– Foi a primeira que me apaixonei.– Susurrou.– Mas, não sei porquê me rejeitou, agora não adianta ficar com ciúmes agora das outras garotas.– Se afastou o mesmo.


– Eu não gosto de você.


– Não me faça rir. Só veio aqui pois estava preocupada comigo.– Disse o mesmo.


– Com a esperança de trazer o antigo Yuta de volta!– Digo com lágrimas em meus olhos.

 

Eu nunca fui de chorar na frente das pessoas, só chorava na frente de Yuta. Mas sempre que ele me via chorarando ficava parado...foi sempre assim...


Flashback On


Minha mãe tinha ido me deixar na casa de Yuta já que a mãe dele me viu nascer por ser  amiga de infância da minha  mãe, a viagem para o exterior duraria quatro meses, chorei muito quando ela deu as costas para partir. Yuta me viu chorando, mas mesmo assim ficava parado em pé me olhando com pena.


Flashback OFF



– O que se tornou!?– Gritei.


Como sempre ele ficou parado, com seus olhos arregalados. 


– Eu...eu vou embora.– Disse.– Mas levarei isso junto comigo.– Peguei o seu esqueiro que usava para fumar e coloquei em meu bolso. 


Desci as escadas sem olhar para trás, e sem se despedir de sua mãe.


Volto para casa com a maquiagem borrada, eu...prometi para mim mesma.






" Prometo que...



                                      Não irei me importar,



não irei chorar, eu...apenas

 





       ........Não irei me ferir mais."


Chego em casa, jogada na minha cama. Refleti quando tudo isso começou desde o primeiro dia que encontrei com ele... Abrindo meu velho diário, quando ganhei de presente de aniversário de 10 anos, comecei pela primeira folha do meu diário que guardo na minha mochila da escola.



Novembro de 2009, diário de Jéssica.

" Querido diário, espero que seja meu melhor amigo, não tenho nenhuma pessoa que posso confiar os meus segredos. Meus pais, nem ninguém pode ler o que será escrito, como que conheço meus pais bem, sei que se deixar esse meu diário que não possuí nenhum cadeado vão tentar ler, então levarei ele sempre comigo em qualquer lugar. Hoje, aquela amiga da minha mãe junto com seu filho Yuta que é mais velho que eu por messes. Veio até minha casa e brincamos enquanto nossas mães conversavam, ele foi super atencioso e gentil gostei muito do seu cabelo e dele. Será que estou apaixonada?! 



Março de 2010


“...Hoje entreguei uma carinha ao Yuta espero que leia.



Dia seguinte.


“Na aula de hoje quem leu a carta foram os seus amigos que acabaram tirando sarro de mim, disse que ele não gostava de mim e sim de outra garota. Chorei muito na escola e agora escrevendo essa carta.”


Novembro de 2010


“ Yuta parou de conversar comigo, quando tento chegar perto alguma garota me interrompe. Vejo que ele se esforçou para conversar comigo mas desistiu por elas.”



Dia atual agora:



“ Voltei, voltei para dar adeus, hoje será a última vez q escrevo neste diário.”




SPIN-OFF *Johnny*


Estava em casa esperando minha namorada chegar quando escuto a campanhinha tocar, estava sozinho em casa, então fui obrigado a abrir a porta. Dando aquela última olhada no espelho da sala para ver como estava, pois achava que era Erika, mas  era Melissa, uma ex-namorada minha que nunca aceitou o fim do nosso namoro.


Ela já entrou na minha casa sem ao menos dizer que ela poderia.


– Oii Johnny!– Disse ela com um sorriso que claramente estava forçando.


Pude ver que seus olhos estavam inchados e havia um hematoma em seu braço que estava roxo.


– Melissa o que é isso em seu braço.– Digo.


– I-Isso?– Disse ela tentando esconder de baixo da manga de sua blusa vermelha.


Peguei seu braço não com força, para que visse o que era.


– Ele te bateu de novo?– Perguntei já esperando a resposta.


Ela com a feição de medo em seu rosto, disse:


– F-foi só uma quarta vez...ele estava bêbado!– Disse ela.


– E às outras sete vezes que não estava!?– Digo.


Ela paralisou-se, após de um minuto parece que a ficha caiu e começou a se derramar em lágrimas.


– Por que começou a namorar ele mesmo sabendo do seu jeito?– Perguntei.


– E-eu apenas pensei...que poderia ajudar ele parar de ser assim.– Disse ela.



– Melissa, aprenda. É impossível educar um ser humano, após sair do berço não somos mais os mesmos.– Digo.


Ela assente.


– Vou ligar para seu pai, ele é o delegado de delegacia.– Disse retirando o celular do bolso.


– Não!– Disse Melissa.


– Por que não?– Perguntei.


– E-e ele já sabe.– Disse ela tentando conter às lágrimas.


– E ele não fez nada?– Perguntei.


Ela fez "não" com a cabeça.


Por um minuto esqueci que seu pai batia em sua mãe também.


– Vem, vamos.– Estendi minha mão para ela.– Vou te levar para outra delegacia.


Às lágrimas dela continuaram, mas pude ver um pequeno sorriso se revelando em seus lábios.


Segurou minha mão firmemente, sai da minha casa e tranquei a porta.


– Johnny.– Disse ela ao olhar para mim.


– Sim?– Digo.


Sem falar nada ela sela nossos lábios com um selinho.


– Obrigada.– Susurrou.


Limpei minha boca sem que ela visse, afinal eu amo minha namorada.


Autora On


Ao sairem de casa não perceberam que Erika, namorada de Johnny estava do lado de fora na calçada do lado ligando e logando para avisar ao seu namorado que estava chegando para o seu grande dia que seria o encontro dos dois no seu aniversário. A mesma viu o beijo e deixou cair seu celular no chão, fazendo com que rachasse um pouco sua tela.





Semana seguinte, terminaram.







Notas Finais


E aí gostaram? Deixem seus comentário aqui embaixo (amoo ler eles) e dêem um favorito se amam a fic 😻❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...