História YoungNow - Capítulo 13


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Romance Adolescente
Visualizações 1
Palavras 4.931
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Festa, Ficção Adolescente, Luta, Policial, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


SiSfantasy
eu mesma..

Capítulo 13 - Capítulo 13


Chego á aula de Espanhol e o professor já está sentado na secretária.

-bem, nem preciso de fazer a chamada, quero começar logo com estes trabalhos. Estou curioso para ver como é que se Sairam, e para começar, quero a Bela e o Leo em primeiro

Não queria ser a primeira! Odeio ser a primeira e a última, são sempre os piores. A Primeira porque não sabes como começar, não tiveste tempo para treinar mais um pouco, que exemplos seguir, porque és a primeira, e a última porque de certo modo já muitos apresentaram antes de ti, trabalhos melhores que tu, e se não fores melhor, acabas por sentir que o teu trabalho está uma bosta, já todos estão cansados ou mortinhos para que toque e saiam da sala.

Levantamo-nos, vamos para o Quadro, á frente de todos, o Leo entra no trabalho pelo computador e eu fico com o commando do projector.

-como é que isto funciona?

Pergunto aos meus colegas que sabem melhor que eu. O Leo tira-me o commando da mão e liga-o, irritante!

-falar sobre relacionamentos, é um assunto bom, mas tambem muito delicado...

Começa o Leo.

-normalmente dizemos que um namoro entre duas pessoas, seja que sexo for, é tudo sobre nuvens, tudo é perfeito, mas na realidade não é, porque um casal pode discutir, pode zangar-se e isso pode surgir um conflito, mas acabam sempre por fazer as pazes. Há várias etapas de namoros, dos tranquilos, aos mais violentos.

-há tambem os virtuais aos reais...

Continuou.

-duas pessoas que têm Química, que são apaixonadas uma pela outra, que se preocupam, mas tambem sentem ciúmes por tudo e por nada, é esse pequeno sentimento que pode tornar as coisas á violência, desconfiança e tornar-se num inferno. Há centenas de casais que sofrem desse problema e maior parte das vezes não tem resolução.

- não é só violência fisica, que por exemplo um homem provoca a uma mulher, pode ser tambem mental, como dizer que ninguém gosta dela, que só ele é que vai ama-la, mais ninguém, que está feia, esse tipo de cenas. Mas tambem é errado pensarmos que só as mulheres é que sofrem disso, os homens tambem sofrem. Muitas mulheres fazem violência doméstica ao companheiro.

-o namoro entre um casal pode funcionar, se os dois respeitarem-se um ao outro e confiarem, porque só amor não chega para durar. Há muitos casais que por estarem á tantos anos juntos, já nem sabem se sentem amor ou só estão confortáveis demais e diversas vezes não se separam por causa dos filhos e isso só não torna o casal infeliz…

Lembro da história dos meus pais e este trabalho acaba por falar mais um pouco, ou eu acabo por falar mais um pouco que não devia.

-..como cada um deles, seja pais ou filhos, porque os filhos acabam por perceber que já nenhum dos dois está feliz e o hambiente é cada vez mais pesado, perde-se alegria, o amor pelas coisas. Os dois cada vez estão menos tempo possível em casa só para não se encararem, mas nunca se perguntaram, como é que fica os filhos nesta história? Como é que eles tambem se sentem? Não, porque eles acabam por só pensar só neles próprios, e os filhos acabam por se meter em maus caminhos, como a droga, o alcool, só para chamarem atenção...

Olho para a frente e vejo que tenho todos os olhos postos em mim, olho para o Leo que tambem não estava á espera desta porque isto não fazia parte do trabalho. Os meus olhos tão com algumas lágrimas, limpe-os e sinto me super envergonhada.

-por isso...é isso

Diz o Leo, enquanto apaga o projector e tira o nosso trabalho do computador.

-podem sentar-se, eu digo as notas no fim. A seguir, Bárbara e João Pedro...

Os dois levantam-se e vão para o mesmo lugar onde estava. Eu e o Leo vamos para os nossos lugares bem afastados, mas sinto os seus olhos em mim, o resto da aula. Tento disfarçar, mas acabo por olhar algumas vezes tambem.

O ultimo grupo desta aula, acaba de se apresentar, sentam-se e 5 minutos antes de tocar o professor levanta-se para dizer as notas.

-vamos começar pelos últimos, Cátia e Duarte dei-vos Muito Bom, estiveram bem, o Duarte falou super bem, a Cátia esteve um pouco envergonhada mas tambem estev muito bem. A Catarina e o Danilo tiveram Bom, os dois tiveram bem, mas podiam ter estado melhores, o Danilo olham muitas vezes para o papel e eu queria que tivessem isso na ponta da língua. A Bárbara e o João Pedro tiveram suficiente e fui muito gentil, porque o vosso trabalho merecia uma negative bem feia, pelo que apresentaram aqui, foi uma vergonha sinceramente. Por ultimo, mas primeiros a Bela e o Leo é que me supreenderam, gostei a convicção com que a Bela falou de casos que existem mesmo e são muito complicados, o Leo tambem esteve muitissímo bem. Os dois falavam automáticamente, sem interronper e tambem sem pedir permissão, os dois fazem um belo par e gostava que ficassem juntos no próximo trabalho. Eu gostava que ficassem juntos em todos os trabalhos que iremos fazer, mas isso seria um pouco injusto para voçês secalhar, mas então tiveram um Excelente e bem merecente!

Todos admirados olham para nós, mas ainda me sinto um pouco tímidada com o olhar do Leo em mim.

A aula termina e tenho que ir á casa de banho lavar a cara rapidamente, peço á Bia que vai-a comigo mas quando saimos ainda tenho a cara molhada e o Leo está á porta.

-queria falar contigo

-o que queres?

-a sós

Nós dois olhamos para a Bia que está a sentir se a mais mas tambem não quer ir embora, porque não quer ficar sozinha.

-vai ter com a Laura

-não sei onde ela está

-ouve fofinha, só quero falar com a tua amiga por uns segundos, agora podes afastar-te ou ir embora rápido, não tenho o teu tempo

-não fales assim com ela!

A Bia faz-lhe uma careta e vai embora zangada.

-és estúpido?

-ela não ia embora

-não precisavas de falar com ela á mesma assim

-pronto para a próxima trato ela com carinho

-tambem não precisavas de lhe ter chamada fofinha

-porquê? É uma alcunha fofa

-pois é, mas eu sei que lhe chamas-te isso só por ela ser cheinha

-eu? Tu é que estas a pensar assim. Porque ela é gorda

-pára, não sejas mau

-ok, mais alguma cena?

-não, diz o que queres

-o quê que aconteceu na aula de Espanhol?

-apresentamos o trabalho

-sim e...

-..e tivemos excelente

-e...

-e o quê? Podes dizer logo o que queres?

-havia uma Altura da apresentação, que não fazia parte do nosso trabalho

-eu sei quis ir mais longe

-estavas a falar de ti não era?

Desviu o olhar. Como é que ele soube?

-não..

-é sim, porquê que me estas a mentir?

-porque são coisas minhas que não te dizem respeito

-estou a tentar ajudar-te!

-mas não podes ajudar, é uma coisa dos meus pais, só eles é que podem resolver, não perecebes?

-mas tambem estás a sofrer com isso

-e? O quê que importa? Não me ouviste a apresentar? Não importa o que ache ou pense

-importa sim, porque pertences aquela familia

-não importa Leonardo, ok? Esquece, deixa a minha vida e mete-te na tua

-aí é assim?

-é!

Ele cala-se, só fica a olhar para mim.

-tudo bem, vou te deixar

Ele contorna-me e vai embora.

O resto das horas, o resto do dia, o resto da semana ele não me dirije nenhuma palavra, nenhum comentário, nem nenhum olhar. Nem nos recreios, nem nas aulas de Espanhol, nem fora da escola. Ele estava a falar a sério quando disse que me ia deixar e agora sinto me estranhamente mal com isso, mas até que foi bom para esquecer e matar algum sentimento que se formou dentro de mim por ele, seja o que for, agora está morto, mas qualquer coisa pode voltar á vida muito fácilmente e eu não serei capaz de suportar para impede-lo.

Chega á sexta e é dia de Halloween. Ninguém da escola vem disfarçado porque isso foi proibido nas escolas, mas algumas pessoas pintam o cabelo, as caras e trazem alguns acessórios escondidos, como mascaras assustadoras. No meio da aula de E.F enquanto estavamos a fazer ginástica de aparelhos no ginásio gingante da turma, onde mais 4 turmas têm aulas noutras partes ao mesmo tempo. Tipo a turma do Leo... a Bába veio ter comigo.

-Bela tens alguma coisa combinada para hoje á noite?

-como assim? Não, deveria ter?

-sim, é dia de Halloween e é para ser festejada

-não, não tenho

-nunca foste a uma festa de Halloween?

-sim, a minha antiga escola organizava sempre uma

-vá lá, menos mal. Olha eu mais algumas amigas minhas vamos fazer uma festa de pijama assustadora

-assustadora como?

-tipo ver filmes de terror, cenas dessas, gostavas de vir? É na minha casa

-eu gostava, mas tenho a certeza que os meus pais não iam deixar

-porque não?

-é Altura de aulas e combinado muito em cima da hora

-dizes que faço anos e só hoje é que disse que ia fazer festa

-vou lhes ligar agora no interval, mas não sei se vou conseguir convencelos

-vais pois!

Acabamos a aula e vou logo ligar á minha mãe, só que não atende, deve estar a trabalhar, por isso mando uma mensagem.

(Bela- mãe, hoje uma amiga minha faz anos e vai fazer uma festa de pijama em casa dela hoje á noite. Por favor, deixas-me ir?)

E como o meu pai está sempre disponível, mesmo que esteja a trabalhar, ligo-lhe.

Bela- estou?

Pai- estou

Bela- pai, uma amiga minha faz anos e ela hoje vai fazer uma festa de pijama em casa dela, posso ir?

Pai- é Altura de aulas, não tens testes na segunda?

Bela- pai eu amanhã estudo

Pai- Bela tu sabes que no sábado passas fora de casa todo o dia

Bela- então estudo no Domingo

Pai- sempre na véspera, não desta vez não

Bela- vá lá pai!

Pai- conversamos depois em casa

Bela- mas depois já é a festa

Pai- temos que falar com a tua mãe tambem

Bela- já lhe mandei uma mesagem

Pai- e o quê que ela disse?

Bela- ainda não respondeu. Vá lá pai. É sábado e já fiz resumos para o teste, vá lá

Pai- pronto está bem, mas se tens negativa no teste o problema é teu

Bela- ok

Pai- Ok! Isso tambem não é assim

Bela- está bem, vá tchau

Pai- tchau, beijos

Bela- adeus

Desligo na cara do meu pai porque estou irritada e então recebo a resposta da minha mãe.

(Mãe- não Isabela, á Altura de testes)

(Bela- mas posso estudar o fim de semana todo)

(Mãe- não é a mesma coisa, por isso não)

(Bela- o pai deixou-me. Vá lá, é só desta vez)

(Mãe- eu e o teu pai vamos falar e depois logo de vê)

(Bela- mas logo já é a festa dela)

(Mãe- já te disse que vou pensar Isabela. Depois falamos, agora estou a trabalhar)

(Bela- ok, beijos)

(Mãe- beijos)

Entro para outra aula e quando a stora de de História entra, a ´Bába chega e senta-se ao meu lado.

-então, já falas te com os teus pais?

-sim

-e então vens?

-acho que não, eles disseram que depois conversavamos

-mas depois é a minha festa

-foi o que eu disse

-dá me o número da tua mãe ou pai

-para quê?

-para a minha mãe ligar a eles. Vais ver que ela convence-os

Dou o número do meu pai e mando uma mensagem para ele avisar que lhe irão ligar.

Depois do almoço volto para Geografia e a Bába chega com um grande sorriso.

-consegui

-o quê?

-a minha mãe convenceu o teu pai

-que fixe

-quando as aulas acabarem, vamos diretas para minha casa

-a tua mãe vem nos buscar?

-não, vamos de autocarro com mais 3 amigas minhas

-ok, mas então vou vestir o pijama de quem?

-meu, tenho lá imensos bem giros, não te preocupes que eu tenho tudo pensado

-se tu o dizes

Entramos na sala e no intervalo de Português para o apoio de Matemática mando uma mensagem aos meus pais a confirmar da festa e como eles sabem mal toca, eu e a Bárbara vamos para a porta de uma sala e de lá saí 2 raparigas bem bonitas.

-Bela, esta é a Bruna e a Bianca

-olá

Elas comprimentam-me com beijos.

-vamos ter com a Melissa que está noutra sala

Vamos juntas para outra sala e de lá sai a Melissa, uma rapariga bem alta e de ar de machona. Volta apresentar-me mas desta vez ela só faz um aceno. Vamos as 5 para a paragem e junta-se a nós o Gonçalo e o Ricardo. O Autocarro demora 5 minutos para chegar, e aproveitamos esse tempo para conversar, ele chega, nós entramos e sentamo-nos nos bancos de trás a fazer muito barulho. Nunca andei neste número de autocarro mas sei que ele está a sair de Benfica, para um bairro cheio de vivendas. Saímos numa paragem bem á frente der uma, andamos passando por várias ruas com alguns prédios e entramos finalmente num. É modern, branco e cinzento, com varandas e muito chique por dentro. As raparigas vão no elevador e os rapazes de escadas, e só saímos no 6º andar. Saimos do elevador, quando os rapazes já estão sentados no chão do corredor, super cansados.

-viemos a correr

-não podias viver  mais para baixo, não?

Dizem os dois.

-preferias que fosse no ultimo andar?

Provoca a Melissa.

-Bába, tu tens cães?

-não, está descansada. Eu gostava muito de ter um, mas a minha mãe é alergica, por isso não Podemos ter

-ainda bem

-que pena

Digo ao mesmo tempo que a Bruna. Entramos então na casa da Bárbara e ela é moderna mas simples, com cores neutras e muito bem decorada.

-voçês já tiveram aqui, mas a Bela não. Por isso esta é a sala, ali é a cozinha, neste corredor, a primeira porta é a casa de banho, a segunda é o quarto da minha mãe, depois ainda há outro mini corredor, onde a porta ao fim é outra casa de banho, a que está ao lado é o meu quarto e a que falta é da minha irmã, percebeste? Depois vês como é

-há ainda há uma mini sala cheia de roupa

Informa-me a Bianca.

-ah sim, pois é. É tipo um armário gigante

-ok

-bem a minha mãe vai estar fora de casa, quem fica responsável é a minha irmã. Vamos encomendar umas pizzas, Podemos ficar há vontade com as horas e vamos dormir todos na sala...

Enquanto a Bábá explicava as coisas que iamos fazer, ela levava as nossas mochilas para o que quarto e depois seguimo-la para o quarto da irmã onde já estava lá a falar com mais 2 amigas.

-parabens!

Dizem as que estãos atrás de mim.

-obrigada

Agradece a Pipa abraça-las e estou confusa.

-olá Bela, ainda bem que vieste

-fazes anos hoje?

-sim, faço 19

-19, mas não andas no 11ºano?

-é, bem chumbei algumas vezes, tambem não sou perfeita

-ninguém é

Responde uma amiga dela por trás. Acho que já vi estas duas raparigas algumas vezes com ela nos recreios e casa de banho.

-Bela esta são as minhas colegas de turma e amigas claro. A Juliana e a Patricia

-olá

As duas comprimentam-me com um aperto de mão.

-vamos para a sala ter com os rapazes

-já tivemos a preparar as coisas

Entramos na sala e já está 3 rapazes sentados no sofá grande e cizento.

-Sando? Quando é que chegaste?

Pergunta a Bábá.

-cheguei mesmo agora, não ouviram a porta?

-não

-eu tambem não

-Bela, este é o Sandro, da minha turma

-olá

-olá Bela

Ele comprimenta com um abraço, parece simpatico. A Pipa vai com as amigas para a cozinha, fazer qualquer coisa, as amigas da Bárbara vão conversar para o quarto dela, e ela está na conversa com os 3 rapazes. Eu, estou aqui sozinha, sem falar com ninguém e acho que não devia ter vindo. Vão chegar amigos delas que não conheço, ou até já vi mas nunca falei. Vou me sentir a mais, se me sentir assim até ao final da noite, peço ao meu pai para me vir buscar e dormo maze na minha cama. Mas vamos lá ver como é que isto corre.

Tocam á campainha, a Pipa vai abrir e entram mais 5.

-Pessoal esta é a Bela, uma amiga da Bábá. Bela este é o Pauleta, o Abdu, o Heder, a Alice e a Márcia

Dizem todos olá e vão cumprimentar os outros. Já são 8 da noite, mandei mensagem ao meu pai a dizer que está tudo bem e já somos 20, porque ainda chegaram mais 6 raparigas, a Sónia, Raquel, Inês, Joana, Carolina e Carminho, todas amigas da Pipa e da Bába e são todas mais velhas e incrivelmente bonitas. Mais um som da caminha e são mais 5 pessoas, o Tomás, a Tatiana, a Liliana, o José e a Alexandra e passamos a ser 25 jovens dentro duma casa sem nenhum adulto mais velho, além de estrem muitos aqui com mais de 18 anos. A Bábá tenta ao máximo estar perto de mim, apresentar-me a todos, manter me nas conversas e a fazer me sentir em casa e confortável mas estou um pouco desconfortável. Espero que não chegue mais ninguém, já somos muitos.

São 9 horas e esta casa está numa enorme confusão e muito barulhenta, com música, comida e conversas que pouco me importam, quando toca novamente a campainha. Ao ínicio como está imenso barulho, penso que ouvi mal, mas então uma das raparigas vai abrir a porta e aparece um bando de rapazes. Mais rapazes? Será possível? Entram, trazendo pizza, bebida e mais comida. 3 deles não conheço, mas então aparece no meio deles, super lindo de camisa Azul escura, calsas pretas Justas, ténis todos estragados e cabelo perfeito como sempre, o Leo.

Ele repara em mim, mas passa e vai cumprimentar as pessoas, quando diz algo ao ouvido da Pipa que olha para mim por instantes e os dois ficam numa enorme conversa onde não consigo ouvir nada do que se trata.

-hora de comer

Grita a Pipa, depois de se afastar do Leo, trazem as caixas de pizza e bebidas para a sala, distribuindo por todos uma fatia, mas aqueles que são mais abusados e pegam logo em 2 ao mesmo tempo.

-vou só há casa de banho, ok?

Pergunta-me a Bába, aceno que sim e ela então vai. Ela está a ser uma ótima amiga, nunca me deixa sozinha, sempre aperguntar se quero alguma coisa, mas neste preciso momento estou sozinha a comer no sofá, afastado de todos as pessoas que ao contrário de mim se conhecem uns aos outros muito bem. Mas quando menos espero, um rapaz muito bonito senta-se ao meu lado e dá me sorriso.

-olá

-olá

-és a Bela, não é?

-sim, eu sou o Tomás

-eu sei, a Bárbara disse me

-já tiveste algum namorado com o meu nome?

-o quê?

-desculpa, eu costumo perguntar isto a todas as raparigas

-ah ok, sim

-sim o quê?

-sim, já tive um namorado com o teu nome

- a sério?

-sim, foi o meu primeiro

-o teu primeiro namorado?

-sim

-não era bacano o teu ultimo namorado tivesse o mesmo nome que o teu primeiro?

-não sei, acho que sim

Alguém bate nas escostas do Tomás e olhamos os dois ao mesmo para cima. Ele aborrece-me sinceramente.

-então, como é que estão as coisas por aqui?

-bem, estava aqui a conhecer a Bela

-aí é e o quê que estavam a falar?

Pergunta a sentar-se ao lado do Tomás.

-nada de mais meu, só de namorados. Sabias que o primeiro namorado da Bela, tinha o mesmo nome que eu

-Tomás?

-yep

-conheceram se quando?

-na infantile, eramos pequenos

-namoros de crianças não conta como namoro a sério

-e porque não?

Pergunto já a ficar irritada.

-porque és criança, não sabes o que fazes

-eu sabia muito bem o que queria ou fazia

-namoraram quantos anos?

-7 anos, foi o namoro mais longo que tive

-porra, nem eu tive uma namorada tanto tempo

-claro que no meio do namoro, acabavamos e voltavamos

-então não conta

- e o quê que tu sabes sobre namoros, alguma vez namoras-te com alguem?

-sim, muitas raparigas

-a sério? A Bárbara disse me que nunca namoraste

-mas namorei, com mais pessoas que tu

-quantas?

-umas 11

-eu só tive 6 namoradas

Diz o Tomás sentindo-se inferior.

-eu tive 12

-12? Isso é impossível

-e porquê?

-ok, então tive 13

-amigo isso agora não vale, estares a subir de numero

-beijas-te eles todos?

-e o quê que tens haver com isso?

- só estava a querer conhecer-te melhor

-mas eu já estava a falar com o Tomás, antes de chegares aqui e entrares de carrinho

-que mau feitio! Gostei de ti miúda

-pois eu não

Diz o Leo a levantar se e ir embora. Olho para ele e já está á conversa com uma das amigas dele, mas agora tambem estou á conversa com um rapaz, por isso!

A Bába volta e passamos a conversar os 3. A Inês dá ideia de vermos um filme de terror depois do jantar, mas os rapazes não querem. Por isso as raparigas ficam em casa a ver filmes de terror e os rapazes saem para ir beber um copo. O 1 filme é sobre espirítos, o 2 de demónios e 3 de uma boneca possuída e estou aterrorizada. Cheia de medo, será que sou a única? Algumas acabam por adormecer a meio do filme, são poucas as que ficam até ao fim como eu e a Melissa, mas no 3 filme, os créditos são tão grandes que acabamos por adormecer as duas.

Sou acordada com gritos e estou meio confusa. Está tudo ás escuras mas vê-se algo a mexer se na porta da sala, as raparigas acordam todas, ficam juntas a gritar cheias de medo. Depois dos filmes todos que vimos é natural que nenhuma esteja com coragem de pensar que pode ser uma brincadeira dos rapazes ou outra cena com explicação. O Tv desliga-se e começa uma musiquinha irritante mas assustadora, que toca cada vez mais alto. Olho para as horas do meu telemóvel e é 1 da amanhã, até que me lembro de apontar a laterna do móvel para ver se consigo ver alguma coisa e então está 3 rapazes a rirem-se ás escondidas. a Pipa levanta-se e acende as luzes, apanhando todos os rapazes no corredor a rir de doer a barriga.

-voçês são otários?

-voçês gritaram tão alto

-é normal, depois dos estúpidos filmes que vimos

-quem vos manda ser burras e ver filmes de terror á noite, é que nem um inteligente se lembra de fazer isso

Diz o Tiago. Todos entram na sala e a luz volta a desligar-se.

-quem é que desligou as luzes?

-pára com isso! Já não mete piada nenhuma

-sim, já chega

Reclamam as raparigas.

-mas não fomos nós

-eu vou ver o que se passa

Diz um deles e vão uns 3 ver, saindo de casa, enquanto ficamos todos preocupados na sala, ás escuras. Só que o tempo que eles demora parece uma enternidade.

-porquê que eles estão a demorar tanto

-já deviam ter voltado

-eu vou procura-los

Diz o Leo para nosso Alivio e meu para não sentir que ele está no mesmo espaço que eu sabe se lá a fazer o quê. Ele sai e eles voltam todos passado uns 15 minutos, com laternas ligadas apontar para eles e a gritar de dor.

-o quê que aconteceu?

-fomos atacados

-atacados?

-quando lá cheguei, os ladrões já estavam a ir embora

-mas isso foi dentro do prédio?

-sim, há entrada

-o quê que eles queriam?

-o quê que tu achas Carolina? Dinheiro claro

-mas como é que eles entraram?

-não sabemos, parem de fazer perguntas!

-magoaram-vos?

-não vês?

-sinceramente não, mas deixa cá ver. E sobre a luz, conseguiram descobrir alguma coisa?

-sim, foi só cá em casa

-tentamos acender no Quadro elétrico, mas não deu

-Bárbara tu não te esqueceste de pagar a luz, pois não?

Não consigo ver a cara da Bárbara neste momento, mas sei que está aflita.

-esqueci-me

-então e agora?

-agora ficamos sem luz a noite toda

-por nós tudo bem, a festa fica mais apopável!

-porco!

Ela aponta com a laterna para eles e os 3 estão realmente cheios de sangue. o Tiago tem fridas nas duas pernas, o Pedro na cabeça e o César na Barriga. Enquanto umas 6 raparigas ficam a cuidar deles, eu e a Bárbara limpamos a sala para dormimos lá e o resto dos rapazes e raparigas vão vestir os pijamas nos quartos.

-era brincadeira!

Dizem os 4 a rirem-se. As raparigas ficam desnorteadas ao ínicio mas depois percebem e ficam zangadas ao perceber que afinal aquilo era tudo mais uma brincadeira deles para as assustar e para dizer a verdade, mesmo que aquilo não tenha acontecido mesmo estou com algum medo de ficar sozinha na escuridão.

-mas voçês estão com sangue!

-é falso, compramos numa loja antes de vir mos para aqui

-então isto era tudo planeado

-e resultou prefeitamente. Voçês raparigas acreditam em tudo

-César por a caso sabes a história do joãozinho e do lobo?

-sim, toda agente sabe

-então para a próxima ficas a saber que mesmo que estejas á beira da morte, não quero saber. Fica a morrer!

Avisa a Pipa irritada, ela levanta-se e vai para o seu quarto. Os rapazes e raparigas que foram vestir os pijamas voltam para a sala que penso já estar limpa, os que restão vão eles vestir o pijama e eu e a Bába vamos limpar a cozinha, com ajuda da Tatiana e da Raquel. Mal acabamos, só falta nós as duas ir vestir o pijama, toda a gente está na sala com todas as laternas e nós estamos com medo de ir para o escuro sozinhas. Estamos de mãos dadas a olhar para o corredor longo e escuro.

-o quê que fazemos?

-não sei, tens alguma laterna?

-não, o meu telemóvel está na minha mala

-pois, o meu está sem bateria. Eu tenho super medo do escuro

-pois eu tambem

-estamos bem uma para a outra

Diz a Bába a rir-se quando a voz do Leo soa-me atrás.

-o quê que foi? Porquê que estão aqui paradas a olhar para o corredor?

-como é que sabes que estamos a olhar para o corredor

-porque vi-vos da sala

-temos que ir para o meu quarto

-e então?

-mas temos medo do escuro

Ele começa a rir-se. Palhaço!

-que meninas, o escuro não tem nenhum mostro

-diz isso ao meu subcosciente

-vêm connosco

-para o dentro do quarto com voçês?

-não tu ficas cá fora seu espertinho!

-só vou com voçês se entrar no quarto

-és parvo! Não entras

-então vai-am sozinhas

-vá lá Leo! Nós fazemos tudo por ti

-fala por ti

Digo eu. Nem morta fazia tudo o que ele quise-se.

-pronto ok

Ele vai á nossa a frente, pára á frente do quarto da Bába e nós entramos.

-tens alguma laterna?

-para quê?

-para vermos onde está a nossa roupa Leo

Ele dá o seu telemóvel, nós fechamos a porta, a Bába abre o seu armário e tira de lá dois pijamas.

-toma, como tens mais mamas que eu, este deve-te ficar super bem

-pena que não se consiga ver não é

-pois, mas vê-se amanhã

Começamos a vestir-nos e depois reparo que a Bába está sentada na sua cama a ver um telemóvel.

-o que estás a ver? O telemóvel é teu?

-não, é do Leo. Estou a ver as mensagens que ele têm, adoro ve-las, são bué divertidas. Queres ver?

-yep!

Estou mortinha para ver as mensagens com as raparigas, se é mesmo as raparigas que andam atrás dele, como diz, ou é mentira. A Bába entra no WhatsApp e põe a primeira conversa.

# Leo- E aí gata, tens whats?                   /     # Leo- Então mano, bora para a festa de ano novo?

rapariga- tenho                                                    /       Tiago-que dia man?

Leo- então fala                                          /        Leo- quando é que achas que é dia de ano novo?

rapariga- tenho whats                                        /        Tiago- é hoje...

Leo- porra que és burra que nem uma porta!  /   Leo- então meu burro! Passa pela minha casa

                                                                                                            ás 21h da noite

                                                                                 / / /

# Leo- qual é a tua conta?

Félix- Santander

Leo- e queres que eu faça o quê? Que pegue no dinheiro e attire para o chão do Santander que vai parar na tua conta por magia?!

                                                                     / / /

#Rapariga- se eu te perguntar uma coisa tu respondes-me sinceramente?

Leo- yep

Rapariga- namoravas comigo?

Leo- Népia

Rapariga- agora está contigo e manda para 4 amigas e vê a sua reação

Leo- vai para pró caralho!

                                                                                    / / /

#Mulher- eu estou interessada qual é o horário?

Leo- De amanhã das 7 ás 17, com uma hora e meia de almoço e noite das 14 ás 22 com uma hora de almoço e jantar

Mulher- mas eu preciso de fazer os dois horários?

Leo- Sim, trabalha das 7 ás 5 da tarde, depois volta no tempo e trabalha das 2 ás 10 da noite

Mulher- ok, é um pouco puxado, qual é o salário?

Leo- 500 euros do meu cu!

            Continua...


Notas Finais


(Continua...)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...