História Your Angel - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Seventeen
Personagens Hong Jisoo "Joshua", Junghan "Jeonghan", Lee Chan "Dino", Seungcheol "S.Coups", Xu Ming Hao "THE8"
Visualizações 7
Palavras 599
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Fluffy, Poesias, Romance e Novela, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oer, estou repostando essa fic fora do projeto porque ela merece hshsh

Boa Leitura!¡ sorry os erros;

Capítulo 1 - Ensinar


Fanfic / Fanfiction Your Angel - Capítulo 1 - Ensinar

Feliz; Your Angel





Houve uma vez em que não pude controlar uma certa situação, graças à isso minha vida se tornou incompleta, inconsistente, como as lágrimas de uma criança mimada que eu era.

Desde de aquele fatídico dia decidi-me que não choraria mais, ao contrário do que normalmente eu “deveria” fazer, eu não tive vontade de controlar minha dor e sim minha felicidade.

E você JeongHan, sempre me dizia que felicidade não se controla, dizia que ela devia ser livre como o vento e não presa como se tivesse feito algo de errado.

Mas eu já havia me acostumado a tudo aquilo.

Ao controle, de não gostar do que não podia ter, de querer apenas o que podia tornar meu.

Eu pensei que poderia tê-lo JeongHan, por longos 13 anos pensei que poderia tê-lo junto de SeungCheol e nossos filhos Lee Chan e MingHao.

Mas você me provou que eu não podia querer ter apenas o que podia ter.

Me fez desejar o impossível.

Você se tornou a única coisa que eu realmente quis e não pude ter.

E mais uma vez chorei, como a maldita criança mimada que no fundo eu ainda era.

 Chorei por não te sentir quando fosse me deitar.

Por não ouvir sua voz ao acordar SeungCheol aos gritos de falsa raiva.

Por não ve-lo no jardim cuidando de suas preciosas rosas brancas.

Acima de tudo JeongHan, você me fez perceber que eu deveria dar mais valor às coisas que sabemos lá no fundo que perderemos um dia.

Me fez saber disso da melhor e mais cruel e palpável forma possível.



Eu teimei que tudo ficaria bem quando sua indisposição apareceu.


Eu me neguei a pensar no pior quando seus lindos fios loiros caíram.


Assim como me recusei a acreditar que era você naquele caixão e era seu túmulo que eu veria quando fosse ao cemitério no 2 de novembro.

Mas é incrível como você sempre da um jeito de me mostrar e ensinar sobre a vida mesmo que não a tenha mais para si próprio.



Acordar era uma das tarefas mais difíceis que eu enfrentava todos os dias.

E então eu ouvi os passos, ouvi as risadas e ouvi SeungCheol desculpando-se à porta quando duas pequenas formas de vida invadiram o quarto e pularam sobre mim na cama.

Naquele dia eu fingi estar bem, porque não queria chorar diante dos nossos filhos, mas então, no fim da tarde, quando sentei-me à janela e alcancei o pingente do colar que havia me dado anos antes com uma gravura escrita “your angel” MingHao apareceu na sala.

 — Você sente falta do Appa Hannie não é? Eu também... ”


“ — Não queria que ele tivesse ido, mas ele precisava ir... Ele disse que você havia perdido o seu anjo da guarda e que alguém precisava proteje-lo. ”


Appa Ji, o Hannie estava mentindo não é? Ele não está cuidando de você, porque você não sorri e você sempre sorria quando ele estava aqui...


Depois daquelas palavras eu percebi que deveria parar de ser tão ingrato, tão melancólico, afinal, você havia ido, mas havia me deixado tudo o que tinha e amava e isso fazia você estar aqui de certa forma.

Abrira mão de tudo para que eu aprendesse a dar valor à tudo.

E então eu parei, parei de chorar, parei de sofrer sozinho e livrei a felicidade da prisão dolorosa que era a minha vida.

Talvez se eu tivesse ouvido seus conselhos à 13 anos você ainda estivesse aqui, mas o talvez é improvável demais para que eu me arrependa agora e/ou me prenda nessa probabilidade.

Então, eu apenas sigo em frente com a minha vida e a nossa família, pois agora sei que eu tenho um anjo para me proteger.


Notas Finais


Bye


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...