História Your Colors in White Canvas - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Mamamoo
Personagens Hwasa, Moonbyul, Solar, Wheein
Tags Mamamoo, Moonbyul, Moonsun, Solar, Yongsun
Visualizações 90
Palavras 904
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


HEEEEYEYEYEYEY ⊙□⊙/
SIM, É UM CAP AAAAA

Quanto tempo ;----; Desculpem pela demora, estou em semana de provas e pá ;---;

Espero que estejam beim :,)

BOA LEITURA ●-●

Capítulo 4 - Terceira Mistura: Esfuminhos são inúteis


Suspiros. Suor. Calor.

Mas principalmente, frustração.

Moonbyul havia passado a tarde inteira apenas explicando os materiais básicos de desenho, já que a garota apenas reconhecia um lápis e uma borracha, chegando mais longe com a caneta esferográfica.

Não era sua culpa, mas para Byulyi, era um tanto cansativo. Não era uma pessoa de paciência, porém havia se superado quando disse mais de quinze vezes para quê servia um esfuminho.

"Então eu passo isso no papel e ele espalha a cor?" Yongsun perguntou animada, depois de ouvir a mesma explicação de formas variadas nos últimos dez minutos.

"Exatamente!" A mulher de cabelos azulados disse afobada, balançando a camisa e se maltratando internamente pela preguiça de arrumad o ventilador de teto.

"Mas ainda não sei pra quê espalhar a cor, parece ser um pouco inútil." Murmurou a menina, forçando o material na folha, de forma brutal.

"N-Não faça isso...!" Duas mãos lhe pararam, retirando o esfuminho de perto de si e o guardando junto do restante dos materiais, bem longe da garota. "Precisa ter cuidado!"

"Hm, isso é cansativo, Unnie." Disse com tédio, fazendo um biquinho em seguida. "E estou com fome."

Suspirando pesadamente, Moonbyul já se perguntava o motivo de ter aceitado a proposta de lhe dar aulas, já que o primeiro dia já estava acabando com o pingo de gentileza que mal se lembrava que existia dentro de si.

"Sinto muito, mas não costumo comer em casa." Comentou cruzando os braços, dando um passo para trás quando a garota levantou bruscamente.

"Então me leve para jantar fora!"



      ~                                             °●Remedios Varo●°                                                ~



"Olha aqui garota, eu não sou sua babá ou algo do tipo, entendeu?!"

Com as mãos no volante, Byulyi fazia algo que a muito tempo não tinha a mínima coragem de fazer: estavam indo para um drive-thru.

"Mas é minha Unnie, a favorita ainda!" Yongsun respondeu risonha, batendo os pés enquanto balançava a cabeça com a música na rádio. 

"Nós mal nos conhecemos direito!" Comentou sem paciência, trocando de canal e escolhendo um de sua preferência.

"Ei, eu gosto daquela música!" Protestou, colocando novamente na anterior. "Isso é música de velho!"

"Mas eu não e o carro é meu!" Respondeu ríspida, apenas ganhando um grunhido negativo e uma Yongsun irritada ao seu lado. "Você não sabe o que é música de verdade!"

O carro antes barulhento, se tornou silencioso. Moonbyul dirigia ao som de Mozart, o que lhe acalmou um pouco, mas não o bastante para que estivesse 100% em paz.

A menina estava emburrada; com a cara fechada, fazendo questão de murmurar a cada momento, concentrada nos carros do lado de fora.

"Argh, como você é chata!" Mudou para a música que a garota escutava antes, não tendo para onde fugir quando um beijo foi depositado em sua bochecha. 

"Você é a melhor!" Falou animada, se preparando para cantar a música, balançando a cabeça de um lado para o outro.

"I'm the mother fucking top madam."

"Samchondeul yongdon ppaesneun kkangpae."

"Geugeollo popping bottle SYAMPEIN!"

"Ei, ei, ei!" O som foi abaixado, causando indignação por parte da mais nova. "Sua mãe sabe que você escuta esse tipo de música?!"

Dando de ombros, a menina de cabelos rosas continuou a cantar, aumentando o desespero de Byulyi em apenas chegarem logo ao destino.


Byulyi jurava que aqueles haviam sido os vinte minutos mais aterrorizantes de sua vida. A escolha de ser lésbica apenas a deixou mais convicta de que havia feito o certo, porque não aguentaria ter uma filha depois de passar tanto tempo ao lado de Yongsun.

A menina era uma tagarela; falou o caminho inteiro e cantava quando conhecia alguma música, fazendo inúmeras perguntas sem pé nem cabeça.

"Por que o lanche está demorando, Unnie? Minha barriga está roncando!" Indagou à mais velha com um tom de tristeza, colocando a mão no estômago enquanto encostava a cabeça no ombro da mesma.

"Logo ficará pronto, aguente mais um pouquinho." Disse afobada, olhando pelo canto dos olhos para a menina, que já estava com os olhos fechados.

"Eu me diverti bastante, Unnie. Obrigada por me levar para passear." Disse baixinho, porém o bastante para que Byulyi pudesse se envergonhar. "Desculpa por te incomodar tanto..."

"Idiota." Disse no mesmo tom, fazendo um breve carinho nos cabelos rosados. "Você não é tão chata assim."

Conseguindo sentir um formato de um sorriso no rosto da garota, Byulyi se permitiu rir levemente, estranhando a sensação de paz que lhe consumiu.

No fim, cuidar de Yongsun não parecia tão ruim assim. 

                                                                      ○●○

"Espera, me conte tudo desde o início!" Byulyi tentava acalmar a menina, que estava ofegante e com o rosto pálido. "Fique calma, Yongsun!"

"Tudo bem..." Murmurou ainda assustada, aceitando o copo de água que lhe foi oferecido.


"Bye-bye!" Me despedi de minhas amigas, fazendo o caminho que você havia me ensinado ontem.

Estava com meus fones de ouvido, escutando música enquanto cantarolava. Percebi que alguém me seguia quando ouvi o barulho de um galho sendo pisado, olhando para trás, mas não vendo ninguém.

Achei estranho, mas continuei a andar normalmente. O que me fez correr foi o som rápido de passos atrás de mim até aqui; tenho certeza que alguém me seguiu!


"Unnie, e agora? Se entrarem aqui, vamos morrer!" A menina disse com temor, escondendo o rosto quando ouviram a campanhia tocar.

Se levantando, Byulyi fez um sinal para que Yongsun ficasse em seu lugar, mesmo que a garota praticamente a puxasse sua blusa para que não fosse abandonada.

"Unnie, não faça isso...."

Sem lhe dar ouvidos, a mulher destrancou a porta, se surpreendendo quando foi arremessada ao chão, imobilizada e sem ter como fugir. Sua visão se tornou embaçada, escutando um grito agudo antes de apagar completamente


Notas Finais


Se você está se perguntando quem diabos é Remedios Varo, irei lhe responder. Como é uma fic com o tema centrado em Artes, achei interessante trazer o nome de pintores nas quebras de tempo, caso vocês se interessem. Essa pintora em questão é uma das minhas favoritas, adoro os quadros dela Q


BIIIIINGOOOO DA DISCÓRDIA SIMMM ●□●

(1) ByulE morreu E NO CÉU TEM PÃO

(2) Na verdade, Yongsun é uma criminosa e esse é um plano maléfico dela LELELELE *risada maléfica da autora*

(3) Nada demais, apenas algumas figuras...conhecidas 👀

(4) ByulE virou jantar 🌚


OBRIGADA POR LER E NOS VEMOS POR AE ~⊙♡⊙~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...