1. Spirit Fanfics >
  2. Your dance tell (Kim Taehyung) >
  3. Into you

História Your dance tell (Kim Taehyung) - Capítulo 11


Escrita por: Gucci_Prince_KTH

Notas do Autor


Oioi gente, voltei

Tenho duas recomendações de músicas hoje, a primeira é a do título (que tem uma ENORME ligação com o resto do capítulo também), e a segunda contém uma tradução importante para uma fala, momento, seja lá como vocês queiram chamar.

Into you - Ariana Grande
(link com tradução) https://www.youtube.com/watch?v=--A7tvoMwlc
(link sem tradução) https://open.spotify.com/track/76FZM38RC8XaAjJ77CVTNe?si=e47ff770e6ae4a75

Bloodline - Ariana Grande
(link com tradução) https://www.youtube.com/watch?v=DFlAova2leU
(link sem tradução) https://open.spotify.com/track/2hloaUoRonYssMuqLCBLTX?si=29aad3277190464a

Boa leitura e espero que gostem <3

Capítulo 11 - Into you


Fanfic / Fanfiction Your dance tell (Kim Taehyung) - Capítulo 11 - Into you

Yumi’s point of view

 

- A gente tem muita sorte de ter o Hoseok como professor. – falei para Taehyung enquanto saíamos da sala depois da aula.

Como eu estive mal, no fundo do poço, atrasamos muito a apresentação da música que estávamos ensaiando. Mas graças a Deus Hoseok permitiu que fizéssemos no nosso tempo.

-De fato, ele é extremamente compreensivo.

- Ainda bem, se não perderíamos ponto por minha culpa.

- Que nada, a culpa poderia ser de qualquer um, menos sua. E minha, já que sou um santo.

- Sim, muito santo. – respondi ironicamente.

- Engraçadinha. Mas falando sério, não ache que a culpa seria sua ok? Ela não é.

- Que milagre você fazendo isso, achei que seu passatempo era culpar os outros.

- Nossa Yumi, você está uma graça mesmo hoje né? Quer fazer um show?

- Mas meu filho, eu menti?

- Não importa. A questão é que só eu sei, só eu vi e só eu estive lá, então posso garantir que está isenta da culpa.

- Então ‘tá, senhor.

- Taehyung e Yumi! – gritou a voz conhecida do professor atrás de nós.

- Sim professor? – perguntei virando.

- Eu errei, me enganei feio.

- No que exatamente?

- Na música, não é aquela que eu passei. Quero que dancem Into you.

- Ah, sério?

Eu sabia a tradução da música, sabia como a coreografia funcionava, e isso me preocupava. O que ele estava planejando?

- Sim, duas semanas certo?

- O senhor tem certeza?

- Sim, algum problema com ela?

- É que... – hesitei – bem, não. Não exatamente.

- Então é isso. Ok? – assenti.

Hoseok se afastou e retornamos a andar em silêncio.

- Por que está assim? – perguntou Taehyung assim que saímos para fora do prédio.

- Estou só pensando.

- No que?

- Na música do Hoseok.

- Por quê?

- Você vai ver... mas enfim, começamos a ensaiar quando?

- Amanhã? Tenho umas coisas para fazer hoje.

- Certo, eu também. Amanhã as seis?

- Sim, acho que dá tempo.

- Combinado então.

- Amanhã vou aparecer no seu alojamento, vamos tomar café.

- É muito difícil para você perguntar ao invés de achar que manda?

- Sim. – revirei os olhos, ele sorriu – Boba.

- Bobo é você.

- Mas vamos tomar café, não é?

- Vou ver e te aviso.

- Como assim? – ri.

- Nada, deixa. Até amanhã.

- Até. – respondeu estreitando os olhos.

 

Taehyung e eu tomamos caminhos diferentes. O dia havia sido cheio e muito corrido, mas muito bom. Tomei café com o Jimin novamente, andávamos fazendo bastante isso, era divertido.

Eu estava bem, ainda preocupada com o fato de não poder ajudar Jungkook e tudo mais, mas bem. As coisas estavam dando certo e eu esperava que ficassem assim. Mas a partir do momento em que Hoseok disse o nome da música que deveríamos dançar, tudo foi por água abaixo.

Era quase impossível saber o que ia acontecer, porque Taehyung é tão imprevisível, que mesmo com diversos palpites, eu não conseguia pensar em nada. Dançávamos aquele tipo de música muitas vezes, mas aquela era de longe a mais intensa, e eu acho que o significado vai pesar.

 

°°°

 

Cheguei em casa morta de cansada, tomei um banho, arrumei algumas coisas e estudei outras até não aguentar mais, no fim dormi que nem uma pedra sem jantar.

No outro dia, assim que pisei no chão, senti o frio nocautear meu corpo, eu não estava preparada. Vesti moletom dos pés à cabeça e deixei meu cabelo solto (ele estava enorme inclusive, talvez, mas só talvez, eu deveria cortar).

Bem, Tae não mentiu quando disse viria, assim que cheguei na portaria, ele estava lá parado. Vestido como eu, literalmente, parecíamos gêmeos. Hesitante por já saber o que viria, me aproximei.

- Resolveu me imitar é? – falou assim que me viu, ele não dá uma folga.

- Sim, é que eu sou vidente né. Claro que eu sabia exatamente que você ia se vestir desse jeito, então resolvi te copiar.

- Nossa, grossa. Acordou bem hoje. – respondeu começando a andar do meu lado.

- Sim, mais do que bem.

- Só teria sido melhor se tivesse dormido comigo. – olhei-o mas não disse nada.

Eu queria rebater, mas ele tinha razão.

- O mesmo serve para você então. – respondi sorrindo de forma inocente.

- De fato. Quando vamos fazer isso de novo? Será que vou ter que ficar trancado para fora de propósito? – ri.

- Acho que sim.

- Tudo bem, posso providenciar isso.

- Você não seria capaz.

- Eu não duvidaria se fosse você.

- Por que faria isso? – me fiz de boba, queria ver até aonde ele poderia chegar.

- Preciso mesmo responder? – assenti – Fingida, a cara nem treme.

- Fala Tae, você quer tanto assim dormir comigo que seria capaz de fazer isso? – questionei me aproximando.

- Sim, eu seria. – respondeu olhando-me no fundo dos olhos (da alma na real), sorri de canto e umedeci os lábios involuntariamente.

- Interessante saber disso.

- Então posso receber uma resposta?

- Bem, você pode me chamar quando seu irmão dormir lá.

- Sério? – perguntou impressionado, da água para o vinho.

- Sim, é melhor do que não dormir a noite toda.

- Ele vai dormir lá hoje.

- Mentira. – respondi rindo.

- Como você sabe?

- Dessa vez você não conseguiu disfarçar.

- Merda. Mas não posso dormir igual?

- Sinceramente, acho que você não vai querer.

- Por quê? Duvido muito.

- Espere até o final do dia e veja.

 

Continuamos nosso caminho em silêncio, não tínhamos mais muito o que falar, e eu estava com fome. Logo entramos no meu café favorito, Taehyung parecia saber o quanto eu amava aquele lugar, sempre íamos lá.

Entramos e sentamos na mesa de sempre, sem querer virou a nossa mesa. Estava pouco movimentado, por sorte, então era extremamente agradável. Fizemos o pedido à garçonete e esperamos, confesso que achei que ficaríamos em silêncio, mas logo começamos a tagarelar.

- Mas eu ainda não superei o 0,01 que faltou para que gabaritássemos aquele trabalho do Lee. – disse Taehyung depois de tomar mais um gole do seu café.

- Ah, nem eu! Ele deve nos odiar, sério, o que custava arredondar?

- Ele odeia a própria vida, por que não odiaria a gente?

- Fiquei tão puta quando recebi a nota, senti que podia pôr fogo no cabelo dele. – falei recebendo a risada dele logo em seguida.

- Você seria expulsa, a única coisa que ele gosta na vida é o cabelo.

- Insuportável... mas pelo menos pegamos a nota toda com o Hoseok.

- Yu, a gente sempre faz isso.

- Poxa, era o único consolo que eu tinha. Estraga prazeres.

- Fazer o quê? Não temos culpa do Lee ser daquele jeito e nós sermos tão incríveis. – sorri.

- A gente é.

- Vamos conseguir mais uma boa nota nessa coreografia nova. – gelei.

- É, espero que sim.

 

°°°

 

O resto do dia passou voando, e eu só percebi quando a última aula chegou ao fim. Tae e eu tínhamos combinado as seis, então saí de lá o mais rápido que consegui e fui para casa. Admito que à medida que o tempo passava, mais nervosa eu ficava. De verdade, eu estava quase vomitando.

Vesti uma legging e uma camiseta preta, meu clássico tênis para treino, um corta vento, amarrei meu cabelo e saí de casa. Ainda estava frio, mas eu não sabia se estava tremendo por isso mesmo. Fingi que ia ficar tudo bem e andei até a sala. Taehyung já estava lá quando eu cheguei.

- Eu acho que entendi o que você quis dizer. – falou assim que entrei.

Ele estava com o celular na mão, o vídeo da coreografia estava rodando.

- Pois é, Hoseok se superou, ou enlouqueceu.

- Não é difícil, e eu sei que a gente consegue. Só que é mais intensa do que qualquer outra música que a gente já dançou.

- De fato.

- Olha, eu sei que as vezes agarro sua cintura e tal, mas isso aqui é um nível além, e eu não quero te deixar desconfortável nem nada. Então... tudo bem se a gente tentar para ver o que acontece? Se você não gostar, podemos dar um jeito de mudar.

Eu sabia que ele jamais faria alguma coisa que eu não gostasse, mas nunca, em toda a minha vida, ouvi-o falar com aquele tom de voz. Eu fiquei impressionada, muito impressionada.

- Sim, tudo bem sim.

- Ótimo.

Tae colocou a música e começamos a aprender os passos. Íamos pegar bem rápido, mas estávamos nervosos.

- Tae, você precisa me segurar forte aqui, senão eu vou cair de cara no chão.

- ‘Tá, ok, eu vou.

- Tae, olha aqui.

- Hm?

- Eu ‘tô de boa ok? Você não precisa se preocupar, estamos dançando juntos, se fosse qualquer outro eu poderia achar estranho, mas é você. Não é ruim como eu achei que ia ser.

- Tem certeza?

- Absoluta.

Pois bem, Tae só precisava de uma confirmação, e depois que dei isso a ele, posso dizer que começamos a dançar de verdade. Quanto mais passos aprendíamos e juntávamos na música, mais intenso o negócio ficava. Um calor começou a subir por meu corpo, mas jurei para mim mesma que era porque estava me movimentando muito.

Era quase obrigatório admitir que minha cintura parecia ter sido feita para as mãos dele, por mais estranho que possa soar. Pensei nisso o tempo todo, e perdi a conta de quantas vezes me arrepiei. Eu já falei uma vez, mas preciso repetir, nossa sincronia era absurdamente perfeita, dava medo.

Pegamos a coreografia toda em três horas de treino, rápido como eu achei que seria. Dançamos toda ela cinco vezes depois de aprendermos, e parecia estar cada vez melhor, mais intenso e mais quente, muito mais quente. Eu estava ofegante, e nem tentava pensar no porquê.

Depois de um tempo, começamos nossa competição de manter o olhar involuntariamente, e aí ficou sério. Eu tive que me segurar muito, mas muito mesmo para não beijá-lo, dava até vontade de chorar, difícil passar por aquilo. Taehyung parecia olhar no fundo da minha alma, e me guiar para seus lábios, a força com a qual me segurava toda vez em momentos específicos me tirava o ar. Caí exausta e extasiada no chão quando dançamos pela última vez, eu me recusava a olhá-lo.

- A gente fica sem se falar agora né? – perguntou desligando o som, eu ri.

- Não sei, eu realmente não sei o que fazer.

- Nem eu, isso foi... não sei, nunca fizemos nada parecido.

- Vamos matar o Hoseok, ele não vai aguentar quando ver.

- Vamos matar ele e o resto da turma, você sabe que vai virar notícia né?

- Sim, não tem o que fazer. – foi a última coisa que falei em um intervalo de 15 minutos.

Aquele silêncio estava começando a me torturar.

- Será que... sabe, podemos treinar amanhã de novo? – perguntou olhando para o chão.

- Eu acho que sim, não tenho nada para fazer.

- Mesmo horário?

- Sim. – íamos ficar em silêncio de novo, mas acabei tendo uma ideia – E então, ainda quer dormir comigo?

Taehyung olhou-me na hora.

- Você não tem vergonha na cara né. – falou e eu comecei a rir.

- Estou aprendendo com você.

- Se você me puxar pela mãozinha eu vou, e sem reclamar. – sorri de canto.

- Inacreditável.

- Se bem que, talvez seja meio perigoso fazer isso hoje.

- Por quê?

- Nunca dançamos desse jeito, e eu acho que se ficar muito perto de você por muito tempo posso acabar não me controlando.

Se ele soubesse que eu não ligo para o controle...

- Você que sabe. – falei baixinho.

- O quê?

- O que o quê? – me fiz de desentendida e levantei.

- O que você disse?

- Quando?

- Agora.

- Quando.

- Não, não agora, agora, antes.

- O que o quê? – continuei me fazendo enquanto vestia meu casaco novamente.

- Porra, não faz isso, você sabe do que eu estou falando.

- Sei, e também sei que você ouviu. – ele se aproximou.

- Fala de novo, acho que estou ficando louco. – sorri.

- Não, não está.

- É mesmo? – assenti e em um segundo ele me prensou na parede.

Desaprendi a respirar por três segundos.

- Repete o que disse então. – ele estava muito perto, muito mesmo.

- Já que insiste... você que sabe. – sussurrei me aproximando um pouco mais, por pouco não toquei seus lábios.

- Céus, você me deixa louco.

Eu podia jurar que ele estava ouvindo meu coração bater descontroladamente. Taehyung sabia o que fazer, mas ele não ia, eu sabia que não ia.

- De verdade Yumi, está cada vez mais difícil de me segurar quando estou com você. E eu nunca me senti assim. – falou percorrendo a curva do meu pescoço com seu nariz.

Se ele ainda não tinha ouvido meu coração, ouviu agora. Eu estava arrepiada, mal conseguia respirar.

- Tae. – falei involuntariamente, se é que posso chamar isso de fala.

- Porra. – disse fechando os olhos.

- Se te falta informação, eu já disse que não precisa se segurar, quer que eu desenhe?

- Não, não precisa. – olhou-me de novo.

Pois bem, eu nunca havia visto aquele olhar, e pela primeira vez, fiquei em dúvida se ele ia ir até o final ou se interromper de novo.

Taehyung tirou uma de suas mãos que segurava minha cintura tocou a lateral de meu rosto com ela. Nossos narizes se tocavam, se iríamos enlouquecer só com um beijo, quem dirá...

Com milhões de pensamentos e uma incrível visão, ele encostou seus lábios nos meus, ia acontecer...

Pelo menos era o que achávamos.

- Impossível. – falei assim que meu celular tocou, ele riu soprado.

- Mas que merda. Atende. – olhei-o – Sério, podemos encerrar isso de uma vez por todas amanhã, sabe que vamos acabar aqui igual.

-  Você que sabe. – respondi segurando para não rir.

- É. – respondeu sorrindo – A gente se vê amanhã Yumi.

- Até amanhã.

- Até.

Achei que ele ia sair, mas antes de fazer isso deixou um selar em meu pescoço, como caralhos eu deveria atender o telefone?

Fiquei sem reação até vê-lo sair pela porta, eu ainda não conseguia acreditar, e provavelmente não dormiria a noite. Fiquei parada e depois fiquei puta, por isso jurei para mim mesma que aquele beijo iria acontecer no dia seguinte, de um jeito ou de outro iria acontecer...


Notas Finais


Foi isso pessoal, agora vou deixar vocês um pouquinho ansiosos e só volto sexta ^ ^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...